Renato Câmara solicita ações emergenciais em socorro ao setor produtivo nas questões dos financiamentos agrícolas

Compartilhe:

O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Renato Câmara (MDB), apresentou Indicação solicitando a realização de estudo de viabilidade para a implementação de medidas emergenciais relacionadas ao financiamento agrícola, tais como o PRONAF, PRONAMP e FCO. A reivindicação foi endereçada ao ministro de Fazenda, Fernando Haddad e ao ministro de Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira.

 

O ‘Deputado do Agro’ justificou, durante a sessão plenária desta quinta-feira (29-02), que uma conjunção de fatores adversos está impactando diretamente a atividade agrícola e pecuária em Mato Grosso do Sul. “As intempéries reduziram a produtividade das safras de soja e milho, conforme estimativas da Aprosoja/MS, resultando em uma produção significativamente menor em comparação aos anos anteriores. Neste contexto, precisamos que medidas emergenciais sejam adotadas para minimizar os prejuízos do setor”, justificou Renato Câmara, que recebeu este pleito da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul-FAMASUL e Associação de Produtores de Soja e Milho-APROSOJA, através do Ofício nº 049/2024.

 

Para consubstanciar o pedido aos ministros Fernando Haddad e Paulo Teixeira, o deputado Renato expôs que a queda nos preços das commodities agrícolas, aliada à redução dos custos operacionais, resulta em uma anomalia de mercado que compromete a margem de lucro dos produtores rurais. “Esta situação não afeta apenas a capacidade de pagamento dos agricultores, mas, também repercute negativamente na economia do estado como um todo. No setor pecuário, a desvalorização da arroba do boi, conforme indicado pela Cotação de Arroba Famasul, reflete os desafios enfrentados pelos pecuaristas, que se deparam com baixos preços de venda e altos custos de produção. Por isso, a recomendação da Associação de Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul) para segurar os animais no pasto evidencia a necessidade de medidas emergenciais para garantir a sustentabilidade deste setor”.

 

Diante deste contexto – argumentou o deputado – “é imprescindível o apoio do Governo Federal para a implementação de medidas emergenciais relacionadas ao financiamento agrícola, como: Prorrogação, por no mínimo seis meses, das parcelas da modalidade custeio que estão prestes a vencer, como forma de não inviabilizar o custeio das próximas culturas; e, Prorrogação para o final do contrato das parcelas da modalidade investimento, minimizando o prejuízo sobre o capital de giro. Essas medidas visam assegurar a continuidade das atividades agrícolas e pecuárias, evitando prejuízos irreparáveis aos produtores rurais e à economia do Estado”.

 

“Portanto, solicitamos o apoio de Vossas Excelências a fim de garantir a implementação dessas medidas urgentes, as quais são essenciais para mitigar os impactos negativos enfrentados pelos agricultores e pecuaristas de Mato Grosso do Sul”, finalizou Renato Câmara ao reforçar sua Indicação em defesa do agro, em apoio aos produtores e incentivo aos setores produtivos de MS, um dos estados que participa com um volume expressivo da produção agrícola e pecuária do país.

(Roney Minella – Assessoria Parlamentar)