Recuperação da ponte sobre o rio Paraguai avança e 3ª concretagem acontece no fim de semana

Compartilhe:

A ponte sobre o rio Paraguai, localizada na rodovia BR-262, em Corumbá, passará por uma etapa crucial de recuperação no próximo fim de semana. A interdição total da passagem, necessária para a concretagem do terceiro ponto, terá início às 17h de sábado (25) e seguirá até as 12h de domingo (26).

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), vinculada à Seilog (Secretaria de Infraestrutura e Logística), informa que a interdição completa da ponte, com duração estimada de 19 horas, é indispensável para a realização de atividades simultâneas de concretagem em dois locais distintos.

Esse procedimento resultará em maior movimentação das plataformas antes e após o período de cura do concreto.

Próximas fases

Após esta fase, serão executadas as juntas de material específico definido no projeto e a substituição de 48 aparelhos de neoprene. A Agesul ressalta que, com a conclusão desta etapa, prevista para a primeira quinzena de junho, as estruturas metálicas serão recolocadas nos apoios em um período de mais sete dias após a concretagem.

Este é o tempo mínimo de cura necessário para liberar o trânsito sobre a laje concretada, sendo necessário continuar operando

Passagem na Ponte

Em situações de emergência, como o tráfego de ambulâncias, serão adotadas medidas para garantir uma passagem segura, com o acompanhamento de veículos de apoio designados pela Agesul. A interdição é essencial para assegurar a completa restauração estrutural da ponte.

Por meio de um planejamento cuidadoso para minimizar os impactos no tráfego local, os trabalhos têm sido realizados com total responsabilidade pela Agesul, considerando que a ponte recebe diariamente veículos de passeio e de carga.

“Pedimos mais uma vez a compreensão da população neste momento. Estamos com a obra já em estágio avançado, e esta é uma etapa fundamental para garantir a integridade estrutural da ponte e trazer mais segurança às pessoas que passam por aqui”, destaca o secretário Helio Peluffo, da Seilog.

Luciana Bomfim, Comunicação Seilog/Agesul