PF combate tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e facções criminosas em Dourados

Divulgação

Compartilhe:

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, 8/12, a Operação Sanctus com o objetivo de desarticular organização criminosa ligada ao tráfico internacional de drogas, a lavagem de dinheiro e a facções criminosas.

As investigações tiveram início em outubro deste ano e, com seu avanço, houve a identificação dos líderes da organização criminosa (ORCRIM) sediada na cidade de Dourados, cujo comando é exercido por dois irmãos, ambos com histórico de ligação em apreensões de droga e com lideranças de facções criminosas.

A atividade da organização baseia-se na internalização de droga no país a partir da cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, por meio da ocultação de entorpecentes em pneus de caminhões de carga, que, para dissimular o transporte da droga, carrega produtos lícitos até o interior do Paraná e, de lá, para o Rio de Janeiro.

Os investigados promoviam a lavagem de capitais por meio de uma rede de pessoas e empresas, para os quais remetiam e recebiam grandes quantias de valores em espécie por meio de depósitos em terminais de autoatendimento.

O esquema conta ainda com a ocultação patrimonial de empresas e imóveis, cuja propriedade formal está em nome de laranjas, testas de ferro e, no caso dos imóveis, em nome de seus antigos proprietários.

A Polícia Federal cumpriu 21 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de prisão temporária, todos expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal em Campo Grande/MS, nas cidades de Maricá/RJ, Araruama/RJ, Dourados/MS, Ponta Porã/MS, Guia Lopes da Laguna/MS, Cambé/PR, Feliz Natal/MT e Paranatinga/MT.

A Operação SANCTUS contou com o apoio da SENAD do Paraguai.

A operação deflagrada nesta sexta-feira para cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão em vários pontos de Dourados, entre eles o Audaz Restaurante, é relacionada a investigações de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Além do Audaz, na Rua Albino Torraca, mandados foram cumpridos no Ecoville 2 e em uma loja de roupas e bonés na Rua 20 de Dezembro, no Jardim Água Boa. Algumas pessoas foram presas, entre elas um empresário e um advogado. A PF ainda não se manifestou sobre a operação.

Além do tráfico e lavagem de dinheiro, a polícia investiga suposto plano da organização para matar um policial rodoviário federal de Dourados. Dois pistoleiros da fronteira chegaram a ser contratados para a missão, cancelada quando os mandantes descobriram que já estavam sendo investigados.