O Crocodilo mais Antigo da Península Ibérica: Uma Descoberta Fascinante no Jurássico Superior

Pixabay

Compartilhe:

Photo by WikiImages

Introdução

No distrito de Lisboa, na Lourinhã, foi feita uma descoberta paleontológica extraordinária: o crânio de um crocodilo com 150 milhões de anos, tornando-o o crocodilo mais antigo já encontrado na Península Ibérica. Esta descoberta, resultado de meticulosas pesquisas e estudos, revelou uma nova espécie de crocodilomorfo do Jurássico Superior. A riqueza e o excelente estado de conservação deste fóssil possibilitaram aos cientistas identificar não apenas uma nova espécie, mas também um novo gênero de crocodilomorfo ancestral dos atuais crocodilos.

As Condições de Conservação Excepcionais

O crânio do crocodilomorfo encontrado na praia de Paimogo apresenta características únicas e está incrivelmente bem preservado. Essa preservação excepcional é extremamente rara para o Jurássico Superior e proporcionou aos pesquisadores uma oportunidade ímpar de estudar e compreender melhor essa espécie ancestral. Com base nessas condições ideais, os cientistas concluíram que se trata de uma nova espécie e um novo gênero de crocodilomorfo, enriquecendo ainda mais o conhecimento sobre a fauna do Jurássico Superior.

A Importância do Jurássico Superior de Portugal

O Jurássico Superior de Portugal, em especial a região da Lourinhã, tem se destacado como uma importante área de estudo paleontológico. Essa descoberta reforça a relevância mundial dessa região, que já contribuiu com diversas descobertas científicas nos últimos anos. Ao longo de seis anos, esta é a terceira nova espécie descoberta na Lourinhã, demonstrando a importância contínua das pesquisas realizadas nessa área.

A Descoberta e a Equipe de Pesquisa

O crânio do crocodilomorfo foi encontrado em dezembro de 2021 pelo paleontólogo amador alemão Holger Lüdtk em uma rocha na praia de Paimogo. Essa descoberta atraiu a atenção da comunidade científica internacional e, em colaboração com o Dino Parque Lourinhã, o Museu da Lourinhã, a Universidade Nova de Lisboa e a Universidade de Zaragoza, uma equipe de paleontólogos foi formada para estudar e analisar o fóssil.

A equipe de pesquisa inclui renomados cientistas como Víctor López-Rojas, Simão Mateus, João Marinheiro, Octávio Mateus e Eduardo Puértolas-Pascual. O fóssil também serviu como tese de mestrado em ilustração científica para Camilo Pineda, da Universidade de Aveiro. Essa colaboração internacional e multidisciplinar permitiu uma análise aprofundada do fóssil e a confirmação da descoberta de uma nova espécie.

Características do Crocodilomorfo

O crânio do crocodilomorfo encontrado possui características distintas que o diferenciam de outras espécies e revelam informações valiosas sobre a evolução desses animais. Embora seja difícil determinar seu tamanho exato, os cientistas estimam que esse crocodilomorfo poderia alcançar até três metros de comprimento. As semelhanças e diferenças entre esse fóssil e a fauna do Jurássico Superior na América indicam a abertura do Atlântico Norte e o afastamento progressivo entre os continentes americano e europeu.

Batismo do Fóssil: Ophiussasuchus Paimogonectes

Com base nas características únicas do crânio do crocodilomorfo e sua importância histórica, os pesquisadores decidiram batizá-lo de “Mr. Holger”, em homenagem ao descobridor, Holger Lüdtk. Além disso, foi denominada uma nova espécie de crocodilomorfo chamada ‘Ophiussasuchus paimogonectes’. O nome faz referência ao território português, conhecido pelos antigos gregos como Ofiússa, e à praia de Paimogo, local onde o fóssil foi encontrado. Esse batismo é uma forma de reconhecimento da importância dessa descoberta e sua contribuição para a paleontologia.

A Importância do Dino Parque da Lourinhã

O Dino Parque da Lourinhã, desde sua abertura ao público em 2018, tem sido uma atração turística de destaque em Portugal. Com uma área de 10 hectares, é considerada a maior exposição temática ao ar livre da Europa. O parque oferece seis percursos diferentes que permitem aos visitantes observar quase 200 modelos de espécies de dinossauros em escala real, além de animais que habitaram o planeta Terra há 450 milhões de anos. O fóssil do crocodilomorfo descoberto em Paimogo será preparado e, em breve, fará parte da coleção de paleontologia do parque, podendo ser apreciado pelo público.

Desde sua inauguração, o Dino Parque da Lourinhã já recebeu aproximadamente 1,2 milhão de visitantes, demonstrando o interesse e a curiosidade do público em relação à paleontologia e à história da Terra.

Conclusão

A descoberta do crocodilomorfo mais antigo da Península Ibérica na Lourinhã é um marco significativo para a paleontologia em Portugal. Através do excelente estado de conservação do fóssil, os cientistas puderam identificar uma nova espécie e um novo gênero de crocodilomorfo ancestral dos crocodilos atuais. Essa descoberta reforça a importância do Jurássico Superior de Portugal como uma área de estudo paleontológico relevante e coloca a Lourinhã no centro das atenções científicas internacionais. O fóssil em breve fará parte da coleção do Dino Parque da Lourinhã, permitindo que o público aprecie essa fascinante descoberta e aprenda mais sobre a história da vida na Terra.