Mulheres são maioria nas quase 12 mil pessoas que já se vacinaram contra dengue

Divulgação

Compartilhe:

A campanha de vacinação contra a dengue fechou a terceira semana no último sábado (21) com mais 386 pessoas recebendo a primeira dose da Qdenga. No total, 11.720 já procuraram as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município, além das ações extras, como as desenvolvidas aos sábados durante o Desenvolve Dourados em Ação, que acontece nos bairros.

As mulheres douradenses chamam atenção e são exemplo na campanha. Entre os vacinados, 56,6% são do sexo feminino, com 6.635 doses. Os homens receberam 5.085 doses, ou 43,4% do total. Esse percentual foi verificado em outras ações, como o caso da vacinação contra a covid-19.

“Elas buscam muito mais informações sobre prevenção. Há uma cultura de que elas são as gestoras de saúde da família, pois cuidam das crianças, dos avós e dos maridos. Pode parecer machista, mas é uma evidência”, diz Isabella Ballalai, vice-presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunização), em entrevista para a Folha de S. Paulo.

O esquema vacinal requer a aplicação de duas doses, com intervalo mínimo de 90 dias entre elas. As vacinas estão disponíveis em todas unidades de saúde do município, que atendem de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h, e das 13h às 17h. A Sala de vacinação do PAM atende nos dias úteis entre 13h e 19h e aos sábados das 8h às 12h. 

Mais Vacinas

A vacinação em massa contra a dengue acontece apenas em Dourados, graças a uma parceria construída pela Prefeitura com o laboratório japonês Takeda Pharma, que produz o imunizante e espera vacinar até 150 mil pessoas entre 4 e 59 anos, com as duas doses. 

No restante do país, o Ministério da Saúde incluiu a vacina Qdenga no Plano Nacional de Imunizações (PNI) e recebeu as primeiras 720 mil doses no último sábado. O total adquirido é de 6,5 milhões de doses, a capacidade total disponível no laboratório para esse ano. 

O público-alvo serão crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. Essa faixa etária concentra o maior número de hospitalizações por dengue, depois de pessoas idosas, grupo para o qual a vacina não foi liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão é que as primeiras doses sejam aplicadas em fevereiro.