Março Azul: SES apoia campanha de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de intestino

Compartilhe:

Com o objetivo de conscientizar a população para a prevenção do câncer colorretal, o Governo do Estado, por meio da SES (Secretaria de Estado de Saúde) e em parceria com a Sobed/MS (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva de Mato Grosso do Sul), apoia a Campanha Março Azul.

O câncer de intestino é também conhecido como câncer colorretal porque engloba os tumores surgidos na parte do intestino grosso chamada cólon e reto (localizada no final do intestino, antes do ânus) e no ânus. Embora seja prevenível por meio de métodos diagnósticos acessíveis, como o teste de sangue oculto nas fezes e a colonoscopia, a doença permanece como grande desafio para o sistema de saúde brasileiro.

Conforme o secretário de Estado de Saúde, Dr. Maurício Simões, o câncer de intestino ocupa uma posição destaque quando se fala em índice de mortalidade porque há uma dificuldade de se ter o diagnóstico precoce. Por isso, a importância de se descobrir o quanto antes essa doença.

“Tanto homens quanto mulheres a partir dos 50 anos, etilistas e tabagistas são a população de risco, mas é preciso ficar em alerta quanto a mudança do ritmo do seu trato intestinal. A melhor forma de prevenção é estabelecendo uma estratégia alimentar saudável”, assegurou Simões.

Segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer), entre os anos de 2023 e 2025, estima-se que no Brasil ocorram cerca de 45.630 novos casos de câncer de cólon e reto a cada ano, com um risco estimado de 21,10 casos por 100 mil habitantes. O câncer de cólon e reto ocupam a terceira posição entre os tipos mais comuns de câncer no país.

Para a nutricionista da coordenadoria das Doenças Crônicas da SES, Michele Martins, o objetivo da coordenadoria é trabalhar a prevenção, através do autocuidado e fortalecer a busca por tratamento em tempo oportuno para o câncer de intestino.

“O câncer de intestino é uma condição que pode ser evitada por meio de mudanças nos hábitos de vida, incluindo uma alimentação rica em alimentos in natura, como frutas, verduras e legumes, que fornecem fibras essenciais para a prevenção desse tipo de câncer. Reduzir a ingestão de alimentos ultraprocessados também é crucial, pois esses alimentos estão associados a um aumento no risco de câncer. Além disso, é importante limitar o consumo de álcool e evitar o tabaco. Manter-se fisicamente ativo é fundamental. Se houver qualquer sinal de que o funcionamento do intestino não está dentro do padrão da sua normalidade, é importante procurar atendimento médico imediatamente para investigação. Esteja atento aos sinais e não hesite em buscar ajuda médica quando necessário”, alerta Michele.

A presidente da Sobed/MS, Dra. Eduarda Nassar Tebet, chama a atenção para a importância da campanha, pois o câncer de intestino na maior parte das vezes é silencioso, não apresenta sintomas. Mas é um dos poucos cânceres que pode ser totalmente prevenível se fizer os exames preventivos.

“O médico junto com o paciente pode esclarecer junto à população os sintomas do câncer de intestino, esclarecer a importância de que se você tem entre 50 e 70 anos de idade, procure um agente de saúde, procure um médico para que faça esse rastreio do câncer de intestino, que na maioria das vezes não dá sintomas. Quando dá sintomas ele já está em fase muito avançada e a chance de cura é menor”, explicou Tebet.

Para o ano de 2024 a Campanha Março Azul traz o tema: “Médico e paciente: Parceria que salva! Vamos juntos evitar o câncer de intestino”. A campanha busca conscientizar profissionais de saúde, gestores, agentes políticos e pacientes sobre a importância da prevenção, do diagnóstico precoce e do tratamento adequado do câncer de intestino, visando diminuir sua incidência. A ação destaca a colaboração entre o sistema de saúde e as entidades de especialidades médicas, com o objetivo de promover a saúde e o bem-estar da população.

Fatores de risco

  • Tabagismo;
  • Consumo de alimentos ricos em gorduras saturadas;
  • Sedentarismo;
  • Consumo de bebidas alcoólicas;
  • Idade superior a 50 anos;
  • Histórico familiar de câncer colorretal;
  • Baixo consumo de cálcio;

Sintomas

Se está com perda de peso sem motivo específico, passou a ter diarreia e/ou prisão de ventre, sangue nas fezes, está sentindo gases ou cólicas, com episódios de vômitos e náuseas e dores na região anal ou sensação de intestino cheio mesmo após evacuar, fique atento. Procure atendimento médico.

Como prevenir?

A adoção de medidas mais saudáveis auxilia na prevenção da doença. Confira:

  • Evite o tabagismo e o uso de bebidas alcoólicas;
  • Faça atividade física com regularidade;
  • Tenha uma alimentação rica em fibras;
  • Evite alimentos ultraprocessados e açúcares;
  • Equilibre a ingestão de carnes vermelhas;
  • Esteja em dia com consultas médicas;
  • Fique atento a lesões que antecedem o câncer.

Os cânceres de cólon e reto apresentam alto potencial para prevenção com a promoção de hábitos de vida saudáveis e através do diagnóstico precoce. O câncer de intestino tem cura.

Kamilla Ratier, Comunicação SES