IA pode poupar paciente com câncer de mama de tratamento inútil, diz estudo

Compartilhe:

Uma nova ferramenta de Inteligência Artificial (IA) pode tornar tratamentos contra câncer de mama mais eficientes, segundo um estudo da empresa americana de serviços médicos Northwestern Medicine, ligada à Faculdade de Medicina Feinberg da Northwestern University.

A pesquisa avaliou que essa tecnologia pode potencialmente poupar pacientes de tratamentos de quimioterapia desnecessários, usando um método mais preciso de previsão de seus resultados.

As avaliações de IA dos tecidos dos pacientes foram mais precisas na previsão do curso futuro da doença de um paciente do que as avaliações realizadas por patologistas especialistas.

A ferramenta conseguiu identificar pacientes com câncer da mama que estão atualmente classificados como de risco elevado ou intermédio, mas que se tornam sobreviventes a longo prazo.

Isso significa que a duração ou intensidade da quimioterapia pode ser reduzida. Assim, é possível poupar os pacientes, já que a quimioterapia está associada a efeitos colaterais desagradáveis e prejudiciais, como náuseas ou, mais raramente, danos ao coração.

Atualmente, os médicos avaliam as células cancerígenas no tecido de um paciente para determinar o tratamento. Mas os padrões de células não cancerígenas são muito importantes na previsão de resultados, conforme mostrou o estudo.

Estudo com IA é pioneiro

Este é o primeiro estudo a usar IA para avaliação abrangente dos elementos cancerígenos e não cancerígenos do câncer de mama invasivo.

“Nosso estudo demonstra a importância dos componentes não cancerígenos na determinação do resultado de um paciente”, disse o autor correspondente do estudo, Lee Cooper, professor associado de patologia na Faculdade de Medicina Feinberg da Northwestern University.

“A importância destes elementos era conhecida a partir de estudos biológicos, mas este conhecimento não foi efetivamente traduzido para uso clínico.” O estudo foi publicado em 27 de novembro na revista Nature Medicine.

O câncer de mama atinge cerca de 60 mil casos por ano no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia. As estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam que cerca de 74 mil novos casos da doença podem surgir no país em 2023.

Nos EUA, cerca de 300.000 mulheres receberão um diagnóstico de câncer de mama invasivo em 2023. E aproximadamente uma em cada oito mulheres nos EUA receberá um diagnóstico de câncer de mama durante a vida.

CNN Brasil