Fogos de artifício: manuseio adequado garante segurança nas festas de fim de ano

Divulgação

Compartilhe:

Entre tantos costumes que embalam as festas de final de ano, a queima de fogos de artifício é uma das atrações que, tradicionalmente, está presente neste período. Além de enfeitar o céu, o espetáculo se tornou característico por marcar celebrações com muita luz e cor, encantando pessoas de todas as idades.

Apesar da beleza e tradição, os fogos de artifício também podem representar grande perigo para a população. Apresentando maiores riscos antes de ser lançado ao céu, o artefato pode causar acidentes irreversíveis como queimaduras, perda de audição, cegueira, cortes e até amputação de membros.

Além disso, com as férias escolares e a presença de crianças em casa, o material exige um cuidado ainda maior. De acordo com Eduardo Tracz, Capitão Subcomandante Metropolitano do CBMMS (Corpo de Bombeiros Militar), os responsáveis devem atentar-se às crianças próximas aos fogos de artifício não só no manuseio, mas também em seu armazenamento.

“Ter fogos de artifício junto com crianças em casa é perigoso, tem algumas crianças que são meio atentadas. A recomendação é sempre afastar do alcance e monitorar o bolso das crianças para ver se não estão com fósforo ou isqueiro, se não ela pode querer se divertir e acabar tendo um acidente”.

Ainda, o consumo de bebidas alcoólicas associado ao manejo de fogos de artifício, também aumenta as chances de acidentes. “Quem for mexer com fogos de artifício não deve beber porque geralmente nessas festas sempre tem familiares, vizinhos e amigos, o que coloca todos em risco. O correto é evitar ao máximo misturar bebida alcoólica com fogos de artifício”.

Cuidados a serem tomados

Entre as medidas para evitar acidentes com fogos de artifícios, o primeiro passo é conferir que o material seja certificado tanto pelo Corpo de Bombeiros quanto pelo Exército Brasileiro antes da compra. “Isso vai garantir que você compre um produto de qualidade, certificado, e ainda vai minimizar os riscos de qualquer acidente”, afirma o Capitão Tracz.

Outras medidas de segurança incluem:

  • Ler atentamente as orientações presentes no rótulo do produto;
  • Não soltar fogos de artifício em locais fechados;
  • No caso de rojões de papelão, não sobrepor um ao outro e colocar sua base no chão, nunca soltar da mão;
  • Posicionar o topo do foguete para cima, de forma perpendicular ao solo, nunca na diagonal;
  • Atentar-se ao efeito retardado e não aproximar-se ou tentar reacender o rojão caso ele falhe.

Para mais informações ou em caso de emergências, entre em contato com o Corpo de Bombeiros Militar pelo telefone 193.