Cenário de oportunidades da Rota Bioceânica é reforçado em visita à ponte binacional

Compartilhe:

Porta de entrada e de saída da Rota Bioceânica no Brasil, a obra da ponte binacional sobre o rio Paraguai, em Porto Murtinho, foi visitada pelo governador Eduardo Riedel, que aproveitou o momento para destacar as oportunidades econômicas e sociais que o novo corredor vai trazer ao Mato Grosso do Sul e todo o país.

O evento ocorreu nesta terça-feira (19), e contou com a presença dos ministros Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional) e Simone Tebet (Planejamento e Orçamento).

“A Rota vai se tornar realidade e abrir grandes oportunidades para Mato Grosso do Sul e ao Brasil. Temos que fazer nossa parte e contribuir para viabilizar esta integração. Obras importantes e estruturantes seguem do lado do Brasil e nos países vizinhos”, afirma o governador.

Riedel lembra dos investimentos importantes do Governo Federal para viabilizar a Rota, como a revitalização da BR-267 e a alça rodoviária em Porto Murtinho, que vai dar acesso a ponte.

“Pedimos sete obras no PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] e todas serão atendidas, entre elas o acesso à ponte que é essencial. Temos ainda que agradecer aos empresários, pois os investimentos privados são fundamentais para implantação da Rota”, completa.

O ministro Waldez Góes destaca que muitos contribuiram com o sonho da Rota e que este é um compromisso do Governo Federal. “Existe um compromisso integral e de primeira hora com a ligação aos países sul-americanos, para promover esta integração. São cinco rotas, entre elas a Bioceânica, uma das mais importantes”, descreve.

Já a ministra Simone Tebet lembra que toda esta ligação começou lá atrás com o planejamento e trabalho de muitos.

“Quando se junta as forças, se chega mais longe e se conquista resultados. A construção da ponte e a Rota são exemplos disto. Foi necessário todo este esforço para que este projeto se torne realidade, ligando o Brasil ao mundo. Os produtos do Centro-Oeste vão chegar mais rápido e ficarão mais baratos na China. Esta dinâmica vai mudar a vida das pessoas. Das cinco rotas de integração, esta será a primeira a ser inaugurada”, frisa.

Futuro promissor

As perspectivas são extremamente positivas a Mato Grosso do Sul com a implantação da Rota Bioceânica, ligando o Estado aos países vizinhos e depois encurtando o caminho ao Oceano Pacífico e mercados asiáticos. São oportunidades no campo da exportação e importação de produtos, assim como no campo turístico e na competitividade para nossa economia.

Para tornar este sonho realidade, várias obras estão sendo feitas, entre elas a construção da ponte sobre o rio Paraguai, ligando Porto Murtinho a paraguaia Carmelo Peralta.

Da parte de Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado já investiu R$ 72,3 milhões em Porto Murtinho, em diferentes setores. Também foram garantidos incentivos para reativar a hidrovia do rio Paraguai, atraindo operadores e empreendimentos portuários à região.

“O governador sabe das necessidades da cidade e o Estado tem cumprindo sua parte com investimentos importantes ao município nos últimos anos. Não temos do que reclamar. O corredor bioceânico vai nos tirar do isolamento e ter impacto direto nas nossas vidas”, afirmou o prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra.

O governo estadual ainda articulou junto ao Governo Federal a realização de obras de infraestrutura complementares para ligação do corredor, entre elas o acesso a ponte bioceânica, que terá o investimento de R$ 472 milhões.

Lá serão pavimentados 13 km, além da construção de um centro aduaneiro, trabalho de terraplanagem e acesso elevado à ponte. A ordem de serviço foi assinada em dezembro do ano passado.

Também foi autorizada a restauração de 101 km da rodovia BR-267, que liga o distrito de Alto Caracol a Porto Murtinho. As obras tiveram início na semana passada, de acordo com o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes).

Obra em andamento

O governador fez a visita acompanhado dos dois ministros, Simone Tebet e Waldez Góes. “A vinda dos ministros aqui na obra da ponte é significativa demais ao Estado, pois será uma das estruturas que vão ligar o Estado à Rota Bioceânica. Também existe um conjunto de obras que estão sendo realizadas de forma conjunta”, disse Riedel.

Construída pela Itaipu Binacional, a ponte terá 1.294 metros de comprimento e 29 metros de altura em relação ao leito do rio Paraguai. O seu orçamento é de U$$ 85 milhões. De acordo com a empresa 45% dos trabalhos já foram concluídos.

Também participaram da agenda o vice-governador Barbosinha, os secretários Jaime Verruck (Semadesc) e Eduardo Rocha (Casa Civil), o senador Nelsinho Trad, o deputado federal Geraldo Resende, e os deputados estaduais Paulo Corrêa e Roberto Hashioka.

Leonardo Rocha, Comunicação Governo de MS