Brasil e a inteligência artificial, um país do futuro?

RawPixel

Compartilhe:

O conceito de país desenvolvido é definido pelo alto grau de desenvolvimento socioeconômico. São analisados critérios como riqueza, infraestrutura, saúde e educação. O Brasil é uma nação em desenvolvimento, ou seja, apresenta crescimento econômico satisfatório, mas ainda precisa evoluir em aspectos sociais. O avanço da inteligência artificial (IA) pode ser um aliado na transformação necessária para que o país alcance um novo patamar mais rapidamente.

Embora as expectativas com a IA sejam promissoras, a realidade brasileira se mostra desafiadora. Para absorver e dominar tantas demandas de inovações tecnológicas, é necessário ter mão de obra qualificada. No caso do Brasil, a falta de profissionais pode impactar negativamente essa evolução. Segundo estudo do Google com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), até 2025 haverá um déficit de pessoas trabalhando com tecnologia.

A escassez no mercado ressalta a urgência do Brasil em acelerar a evolução para capacitar, reter e atrair futuros profissionais de tecnologia. Políticas públicas nas escolas, parcerias com empresas e startups, colaboração com instituições de ensino, expansão de oportunidades para além dos grandes centros econômicos e desenvolvimento de uma cultura empreendedora são algumas das soluções de curto a médio prazo para tentar reverter a situação atual.

O projeto de um “País do futuro” também vai exigir mais ações para ampliar a governança, investir em sustentabilidade e reduzir a desigualdade social. Livre de grandes conflitos geopolíticos e abundante em recursos naturais, o Brasil é um local apropriado para os mais diversos tipos de investimento.

Cidades como São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro têm se destacado como hubs de inovação, posicionando o país como referência na América Latina. Agora, o desafio é posicionar-se frente a nações desenvolvidas da Europa, Ásia e América do Norte. Quanto mais cedo o Brasil focar no futuro, maior a recompensa.

Luiz Othero é CEO da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), entidade sem fins lucrativos que promove o ecossistema brasileiro de startups.