Dourados-MS,
Semestre- Camara

Grid List

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

Jordão Pereira Coutinho, 24 anos, morreu esfaqueado em frente a uma conveniência localizada na Rua Hatsugiru Kudo, no bairro Estrela do Leste em Dourados. O caso aconteceu na noite de domingo (22), por volta das 20h30. 

Jordão teria chegado ferido gritando por socorro. O comércio já estava fechado, porém, populares atenderam o rapaz e acionaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Quando o socorro chegou Jordão já estava morto. Ele não resistiu ao ferimento localizado na lateral esquerda do corpo, na altura do peito. 

A vítima mora em apartamento próximo ao local onde morreu e a suspeita é que tenha sido esfaqueado em casa após briga. 

A Polícia Civil de Dourados investigará o caso. 

 

 

 

Dourados News

Caminhonete havia sido levada por assaltantes de Dourados no último dia 19 - Foto: Porã News

Dourados

Agentes da comissária policial de Cerro Coraí, da Policia Nacional do Paraguai, em Pedro Juan Caballero, recuperaram neste sábado (21) uma caminhonete preta Toyota Hilux, de propriedade do vereador Idenor Machado (PSDB), da cidade de Dourados, que havia sido tomada em assalto no último dia 19. A ação foi realizada durante investigação de combate a roubos de veículos na cidade paraguaia.  

A operação culminou com a prisão do brasileiro Rene Pimentel (21) e das paraguaias Monica Colman Rivas (26), Elisa Aparecida Villagra Pimentel (18) e do adolescente L.F.O. (17). 

De acordo com informações do site Porã News, o trio foi encaminhado à comissária policial da colônia de Cerro Coraí e o caso comunicado à promotora de Justiça Sandra Dias, que ordenou a prisão dos envolvidos e a apreensão das evidências.

Investigações
A operação teve início após moradores alertarem a polícia sobre a existência de indivíduos transitando de forma suspeita pela região da fração Portal do bairro Cerro Coraí a bordo de uma motocicleta estrangeira e armados. Os policiais imediatamente iniciaram buscas pelos suspeitos, que poderiam ser os responsáveis pelos assaltos na região de fronteira. Ao perceber a presença policial, a dupla ainda tentou fugir, entrando em uma residência, mas acabou sendo abordada. 

Em poder de um dos ocoupantes da moto, foi encontrado e apreendido um revólver calibre 38. Durante vistoria na residência, os policiais localizaram a caminhonete, juntamente com as quatro motocicletas e diversos objetos que poderiam ser produtos de roubos e furtos na região de fronteira.

Durante a ação que levou à prisão dos suspeitos, também foram recuperadas quatro motocicletas da marca Yamaha, uma delas do modelo Yamaha XTZ 125, cor azul e branca, sem placa, uma moto estrangeira da marca Star CG 125cc, cor preta sem placas, uma moto Yamaha XR 600cc, cor branca com preta, placa SAR 503 Paraguai e uma moto Honda CB 300R, cor branca, sem placa e um revolver do calibre 38, além de um Notebook, um aparelho de televisão, dois aparelhos de celulares, capacete de motoqueiro e munições.

 

Correio do Estado

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

A maconha apreendida na manhã de sábado (21/7) na avenida Presidente Vargas, em Dourados, deve chegar a 2 toneladas, conforme estimativa inicial. A droga estava escondida em fundo falso de uma carreta Mercedes Benz, conduzida pelo douradense Anderson Trevisan Pires, 38, morador no Jardim Canaã III. 

O flagrante ocorreu por volta de 6h30. Policiais rodoviários federais realizaram a abordagem no trevo de acesso à Perimetral Norte. 

De acordo com relato do suspeito, o veículo foi carregado com o entorpecente em Amambai e seria levado até Guarulhos (SP). Pelo transporte ele afirmou que receberia R$ 15 mil. 

A polícia desconfiava que cocaína ou armas pudessem estar no fundo falso da carreta, porém, até o momento nenhum vestígio encontrado desses ilícitos. 

A ocorrência acabou encaminhada até o posto da PRF (Polícia Rodoviária Federal) de Dourados para pesagem da maconha. O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado e auxiliou no corte da superfície metálica que escondia a droga. 

 

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

Grupo de aproximadamente 30 indígenas invadiram a Fazenda Celeste, em Dourados, na noite de sexta-feira (20/7) e fizeram refém o caseiro do local. Conforme relato do homem à polícia, ele ficou ‘preso’ na propriedade entre 22h de ontem e 4h deste sábado. 

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela vítima, os invasores entraram na fazenda em posse de arma de fogo, arco, flecha e lanças. 

Durante o período em que ficou com o grupo informou ter sido torturado. Na delegacia, ele apresentou ferimentos pelo corpo e na cabeça.

Antes de ser liberado, os indígenas ainda roubaram do caseiro a carteira, aparelho de telefone celular e R$ 400.

Ao deixar a propriedade rural, ainda conforme o registro policial, o homem dirigiu até uma mercearia e foi levado até a casa de familiares, antes de denunciar o fato. A ocorrência foi registrada como lesão corporal, ameaça e violação de domicílio. 

A área segue ocupada. No passado, o local passou por outra invasão. 

A Fazenda Celeste fica na região próxima a avenida Guaicurus, via que dá acesso as universidades, aeroporto, Exército, distritos e vários bairros de Dourados. 

 

Dourados News

 

 

Foto - Divulgação

Dourados

O vereador Idenor Machado (PSDB) teve sua camionete Hilux levada por uma dupla armada na noite de quinta-feira (19), quando chegava em casa. O vereador contou que chegou por volta das 22:30 horas e foi abordado por uma dupla armada em uma motocicleta. Um dos autores entrou na camionete e o fez sair do carro.

Já o outro arrancou de seu pescoço sua corrente de ouro e seus pertences, que estavam em seu bolso. Em seguida, os dois ladrões fugiram. Na fuga, o bandido que estava dirigindo a Hilux acabou batendo a lateral do carro em uma pilastra que fica em frente à casa do vereador, danificando a lateral da camionete. 

Câmeras de segurança de casa vizinha devem ajudar na identificação dos autores. Um dos bandidos era magro, estava bem vestido e tinha aproximadamente 1,70 de altura.

Armas de guerra apreendidas ontem pela PRF. - Foto: Cipó Guincho

Outras Cidades

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu ontem arsenal com 50 armas de fogo e 2.542 munições na rodovia BR-267, em Bataguassu, perto da divisa com o estado de São Paulo. Entre o armamento havia um fuzil M4 e duas espingardas UNG 12 automáticas, usados por unidades militares e forças policiais especializadas. A suspeita é de que o material tenha sido adquirido na fronteira com o Paraguai, para fortalecer o crime organizado que age região sudeste do Brasil.

Segundo a PRF, durante fiscalização dentro da Operação Égide, que ocorre desde junho do ano passado, a equipe deu ordem de parada a um carro Chevrolet Cobalt com placas de Belo Horizonte (MG), conduzido por um homem de 21 anos, acompanhado de uma mulher de 23 anos. Durante vistoria, os agentes encontraram as armas escondidas em fundo falso no encosto do banco traseiro do veículo.

Ao todo foram encontrados 29 pistolas, 18 revólveres, o fuzil e as duas espingardas, além de 1.313 munições de revólver, 747 de pistola, 403 de rifle e 75 de espingarda, que somaram 2.542. Encontraram ainda 15 carregadores calibre 45, 20 carregadores calibre 9mm e três carregadores calibre 40. O motorista declarou que receberia R$ 5  mil para levar a carga até São Paulo (SP), mas se recusou a informar a origem do armamento. O casal foi encaminhado à Delegacia da Polícia Federal de Três Lagoas.

De acordo com balanço do primeiro semestre divulgado pela PRF, as apreensões de armas tiveram crescimento de 35% em Mato Grosso do Sul. Neste ano foram 42 armas apreendidas nos primeiros seis meses - sem mencionar a ocorrência recente. No mesmo período do ano passado haviam sido 31. Já as munições aumentaram em mais de cinco vezes, cerca de 373%. Em 2017 foram 3.957 unidades recolhidas e em 2018 foram 18.749 unidades, dos mais variados calibres. Na mesma medida em que os números mostram eficiência do trabalho policial, também evidenciam maior movimento de cargas por parte dos criminosos.

 

Correio do Estado

Guilherme abriu o placar em cobrança de pênalti (Miguel Locatelli/CAP)

Futebol

Em um jogo bastante disputado no Mineirão, o Cruzeiro buscou a virada em 2 a 1 diante do Atlético Paranaense, evitando um tropeço em casa pelo Campeonato Brasileiro e aproveitando bem os resultados da rodada. Com isso, a Raposa chegou aos 24 pontos, na terceira colocação. O Furacão está na zona de rebaixamento, com 10 pontos, na 19ª posição, sem vencer nenhuma como visitante.

Em um primeiro tempo equilibrado, o Rubro-Negro conseguiu abrir o placar em cobrança de penalidade de Guilherme, aos 37 minutos. Depois do intervalo, Arrascaeta, aos 20 minutos, deixou tudo igual. A virada veio com Barcos, o Pirata, aos 35 minutos.

Na próxima rodada, o Cruzeiro terá pela frente o Corinthians, quarta-feira, na Arena Corinthians, em São Paulo. Já o Atlético Paranaense encara o Vasco da Gama, no mesmo dia, na Arena da Baixada.

O jogo – O Furacão entrou em campo pressionado e, por isso, mostrava uma postura mais ofensiva, tentando dominar as ações. A primeira chegada rubro-negra aconteceu aos seis minutos, com Nicolas cruzando fechado para Léo afastar o perigo. A disputa era equilibrada, mas restrita ao meio-campo. Aos oito minutos, Wandeson cochilou e Barcos por pouco não aproveitou a jogada, de frente pra o gol.

Ganhando uma nova chance entre os titulares, Guilherme teve uma oportunidade incrível para abrir o placar, aos 11 minutos, mas conseguiu errar a meta mesmo estando quase debaixo das traves. Polêmica aos 20 minutos, com Barcos pronto para anotar seu primeiro gol pela Raposa, mas impedido pela arbitragem, que parou o lance. Mais uma bola para Guilherme, dentro da área, aos 26 minutos, e Lucas Silva apareceu para cortar.

Os times tinham dificuldade no campo de ataque, até que, aos 37 minutos, Bruno Guimarães invadiu a área mineira e foi derrubado Marcelo Hermes. O árbitro marcou a penalidade. Na cobrança, Guilherme converteu. No banco, o técnico Mano Menezes reclamava muita da arbitragem. Aos 42 minutos, Thiago Neves subiu na área e testou para defesa de Santos.

Depois do intervalo, as equipes retornaram com a mesma formação. Atrás no placar, a Raposa foi para o ataque. Aos três minutos, Thiago Neves cobrou falta e Santos fez boa defesas. O goleiro voltou a trabalhar aos cinco minutos, em cabeçada de Dedé. Em busca de seu gol, Barcos partiu para a jogada individual, aos 10 minutos, fez fila na defesa, mas parou em Jonathan, que se recuperou bem no lance.

O taque da Raposa mostrava ansiedade no momento do arremate final. Arrascaeta, por exemplo, teve duas chances para chutar, aos 13 e aos 15 minutos, mas mandou completamente torto, desperdiçando boas chances. Na resposta, Guilherme arrematou de longe e Fábio segurou firme no meio do gol. Mas, aos 20 minutos, Arrascaeta recebeu levantamento de Rafinha e testou para a rede, deixando tudo igual.

O gol cruzeirense fez o ritmo da partida cair, com o Atlético conseguindo ficar um pouco mais com a bola nos pés e a Raposa com menos intensidade. Aos 31 minutos, Raniel cortou a zaga, achou o espaço par ao chute, mas apenas recuou para Santos. Porém, aos 35 minutos, Barcos aproveitou cruzamento de Robinho para desviar e marcar seu primeiro gol pelo Cruzeiro. Para piorar a situação atleticana, Lucho González recebeu o cartão vermelho direto e foi para o chuveiro mais cedo. Edílson ainda teve uma boa chance de marcar em cobrança de falta, mas o 42 minutos, mas o placar já estava definido.

CRUZEIRO 2 X 1 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão), Belo Horizonte (MG)
Data: 22 de julho de 2018 (Domingo)
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins (RS) e Lucio Beersdorf Flor (RS)
Cartões amarelos : Edilson (Cruzeiro); Guilherme, Bergson e Nikão (Atlético-PR)
Cartão vermelho : Lucho (Atlético-PR)

Gols
CRUZEIRO: Arrascaeta, aos 20 minutos e Barcos, aos 35 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-PR: Guilherme, aos 37 minutos do primeiro tempo

CRUZEIRO: Fábio, Edilson, Léo, Dedé, Egídio, Lucas Romero, Lucas Silva (Rafinha), Thiago Neves (Raniel), Arrascaeta, Robinho e Barcos (Bruno Silva).
Técnico: Mano Menezes

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan, Wanderson, Paulo André e Nicolas; Bruno Guimarães (Rosseto), Lucho González e Guilherme (Marcelo Cirino); Bergson, Nikão (Bruno Nazário) e Pablo.
Técnico: Tiago Nunes

Apenas três dias depois de decepcionar e ser até vaiado pelo seu torcedor, o Santos voltou a mostrar um futebol muito abaixo das expectativas na noite deste domingo, na Arena Condá. Depois de um primeiro tempo igual e um segundo com clara superioridade dos donos da casa, o Peixe ao menos segurou um 0 a 0 contra a Chapecoense, na 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, os praianos seguem um ponto atrás dos catarinenses, que têm 16, mas possuem uma partida a menos que os seus concorrentes. O América-MG, primeiro time da zona de descenso à Série B do Brasileiro, está com 14.

Na próxima rodada, os comandados de Jair Ventura encaram o Flamengo, às 21h45 (de Brasília), na Vila Belmiro, buscando abrir ao menos uma distância maior da zona de rebaixamento. Enquanto isso, na quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), Gilson Kleina leva seu elenco para enfrentar o Botafogo, no Nilton Santos.

Primeiro tempo de dar sono

A etapa inicial do embate na Arena Condá poderá ser usada no futuro como uma aula do que não fazer para correr riscos e ganhar um jogo. Com ambos os times mais preocupados em não perder do que em vencer, os primeiros 45 minutos foram uma sucessão de jogadas mal trabalhadas e desperdiçadas em chutes sem pretensão.

Escalado com Renato, Pituca e Jean Mota no meio, o Peixe careceu de um armador, mostrando o mesmo buraco entre defesa e ataque apresentado no clássico contra o Palmeiras. Do outro lado, a Chape não fez a menor questão de ficar ela coma posse, normalmente rifando sempre que tinha essa possibilidade.

O único lance digno de nota se deu em uma rara arrancada de Dodô, que teve trabalho para marcar Eduardo, mas conseguiu escapar da marcação em contra-ataque. Com calma, o lateral serviu Bruno Henrique, que rolou para Gabigol. Mesmo com espaço, o canhoto chutou de primeira, mal, por cima do gol.

Chape melhora e quase vence

O segundo tempo mostrou uma Chapecoense mais a fim de de jogo, principalmente com a entrada de Osman na vaga de Leandro Pereira. Mais rápido, ele fez boa dupla com o habilidoso Bruno Silva na armação, dando trabalho para que o Peixe ajustasse a marcação. O primeiro lance veio num chute de longe de Elicarlos, espalmado por Vanderlei.

Pouco depois, Bruno Pacheco cruzou na área e Vanderlei afastou. No rebote, Osman tentou novo levantamento, Gustavo Henrique desviou para trás e Bruno Silva, livre na pequena área, chutou do jeio que conseguiu, pegando muito embaixo e mandando para cima do gol.

Jair ainda tentou mudar com Vecchio, Copete e Arthur Gomes, mas nenhum dos três conseguiu ser efetivo nas suas tentativas. O destaque seguiu com os anfitriões, que só não saíram vitoriosos por centímetros. Wellington Paulista cabeceou bem aos 42 minutos e venceu Vanderlei, mas estava com o tronco projetado à frente.

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 0 x 0 SANTOS

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 20 de julho de 2018, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Eduardo Gonçalves da Cruz (MS)
Público: 7.100 presentes
Renda: R$ 167.150,00
Cartões amarelos: Wellington Paulista (Chape); Jean Mota, Arthur Gomes e David Braz (Santos)

CHAPECOENSE: Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Elicarlos, Márcio Araújo (Canteros), Luiz Antônio e Bruno Silva (Guilherme); Leandro Pereira (Osman) e Wellington Paulista
Técnico: Gilson Kleina

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Dodô; Diego Pituca, Renato e Jean Mota (Vecchio); Gabigol (Arthur Gomes), Bruno Henrique (Copete) e Eduardo Sasha
Técnico: Jair Ventura

Escalado como titular, Weverton foi seguro quando exigido durante o primeiro tempo. Na única chegada consistente do Atlético-MG na metade inicial, o centroavante Ricardo Oliveira recebeu de Chará, passou por Edu Dracena e parou em uma saída arrojada do goleiro adversário.

O Atlético-MG voltou aceso para a etapa complementar e empatou aos 5 minutos. Após cruzamento vindo da direita, Matheus Galdezani cabeceou no canto esquerdo baixo de Weverton, que conseguiu espalmar. Oportunista, Luan conferiu na sobra e igualou o marcador.

O time visitante cresceu após o gol, mas sofreu o segundo gol aos 30 minutos do segundo tempo. Em uma cobrança de falta da entrada da área, Bruno Henrique bateu com precisão e ainda viu a bola tocar na trave direita de Victor antes de terminar nas redes.

Com o Palmeiras novamente em vantagem no placar, Dudu saiu aplaudido para a entrada do meio-campista Jean. Pouco depois da alteração, em jogada pelo lado direito do campo de ataque, Elias ajeitou para o colombiano Chará empatar com um chute colocado.

Aos 48 minutos do segundo tempo, quando alguns torcedores já xingavam o técnico Roger Machado, o Palmeiras enfim marcou o gol da vitória. Em bola alçada na área, Deyverson ajeitou de cabeça e o inspirado Bruno Henrique, também de cabeça, completou para as redes.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 2 ATLÉTICO-MG

Data: 12 de julho de 2018, domingo
Local: Allianz Parque, em São Paulo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez
Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Cleberson do Nascimento Leite
Público: 29.246 pessoas
Renda: R$ 1.907270,12
Cartões amarelos: Moisés e Edu Dracena (PAL); Luan e Terans (AMG)
Cartão vermelho: Matheus Galdezani (AMG)
Gols:
PALMEIRAS: Moisés, aos 2 minutos do 1º Tempo, e Bruno Henrique, aos 30 minutos e aos 48 minutos do 2º Tempo
ATLÉTICO-MG: Luan, aos 5 minutos do 2º Tempo, e Chará, aos 35 minutos do 2º Tempo

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Deyverson), Bruno Henrique e Moisés; Gustavo Scarpa (Hyoran), Dudu (Jean) e Willian
Técnico: Roger Machado

ATLÉTICO–MG: Victor; Patric, Gabriel, Juninho e Fábio Santos; José Welison, Elias (Tomás Andrade) e Matheus Galdezani (Lucas Cândido); Luan (Terans), Chará, e Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

Mesmo com jogador expulso, Cruzmaltino garantiu a vitória por 1 a 0 (Foto: Divulgação/Vasco)

Futebol

O Vasco venceu neste domingo o Grêmio por 1 a 0 no Estádio São Januário pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Adotando uma postura agressiva, o time vascaíno surpreendeu o Tricolor Gaúcho saltando na frente. Esse cenário se modificou um pouco porque os cariocas tiveram um jogador expulso ainda no primeiro tempo. Assim o técnico Jorginho posicionou o time com duas linhas de quatro e buscou uma jogada de contra-ataque. Por sua vez, os gaúchos ficaram mais tempo com a bola, mas sem nenhuma efetividade e não conseguiram furar o bloqueio defensivo dos mandantes. O único gol foi marcado por Andrés Rios.

Com o resultado, o Vasco subiu na tabela para o nono lugar com 19 pontos. E o Grêmio caiu para o sexto lugar com 23 pontos.

Na próxima rodada o Vasco enfrenta no dia 29, domingo, o Corinthians, às 11h (horário de Brasília), no Mané Garrincha. Já o Grêmio recebe na quinta o São Paulo, às 19h30 (horário de Brasília), na Arena.

O Jogo –  Os donos casa tomaram a iniciativa e logo no começo da partida abriram o placar. Aos 02, Henrique recebeu livre pela esquerda e faz o cruzamento por baixo. Andrés Rios dividiu com Pedro Geromel e a bola encobriu Marcelo Grohe. Dois minutos depois, o Vasco quase ampliou quando Andrey arriscou da meia direita, de muito longe, e obrigou Marcelo Grohe a uma grande defesa. A equipe gremista está perdida em campo e não conseguiu encaixar a marcação.

É uma avenida o lado esquerdo da defesa do Grêmio, o Vasco deitou, rolou e mais uma vez levou perigo a meta de Grohe. Aos 13, Andrey faz grande lançamento para Yago Pikachu, às costas de Marcelo Oliveira. Na cara de Grohe, o vascaíno tentou a cavadinha, mas o goleiro dá um tapa e impediu o gol.

Após os 20 minutos, o Tricolor Gaúcho equilibrou o jogo e quase chegou ao empate. Aos 23, depois de bate-rebate dentro da área, a bola sobrou para Marcelo Oliveira. Quase na pequena área, o lateral finalizou cruzado, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Depois de marcar o gol o time da colina recuou as suas linhas e apostou nas jogadas de contra-ataque. Enquanto o clube gaúcho ficou com mais posse de bola e tentou encontrar espaço na defesa vascaína. Aos 31, Henrique foi mais cedo para o chuveiro após ter derrubado Luan em carrinho violento. Ele já tinha cartão amarelo. Com um a mais em campo, o técnico Renato Portaluppi resolveu ousar tirando Marcelo Oliveira para colocar Marinho. Por sua vez, Jorginho resolveu reforçar o meio-campo sacando o atacante Kelvin e fazendo entrar o meia Thiago Galhardo.

Uma atuação bem apagada do atacante Luan que errou todos os passes e não acertou nenhuma jogada. Mesmo com as limitações técnicas, o Vasco se mostrou um time muito bravo e determinado em campo.

Correndo atrás do prejuízo o Grêmio mudou a postura e foi para cima. Logo, 01 minuto, Everton arriscou da meia esquerda, mas o goleiro defendeu. Na sequência, Luan pegou o rebote, mas bateu muito mal, de perna esquerda. Por outro lado, o Vasco que tem um atleta a menos em campo apostou nas jogadas de contra-ataque.

Tendo mais posse de bola, o Grêmio girou de um lado para o outro a pelota, mas sem nenhuma efetividade. Para aumentar a criatividade no meio-campo o treinador gremista fez entrar o meia Douglas no lugar do lateral-direito Léo Moura. Buscando o empate de qualquer maneira, os gaúcho começaram apelar para as jogadas de bola aérea o que facilitou o trabalho do sistema defensivo do time carioca.

Agora o técnico Renato Portaluppi foi para o tudo ou nada arriscando com a entrada do centroavante Jael na vaga do volante Jaílson. Aos 24, Douglas cobrou rasteiro. A bola passou por todo mundo e ficou com André. O centroavante chutou fraco e o goleiro faz a defesa. Na primeira chegada do Vasco do segundo tempo um lance polêmico. Aos 31, Paulo Vitor vai para cima de Geromel e caiu dentro da área, mas o árbitro nada marcou.

Na base da valentia o Vasco segurou o resultado e contou com apoio da torcida. Apesar de ter tido um jogador a mais no campo, o Grêmio ficou a bola, porém sem objetividade e não criou nada em oportunidades de gols.

Ficha Técnica
Vasco x Grêmio

Local: São Januário, no Rio de Janeiro-RJ.
Data: 22 de Julho, Domingo.
Horário: 16h ( horário de Brasília).
Árbitro: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG).
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza (ambos de MG).
Renda: R$ 171.160,00.
Público: 8.000 pagantes

Cartão amarelo: Marcelo Oliveira, Marinho, André, Ramiro, Douglas (Grêmio), Henrique, Yago Pikachu (Vasco). Cartão vermelho: Henrique (Vasco).
Gol: Andrés Rios (Vasco), aos 02 minutos do primeiro tempo.

Vasco: Martin Silva, Luiz Gustavo,Breno, Ricardo e Henrique, Desábato, Andrey, Giovanni Augusto (Oswaldo Henriquez), Yago Pikachu, Andrés Rios (Paulo Vitor) e Kelvin (Thiago Galhardo).
Técnico: Jorginho

Grêmio: Marcelo Grohe; Léo Moura (Douglas), Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira (Marinho); Jaílson (Jael), Cícero,Ramiro e Luan, Everton e André.
Técnico: Renato Portaluppi

Foto - Divulgação

Futebol

Quem esperava um Ba-Vi intenso e disputado nesta domingo, na Arena Fonte Nova, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro viu um clássico de um time só. E ele foi o Bahia. Apesar de um começo ruim nos dois tempos, o Esquadrão de Aço soube controlar o jogo, transformar a superioridade em gols e goleou o Vitória por 4 a 1. Nos primeiros 45 minutos, Zé Rafael e Vinícius marcaram. Na etapa final, Tiago e Gilberto completaram a goleada, que Lucas descontou.

O começo com certeza deixou o torcedor do Vitória empolgado para a sequência do clássico. Mesmo jogando fora de casa, foi o Leão quem começou pressionando e por pouco, no primeiro lance, Walter Bou não abriu o placar. A chance, porém, acabou sendo a única perigosa do time na primeira metade, já que o Bahia, aos poucos, não só tomou para si o protagonismo como conseguiu converter as chances em gols. Primeiro com Zé Rafael e depois com Vinícius, o Esquadrão de Aço foi para o intervalo com 2 a 0 a seu favor.

O roteiro do segundo tempo foi bastante semelhante ao do primeiro. Com domínio no início, o Vitória criou boa chance nos primeiros minutos e depois passou a ser completamente dominado pelo Bahia, que ampliou ainda mais a vantagem no placar. Primeiro com Tiago, depois com Gilberto, o Esquadrão de Aço fez quatro a zero. Coube a Lucas, aos 27 minutos, diminuir a diferença e marcar o gol do Leão.

Com os três pontos, o Bahia ultrapassou justamente o Vitória e chegou aos 16 pontos, um a mais que o Rubro-Negro. Na próxima rodada, o time comandado por Enderson Moreira viaja até Fortaleza para medir forças com o ceará na Arena Castelão. Já o time de Vágner Mancini recebe o Sport no Barradão.

Vinícius marcou o segundo gol da vitória do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação)

O JOGO

Quem esperava um começo de jogo morno e estudado foi surpreendido logo no primeiro lance da partida. Tocando bola na defesa, o Bahia tentava construir sua primeiro jogada, mas viu a pressão de Neílton sobre Tiago surtir efeito e a bola sobrar na entrada da área para Walter Bou. O atacante do Vitória, em duelo particular com Anderson, viu o goleiro se sobressair e evitar o primeiro gol do clássico a favor do Leão.

Depois do susto inicial, o Bahia passou a tentar controlar o jogo e conter a empolgação do rival, que aos poucos foi mais cauteloso quanto à pressão na saída de bola. Aos sete minutos, o time da casa criou a primeira chance de mais perigo com Edigar Junio, que por pouco não alcançou o cruzamento de Lucas Fonseca. No fim, foi marcado impedimento do atacante.

Passada a empolgação dos 10 primeiros minutos, o jogo que tinha o Vitória mais incisivo mudou completamente de cenário. Apoiado pela torcida, o Bahia não só assumiu o controle do jogo como conseguiu transformar a posse de bola em chances reais de gol. Primeiro, aos 11 minutos, Vinícius tentou surpreender o goleiro adversário com uma cobrança de falta rasante.

Foi aos 14 minutos, porém, que o placar foi aberto e em grande estilo. Léo puxou o ataque pelo lado esquerdo e abriu para Zé Rafael. O camisa 10, com categoria, bateu colocado tirando de Elias e fez o primeiro do Bahia no jogo. O segundo não demorou a sair. Apenas seis minutos depois, novamente Zé Rafael apareceu bem, entrou na área, mas foi derrubado por Fillipe Soutto. Sem hesitar o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães apontou a cal e marcou o pênalti que Vinícius, primeiro perdeu, mas no rebote ampliou a vantagem.

Com a vantagem de dois gols, o Bahia passou a ser mais cauteloso em sua ações, mas nem por isso deixou de criar perigo. Aos 29, Zé Rafael aproveitou a sobra na cobrança de escanteio e tentou fazer mais um, mas errou o alvo. A resposta do Vitória aconteceu três minutos depois, em confusão dentro da área que Kanu desviou, mas Anderson defendeu.

Atrás no placar, o Vitória voltou para o segundo tempo com a mesma postura que começou o primeiro, pressionando, mas criando poucas oportunidades efetivamente. A primeira e única mais perigosa aconteceu aos quatro minutos, quando Fillipe Soutto arriscou de fora da área e Anderson espalmou para linha de fundo.

Entretanto, assim como no primeiro tempo, o domínio do Vitória durou poucos minutos e logo deu lugar ao controle do jogo por parte do Bahia. Novamente, a posse de bola se converteu em oportunidades e, consequentemente, mais gols. Aos 20, após cobrança de falta afastada pela defesa Rubro-Negra, Gregore ajeitou para Tiago que mandou no canto e fez o terceiro. No lance seguinte, Gilberto fez o quarto de cabeça, aproveitando cruzamento de Zé Rafael.

Aos 27 minutos saiu o gol do Vitória. Bryan levantou a bola na área e Lucas, que entrou no segundo tempo no lugar de Jeferson, desviou de cabeça para o fundo da rede. O autor da assistência, aliás, teve sua última participação no lance do gol, pois aos 29 foi expulso após entrada dura em Edson.

FICHA TÉCNICA
BAHIA-BA 4 X 1 VITÓRIA-BA

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 22 de julho de 2018 (Domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Fonseca (RJ) e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ)
Público total: 24.312
Renda: R$ 453.426,00

Cartões amarelos:
Vitória: Jeferson, Walter Bou, Arouca, Bryan, Luan
Bahia: Zé Rafael, Lucas Fonseca, Tiago

Cartão vermelho: Bryan (Vitória)

GOLS:
Bahia: Zé Rafael (14 minutos do 1T); Vinícius (25 minutos 2T), Tiago (aos 20 minutos 2T), Gilberto (aos 21 minutos 2T)

Vitória: Lucas (27 minutos 2T)

BAHIA: Anderson; Bruno, Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore (Edson), Elton, Zé Rafael, Vinícius (Regis); Edigar Junio (Marco Antonio) e Gilberto.
Técnico: Enderson Moreira

VITÓRIA: Elias; Jeferson (Lucas), Kanu, Aderllan e Bryan; Arouca, Fillipe Souto, Luan; Erick, Neílton (Willian Farias) e Walter Bou (Yago).
Técnico: Vágner Mancini

O Fluminense mostrou força neste domingo ao vencer por 2 a 1 o Sport, na Ilha do Retiro, pelo Campeonato Brasileiro. O destaque da partida foi atacante Pedro, que marcou os dois gols dos visitantes e assumiu a ponta da artilharia da Série A. Com o resultado, os cariocas chegaram a 18 pontos e se afastaram dos últimas posições. Já os pernambucanos seguem com 19 e ficam mais longe dos líderes.

O confronto foi ruim tecnicamente durante grande parte dos 90 minutos. No primeiro tempo, o Fluminense abriu o placar com Pedro, mas viu o Sport empate em seguida, com Gabriel. Na etapa final, os tricolores foram melhores e saíram de campo com a vitoria após mais um gol de Pedro.

Na próxima rodada, o Fluminense recebe o Palmeiras, no Maracanã, nesta quarta-feira. No dia seguinte, o Sport vai até Salvador para encarar o Vitória.

O jogo – O Sport iniciou a partida tentando pressionar o Fluminense. No entanto, a boa marcação tricolor impedia os donos da casa de criar boas jogadas. Com isso, os visitantes passaram a ter espaço para avançar e abriram o placar aos 17 minutos. Pedro aproveitou cruzamento de Léo para finalizar para a rede, no canto de Magrão.

O revés não abateu o Sport, que empatou aos 19 minutos. Rafael Marques finalizou para o gol, o goleiro Julio Cesar espalmou, mas no pé de Gabriel, que mandou para a rede.

Depois dos gols, o jogo voltou a a cair de rendimento. Somente aos 27 minutos, o Sport quase virou a partida. Após cobrança de escanteio, Fellipe Bastos cabeceou sozinho, mas viu Julio Cesar fazer grande defesa para salvar o Fluminense.

Somente nos minutos finais, os donos da casa conseguiram assustar os cariocas. Aos 44 minutos, Michel Bastos cobrou escanteio de forma direta e acertou o travessão de Julio Cesar. Assim, o jogo foi para o intervalo com a manutenção do empate na Ilha do Retiro.

No segundo tempo, o Fluminense voltou com outra postura e dominou o confronto nos primeiros minutos. Os cariocas quase marcaram o segundo aos oito minutos, quando Pedro chutou da entrada da área e viu Magrão fazer boa defesa.

O lance animou os tricolores, que desperdiçaram chance incrível aos dez minutos. Marcos Júnior foi ;lançado na área e ficou de frente para Magrão. O atacante rolou para Pedro na pequena área, mas seu companheiro chutou pela linha de fundo.

O Fluminense encontrava muito facilidade em chegar ao gol do Sport. Tanto que aos 17 minutos, Pedro mais uma vez chutou para boa defesa de Magrão. No minuto seguinte, o atacante aproveitou escanteio para cabecear com perigo.

Com o passar do tempo, o Sport conseguiu equilibrar a partida. No entanto, os donos da casa não incomodavam o goleiro Julio Cesar. O Fluminense ainda buscava avançar com rapidez, mas pecava no setor ofensivo. Os cariocas voltaram a criar boa chance somente aos 33 minutos. Matheus Alessandro fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Richard. O volante finalizou fraco, em cima de Magrão.

Quando a partida se encaminhava para o empate, o Fluminense chegou ao segundo gol, aos 39 minutos. Os tricolores aproveitaram erro de Ronaldo Alves para criar a jogada do gol. Após tentar duas vezes, a bola sobrou para Junior Dutra, que tocou para Pedro mandar de letra para a rede.

Nos minutos finais, o jogo ganhou em emoção. O Sport foi em busca do empate e quase conseguiu marcar aos 42 minutos. Após cruzamento, Carlos Henrique cabeceou pela linha de fundo, próximo ao gol. No entanto, o Fluminense se fechou e garantiu a vitoria na Ilha do Retiro.

FICHA TÉCNICA
SPORT 1 X 2 FLUMINENSE

Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data: 22 de julho de 2018 (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Neuza Ines Back (Fifa-SC)
Renda: R$ 171.595,00
Público: 11.119 presentes
Cartões amarelos: Fellipe Bastos (Sport); Dodi, Ayrton Lucas, Richard, Léo e Junior Sornoza (Fluminense)
GOLS
SPORT: Gabriel, aos 19min do primeiro tempo
FLUMINENSE: Pedro, aos 17min do primeiro tempo e 39min do segundo tempo

SPORT: Magrão, Raul Prata, Léo Ortiz, Ronaldo Alves e Sander; Fellipe Bastos (Marlone), Deivid, Gabriel e Michel Bastos; Rogério (Carlos Henrique) e Rafael Marques (Andrigo)
Técnico: Claudinei Oliveira

FLUMINENSE: Júlio César, Leo, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Richard, Dodi (Junior Dutra), Mateus Norton e Junior Sornoza (Everaldo); Marcos Junior (Matheus Alessandro) e Pedro
Técnico: Marcelo Oliveira

Duas décadas após vitimar a Seleção Brasileira na decisão da última Copa do Mundo que sediou, a França voltou a levantar o mais cobiçado troféu do planeta. O time comandado por Didier Deschamps, campeão como jogador em 1998, fez 4 a 2 sobre a Croácia na final deste domingo, no Estádio Luzhnikí, em Moscou, e igualou Argentina e Uruguai como detentora de dois títulos mundiais.

Agora, a França só está atrás de Brasil, com as suas cinco conquistas, e Alemanha e Itália, com quatro cada, no rol de maiores vencedores de Copas do Mundo. Os franceses ainda deixaram para trás Espanha e Inglaterra, ambas com uma taça, enquanto a Croácia precisou se contentar com o vice-campeonato, a sua melhor campanha em Mundiais. Em 1998, havia sido terceira colocada, posto hoje ocupado pela Bélgica.

Para superar os croatas, a França teve a mesma prudência das fases anteriores da Copa do Mundo da Rússia. Suportou a pressão inicial da equipe adversária e abriu o placar com um gol contra de Mandzukic. Absorveu o empate, que veio com Perisic, e voltou a ficar à frente ainda no primeiro tempo, em pênalti convertido por Griezmann. Na segunda etapa, Pogba e Mbappé transformaram o triunfo em goleada, e Mandzukic descontou em falha feia do goleiro Lloris.

 

 

Polêmicas e gols


A Croácia rejeitou o jogo estudado nos primeiros minutos da final da Copa do Mundo. Vindo de três prorrogações, o time dirigido por Zlatko Dalic aproveitou o fôlego inicial para partir para cima da França, aparentemente surpreendida pela postura da seleção adversária.

Os franceses, no entanto, não mudaram o estilo que marcou a sua campanha no Mundial. Com um jogo cauteloso desde a fase de grupos, a equipe de Didier Deschamps teve paciência para conter o ímpeto da Croácia e, aos poucos, começar a se soltar no gramado.

Aos 17 minutos, a França abalou, de fato, os croatas. Griezmann sofreu uma falta na ponta direita bastante contestada pela seleção adversária e apresentou-se para a cobrança. Ele levantou a bola na área, onde Mandzukic fez a torcida brasileira recordar Fernandinho, protagonista de lance infeliz contra a Bélgica, e cabeceou para anotar o gol contra.

Com a vantagem no marcador, a torcida francesa passou a cantar ainda mais alto no Estádio Luzhnikí, sobrepondo-se à maioria croata. Dentro de campo, o país campeão mundial de 1998 também parecia que tiraria proveito do momento para se impor diante da finalista inédita de Copas do Mundo.

A superioridade francesa, contudo, durou dez minutos. Aos 27 minutos, Modric bateu falta ensaiada, jogando a bola para o lado direito da área. Mandzukic e Rebic desviaram pelo alto até Vida escorar para Perisic. O meia da Internazionale cortou para a esquerda para se desvencilhar de Kanté e chutou forte e cruzado para empatar o jogo.

A França reagiu. Aos 35 minutos, Griezmann bateu um escanteio da direita, e Perisic tocou a bola com o braço ao afastar para a linha de fundo. O árbitro argentino Néstor Pitana já havia assinalado novo tiro de canto quando começou a ser convencido pela reclamação de Matuidi, que viu o lance, e seus compatriotas a consultar o VAR.

Pitana, então, correu em direção ao monitor instalado à beira do gramado. Demorou, mas assinalou o pênalti a favor da França. Griezmann, o homem das bolas paradas, ignorou a movimentação provocativa do goleiro Subasic, deslocou o oponente e recolocou a sua nação à frente no placar.

 

Virou goleada


Com mais de 60% de posse de bola no primeiro tempo, a Croácia iniciou o segundo sem alterações, esperançosa de que seria recompensada pela ofensividade. A França, como tinha feito na semifinal a ponto de enervar a Bélgica, não teve vergonha de se fechar e ficar armada para os contra-ataques.

O primeiro susto por meio de contragolpe ocorreu aos seis minutos. O astro Mbappé, apagado até então, foi lançado por Pogba e acelerou pela ponta direita, caçado por Vida. Só parou quando Subasic surgiu diante dele para fazer a defesa, em lance tão veloz quanto um grupo de torcedores que invadiu o campo pouco depois.

Embora a estratégia já tivesse mostrado potencial, a França resolveu se precaver também defensivamente, trocando Kanté, que tinha cartão amarelo, por N’Zonzi. Já Pogba, mesmo com algumas falhas na marcação, permaneceu no gramado. Para a alegria dos franceses.

Aos 13 minutos, Pogba fez mais um lançamento para Mbappé, que, desta vez, cruzou quando avançou à linha de fundo direita. Griezmann reteve a bola e rolou para trás, onde já tinha chegado o volante do Manchester United. Ele finalizou forte, carimbou a marcação e ficou com o rebote. Na segunda tentativa, estufou a rede.

A França assumiu o controle da decisão a partir de então. Abatida, a Croácia dava sinais de ter enfim acusado o desgaste físico, deixando a bola mais tempo nos pés dos franceses. Aos 19 minutos, Mbappé desferiu novo golpe ao ter espaço para concluir rasteiro de fora da área. Subasic, que nem esticou o braço, aceitou.

O quarto gol fez a França relaxar no Luzhnikí. Até demais. Aos 23, Varane recuou a bola para Lloris, que, cheio de confiança, tentou driblar Mandzukic. Não conseguiu. O centroavante croata dividiu com firmeza e mandou a bola para dentro, desta vez a favor do seu país.

Diminuir a considerável vantagem francesa fez a Croácia reavivar as suas esperanças, mas não tanto. Bem protegida, agora com Tolisso e Fekir nos lugares de Matuidi e Giroud, a França sabia administrar a partida, apenas à espera do momento de levantar, em 15 de julho de 2018, o troféu que Zinedine Zidane conquistou em 12 de julho de 1998.

FICHA TÉCNICA
FRANÇA 4 X 2 CROÁCIA

Local: Estádio Luzhnikí, em Moscou (Rússia)
Data: 15 de julho de 2018, domingo
Horário: 12 horas (de Brasília)
Árbitro: Néstor Pitana (Argentina)
Assistentes: Hernán Maidana e Juan Belatti (ambos da Argentina)
Cartões amarelos: Kanté e Hernández (França)
Gols: FRANÇA: Mandzukic (contra), aos 17, e Griezmann, aos 37 minutos do primeiro tempo; Pogba, aos 13, e Mbappé, aos 19 minutos do segundo tempo; CROÁCIA: Perisic, aos 27 minutos do primeiro tempo; Mandzukic, aos 23 minutos do segundo tempo

FRANÇA: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Hernández; Kanté (N’Zonzi), Pogba, Mbappé, Griezmann e Matuidi (Tolisso); Giroud (Fekir)
Técnico: Didier Deschamps

CROÁCIA: Subasic; Versaljko, Lovren, Vida e Strinic (Pjaca); Brozovic, Rakitic, Rebic (Kramaric), Modric e Perisic; Mandzukic
Técnico: Zlatko Dalic

A história da Copa do Mundo 2018 está prestes a ganhar seu capítulo final. Após 31 dias, 63 jogos e 163 gols, chegou a horá do imponente Estádio Lujniki receber a final do mundial. Croácia e França se encontram de forma inédita em uma decisão, às 12h (de Brasília).

Vitoriosa em 1998, a França persegue seu segundo título mundial em sua terceira final no intervalo de dez anos. A Croácia, por sua vez, vai em busca do troféu inédito numa campanha que superou o histórico terceiro lugar conquistado justo na Copa que o adversário levou o troféu para a casa. Naquela ocasião, a seleção croata foi eliminada na semifinal para a... campeã França.

A decisão também vai colocar em lados opostos os candidatos ao título de melhor jogador da Copa do Mundo: Luka Modric e Kylian Mbappé. A conquista do torneio e uma boa exibição na decisão será decisiva na eleição. 

Estádio Lujniki preparado para receber a final da Copa do Mundo (Foto: Divulgação / FIFA)
Estádio Lujniki preparado para receber a final da Copa do Mundo (Foto: Divulgação / FIFA)

 

França x Croácia
12h - Estádio Lujniki, Moscou 
Final da Copa do Mundo 2018 

A França chega pronta para subir de patamar e se afirmar como potência mundial. É sua terceira decisão de Copa do Mundo em 20 anos, algo que nenhum outro país atingiu nesse período. Se vencerem, os franceses conquistarão o bicampeonato, igualando-se a Argentina e Uruguai, e deixando Espanha e Inglaterra para trás.

A campanha da França até aqui é praticamente irretocável. São cinco vitórias (nenhuma na prorrogação) e um empate (contra a Dinamarca, na última rodada da fase de grupos, quando já estava classificada e poupou alguns titulares). 

Mais do que isso: a França pode se orgulhar de ter ficado atrás no placar por apenas nove minutos nos seis jogos que disputou, ou seja, 1,66% do total de 540 minutos (sem contar os acréscimos). Esse raro momento de desvantagem ocorreu quando levou a virada da Argentina no início do segundo tempo, com gol de Mercado, nas oitavas de final, no minuto 48 (3 do segundo tempo). O empate com Pavard veio aos 57 (12 do segundo tempo). No total, a França esteve em vantagem por 212 minutos (39,25% do tempo de seus seis jogos) e em igualdade nos outros 319 (59,07%). 

Mbappé é a grande esperança da França para a final da Copa do Mundo (Foto: Michael Regan - FIFA/FIFA via Getty Images)
Mbappé é a grande esperança da França para a final da Copa do Mundo (Foto: Michael Regan - FIFA/FIFA via Getty Images)

A França aposta muito na técnica de Griezmann e na velocidade de Mbappé, cada um com três gols na Copa. O centroavante Giroud ainda não marcou nenhum, mas continua com moral com o técnico Deschamps, por seu valor tático, de segurar a bola e abrir espaço para os colegas de time.

– Não há nada mais bonito nem mais forte do que estar em uma final de Copa do Mundo. Trabalhamos da melhor maneira possível para termos uma boa partida. Não há euforia aqui, mas estamos num nível de satisfação muito grande. 

Deschamps pode entrar para seleto grupo de vencedores da Copa como jogador e técnico (Foto: Lars Baron - FIFA via Getty Images)
Deschamps pode entrar para seleto grupo de vencedores da Copa como jogador e técnico (Foto: Lars Baron - FIFA via Getty Images) 

Esta já é a campanha mais expressiva da Croácia na história das Copas do Mundo. Participante como estado independente desde 1998 (onde conquistou o terceiro lugar), a seleção croata vai disputar sua primeira decisão de mundial. Se há dez anos o líder era Davor Suker, a chamada geração de ouro também tem seu craque bem definido: Luka Modric. Porém, desta vez, a seleção conta com uma constelação de coadjuvantes de luxo: Subasic, Vrsaljko, Rakitic, Perisic e Mario Mandzukic.

No jargão moderno do futebol, dá para dizer que a Croácia "aprendeu a sofrer" nesta fase de mata-mata da Copa do Mundo. A classificação para a final foi conquistada com prorrogações nas oitavas, quartas e semifinal. Só a última partida com a Inglaterra não precisou ser decidida nos pênaltis. Um desafio físico para a Croácia que jogou, além do tempo normal, mais 90 minutos - um "jogo a mais" nesta Copa do Mundo. 

Modric pode se credenciar ao título de melhor do mundo com a conquista da Copa do Mundo (Foto: REUTERS/Ivan Alvarado)
Modric pode se credenciar ao título de melhor do mundo com a conquista da Copa do Mundo (Foto: REUTERS/Ivan Alvarado)

Aliás, as duas decisões por pênaltis também serviram para que um novo herói croata florescesse: Danijel Subasic. Ele pegou até aqui quatro cobranças de pênaltis em dez - um recorde ao lado do argentino Goycochea, em 1990.

Para a partida contra a França, o técnico Zlakto Dalic não terá nenhum problema para escalar o time, que treinou em clima descontraído na véspera. Força máxima em busca do título inédito. Embora tenha disputado três prorrogações, a equipe não tem lesionados, nem suspensos. 

- Nós podemos fazer mais, nós queremos fazer nosso país orgulhoso. Os croatas deixaram de lado todos os problemas para celebrar a Copa e ficaram orgulhosos. Os fãs e as pessoas que estão no nosso país nos motivam muito. Espero que tenhamos 4 milhões de pessoas nas ruas da Croácia amanhã celebrando uma grande festa, talvez fazendo as celebrações que fazem no Brasil e na Argentina - disse Dalic.

A campanha da Croácia tem até aqui 12 gols marcados e 11 sofridos. Foram 100 finalizações até aqui, a terceira maior marca da Copa. A artilharia do time é dividida entre Luka Modric, Perisic e Mario Mandzukic, todos com dois gols marcados. Por outro lado, a seleção croata é que mais sofreu cartões amarelos na competição: 14.

Prováveis escalações

FRANÇA: Lloris, Pavard, Varane, Umtiti e Lucas Hernandez; Kanté, Pogba e Matuidi; Griezmann, Mbappé e Giroud. Técnico: Didier Deschamps
Desfalques: nenhum

CROÁCIA: Subasic, Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic; Brozovic, Rakitic e Modric; Perisic, Rebic e Mandzukic. Técnico: Zlakto Dalic
Desfalques: nenhum

Arbitragem 

  • Árbitro principal: Néstor Pitana (Argentina)
  • Assistente 1: Hernan Maidana (Argentina)
  • Assistente 2 :Juan Pablo Belatti (Argentina)
  • Quatro árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)

 

Globo Esporte

A Bélgica encerrou sua campanha na Copa do Mundo de 2018 de forma honrosa neste sábado, em São Petersburgo. Enfrentando a Inglaterra pelo terceiro lugar da competição, os Red Devils foram cirúrgicos logo no início da partida, assim como já haviam sido contra o Brasil, nas quartas de final, e acabaram vencendo os adversários por 2 a 0, graças aos gols de Meunier, aos três minutos de jogo, e Hazard, já no final do segundo tempo.

Com o resultado, o time comandado pelo técnico Roberto Martínez entrou para a história do futebol belga. Nenhuma geração do país chegou tão longe quanto essa de 2018 em uma Copa do Mundo. Em 1986, a Bélgica também foi eliminada na semifinal, porém, na disputa pelo terceiro lugar acabou derrotada pela França.

A Inglaterra, por sua vez, perdeu a grande oportunidade de fazer sua melhor campanha em Mundiais desde o título em 1966, quando sediou o torneio. Neste sábado o técnico Gareth Southgate levou a campo uma equipe sem quatro titulares e, embora tenha assegurado o comprometimento de seus jogadores no confronto com os belgas, não se esforçou muito para superar a campanha de 1990, quando os ingleses disputaram o terceiro lugar e acabaram derrotados pela Itália.

O jogo – A Bélgica iniciou a partida de maneira avassaladora neste sábado. Sem dar espaços à Inglaterra, o time do técnico Roberto Martínez foi cirúrgico em sua primeira oportunidade, logo aos três minutos, e desta maneira acabou abrindo o placar. Em contra-ataque fulminante, Chadli recebeu ótima enfiada de bola de Lukaku e cruzou na medida para Meunier, que se antecipou ao zagueiro para chegar finalizando de primeira dentro da área, sem chances para o goleiro Pickford.

Embpolgados com o gol precoce, os belgas continuaram pressionando a Inglaterra e por pouco não ampliaram aos 11 minutos, quando De Bruyne recebeu de Lukaku e bateu sem tomar distância, na tentativa de iludir o zagueiro. Antes de chegar ao gol, a bola ainda contou com desvio da defesa inglesa, mas o goleiro adversário estava esperto para fazer a defesa.

A Inglaterra só foi responder, de fato, aos 22 minutos, com seu artilheiro, Harry Kane. Sterling ajeitou para o camisa 9 na entrada da área, porém, ele não pegou bem na bola e a viu sair mascada pela linha de fundo.

Antes do intervalo, a Bélgica ainda teve mais duas oportunidades para ir ao vestiário com uma vantagem ainda maior no placar. Aos 34 minutos, Hazard recebeu bom passe de De Bruyne dentro da área e tentou a finalização, mas foi travado na hora “h” pelo zagueiro Stones. Na sequência, após cobrança de escanteio, foi a vez de Alderweireld completar a sobra do chute de Tielemans e mandar rente ao travessão, assustando o goleiro Pickford.

Segundo tempo

A Inglaterra voltou para o segundo tempo disposta a reverter o jogo. Para isso, o técnico Gareth Southgate promoveu duas alterações em sua equipe: a entrada de Lingard na vaga de Rose e Rashford no lugar de Sterling. As mudanças pareceram ter surtido efeito aos nove minutos, quando Lingard bateu cruzado dentro da área e viu Harry Kane se jogar na bola na tentativa de um desvio para o gol, o que não aconteceu.

A Bélgica, por sua vez, não deixou barato e respondeu logo em seguida. De Bruyne encontrou uma brecha mínima entre os zagueiros adversários e tocou em profundidade para Lukaku. O atacante, porém, não conseguiu dominar a bola da forma que queria e, frente a frente com Courtois, a viu escapar de seus pés, desperdiçando grande oportunidade.

Tentando correr atrás do prejuízo, a Inglaterra seguiu pressionando a Bélgica no restante da partida. Aos 24 minutos, a melhor chance dos Three Lions. Eric Dier, do Tottenham, tabelou com Jesse Lingard e saiu na cara do gol. O volante ainda tocou por cima do goleiro, mas, antes de a bola cruzar a linha, Alderweireld apareceu de forma providencial para afastar o perigo.

Se a Inglaterra não aproveitou sua grande oportunidade, a Bélgica fez o seu dever de casa. Aos 36 minutos, De Bruyne arrancou pelo meio e acionou Eden Hazard na esquerda. O atacante do Chelsea invadiu a área e tocou na saída do goleiro, estufando as redes e assegurando o histórico terceiro lugar da ótima geração belga.

FICHA TÉCNICA
BÉLGICA 2 X 0 INGLATERRA

Local: estádio Krestovsky, em São Petersburgo (RUS)
Data: 14 de julho de 2018 (sábado)
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Alireza Faghani (IRN)
Assistentes: Reza Sokhandan (IRN) e Mohammadreza Mansouri (IRN)

Gols: Meunier, aos três minutos do 1ºT; Hazard, aos 36 minutos do 2ºT (Bélgica)
Cartões amarelos: Maguire e Stones (Inglaterra); Witsel (Bélgica)

BÉLGICA: Courtois; Alderweireld, Kompany e Vertonghen; Meunier, Witsel, Tielemans (Dembélé) e Chadli (Vermaelen); De Bruyne, Lukaku (Mertens) e Hazard
Técnico: Roberto Martínez

INGLATERRA: Pickford; Jones, Stones e Maguire; Trippier, Loftus-Cheek (Dele Alli), Dier, Delph e Rose (Lingard); Sterling (Rashford) e Kane
Técnico: Gareth Southgate

 

Gazeta Esportiva

 

O atacante inglês Harry Kane tem uma missão particular na partida deste sábado:

Copa 2018

Bélgica e Inglaterra voltam a se enfrentar neste sábado (14) na Copa do Mundo e, mais uma vez, será uma partida de objetivos mornos. Se, na primeira fase, as duas seleções entraram em campo já classificadas e com times reservas, hoje belgas e ingleses disputam o terceiro lugar da competição. As duas seleções do Grupo G chegaram até as semifinais e perderam. O terceiro lugar é tudo que lhes resta.

Nas entrevisrtas coletivas, entretanto, o discurso oficial das duas seleções é valorizar a partida. Para a Bélgica, vale o melhor desempenho do país em copas. Em 1986, quando disputou a terceira posição, perdeu para a França na prorrogação e terminou em quarto lugar.

“Temos o dever de terminar em terceiro pelo país, pelo time e pelos jogadores. Não temos a oportunidade de jogar este tipo de partida de Copa todo dia. Estamos motivados, mesmo a noite após a [derrota na] semifinal tendo sido dura”, disse o meio-campo Axel Witsel.

A Inglaterra não precisa vencer para ostentar um novo recorde para o país. Foi campeã do mundo em 1966, mas pode garantir a melhor colocação em uma copa desde então; e lá se vão 52 anos. Em 1990, disputou o terceiro lugar, mas foi derrotada pela Itália. E, desde o longínquo ano do título, o quatro lugar foi o melhor que conseguiram em um Mundial.

O técnico inglês, Gareth Southgate, não negou a dificuldade em lidar com a derrota para a Croácia, vinda no segundo tempo da prorrogação. “Em termos de mentalidade, é óbvio que foram dois dias realmente difíceis para nós. Estávamos a 20 minutos da final da Copa e a razão para estarmos aqui era alcançar o objetivo maior. Emocionalmente, têm sido dois dias difíceis.”

Ainda que não seja nas condições esperadas, esta é a chance de a Inglaterra vencer um adversário de primeira linha do futebol mundial no torneio. Tirando a própria Bélgica, que enfrentou na primeira fase com time reserva – e perdeu –, jogou contra Tunísia, Panamá, Colômbia, Suécia e Croácia, sendo derrotada por esta última na semifinal.

“A Bélgica tem estado em uma jornada brilhante e quer terminar bem [a Copa], assim como nós. Existem alguns jogadores excelentes no espetáculo, e será um bom teste para nós. Não vencemos um desses times de primeira linha ainda, então temos que agarrar a oportunidade que temos”, disse Southgate.

Artilharia

O atacante inglês Harry Kane tem uma missão particular na partida deste sábado: confirmar a artilharia da Copa da Rússia. Ele tem seis gols no torneio, até agora, e poderá garantir a artilharia hoje. Para isso precisará contar com a ajuda de seus companheiros de defesa, porque o segundo colocado, com quatro gols, é justamente o centroavante da Bélgica, Romelu Lukaku.

A missão de Kane, porém, não parece ser das mais difíceis. Lukaku precisaria marcar três gols para superá-lo, mas dentro que o cardápio da partida apresenta, este é um dos temperos disponíveis.

 

Agencia Brasil

A Croácia enfrentou sua terceira prorrogação seguida e eliminou a Inglaterra com um gol salvador de Mandzukic, em virada na prorrogação. Os croatas vão para a primeira final de Copa do Mundo da sua história após uma partida de altos e baixos. Foram dominados no primeiro tempo por uma Inglaterra que marcou um gol cedo, aos 5 minutos, mas se acomodou com o resultado e perdeu boas chances de ampliar. No segundo tempo, a Croácia apareceu, fazendo a melhor performance desde a fase de grupos.

“Estamos na final. Foi merecido. Não fui eu [o responsável pela vitória], foram os jogadores. O que esses meninos fizeram hoje, o quanto lutaram e correram, isso tem que ficar na história”, disse o técnico da Croácia, Zlatko Dalic após a partida.

Inglaterra enfrenta a Croácia pela Semi final da Copa do Mundo 2018
A Croácia ataca o gol da Inglaterra em partida com virada após gol inglês no início do jogo (Kai Pfaffenbach/Reuters/Direitos reservados)

A Croácia correu e lutou. Mesmo quando o ataque parecia nulo, com Rebic e Mandzukic errando tudo que tentavam, a defesa foi sólida na maior parte do tempo. Quando funcionou, o ataque teve a colaboração fundamental do lateral Vrsaljko e do meia Perisic.

O artilheiro inglês Harry Kane foi discreto. Desperdiçou as poucas chances que teve e jogou recuado, buscando o jogo no meio campo na maior parte do tempo. A Inglaterra cai em uma semifinal de Copa do Mundo novamente, após 28 anos.

Primeiro tempo: 1 a 0

A Inglaterra começou o jogo a todo vapor. Logo aos cinco minutos, Modric derrubou Dele Alli perto da meia-lua da área. O lateral Trippier fez uma cobrança perfeita e não deu chances para o goleiro Subasic. A Inglaterra conseguia seu gol no início da partida. Era o cenário perfeito para o time do técnico Gareth Southgate.

Com o gol cedo, a disposição para atacar passou para o lado croata. A Croácia, que teve dificuldades para marcar gols nas fases eliminatórias da Copa, precisava empatar o jogo, mas esbarrava no sistema defensivo inglês e no próprio nervosismo.

A Inglaterra aproveitou os espaços e quase marcou em jogadas de velocidade. Pegando a defesa desarrumada, Harry Kane quase marcou e perdeu dois gols incríveis. Para sorte dele, o juiz marcou impedimento nas duas chances. Em uma delas, o impedimento era duvidoso.

A Croácia pouco ameaçou na primeira etapa. A melhor chance foi nos minutos finais. Após um erro de saída de bola do goleiro Pickford, Rakitic entrou na área, deu um lençol no zagueiro, mas, na hora de ajeitar para o chute, foi desarmado.

Segundo tempo: 1 a 1

O segundo tempo mostrou um jogo mais consistente da Croácia no ataque. A Inglaterra tinha espaço para contra-ataques e a partida ficou movimentada. O sistema defensivo inglês, eficiente até então, ruiu aos 22 minutos do segundo tempo. Vrsaljko cruzou pela direita e Perisic foi mais esperto que a defesa inglesa. Se antecipou de Trippier e Walker e, na base da raça, deu um toque providencial para o gol.

A Inglaterra sentiu o gol sofrido. O sistema defensivo inglês perdeu a concentração e passou a errar muito, principalmente nas saídas de bola. A Croácia melhorou no jogo e criou as melhores oportunidades a partir de então. Perisic teve a chance de marcar seu segundo gol, mas a bola bateu na trave. No rebote, Rebic chutou em cima de Pickford.

Prorrogação: 2 a 1

A Croácia foi melhor até o final do segundo tempo, mas não teve forças para virar o jogo. Os dois times foram para a prorrogação. Foi a terceira prorrogação seguida da Croácia. A Inglaterra melhorou na prorrogação e conseguiu reequilibrar a partida. O segundo tempo da prorrogação mostrou uma Croácia ofensiva novamente. E chegou ao gol da vitória com Mandzukic, que fez um gol típico de centroavante, aproveitando uma bola sobrada na área. Mesmo perdendo, a Inglaterra não teve forças para pressionar a Croácia, que foi eficiente na defesa e esperta no ataque. Quando recuperavam a bola, gastavam tempo no ataque.

Após o apito final de um jogo tenso, a Croácia pode comemorar a primeira final de Copa da história. Croatas e franceses se enfrentam na final no próximo domingo (15), ao meio-dia. A decisão do terceiro lugar, entre Bélgica e Inglaterra será no sábado (14), às 11h.

FICHA TÉCNICA
CROÁCIA 2 X 1 INGLATERRA

Local: Estádio Luzhnikí, em Moscou (Rússia)
Data: 11 de julho de 2018, quarta-feira
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Cuneyt Cakir (Turquia)
Assistentes: Bahattin Duran e Tarik Ongun (ambos da Turquia)
Público: 78.011 pessoas
Cartões amarelos: Mandzukic e Rebic (Croácia); Walker (Inglaterra)
Gols: CROÁCIA: Perisic, aos 22 minutos do segundo tempo, e Mandzukic, aos 2 minutos do segundo tempo da prorrogação; INGLATERRA: Trippier, aos 4 minutos do primeiro tempo

CROÁCIA: Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic (Pivaric); Rakitic, Brozovic, Rebic (Kramaric), Modric (Badelj) e Perisic; Mandzukic (Corluka)
Técnico: Zlatko Dalic

INGLATERRA: Pickford; Walker (Vardy), Stones e Maguire; Trippier, Henderson (Dier), Dele Alli, Lingard e Young (Danny Rose); Sterling (Rashford) e Harry Kane
Técnico: Gareth Southgate

 

Quem será o adversário da França na final da Copa do Mundo? A resposta acontece nesta quarta-feira, às 15h (de Brasília), com o duelo entre Inglaterra e Croácia, no Estádio Lujniki, em Moscou. Aliás, uma semifinal com um quê de surpresa, uma vez que nenhuma das duas seleções figurava no hall dos favoritos antes de a bola rolar na Rússia.

Embalado pelo hit que brada que o "futebol está voltando para casa", a Inglaterra, do artilheiro do mundial Harry Kane, persegue seu segundo título de Copa do Mundo. Do outro lado, capitaneada por Luka Modric, uma Croácia que ainda persegue sua primeira final de Copa do Mundo da história.

Inglaterra x Croácia
15h - Estádio Lujniki, Moscou 
Semifinais da Copa do Mundo 

Após desembarcar na Rússia sob o fantasma da geração de Suker, a Croácia volta a uma semifinal de Copa do Mundo após 20 anos podendo inclusive superar o terceiro lugar conquistado em 1998, na França. Agora, a considerada safra de ouro da seleção europeia tem a chance de levar o país à primeira final de mundial.

Aliás, a Croácia é a única seleção ainda viva que não conquistou uma Copa do Mundo. Inglaterra e França tem um título cada. E se faltam títulos, sobram nomes de peso no time que Zlatko Dalic levou à Rússia: Ivan Rakitic, Mario Mandzukic, Ivan Perisic... Todos nomes importantes no futebol europeu. Porém, mesmo neste elenco estelar, a vaga de protagonista é indiscutivelmente de Luka Modric.

Um craque que anda devendo nos jogos de mata-mata após uma primeira fase em alto nível. O título de herói nesta fase cabe ao goleiro Danijel Subasic, que já pegou quatro cobranças de pênalti nesta Copa do Mundo - recorde ao lado do argetino Goycochea, em 1990. Um outro coadjuvante de luxo, porém, é problema. O lateral-direito Vrsaljko, que vinha fazendo grande mundial, sentiu um problema no joelho e está fora. 

Modric celebra classificação para a final da Copa (Foto: Kai Pfaffenbach / Reuters)
Modric celebra classificação para a final da Copa (Foto: Kai Pfaffenbach / Reuters) 

A Croácia também teve outro problema para lidar. Mas este fora do campo. Após a classificação para a semifinal, o zagueiro Vida apareceu em um vídeo ao lado do observador técnico, Ognjen Vukojevic, fazendo reverência à Ucrânia, que vive tensão política com a Rússia desde 2013 e que culminou com a ocupação da península da Crimeia. O membro da comissão técnica foi afastado pela federação croata, mas o zagueiro acabou poupado.

Por conta das manifestações de Vida, é esperado que os torcedores russos não incentivem a seleção croata no estádio da final. Alheio à polêmica, o técnico Dalic preferiu falar da seleção inglesa e garantiu que a Croácia respeita, mas não teme o adversário.

- Eles têm muitos jogadores jovens com grande ritmo. Há uma sensação de euforia na Inglaterra de que "o futebol está voltando para casa". Temos grande respeito pela Inglaterra, mas não temos medo deles. 

Vida se envolveu em polêmica após a classificação para semifinal (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)
Vida se envolveu em polêmica após a classificação para semifinal (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)

O English Team chegou às semis depois de 28 anos. Agora, o objetivo é chegar à finalíssima para superar os 52 anos fora da decisão de uma Copa do Mundo. A última foi no Mundial em que foi anfitrião quando conquistou o primeiro e único título da competição. Embalado pelo hit "Football is coming home", criado para a Euro de 96 e relembrado na Rússia, a Inglaterra vai ter todo elenco à disposição diante da Croácia.  

Harry Kane é o artilheiro da Copa do Mundo com seis gols (Foto: Reuters)
Harry Kane é o artilheiro da Copa do Mundo com seis gols (Foto: Reuters)

Depois de vencer sem dificuldades a Suécia, nas quartas, Southgate mantém seu esquema de sucesso da Copa no 3-5-2 e tem na bola parada e no artilheiro Kane o trunfo para seguir adiante. Além disso, o goleiro Pickford é destaque. Questionado antes do Mundial, o goleiro do Everton superou a desconfiança e já protagonizou alguns milagres nos jogos. 

Uribe acerta um chute incrível e Pickford faz milagre aos 46 do 2º tempo
Uribe acerta um chute incrível e Pickford faz milagre aos 46 do 2º tempo

Gareth Southgate projetou a partida desta quarta-feira contra os croatas e disse que o duelo será um "teste" para a seleção em função da qualidade dos adversários.

- Para um país que sempre teve uma população pequena, a Croácia sempre produziu jogadores incríveis. Será um grande teste para nós, mas estamos na semifinal da Copa e para eles não será diferente. Temos jogadores que ganharam troféus pelos seus clubes, que jogaram finais neste ano. Jesse Lingard e Marcus Rashford ganharam um troféu europeu mesmo sendo muito jovens. Eles estão preparados para grandes testes.  

Prováveis escalações 

CROÁCIA: Subasic; Vida, Corluka, Lovren, Strinic; Brozovic, Rakitic; Rebic, Modric, Perisic; Mandzukic. Técnico: Zlatko Dalic
Desfalques: Vrsaljko

INGLATERRA: Pickford; Walker, Stones, Maguire; Trippier, Henderson, Alli, Lingard, Young; Sterling e Kane. 
Técnico: Gareth Southgate
Desfalques: nenhum

Arbitragem 

  • Árbitro principal: Cuneyt Cakir (Turquia)
  • Auxiliar 1: Bahattin Duran (Turquia)
  • Auxiliar 2: Tarik Ongun (Turquia)
  • Quarto árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)

 

 

GloboEsporte.com

Foto - Divulgação

Campo Grande

A defesa do ex-governador André Puccinelli, do filho André Puccinelli Júnior e do advogado João Paulo Calves ingressou nesta segunda-feira (23) com habeas corpus no Tribunal Regional Federal (TRF-3), contra as prisões preventivas realizadas na sexta-feira passada pela Polícia Federal, em desdobramentos da Operação Papiros de Lama. A expectativa é de que eles sejam soltos ainda hoje.

Os advogados Rene Siufi e André Borges consideram as medidas "absurdas", e defendem que André e os demais foram alvos de constrangimento ilegal e que as operações financeiras do Instituto Ícone eram todas lícitas. Eles consideram também caráter político das prisões ocorridas às vésperas de convenções partidárias, uma vez que André é pré-candidato ao Governo do Estado pelo MDB.

Conforme noticiado, a suspeita de continuidade de esquema de lavagem de dinheiro motivou o novo pedido de prisão preventiva do trio. A decisão, da 3ª Vara Federal Criminal de Campo Grande, aponta que mesmo após a deflagração da operação Lama Asfáltica e prisão de diversos envolvidos, o esquema criminoso segue operante e a lavagem de dinheiro “se aperfeiçoou no benefício de seus integrantes”.

Consta na representação do Ministério Público Federal (MPF) que os novos elementos para a prisão seriam, em suma, documentos da Controladoria-Geral da União, Receita Federal e Polícia Federal, com análise das movimentações financeiras do Instituto Ícone de Ensino Jurídico, de propriedade de André Puccinelli Júnior, que demonstraram que o Instituto estaria sendo usado nos interesses do grupo criminoso, através de Calves, que seria o “testa de ferro”.

Os mandados de prisão teriam sido expedidos com base na garantia da ordem pública, conveniência e garantia da investigação criminal e da instrução processual penal, na continuidade da lavagem de dinheiro e na ocultação de provas em uma quitinete.  Neste aspecto, a defesa sustenta  que a privação cautelar deve ser decretada ou mantida em situações de absoluta necessidade, com razões justificadoras, o que os advogados consideram não ser o caso. 

“É o quanto basta para concluir: os fatos evidentemente não são novos. A urgência da prisão cautelar impõe a contemporaneidade dos fatos justificadores aos riscos que se pretende com a prisão evitar, e não foram realizados gastos ilícitos (pelo Ícone ou pelo 3º paciente), o que de maneira alguma legitima a prisão antes do processo e da defesa, sendo ela sabidamente instituto de exceção, a ser aplicado parcimoniosamente”, lê-se no pedido.

JUSTIFICATIVAS

De acordo com os advogados, pagamentos realizados pelo Instituto Ícone são de forma alguma gastos com “organização criminosa” e que tais transações não são fatos novos, pois foram quitadas em junho de 2017, data anterior à prisão provisória decretada em novembro de 2017. Além disso, afirma que o Ícone é voltado ao ensino júridico, é empresa individual administrada pelo advogado João Paulo Calves e, apesar do sequestro de bens, nunca teve as contas bancárias bloqueadas. 

Sobre as provas apreendida em quitinete alugada por R$ 500 mensais pelo filho de Puccinelli, a defesa explica que são documentos e bens de nenhum interesse para a investigação da PF, ou que por ela poderiam ser obtidos: declarações de imposto de renda, movimentação bancária, relação de imóveis, laudos de avaliação, documentos de procedimentos do MP, placas de homenagem, quadros e maquete de obra pública. 

Por fim, consta ainda no pedido de habeas corpus que os investigados “estão cumprindo rigorosamente as cautelares anteriormente impostas pelo TRF3 (decisões anexas)", razão pela qual eventual risco de reiteração criminosa pode ser efetivamente neutralizado pela concessão de cautelares diversas da prisão.

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Campo Grande

A defesa do ex-governador, André Puccinelli; do filho dele, André Puccinelli Júnior; e do advogado João Paulo Calves, ainda analisa a decisão expedida ontem pela 3° Vara Federal de Campo Grande, para reverter a prisão preventiva do trio. Os mandados foram cumpridos na sexta-feira pela Polícia Federal, depois das prisões serem determinadas pelo Ministério Publico Federal (MPF), com base na decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal em maio de 2018, relativa à Quinta Fase da Operação Lama Asfáltica.

Conforme o advogado de defesa de Calves, André Borges, a decisão da Justiça que decretou a prisão é muito extensa e é analisada. “Podemos entrar com pedido de habeas corpus durante o plantão deste final de semana ou apenas na segunda-feira”. O trio passou a noite no Centro de Triagem.

Ontem o advogados do ex-governador e seu filho, Renê Siufi, afirmou que entrará com o pedido de HC apenas na segunda-feira. Ele defende que a prisão tem a intenção de prejudicar a candidatura de Puccinelli, já que acorreu às vésperas da convenção do MDB.

As novas prisões foram motivadas pela suspeita de continuidade de esquema de lavagem de dinheiro. De acordo com a decisão, mesmo após a deflagração da operação Lama Asfáltica e prisão de diversos envolvidos, o esquema criminoso segue operante e a lavagem de dinheiro “se aperfeiçoou no benefício de seus integrantes”.

Está já é a terceira vez que o ex-governador entra na mira da PF, no âmbito da Operação Lama Asfáltica. Em 2016, foi alvo de busca e apreensão e, em novembro do ano passado, ele e o filho foram presos na Operação Papiros de Lama, desdobramento da Lama Asfáltica, responsável por invertigar organização criminosa envolvida com desvio de recursos públicos.

 

Correio do Estado

Coligações podem ser feitas até o dia 5 de agosto - Foto: Álvaro Rezende/Correio do Estado

Campo Grande

Os partidos Podemos e Pros formalizaram aliança com o PDT para as eleições de 2018. O anúncio foi feito na manhã de sábado, em convenção do partido que tem Odilon de Oliveira como candidato a governo do estado. A chapa não está fechada e outros partidos podem ser inclusos até o início de agosto.

Foi definido também o candidato a vice-governador. Quem comporá chapa com o juiz federal aposentado será o empresário Herbert Assunção Freitas, ex-secretário executivo da Fundação de Apoio à Pequisa ao Ensino e à Cultura (Fapec).

O PDT apresentou ainda como candidatos ao senado, o ex-vereador, Chico Maia, e a professora  Leocádia Petri Lemos, ex-reitora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). O partido contará também com 11 candidatos aos cargos de deputado federal e 32 aos cargos de deputado estadual.

 

Correio do Estado

Segundo comerciantes da região, o dólar alto não espanta visitantes pois há produtos nas mais variadas faixas de preço - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Outras Cidades

Mesmo com a forte valorização do dólar, movimento de turistas em férias contribuiu para aquecer o comércio e a rede hoteleira de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero neste mês de julho. De acordo com lojistas ouvidos pelo Correio do Estado, a estimativa é de que o movimento de vendas tenha crescido pelo menos 20% nos últimos 15 dias. Em consequência, a ocupação de leitos no município de fronteira com o Paraguai ficou na média de 75%, índice considerado satisfatório para o período. De acordo com dados do Observatório do Turismo de Mato Grosso do Sul, a taxa média de ocupação dos hotéis e pousadas em Ponta Porã, um dos três principais destinos turísticos do Estado, é de 61,4%.

Proprietário de lojas nos lados brasileiro e paraguaio, o comerciante Pedro Bondiman conta que as férias do meio do ano tradicionalmente ajudam a impulsionar as vendas do comércio na fronteira, porque as famílias viajam e aproveitam para fazer as suas compras, apesar da escalada do dólar. “A cotação varia de R$ 3,90 a R$ 4,10 – “sexta (20), está em R$ 4,00, mas, na verdade, o que ocorre é o impacto sobre o poder aquisitivo do consumidor. Dólar alto sempre tem um impacto, mas o cliente não vai deixar de fazer as compras, pois há produtos em todas as faixas de preço”, defende.

Ainda segundo o empresário, em função da Copa do Mundo, em que as pessoas não saíam de casa, o comércio varejista de fronteira teve uma redução de movimento, mas, após o fim da participação brasileira no Mundial, começou a melhorar. “Depois que passaram os jogos, aumentou de 15% a 20% o movimento de vendas. Também vamos ter, nos dias 6 a 9 de setembro, a Black Friday, o que deve aumentar ainda mais as vendas”, acredita.

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Mato Grosso do Sul

"Estranheza." Essa foi a forma como o senador Waldemir Moka (MDB) qualificou a prisão do pré-candidato do partido ao Governo de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, na manhã desta sexta-feira (20).

Segundo Moka, é passível de desconfiança o fato da prisão ser realizada um dia antes da data para a qual estava marcada a convenção do MDB que ratificaria Puccinelli como o postulante ao cargo de governador. Inicialmente marcado para este sábado (21), o partido decidiu adiar o evento para o próximo dia 4 de agosto. 

"É estranho porque da última vez quando o André ia assumir a presidência do partido houve a primeira prisão, é estranho que agora um dia antes da convenção novamente uma decisão prenda ele", disse Moka.

Ainda de acordo com o senador, ninguém do partido está apreensivo ou desanimado. "Os representantes dos partidos aliados estão aqui para provar isso", disse. "A convenção continua marcada, as alianças continuam firmadas. Da nossa parte, André terá toda a solidariedade. Não há plano B, ele é nosso candidato."

O deputado estadual Júnior Mochi se disse "surpreendido" com a prisão de Puccinelli, e afirmou ter recebido a designação para as conversas com os advogados do ex-governador para saber mais sobre a decisão. "Medidas jurídicas estão sendo tomadas e até segunda-feira ou terça, esperamos que ele seja solto", apontou.

Segundo ele, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região deverá conceder um habeas corpus (o direito de responder o processo em liberade) até a próxima terça-feira (24). Além disso, a decisão deverá ser revista em caráter de liminar. "Não quero questionar a decisão", disse.

Cotado como uma opção do partido para as eleições ao Governo, Mochi desmentiu as pretensões. "Não tem outro (nome)", completou.

Todos os deputados estaduais do MDB estiveram presentes no comunicado realizado na sede do partido, exceto Renato Câmara, que está viajando.

O CASO

Está já é a terceira vez que o ex-governador entra na mira da PF, no âmbito da Operação Lama Asfáltica. Em 2016, foi alvo de busca e apreensão e, em novembro do ano passado, ele e o filho foram presos na Operação Papiros de Lama, desdobramento da Lama Asfáltica, que investigava organização criminosa envolvida com desvio de recursos públicos. Conforme Siufi, os mandados de agora seriam resultados de diligências feitas a partir da Papiros de Lama, embora, segundo ele, “não haja fatos novos”. 

A polícia investigava nesta operação grupo que desviou recursos públicos por meio do direcionamento de licitações, superfaturamento de obras, aquisição fictícia ou ilícita de produtos, financiamento de atividades privadas sem relação com a atividade-fim de empresas estatais, concessão de créditos tributários com vistas ao recebimento de propina e corrupção de agentes públicos. Além do ex-governador, foram presos seu filho, André Puccinelli Júnior, e o advogado João Paulo Caves. Todos já foram encaminhados para o Instituto Penal de Campo Grande, que fica no Jardim Noroeste, região leste da Capital.  

Os recursos desviados passaram por processos elaborados de ocultação da origem, resultando na configuração do delito de lavagem de dinheiro. Quando a ação foi deflagrada, foram cumpridos, dois mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária, seis de condução coercitiva e 24 mandados de busca e apreensão. Além de Campo Grande, os alvos estão localizados nas cidades de Nioaque, Aquidauana e São Paulo (SP). Os desvios chegam a R$ 235 milhões. Ainda em novembro, Puccinelli e o filho tiveram habeas corpus deferido pelo Tribunal Regional Federal (TRF-3) e passaram a responder em liberdade.

 

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Dourados

O frio prometido para esse final de semana chegou em Dourados e fez a temperatura despencar 17ºC em pouco menos de 4h, conforme mostra o Guia Clima da Embrapa Agropecuária do Oeste, no município.

De acordo com os dados repassados, às 13h15 os termômetros marcavam 33,2ºC, máxima desta sexta-feira (20/7) e às 17h, chegou aos 16,2ºC.

Os ventos também chegaram forte na maior cidade do interior sul-mato-grossense.

Conforme a Embrapa, no seu ápice, às 15h47, a velocidade chegou a 46km/h, considerado de categoria ‘muito forte’.

Para o sábado (21/7), conforme o Cptec (Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos), a mínima prevista é de 12ºC, enquanto a máxima não passa de 22ºC. No domingo a temperatura varia entre 13ºC e 28ºC.

Atualmente Dourados está há 37 dias sem chuva e nos próximos dias não há previsão de que isso ocorra. 

Jair Bolsonaro discursa após aclamado como candidato à Presidência pelo PSL (Foto: Reprodução/TV Globo)

Politica

Foi confirmado, na tarde deste domingo (22), o nome do deputado federal Jair Bolsonaro, de 63 anos, como candidato do Partido Social Liberal (PSL) à Presidência da República nas Eleições 2018.

Bolsonaro foi escolhido por aclamação de correligionários no encontro nacional da legenda, que ocorreu no Rio de Janeiro.

O partido adiou a escolha do vice. Segundo comunicado durante a convenção, o partido irá definir o nome até 5 de agosto.

Jair Bolsonaro discursa após aclamado como candidato à Presidência pelo PSL (Foto: Reprodução/TV Globo)
Jair Bolsonaro discursa após aclamado como candidato à Presidência pelo PSL (Foto: Reprodução/TV Globo)

A advogada Janaina Paschoal (PSL), cotada para o cargo, participou da convenção, mas disse que ainda está "dialogando" com a campanha do presidenciável. Além da advogada, Jair Bolsonaro foi acompanhado pelos filhos Carlos, Eduardo e Flávio.

Em entrevista coletiva após a convenção nacional do PSL, Jair Bolsonaro voltou a falar que o nome do candidato a vice deve sair do próprio partido.

“Não deu certo com Magno Malta nem com o general Heleno. A Janaina Paschoal foi contatada há pouco tempo e precisa de um tempo para decidir. Ela tem família, filhos em São Paulo e ser vice causaria uma mudança grande. O certo é que dificilmente será alguém de fora do partido. A nossa lagoa é pequena mas é boa”, disse. 

Entre as propostas do candidato estão a privatização de estatais. Segundo ele, ficariam só umas 150 em setores estratégicos e ministérios seriam fundidos.

“Começaria extinguindo o Ministério das Cidades. O dinheiro tem de ir direto para municípios e estados. Juntaria a Fazenda com Planejamento, Meio Ambiente com Turismo”, disse Bolsonaro que também pretende acabar com a indústria das multas nas estradas, que segundo ele emperra o turismo, e no campo, no que se refere ao trabalho análogo à escravidão, que deixa o homem do campo assombrado com a atuação do MST.

Bolsonaro chegou ao Centro de Convenções Sulamérica, na Cidade Nova, Centro do Rio, acompanhado pelo senador do Partido da República Magno Malta (PR) e pelo general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira, do Exército.

Em seu discurso, Bolsonaro agradeceu a Deus, citou a Bíblia e destacou que, embora o PSL não seja um partido considerado grande, a legenda conta com apoio do "povo brasileiro", e que o "Brasil não aguenta mais 4 anos de PT ou PSDB".

"A partir desse momento, da confirmação da minha candidatura, passa a ser uma missão. Se estou aqui, é porque acredito em vocês. Se vocês estão aqui, é porque acreditam no Brasil. Não temos um grande partido, não temos fundo eleitoral, não temos tempo de televisão. Mas temos o que os outros não têm, que são vocês, o povo brasileiro."

O candidato aproveitou para atacar o pré-candidato à Presidência Geraldo Alckmin, do PSDB. O candidato do PSL se referiu a suposta aliança de Alckmin com o "centrão" do Congresso, classificado pelo presidenciável como "a escória da política brasileira.

O presidenciável do PSL, entretanto, acenou aos integrantes do Centrão. ""No mínimo, 40% desses deputados, estão conosco, e não concordam com as decisões tomadas por essas lideranças", afirmou.

Antes do encontro, o presidente do PSL em São Paulo, Major Olímpio, declarou que Bolsonaro é "a grande força geradora de votos do partido". Outros representantes são, segundo ele, "figurantes". "A grande força geradora de votos do partido é o Bolsonaro. Qualquer outro filiado é figuração", disse.

 

Propostas 

Algumas propostas apresentadas por Bolsonaro: 

  • Buscar o liberalismo na economia e privatizar a maioria das estatais, preservando as estratégicas. Além de reduzir burocracias e regulamentações.
  • Colocar um general de quatro estrelas no Ministério da Defesa.
  • Tirar a "discricionariedade" das multas aplicadas por órgãos como ICMBio e Ibama, que defendem o Meio Ambiente.
  • Tirar o Brasil do Acordo de Paris, pelo qual o país se compromete a reduzir as emissões de gases que intensificam o efeito estufa.
  • Dar "retaguarda jurídica" para militares e agentes da segurança pública.

 

Trajetória 

Jair Bolsonaro nasceu em 21 de março de 1955. É natural de Campinas, interior de São Paulo. Militar da reserva, o pré-candidato cumpre o sétimo mandato consecutivo como deputado federal. Em 5 de janeiro, o parlamentar deixou o Partido Social Cristão (PSC) e anunciou que se filiaria ao PSL.

Pouco depois, anunciou que pela sigla seria pré-candidato à Presidência, nona legenda à qual se filiou. Atualmente, o parlamentar é réu em ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposto crime de apologia ao estupro e injúria.

Em 2014, Bolsonaro afirmou que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela "não merece". Em razão do episódio, a Corte abriu, em 2016, a pedido da Procuradoria Geral da República ação penal contra o deputado.

Para rebater a denúncia, a defesa de Bolsonaro argumentou que ele tem "imunidade parlamentar", que protege deputados e senadores por opiniões, palavras e votos. Advogados do parlamentar afirmaram, na época, que ele não incentivou outras pessoas a estuprar.

Também durante a convenção o PSL lançou a candidatura do deputado estadual Flávio Bolsonaro ao Senado Federal. O partido não terá candidato ao governo do Rio de Janeiro. No discuro, Flávio falou sobre união.

"O que nos une é o Brasil que a gente quer diferente com pessoas fortes, mas com sensibilidade. Ninguém que compra o pacote Bolsonaro se engana quando chega em casa. As pessoas concordam ou não concordam com os programas. A gente não está aqui para negociar nada", disse.

 

G1

Foto - Divulgação

Politica

Nos primeiros três dias de convenções nacionais, quatro candidatos a presidente da República foram confirmados pelos partidos políticos: Ciro Gomes (PDT), Paulo Rabello de Castro (PSC), Guilherme Boulos (PSol) e Vera Lúcia (PSTU). Enquanto o PSol e o PSTU lançaram a chapa completa, o PDT e o PSC ainda vão escolher os candidatos a vice-presidente.

Os convencionais do PDT aprovaram uma resolução autorizando a Executiva Nacional a negociar as alianças para o primeiro turno das eleições e o vice de Ciro Gomes. O PSC também vai articular um vice que agregue apoios, mas o candidato demonstrou disposição de ter uma mulher na sua chapa.

O PSol formou uma chapa puro sangue: Sônia Guajajara será a candidata a vice de Boulos. O partido, no entanto, disputará as eleições de outubro coligado com o PCB, que realizou convenção na última sexta-feira e aprovou a aliança. O PSTU optou por não fazer coligações. O vice de Vera Lúcia será Hertz Dias.

O PMN e o Avante realizaram ontem (21) convenções nacionais e decidiram não lançar candidatos a presidente da República. Na convenção, o Avante decidiu dar prioridade à eleição de deputados federais: terá uma chapa com cerca de 80 nomes e pretende eleger pelo menos cinco. 

O Avante não definiu se apoiará algum candidato a presidente no primeiro turno. Já o PMN decidiu que não dará apoio a nenhuma chapa nas eleições presidenciais.

Os partidos têm até o dias 5 de agosto para realizarem suas convenções nacionais. As candidaturas podem ser registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 15 de agosto. No próximo sábado devem se reunir SD, PTB, PV, PSD e DC.

 

 

Agencia Brasil

Marcello Casal jr/Agência Brasil/Agência Brasil

Politica

O PDT confirmou hoje a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República, na convenção nacional que reuniu filiados do partido. “Ciro tem a responsabilidade de ser a síntese do Brasil soberano, mais justo e mais solidário”, afirmou o presidente do PDT, Carlos Lupi.

A convenção reuniu integrantes do Diretório Nacional e do Conselho Político, representantes de movimentos sociais vinculados ao partido, senadores, deputados federais e estaduais, delegados e presidentes das comissões provisórias.

O partido não definiu o candidato a vice-presidente nem as demais legendas que integrarão a chapa de Ciro Gomes.

A expectativa da cúpula do PDT é que a eleição presidencial alavanque o partido nos estados. Lupi tem falado em eleger este ano uma bancada de pelo menos 40 deputados federais. Atualmente o partido tem 19 deputados federais e três senadores.

Até agora, o PDT tem oito nomes para disputar os governos estaduais: Waldez Góes (AP), Lígia Feliciano (PB), Carlos Eduardo Alves (RN), Jairo Jorge (RS), Pedro Fernandes (RJ), Acir Gurgacz (RO), Odilon de Oliveira (MS) e Osmar Dias (PR).

Perfil

Esta é a terceira vez que Ciro Gomes será candidato à Presidência da República: em 1998 e 2002, ele concorreu pelo PPS. Natural de Pindamonhangaba (SP), construiu sua carreira política no Ceará, onde foi prefeito de Fortaleza, eleito em 1988, e governador do estado, eleito em 1990. Renunciou ao cargo de governador, em 1994, para assumir o Ministério da Fazenda, no governo Itamar Franco (1992-1994), por indicação do PSDB, seu partido na época.

Ciro Gomes foi ministro da Integração Nacional de 2003 a 2006, no governo do ex-presidente Lula, e tocou o projeto de Transposição do Rio São Francisco. Deixou a Esplanada dos Ministérios para concorrer a deputado federal e foi eleito. Também exerceu dois mandatos de deputado estadual no Ceará. Tem 60 anos e quatro filhos.

 

Agencia Brasil

 

Foto - Divulgação

Politica

O PDT e o PSC abrem nesta sexta-feira (20) a temporada de convenções partidárias para definição dos candidatos a presidente e a vice-presidente da República. O prazo de realização das convenções se estende até 5 de agosto. Os convencionais do PDT se reunirão na sede do partido, em Brasília, e devem confirmar o nome de Ciro Gomes como candidato a presidente.

Ciro Gomes está à frente da negociação de um amplo arco de alianças, que inclui DEM, PP, SD e PCdoB, entre outros. Na convenção nacional, o PDT não deverá anunciar o vice na chapa de Ciro Gomes nem os partidos aliados nas eleições de outubro.

PSC e PCB

O PSC também se reúne em Brasília e deve aprovar a candidatura de Paulo Rabello de Castro a presidente da República. No Rio de Janeiro, será realizada a convenção do PCB.

Fim de semana de convenções

Outros quatro partidos realizarão convenções nacionais neste fim de semana. PSOL, PMN e Avante se reunirão amanhã (21). O PSOL anunciou que vai aprovar a candidatura de Guilherme Boulos, com Sônia Guajajara de vice. O PSL se reunirá domingo (22), no Rio de Janeiro, e deverá confirmar a candidatura do deputado Jair Bolsonaro. Até o momento, o partido não definiu o vice nem os aliados na chapa de Bolsonaro.

No próximo sábado (28), PTB e PV realizam convenções nacionais. Os dois partidos não devem lançar candidatura própria a presidente da República, mas definirão nesses encontros suas políticas de alianças. O PSB se reunirá no dia 30 de julho e também não terá candidato próprio.

A maioria das convenções se concentrará entre os dias 1º e 5 de agosto. Até o momento, 11 partidos anunciaram que vão se reunir nesse período, incluindo o MDB, o PT, o PSDB e a Rede. Os partidos têm que registrar as chapas e as alianças no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até as 19h do dia 15 de agosto.

Financiamento

O TSE estabeleceu o teto de gastos das campanhas para presidente da República em 2018. Cada candidato poderá gastar até R$ 70 milhões, no primeiro turno, e R$ 35 milhões, no segundo turno.

Neste ano, os 35 partidos políticos registrados no TSE receberão R$ 1,7 bilhão para financiamento das campanhas eleitorais. O Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) foi criado no ano passado pelo Congresso Nacional e está previsto no Orçamento Geral da União de 2018. Com a proibição de doações das empresas, o fundo será a pricipal fonte de receita das campanhas eleitorais.

Infografia convenções partidárias

Foto - Divulgação

Politica

Ainda com o cenário das coligações indefinido, os partidos políticos iniciam nesta sexta-feira (20) as convenções nacionais que vão decidir os candidatos à Presidência da República, nas eleições de outubro. Os nomes dos candidatos a presidente e a vice têm que ser aprovados nas convenções até 5 de agosto e registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 15 de agosto.

Neste momento, há 18 pré-candidatos, mas esse número já foi superior a 20 - alguns desistiram no meio do caminho, outros foram barrados pelos partidos políticos. O total de candidatos poderá ser menor, já que alguns partidos, como o DEM, o SD e o PCdoB, estão sendo provocados a desistir da candidatura própria para apoiar chapas mais competitivas.

O quadro de indefinição, segundo o cientista político Leonardo Barreto, se deve a fatores diversos, começando pelo fato de o Palácio do Planalto não estar influenciando o processo eleitoral. "Quando o Executivo está forte, tentando a reeleição ou fazer o sucessor, a tendência é que a coligação governista seja reproduzida, a oposição se organize e até surja a terceira via. Neste ano, o governo não tem um candidato forte nem colocou peso no candidato da oposição. Isso levou à pulverização de candidaturas", argumentou.

Neste cenário com vários candidatos, avaliou Barreto, até agora nenhum nome empolgou nem se apresentou como favorito, o que cria dificuldades para os partidos se posicionarem, pois todos querem apostar em alguém com chances de vitória. Além disso, os partidos querem ter claro o papel que exercerão no futuro governo. "Todos esses fatores levam ao quadro de barata voa nas convenções", afirmou.

Articulações

Três partidos - PDT, PSC e PCB - têm reuniões marcadas para amanhã (20). Em Brasília, os convencionais do PDT e do PSC vão decidir se confirmam as candidaturas de Ciro Gomes e Paulo Rabello de Castro, respectivamente. Ciro e Rabello ainda não têm nomes para vice. O PCB se reunirá no Rio de Janeiro, mas não terá candidato próprio na eleição presidencial de outubro.

Amanhã, será o dia de PSOL, PMN e Avante realizarem suas convenções. PMN e Avante tendem a não ter candidaturas próprias, enquanto o PSOL deve confirmar a chapa Guilherme Boulos e Sônia Guajajara. Domingo (22), o PSL se reúne no Rio de Janeiro para debater a candidatura do deputado Jair Bolsonaro, as alianças possíveis e o nome do vice.

Conforme Barreto, a partir das convenções, as articulações políticas para formação das alianças nacionais deverão se afunilar, com vantagem para os maiores partidos que têm "mais meios de troca". Ou seja, as negociações vão levar em conta o tempo de televisão que pode ser agregado nas disputas estaduais, os recursos para finaciamento das campanhas, as bancadas de deputados federais e estaduais e o total de prefeitos, que são cabos eleitorais decisivos nas eleições.

 

Veja quem são os pré-candidatos a presidente
 
Agencia Brasi

Foto - Divulgação

Politica

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados se reunirá no dia 7 de agosto para discutir a situação do deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP). Atualmente, o parlamentar cumpre prisão domiciliar em São Paulo após ter sido condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de lavagem de dinheiro.

Na condenação, os ministros do STF entenderam que Maluf deve perder o mandato parlamentar. A medida, entretanto, depende da Mesa Diretora da Câmara para ser aplicada, razão pela qual ele se manteve o cargo. A decisão de perda da função cabe exclusivamente aos membros da Mesa Diretora, composta pelo presidente da Câmara e dois vice-presidentes, e pela secretaria, que reúne quatro membros titulares e mais quatro suplentes. Dessa forma, o processo de Maluf não será analisado pelo plenário da Casa.

Maluf cumpre pena de 7 anos e 9 meses de reclusão em casa, em São Paulo, após condenação por desvios em obras quando foi prefeito da capital paulista. Ele chegou a ser preso por três meses em regime fechado, em Brasília, mas teve o direito a regime domiciliar concedido pelo plenário do STF em maio.

No mês de maio, o parlamentar afastado foi novamente condenado, por unanimidade, pela Primeira Turma STF por falsidade ideológica com fins eleitorais devido a fraudes na prestação de contas de sua campanha eleitoral de 2010. A pena é de 2 anos e 9 meses de prisão em regime semiaberto, convertido para domiciliar.

Na Câmara, Maluf responde a um processo no Conselho de Ética protocolado em fevereiro pela Rede. Na ocasião, o partido pediu a cassação do parlamentar por quebra de decoro parlamentar. Atualmente, o processo aguarda apreciação do plano de trabalho apresentado pelo relator, deputado João Marcelo Souza (MDB-BA), no início deste mês.

 

Agencia Brasil

 

Foto - Divulgação

Economia

Aposentados e pensionistas começarão a receber, a partir de agosto, a antecipação da primeira parcela do 13º salário. De acordo com a Secretaria de Previdência, o depósito será realizado junto com a folha mensal de pagamentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), entre os dias 27 de agosto e 10 de setembro, conforme a Tabela de Pagamentos de Benefícios 2018.

A estimativa é que essa antecipação chegue a R$ 20,6 bilhões nos meses de agosto e setembro. Cerca de 30 milhões de beneficiários terão direito à primeira parcela do abono anual, que corresponde a metade do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro de 2018. Nesse caso, o valor será calculado proporcionalmente.

Não haverá desconto de Imposto de Renda nessa primeira parcela, que será cobrado apenas em novembro e dezembro, quando for paga a segunda parcela.

Tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade. Aqueles que recebem benefícios assistenciais, como Benefício de Prestação Continuada e Renda Mensal Vitalícia, não têm direito ao abono anual.

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

Os beneficiários dos Fundos PIS-Pasep que não sacaram os recursos no mês passado poderão consultar o saldo do dinheiro que têm a receber a partir desta segunda-feira (16). Os valores virão com correção de 8,9741%. A próxima etapa de saques das cotas começa em agosto.

Quem sacou as cotas do Fundo PIS-Pasep no mês passado não recebeu a correção. Quem tiver o saldo na conta de R$ 1.000, por exemplo, vai receber R$ 1.089,74.

Tem direito a receber o Fundo PIS-Pasep quem trabalhou com carteira assinada na iniciativa privada ou foi servidor público civil ou militar entre 1971 e 1988. A média de valor para cada beneficiário é de R$ 1.375, mas o Ministério do Planejamento afirma que o valor a ser recebido depende de quanto tempo a pessoa trabalhou no período em que vigorou o fundo.

As contas do PIS, vinculadas aos trabalhadores do setor privado, são administradas pela Caixa Econômica Federal. Já as do Pasep, vinculadas aos servidores públicos, são administradas pelo Banco do Brasil.

 

A Caixa e o BB divulgaram em junho o calendário de saques para os beneficiários de todas as idades. A liberação dos saques para quem tem menos de 60 anos vale somente até o dia 28 de setembro.

Depois dessa data, volta a valer a regra de liberação dos saques somente para os casos de aposentadoria, idade a partir de 60 anos, invalidez (inclusive do dependente), morte do cotista (habilitando o herdeiro a sacar) e algumas doenças graves, como câncer, aids, Parkinson e tuberculose (incluindo o dependente). Nesses casos, é possível fazer os saques a qualquer momento, sem necessidade de seguir cronograma, e o prazo continua aberto por tempo indeterminado.

Como as cotas do Fundo PIS-Pasep vigoraram durante um período específico, muitos beneficiários desconhecem esse direito e, no caso de morte do cotista, os herdeiros também não sabem que têm direito ao dinheiro.

 

Desde que o governo passou a ampliar o limite de idade para a liberação do dinheiro, os saques têm ficado abaixo do esperado. Segundo levantamento do Ministério do Planejamento, apenas 6,3% do valor total previsto no 1º lote do calendário de saques do Fundo PIS-Pasep foi sacado por quem tem menos de 60 anos. E somente 5,2% dos beneficiários desse grupo retiraram o dinheiro.

 

Calendário

 

O governo liberou o saque para quem tem a partir de 57 anos entre os dias 18 e 29 de junho. Em julho, haverá a pausa operacional do Fundo PIS/Pasep para que haja a correção dos valores do exercício, e não serão permitidos saques.

A partir de 14 de agosto, começa o pagamento para os cotistas de todas as idades. E no dia 28 de setembro termina o período de flexibilização para cotistas com menos de 60 anos.

 
Calendário do Fundo PIS-Pasep da Caixa e BB (Foto: Igor Estrella/G1)
Calendário do Fundo PIS-Pasep da Caixa e BB (Foto: Igor Estrella/G1)

 

Como consultar o saldo

 

Para consultar o saldo do Fundo PIS-Pasep, o cotista ou herdeiro devem acessar os sites da Caixa ou Banco do Brasil. Em ambos, com o número do CPF já é possível ver se há dinheiro a ser liberado. Veja abaixo como consultar os saldos:

PIS

 
Tela do site da Caixa na qual é preciso colocar os dados pessoais para acessar o saldo do PIS (Foto: Reprodução)
Tela do site da Caixa na qual é preciso colocar os dados pessoais para acessar o saldo do PIS (Foto: Reprodução)
 

As contas do PIS, vinculadas aos trabalhadores do setor privado, são administradas pela Caixa Econômica Federal. Os cotistas ou herdeiros poderão verificar se têm saldo a receber através do site do banco, no endereço www.caixa.gov.br/cotaspis

Para consultar o saldo de cotas do PIS, é necessário ou o número do CPF ou o número do NIS do cotista, que pode ser encontrado:

 

  • no Cartão do Cidadão;
  • nas anotações gerais de Carteira de Trabalho antiga;
  • na página de identificação da nova Carteira de Trabalho;
  • no extrato do seu FGTS impresso.
 

Em caso de consultar com o número do NIS, o beneficiário ou herdeiro também precisarão de uma senha. Quem já possui a Senha Cidadão pode fazer o login, disponibilizado no site da Caixa, e informar a Senha Internet que deseja cadastrar.

Quem não possui a senha pode clicar em "esqueci a senha" e preencher os dados solicitados, ou, se tiver o Cartão Cidadão, fazer um pré-cadastramento da senha pelo telefone 0800-726-0207. Para quem não tem o cartão, também é possível fazer o cadastramento em uma agência da Caixa.

Pasep

 
Tela do site do BB na qual é preciso colocar os dados pessoais para acessar o saldo do Pasep (Foto: Reprodução)
Tela do site do BB na qual é preciso colocar os dados pessoais para acessar o saldo do Pasep (Foto: Reprodução)

Já as contas do Pasep, vinculadas aos servidores públicos civis ou militares, são administradas pelo Banco do Brasil e é esse banco que os cotistas devem procurar para informações e para os saques.

 

As consultas de saldo do Pasep podem ser acessadas no site do Banco do Brasil, no endereço www.bb.com.br/pasep. Ali será pedido ou o número do CPF ou o número de inscrição do Pasep e também a data de nascimento do cotista.

 

Total de beneficiários

 

O total de beneficiários é de 28,7 milhões de pessoas, somando R$ 39,3 bilhões - 12,5 milhões com idade a partir de 60 anos que têm direito a sacar R$ 23,2 bilhões e 16,1 milhões de pessoas com menos de 60 anos com direito a sacar R$ 16,1 bilhões.

Com a liberação de cotistas de todas as idades para sacar o fundo, o governo espera que os saques aumentem.

No caso dos cotistas que têm menos de 60 anos, os do PIS são 13,6 milhões, com direito a receber R$ 13,8 bilhões, segundo a Caixa. O total de cotistas, levando em conta também quem tem mais de 60 anos, é de 21,3 milhões, totalizando R$ 28,1 bilhões.

No caso do Banco do Brasil, são 2,4 milhões de participantes com idade inferior a 60 anos, em um total de R$ 2,3 bilhões. O BB administra 3,67 milhões de cotas do Pasep, totalizando R$ 6,1 bilhões.

Só para os correntistas da Caixa e BB serão liberados R$ 5 bilhões a partir de 8 de agosto. Os demais beneficiários, porém, terão de procurar as agências para fazerem os saques.

 

O que são os Fundos PIS-Pasep?

 

Os fundos do PIS e do Pasep funcionaram de 1971 a 1988 e davam direito ao trabalhador de receber o rendimento das cotas e sacar o dinheiro em caso de aposentadoria, doença grave ou ao completar 70 anos.

A partir de outubro de 1988, após a promulgação da Constituição, a arrecadação do PIS-Pasep passou para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que faz empréstimos a empresas.

 

Como as cotas do Fundo PIS-Pasep vigoraram durante um período específico, muitos beneficiários desconhecem esse direito e, no caso de morte do cotista, muitos herdeiros também não sabem que têm direito ao dinheiro. Por isso, o governo tem ampliado o limite de idade e estipulado calendários para incentivar os saques e injetar dinheiro na economia.

Depois do dia 28 de setembro, volta a valer a regra de liberação dos saques somente para os casos de aposentadoria, idade a partir de 60 anos, invalidez (inclusive do dependente), morte do cotista (habilitando o herdeiro a sacar) e algumas doenças graves, como câncer, aids, Parkinson e tuberculose (incluindo o dependente).

Nesses casos, é possível fazer os saques a qualquer momento, sem necessidade de seguir cronograma, e o prazo continua aberto por tempo indeterminado.

 

 

G1

Foto - Divulgação

Economia

O crédito bancário para mais de 3,3 milhões de contribuintes contemplados no segundo lote de restituições do Imposto de Renda será feito hoje (16). A consulta ao segundo lote foi aberta no último dia 9. O lote também contempla restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.

O valor total liberado é R$ 5 bilhões. Desse total, R$ 1,625 bilhão é destinado a contribuintes com prioridade: 3.358 idosos acima de 80 anos, 49.796 entre 60 anos e 79 anos, 7.159 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 1.120.771 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

notebook_irpf.jpg
Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, número 146 - Arquivo Agência Brasil

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, número 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível verificar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificados pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza ainda aplicativos para tablets e smartphones para consulta à declaração e à situação cadastral no CPF. Com ele, é possível verificar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre a liberação das restituições e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contactar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

A Comissão Especial de Licitação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) emitiu um comunicado relevante informando que suspendeu, sem prazo determinado, o edital de leilão de seis distribuidoras da Eletrobras, previsto para o dia 26 de julho. De acordo com o BNDES, a informação foi divulgada em consequência da decisão, divulgada ontem (12), da juíza Maria do Carmo Freitas Ribeiro, da 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

Ainda no comunicado, o BNDES afirmou “que os órgãos competentes estão avaliando os recursos legalmente cabíveis” contra a decisão. O banco acrescentou que tão logo haja a autorização legal para continuidade do processo, será divulgado novo cronograma conforme está previsto no edital.

Decisão

A decisão da magistrada foi em resposta a uma ação da Associação dos Empregados da Eletrobras (AEEL) para suspender o processo licitatório, em especial, a fase de entrega de documentos pelos proponentes para habilitação no certame. Na alegação, a AEEL indica que ainda não ocorreu a deliberação final do poder legislativo de autorização para a venda das distribuidoras, o que representa a nulidade do edital. A juíza declarou que diante do exposto, resolveu deferir a tutela de urgência para suspender o processo licitatório.

As distribuidoras que estão no processo são a Companhia Boa Vista Energia S.A., a Companhia Energética de Alagoas, a Companhia Energética do Piauí, a Centrais Elétricas de Rondônia S.A., a Companhia de Eletricidade do Acre S.A. e a Amazonas Distribuidora de Energia.

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

Para quem está na expectativa de um dinheiro extra neste início do segundo semestre, a Receita Federal vai liberar nesta segunda-feira, às 9 horas, a consulta ao segundo lote de restituições do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2018 (ano-base 2017). Nesta etapa, serão contemplados 3.360.917 contribuintes, com a liberação total de R$ 5 bilhões. O dinheiro estará disponível para saques nos bancos no dia 16.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita Federal na internet ou ligar para o Receitafone 146. É preciso informar o CPF e a data de nascimento. 

Antes de sacar os recursos, especialistas em finanças pessoais sugerem que as pessoas façam um planejamento para o melhor uso dos recursos. A prioridade para quem tem dívidas deve ser acertar essas contas. Só depois é possível decidir se aproveita o dinheiro extra para fazer uma reserva de emergência ou usa para consumir.

A novidade, agora, será a inclusão de professores entre os beneficiários com prioridade de recebimento. Esse direito foi assegurado no fim de 2017. Cerca de um terço dos recursos - uma quantia de R$ 1,62 bilhão - será paga aos contribuintes com prioridade de recebimento — pessoas a partir de 60 anos ou que tenham doenças graves. O lote incluirá 3.358 idosos acima de 80 anos, 49.796 pessoas entre 60 e 79 anos e 7.159 cidadãos com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave, além de 1.120.771 professores.

A prioridade de pagamento para os docentes foi garantida em 26 de outubro de 2017, por meio de uma lei sancionada pelo presidente Michel Temer. Os profissionais de ensino cuja maior fonte de renda seja o Magistério passaram a ter restituição prioritária a partir deste ano, logo após o primeiro pagamento feito aos idosos.

Atualmente, segundo informações do Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-Rio), somente a rede privada de ensino da capital tem 30 mil professores. De acordo com a Secretaria municipal de Educação, a rede pública tem 39.450 docentes ativos. Já a rede estadual informou que tem 65.288 servidores ativos no Magistério (neste caso, incluindo não docentes). 

Correção

A restituição do IRPF 2018 virá corrigida em 2,04% (variação da taxa básica de juros, a Selic, de maio a julho deste ano). Neste lote, também serão incluídas devoluções residuais dos exercícios de 2008 a 2017. Nestes casos, as devoluções serão pagas com correções que variam de 2,04% a 104,16%, dependendo do ano.

Como consultar

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita Federal na internet ou ligar para o Receitafone 146. É preciso informar o CPF e a data de nascimento.

Se o dinheiro não for creditado no dia 16 na conta indicada pelo contribuinte no ato da declaração, será preciso procurar uma agência do Banco do Brasil ou ligar para a central de atendimento da instituição por meio dos telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos). Neste caso, o interessado poderá agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer outro banco.

Confira o calendário de pagamento bancário das próximas restituições:

2º lote - 16/07/2018

3º lote - 15/08/2018

4º lote - 17/09/2018

 

5º lote - 15/10/2018

6º lote - 16/11/2018

7º lote - 17/12/2018

 

O Globo

Em quase três meses de instabilidade no mercado financeiro, o governo injetou R$ 233,5 bilhões na economia. O valor foi obtido com base em comunicados do Banco Central (BC), que tem atuado para segurar o dólar, e do Tesouro Nacional, que tem recomprado títulos públicos para garantir a estabilidade.

Somente o BC injetou US$ 54,09 bilhões – o equivalente a R$ 209,27 bilhões pela cotação de quinta-feira (5) da moeda norte-americana (R$ 3,869) – no mercado desde 18 de maio, quando anunciou que atuaria de forma mais agressiva para conter a alta do dólar. Desse total, US$ 43,44 bilhões (R$ 168,07 bilhões) decorreram de leilões de novos contratos de swap cambial (venda de dólares no mercado futuro) e US$ 10,65 bilhões (R$ 41,2 bilhões) vêm de leilões de dólares das reservas internacionais com compromisso de recompra, ocorridos na última semana de junho.

Desde 28 de maio, quando iniciou os leilões de recompra, até a última quarta-feira (4), o Tesouro Nacional readquiriu US$ 24,228 bilhões em títulos prefixados e corrigidos pela inflação de médio e de longo prazo. O dinheiro vem do colchão da dívida pública, reserva financeira usada em momentos de instabilidade, que caiu de R$ 575 bilhões para R$ 551 bilhões desde o início do programa de recompras

Em relação aos swaps cambiais, o levantamento referente ao Banco Central inclui apenas os leilões de novos contratos, não a rolagem (renovação) dos contratos existentes. Desde 23 de junho, a autoridade monetária deixou de ofertar novos lotes, apenas renovando o montante de contratos de swap em circulação, em que troca contratos prestes a vencer por contratos com vencimento daqui a alguns meses.

Intervenção cambial

Criados em 2001, os swaps cambiais funcionam como uma venda de dólares no mercado futuro, que permitem ao Banco Central intervir no câmbio sem queimar reservas internacionais. Nessas operações, o BC aposta que os dólares vão subir mais que os juros futuros. Os investidores apostam o contrário. No fim, ocorre uma troca de rendimentos que resulta em prejuízo para a autoridade monetária caso o dólar aumente mais que os juros.

Nos leilões com compromisso de recompra, o BC de fato leiloa dinheiro das reservas internacionais, mas compromete-se a pegar o dinheiro de volta meses mais tarde, quando o mercado financeiro estiver menos conturbado. Atualmente, as reservas internacionais do Brasil somam em torno de US$ 380 bilhões (R$ 1,47 trilhão, segundo o câmbio de sexta-feira, 6).

Tranquilidade no mercado

Em relação aos títulos públicos, o Tesouro Nacional informa que as recompras de papéis, que começaram durante a paralisação dos caminhoneiros, têm como objetivo diminuir a instabilidade no sistema financeiro, fornecer um referencial de preços para o mercado e diminuir o risco de papéis prefixados de prazo mais longo e taxas maiores em circulação.

Normalmente, os investidores que querem se desfazer dos títulos públicos e embolsar os ganhos até o momento os vendem no chamado mercado secundário, onde os papéis já emitidos pelo Tesouro trocam de mãos. No entanto, em momentos de instabilidade, o excesso de vendedores no mercado secundário faz o preço dos títulos despencar.

Para evitar que os investidores vendam papéis com elevado deságio, o Tesouro Nacional entra no mercado para comprar títulos, pagando preços melhores. Ao atuar no sistema financeiro, o Tesouro também fornece uma referência para o mercado secundário, que terá que oferecer preços mais atraentes para os investidores que querem se desfazer dos papéis. Para o governo, a recompra ajuda ainda a retirar do mercado papéis mais afetados pela turbulência financeira, reduzindo o custo da dívida pública para o Tesouro.

 

Agencia Brasil

Tempo

Dourados Brazil Ensolarado, 23 °C
Current Conditions
Nascer do Sol: 6:16 am   |   Pôr do Sol: 5:15 pm
55%     11.3 km/h     32.520 atm
Previsão
SEG Minima: 16 °C Máxima: 29 °C
TER Minima: 15 °C Máxima: 27 °C
QUA Minima: 13 °C Máxima: 27 °C
QUI Minima: 14 °C Máxima: 25 °C
SEX Minima: 13 °C Máxima: 26 °C
SáB Minima: 16 °C Máxima: 30 °C
DOM Minima: 15 °C Máxima: 23 °C
SEG Minima: 13 °C Máxima: 23 °C
TER Minima: 12 °C Máxima: 22 °C
QUA Minima: 13 °C Máxima: 25 °C