Dourados-MS,
PRINCIPAL OK

Grid List

Dois tiroteios registrados em dois estados diferentes nos Estados Unidos deixaram ao menos 6 mortos neste domingo (18). Não há relação entre os casos.

Os casos são:

  • Austin, Texas, ainda em andamento, com ao menos 3 mortos próximos a um centro comercial
  • Kenosha, Wisconsin, com 3 mortos após uma briga de bar

O primeiro aconteceu nesta madrugada em um bar no Condado de Kenosha, em Wisconsin. Três pessoas morreram e duas ficaram gravemente feridas.

A polícia local informou que um homem atirou nas pessoas que estavam nesse bar depois de ser convidado a deixar o local. Ele ainda não foi localizado.

O segundo tiroteiro reportado neste domingo (18) aconteceu em Austin, no Texas. Segundo informações do serviço de emergências local, três pessoas morreram e o ataque aconteceu próximo a um prédio de escritórios.

Ainda não há informações de mais vítimas e nem das motivações do tiroteio.

A polícia local foi acionada, e moradores da região estão sendo aconselhados a não saírem de casa.

Onda de violência nos EUA

Em um mês, houve sete tiroteios em sete cidades diferentes nos Estados Unidos. Na soma, 41 pessoas foram mortas. O presidente americano, Joe Biden, quer restringir o acesso a armas.

O presidente americano, Joe Biden, anunciou medidas para tentar controlar o que chamou de "epidemia de violência com armas de fogo" no país.

Biden quer dificultar o acesso às "armas fantasmas", que podem ser montadas em casa e não têm número de rastreio.

“A violência com armas de fogo neste país é uma epidemia. E é uma vergonha internacional", afirmou Biden.

 

G1

A nova defesa de Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, vem insistindo nos últimos dias para que ela seja ouvida novamente pelos investigadores da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Cabe ao delegado Henrique Damasceno, que está à frente do caso, optar pela coleta de um  segundo depoimento. Ainda não foi divulgada nenhuma decisão.

"Dentro do objetivo de atuar com a verdade, a defesa da sra. Monique Medeiros insiste na necessidade da sua nova audição pelo senhor delegado de polícia que preside o inquérito e faz um público apelo, para a referida autoridade policial, neste sentido. Se várias pessoas foram ouvidas novamente, não tem sentido deixar de ouvir Monique. Logo ela que tanto tem a esclarecer. Não crê a defesa que exista algum motivo oculto para 'calar Monique' ou não se buscar a verdade por completo", diz nota divulgada ontem (17) pela defesa da mãe de Henry.

O menino Henry Borel, de 4 anos, morreu no dia 8 de março em um apartamento onde morava com a mãe e o padrasto: o vereador do Rio de Janeiro, Dr. Jairinho. O laudo de necropsia do Instituto Médico-Legal (IML) indicou que a criança sofreu 23 ferimentos pelo corpo e a causa da morte foi “hemorragia interna e laceração hepática”. Ela apresentava lesões hemorrágicas na cabeça, lesões no nariz, hematomas no punho e abdômen, contusões no rim e nos pulmões, além de hemorragia interna e rompimento do fígado.

Monique e Dr. Jairinho estão presos desde o dia 8 de abril. Eles são investigados por homicídio duplamente qualificado. No mesmo dia da prisão, Dr. Jairinho, que está em seu quinto mandato como vereador, foi expulso do Solidariedade, partido em que estava filiado.

No seu primeiro depoimento Monique disse acreditar que Henry havia se acidentado ao cair da cama. Após o interrogatório, o delegado afirmou que a versão apresentada buscava proteger Dr. Jairinho. No curso das investigações, foram recuperadas mensagens em que a babá de Henry relata à Monique um episódio em que o menino foi vítima de agressão de Dr. Jairinho. A mãe da criança, segundo o delegado, não denunciou o ocorrido na época e omitiu a informação no depoimento.

“Não procurou a polícia, não afastou a vítima do agressor, do convívio de uma criança de 4 anos, filho dela. É bom que se diga que ela tem obrigação legal”, pontuou Henrique Damasceno após o interrogatório.

No início das investigações, a defesa do casal era realizada pela mesma pessoa: o advogado André França Barreto. A mãe do menino Henry, no entanto, decidiu recorrer a outros profissionais no início da semana passada e passou a ser representada por Thiago Minagé, Hugo Novais e Thaise Mattar Assad. Na última quarta-feira (14), eles apresentaram formalmente o pedido para que Monique fosse novamente interrogada e sustentam que ela tem outras informações para relatar.

Na nota divulgada ontem, os três também buscam chamar atenção para o perfil de Dr. Jairinho. Eles se referem aos depoimentos colhidos de outras mulheres que se relacionaram com o vereador no passado. "A defesa observou, do estudo dos novos elementos do inquérito, que há repetição de um comportamento padrão de violência contra mulheres e crianças. Neste lamentável caso, a diferença foi a morte da criança", diz o texto. 

Após Monique contratar novos advogados, André França Barreto decidiu abandonar a defesa de Dr. Jairinho. O rompimento, segundo nota divulgada, foi consensual e buscou evitar um conflito de interesse já que não seria mais possível representar o casal. Até então, a defesa de Dr. Jairinho vinha reiterando sua inocência. Novos advogados ainda não foram constituídos.

O Departamento de Operações de Fronteira (DOF) apreendeu neste sábado (17) mais de 11 toneladas de maconha que estava sendo transportadas, escondidas, sob mudas de grama para o estado de São Paulo. A apreensão ocorreu em uma estrada vicinal de Iguatemi. Três pessoas foram presas.

De acordo com boletim de ocorrência, os policiais receberam informações sobre um caminhão parado próximo a uma usina de açúcar e álcool, e no trajeto para verificar, abordaram dois homens, 32 e 33 anos, em um veículo Ford Fiesta com placas de Araçatuba (SP).

Os suspeitos, durante entrevista, não souberam explicar o motivo da viagem e diante da suspeição, os policiais militares realizaram uma vistoria no carro, sendo localizado escondido no painel um rádio transmissor, ligado.

Mais a frente, encontraram o caminhão da denúncia e seu motorista, de 43 anos.

Na cabine os militares localizaram um outro rádio transmissor, na mesma frequência do que foi encontrado no Fiesta. Ao ser feito a vistoria na carga de mudas de grama, foram achados diversos fardos contendo tabletes de maconha. Ao todo, foram contabilizados 11.615 quilos da droga.

Na carteira do motorista do caminhão foi achado o recibo de transferência do veículo em seu nome, datado de 18 de março deste ano.

Questionados, a dupla que estava no carro de passeio relatou que foram contratados por um homem conhecido como “Alemãozinho” na cidade de Itaquirai para realizarem o serviço de ‘batedor’ até Bataguassu, onde receberia R$ 5 mil, cada. Lá, outras pessoas dariam continuidade no serviço, pois a carga de entorpecente teria destino a cidade de São Paulo (SP). Já o caminhoneiro, contou que foi contratado por R$ 35 mil para levar o caminhão até a capital paulista.

O trio foi preso e levado para a sede do Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron) em Dourados, juntamente com a maconha e veículo.

O Atlético-MG assegurou neste domingo (18) a melhor campanha da primeira fase do Campeonato Mineiro, com uma rodada de antecedência. O Galo derrotou o Boa Esporte por 2 a 1, de virada, no Mineirão, pela décima e penúltima rodada do Estadual. A derrota confirmou o rebaixamento da equipe de Varginha (MG) ao Módulo II (segunda divisão).

O Alvinegro foi aos 24 pontos e não pode mais ser alcançado pelo América, segundo colocado com 19 pontos. O Boa Esporte continua em nono e penúltimo lugar, com cinco pontos, sem ter mais como atingir o Patrocinense, décimo colocado com dez pontos e primeiro time fora da zona de rebaixamento.

O Boa iniciou o jogo dando esperanças ao torcedor. Aos 20 minutos, o meia Dieguinho acertou a trave. A bola rebateu nas costas do goleiro Everson e sobrou para o meia Tiago Silva abrir o placar. Aos 26 minutos, o atacante Eduardo Vargas balançou as redes de bicicleta, na pequena área, mas o lance foi invalidado pelo chileno estar impedido. Três minutos depois, após cruzamento do lateral Guilherme Arana pela esquerda, o zagueiro Junior Alonso desviou para dentro da área e Vargas deixou tudo igual.

Na etapa final, o Atlético martelou atrás da virada, mas pecou nas finalizações e em defesas do goleiro Carlos Miguel - uma delas belíssima, aos 40 minutos, em cabeçada potente do zagueiro Rever. Até que aos 44 minutos, o meia Nacho Fernández sofreu pênalti, que Guilherme Arana converteu, garantindo a vitória alvinegra e rebaixando o Boa.

Mais cedo, o Pouso Alegre venceu o Cruzeiro por 1 a 0 no Manduzão, em Pouso Alegre (MG). O gol da vitória saiu nos acréscimos do primeiro tempo. O meia Andrey lançou o atacante Paulo Henrique, que dividiu com o goleiro Fábio e, mesmo pulando em uma só perna, mandou a bola para as redes. O jogador sentiu uma lesão na coxa esquerda e foi ser substituído após o lance.

A vitória levou o Pouso Alegre aos 15 pontos, passou a ocupar a sexta posição, e segue vivo na briga pela classificação às semifinais. No domingo que vem (25), o Dragão tem um confronto direto pelo G4 contra o Tombense, quarto colocado, fora de casa, às 16h. No mesmo dia e horário, a Raposa enfrenta o Patrocinense no Mineirão. O time celeste ocupa a terceira posição, com 17 pontos, e ainda não está confirmado no mata-mata.

Neste domingo, o Cruzeiro visitou o Pouso Alegre pela 10ª rodada do Campeonato Mineiro. A Raposa saiu derrotada por 1 a 0, mas ainda segue no G4 do estadual.

Mesmo com o revés, o time de Felipe Conceição se mantém na terceira colocação com 17 pontos. O adversário conseguiu encostar, e já soma 15, tendo assumido a quinta colocação. Com apenas mais uma rodada para ser disputada, Cruzeiro, Tombense, Pouso Alegre e Caldense disputam duas vagas na semifinal.

O único gol da partida foi marcado por Paulo Henrique, que recebeu lançamento de Matheus Sousa e driblou Fábio. O jogador se machucou, mas mesmo mancando colocou a bola no fundo das redes. Logo depois foi substituído.

Mais cedo, no outro jogo da rodada, Uberlândia e Tombense empataram em 1 a 1.

FICHA TÉCNICA:
POUSO ALEGRE X CRUZEIRO

Local: Estádio Manduzão, Pouso Alegre, MG
Data: 18 de abril de 2021, domingo
Hora: 11h (de Brasília)
Árbitro: Maurco Aurélio Augusto Fakezas Ferreira
Assistentes: Frederico Soares Vilarinho e Magno Arantes Lira

Gol: Paulo Henrique (Pouso Alegre)
Cartões amarelos: 
Erick (Pouso Alegre); Marco Antônio, Rafael Sóbis e Marcelo Moreno (Cruzeiro).

POUSO ALEGRE: Cairo; Lucas Rodrigues, Guilherme Paraíba, Robson e Charles; Leandro Salino, Matheus Roldan, Arilson e Erick (Andrey); Matheus Sousa (Danilo Bala) e Paulo Henrique (Johnny).
Técnico: Emerson Ávila

CRUZEIRO: Fábio; Raúl Cáceres, Weverton, Ramon e Matheus Pereira; Matheus Neris (Claudinho), Matheus Barbosa (Marco Antônio) e Rômulo; Rafael Sobis (Marcelo Moreno), Bruno José (Airton) e Felipe Augusto (Stênio).
Técnico: Felipe Conceição

Max Verstappen, da Red Bull, venceu um caótico Grande Prêmio da Emilia-Romanha em Ímola neste domingo (18), com Lewis Hamilton terminando em segundo lugar pela Mercedes e retomando a liderança do Mundial de Pilotos com um único ponto de vantagem.

A vitória, por dominantes 22s na bandeira quadriculada, foi a 11ª da carreira do jovem holandês.

“Foi um desafio grande, especialmente no começo, para ficar na pista, para ser honesto, estava muito escorregadia”, disse ele, sobre a corrida que começou com a maioria dos pilotos usando pneus intermediários, mas alguns com pneus de chuva. “Acho que administramos bem.”

O britânico começou a corrida na pole position, pela 99ª vez, mas caiu de segundo para nono após passar pela brita e bater na barreira de proteção da curva Tosa. Seu carro chegou a ficar parado e parecia que ele teria que abandonar a prova.

Ele manteve o motor funcionando, engatou a marcha ré, retornou aos boxes e lutou para voltar ao pódio com uma corrida de recuperação após a etapa ser paralisada e reiniciada quando estava na metade.

“Não foi o melhor dia do mundo para nós, foi a primeira vez que eu cometi um erro em muito tempo. Mas estou grato por ter conseguido terminar a corrida”, disse Hamilton.

Lando Norris, da McLaren, completou o pódio, na primeira vez em que dois pilotos britânicos subiram os degraus ao mesmo tempo desde 2012.

Hamilton agora tem 44 pontos contra 43 de Verstappen. Norris soma 23. A Mercedes ficou na liderança do Mundial de Construtores, com 60 pontos, contra 53 da Red Bull.

Verstappen assumiu a liderança na segunda curva da primeira volta, com uma grande largada a partir do terceiro lugar do grid, mas fazendo contato com a Mercedes ao passar à frente.

A corrida foi interrompida pelos destroços de uma grande colisão entre o companheiro de equipe de Hamilton, Valtteri Bottas, que havia largado em oitavo lugar, e George Russell, da Williams, na volta 32, na liga pelo nono lugar.

Houve muito caos antes disso, com o canadense Nicholas Latifi batendo sua Williams nas barreiras de proteção e com muitos outros carros rodando.

Charles Leclerc, da Ferrari, terminou em quarto lugar, o seu companheiro espanhol Carlos Sainz ficou em quinto, e Daniel Ricciardo, da McLaren, em sexto.

O canadense Lance Stroll foi o sétimo colocado com a Aston Martin. Pierre Gasly, da AlphaTauri cruzou a linha de chegada em oitavo lugar e Kimi Raikkonen foi nono pela Alfa Romeo.

O francês Esteban Ocon levou o último ponto, pela Alpine.

Triste situação vivem atualmente os moradores da rua 20 de Dezembro. Este nome foi atribuído como lembrança permanente do aniversário de Dourados, uma vez que a emancipação do município se deu em 25 de dezembro de 1935. No entanto, as lembranças que a via tem proporcionado aos que a utilizam não são das melhores. Os buracos na parte pavimentada se dão sobretudo em razão da falta de planejamento e drenagem, situação que se complica ainda mais no período chuvoso, onde o acúmulo de água chega a formar uma lâmina de 40 cm de altura.
 
A via se estende desde a rua Cuiabá, na porção central da cidade, até a rua Manoel Rasselen, quando encontra um dos poucos fragmentos de Mata Atlântica ainda existentes na cidade e arredores. Justamente neste último trecho o problema é agravado por ser uma região baixa, o que implica no recebimento de enxurradas de várias outras áreas da cidade. A cada chuva os moradores ficam impossibilitados de saírem de suas casas, principalmente aqueles que não possuem automóveis. Sem alternativa, acabam se sujeitando a uma situação incômoda.
 
Pelas fotos percebemos o total abandono por parte da administração municipal com os moradores. As fotos se referem ao trecho da rua Josué Garcia Pires (antiga W 11) e a rua Frei Antônio (antiga W17). Esgoto, falta de pavimentação, calçamento, rede de águas pluviais e lixo a céu aberto.
Buracos e lixo são alguns dos problemas que se acumulam nesse trecho. Em se tratando de um local densamente povoado, os moradores não têm mais onde reclamar diante desta situação. Como relata o morador Sr. Mauro, que é proprietário de um lava rápido. Segundo conta, ele gastou do seu próprio bolso para melhorar a via de acesso ao seu comércio, para atender os seus clientes.
Ao procurar o secretário de infraestrutura de Dourados fomos informados pela secretaria que na região da rua 20 de dezembro o correto seria fazer um projeto de drenagem, já que não existe boca de lobo. Ainda segundo apontam, trata-se de uma obra de custo muito alto e que dependem de recursos federais para realizá-la.
Fica a indignação de minha parte e dos moradores e usuários desta rua, diante do descaso de anos por parte da administração municipal de Dourados. A situação é recorrente e há sucessivos mandatos o trecho continua sem a mínima infraestrutura para o tráfego dos moradores. Cabe aqui a queixa para a administração que acabara de iniciar um novo mandato, com a possibilidade de criar um roteiro distinto para esta importante via e, assim, fazer uma verdadeira homenagem a Dourados.

Por Sergio R. F. Zanchetta
 
+ O autor é graduado em Geografia pela Universidade Federal da Grande Dourados e morador de Dourados

Com um total de 237.015 casos confirmados de Covid-19 e 5.193 mortes causadas pela doença, Mato Grosso do Sul registrou 928 novos exames positivos para a Covid-19 nas últimas 24 horas.

As perdas de vidas também continuam com números preocupantes. No Boletim deste domingo (18) publicado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), o registro é de 37 mortes.

O número de pacientes recuperados chegou a 219.268 hoje.

Já em isolamento domiciliar permanecem 11.410 pessoas. 

Internadas estão 1.144, entre as quais 601 em leitos clínicos e 543 de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

A Secretaria de Estado de Saúde também informou haver 1.702 amostras em análise no Lacen (Laboratório Central) e 6.279 casos sem encerramento que aguardam atualização dos municípios.

Desde o início da pandemia, as notificações suspeitas do novo coronavírus em território sul-mato-grossenses já chegaram a 723.933. No entanto, 478.933 foram descartados. 

Campo Grande acumula 91.499 confirmações, Dourados 26.151, Três Lagoas 12.406, Corumbá 11.625, Naviraí 6.511, e Ponta Porã 5.604. Confira abaixo:

O vereador Mauricio Lemes (PSB) encaminhou indicação na Câmara de Dourados, endereçada à diretora da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Mariana Neto, e à comandante da Guarda Municipal, Liliane Graziele, solicitando a realização de uma blitz de orientação aos motoristas sobre as mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O documento também foi encaminhado ao prefeito Alan Guedes (PP) e ao secretário municipal de Governo e Gestão Estratégica Henrique Sartori.

A sugestão tem como finalidade informar aos condutores das mudanças na legislação de trânsito que entrou em vigor na segunda-feira (12). São alterações que vão de uso do farol aceso à meia luz, mesmo durante dia, uso de cadeirinha infantil e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O descumprimento das novas regras impõe ao motorista, multa e a perda de sete pontos na CNH, infração gravíssima.

OUTRAS INDICAÇÕES

Ao prefeito Alan Guedes, e aos secretários, Henrique Sartori e Romualdo Diniz (Serviços Urbanos), o vereador também indicou o serviço de limpeza e roçada no entorno do Centro Especializado em Reabilitação Afife Maksoud Bussuan (CER), nas proximidades da Escola Municipal Neil Fioravanti, no Parque Nova Dourados e nos canteiros das ruas Abílio de Mattos Pedroso e Floriano Peixoto.

“Esses locais, estão oferecendo riscos aos motoristas e pedestres, devido ao mato que se encontra alto e está tomando conta do canteiro, contribuindo para o acúmulo de sujeira, proliferação de insetos e animais peçonhentos”, alerta o vereador. Mauricio Lemes solicitou, em caráter de urgência, que seja feita a manutenção básica no serviço de limpeza e roçada dos locais, garantindo segurança à população.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse neste domingo (18), por meio de uma rede social, que a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) vai entregar 18 milhões de vacinas contra a covid-19 até o final de abril. Desse total, segundo o presidente, serão entregues 4,6 milhões de doses ainda nesta semana e mais 6,7 milhões na outra semana.

Na sexta-feira (16) a Fiocruz já havia entregue mais 2,8 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Além das 2,8 milhões liberadas na sexta-feira, 2,2 milhões já haviam sido entregues na última quarta-feira (14).

O presidente disse ainda que a previsão é que o volume de entrega de imunizantes cresça nos próximos meses e que no segundo semestre de 2021, a Fiocruz deve entregar 110 milhões de doses da vacina.

Educação

O presidente também usou a rede social para divulgar um aplicativo do Ministério da Educação voltado para a alfabetização de crianças.

Segundo Bolsonaro, o Brasil tem a maior parte de suas escolas fechadas por determinação de "governadores e prefeitos" e o país é "um dos com o maior tempo" de fechamento de instituições de ensino do mundo.

Medidas para evitar maior circulação de pessoas, como o fechamento de escolas e outras atividades não essenciais tem sido adotadas durante a pandemia por governadores e prefeitos, como medida para evitar aumento no número de infectados pelo vírus que já chega a quase 14 milhões, com mais de 370 mil mortos, desde o início da pandemia, no início do ano passado.

Em 24 horas, houve 42.980 novos casos de covid-19 no Brasil. O número consta da atualização do Ministério da Saúde (MS) deste domingo (18). No balanço, foram confirmados 13.943.071 diagnósticos positivos desde o primeiro, em fevereiro de 2020. 

O número de mortes em decorrência da pandemia do novo coronavírus chegou a 373.335. De ontem para hoje, foram confirmados 1.657 novos óbitos.

Ainda há 3.660 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente. O número de pessoas recuperadas está em 12.391.599. Já o total de pacientes com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.178.137.

Dados

Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras pela menor quantidade de trabalhadores para fazer os novos registros de casos e mortes. Já às terças-feiras eles tendem a ser maiores porque neste dia o balanço recebe o acúmulo das informações não processadas no fim de semana.

Estados

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (88.350), Rio de Janeiro (41.310), Minas Gerais (30.309), Rio Grande do Sul (23.192) e Paraná (20.349). Já as unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.418), Roraima (1.445), Amapá (1.467), Tocantins (2.374) e Sergipe (3.955).

Boletim epidemiologico  Covid-19  18.04.2021

A semana no Congresso será mais curta, mas não menos importante. Com um feriado na quarta-feira (21), os parlamentares deverão apreciar vetos presidenciais e o Senado poderá instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19.

Na segunda (19) e na terça-feira (20), estão marcadas sessões do Congresso Nacional, ocasião em que deputados e senadores devem decidir de mantém ou derrubam vetos presidenciais. Dez vetos dentre os previstos para análise estão trancando a pauta de votações. Dentre eles, estão vetos referentes ao auxílio emergencial para a mulher chefe de família e à realização de videoconferências em audiências de custódia. Esse último veto faz parte do pacote anticrime, aprovado pelo Congresso no fim de 2019.

Existem ainda vetos relacionados à aquisição de vacinas contra covid-19. Trata-se do veto que determina o prazo de cinco dias para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conceder autorização temporária de uso emergencial para importação e distribuição de imunizantes.

Outro veto diz respeito à lei que autoriza a União, estados e municípios a adquirir vacinas e assumir a responsabilidade civil em relação a efeitos adversos pós-vacinação. O governo federal vetou alguns dispositivos do texto original, como a autorização para que estados e municípios possam adquirir doses de vacinas em caráter suplementar, com recursos da União no caso de descumprimento do Plano Nacional de Imunização (PNI).

CPI

Passado o feriado de Tiradentes e do aniversário de Brasília, ambos na quarta-feira, existe a expectativa da realização da primeira reunião da CPI da Covid-19 na quinta-feira (22). Nessa reunião serão eleitos o presidente e vice-presidente do colegiado. Um acordo entre os membros da comissão, no entanto, deve confirmar o nome de Omar Aziz (PSD-AM) para a presidência e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) como vice-presidente.

Câmara

Também na quinta-feira a Câmara dos Deputados poderá votar a prorrogação do auxílio emergencial para profissionais do meio artístico. Esse pagamento foi estabelecido no ano passado, na Lei Aldir Blanc, batizada em homenagem ao escritor e compositor que morreu de covid-19. A prorrogação já foi aprovada no Senado e aguarda análise dos deputados.

O setor energético brasileiro terá investimentos de R$ 3 trilhões até 2030, diz o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

“O maior investimento realizado no país tem sido no setor de energia, seja no setor de petróleo, gás e biocombustíveis, seja no setor elétrico. São investimentos bilionários – nos próximos dez anos, devemos ter investimentos da ordem de R$ 3 trilhões, e isso tem ocorrido ano a ano”, afirma o ministro. “Investimentos estão sendo feitos de centenas de bilhões de reais nos últimos dois anos, e teremos aí mais outros R$ 2,5 trilhões até 2030.”

De acordo com Bento Albuquerque, esses investimentos ocorrem porque o Brasil tem atratividade, diversidade de fontes de energia e segurança jurídica e regulatória. “Isso é extremamente importante para atrair investimentos privados.”

O ministro destaca outro fator importante, que é a retomada dos leilões no país: em 2021 serão seis leilões só de energia elétrica, de petróleo e de gás. “É importante dar previsibilidade para o mercado.”

Energia renovável

O ministro ressalta ainda que o Brasil é uma referência no mercado internacional de energia, reconhecido pelas Nações Unidas. “O Brasil foi convidado, por exemplo, para liderar um grupo de países na transição energética, e nós vamos apresentar o nosso trabalho na Assembleia Geral das Nações Unidas em setembro. Então, o Brasil é uma referência no mundo, e a energia é estratégica para qualquer país, ainda mais no momento em que o mundo vive uma transição energética para uma economia de baixo carbono.”

Segundo Bento Albuquerque, 83% da energia brasileira é renovável e, se for considerada a energia limpa, o índice sobe para 85%. No mundo, a média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é 25%.

Mineração

Sobre a exploração das riquezas minerais do país, atualmente em 0,7%, o ministro considera é pequeno o percentual frente ao potencial que o Brasil tem. “Nós temos mais de 80 variedades de minerais na pauta de exportações. Por exemplo, o minério de ferro é o segundo item [da pauta de exportações], só sendo superado pelo agronegócio. O petróleo é o terceiro. A mineração traz muito investimentos para o Brasil”, enfatiza.

Para Bento Albuquerque, o importante é que o país tenha programas de incentivo à mineração, e isso está sendo construído com a indústria e com o Congresso Nacional. “Investimentos vultosos também estão ocorrendo [na mineração]. Cerca de US$ 40 bilhões serão investidos nos próximos quatro anos. Ano passado também batemos recorde de exportação em minério de ferro, ouro e outros minerais”, destaca.

Trabalhadores informais nascidos em junho começam a receber neste domingo (18) a nova rodada do auxílio emergencial. O benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês. O dinheiro será depositado nas contas poupança digitais e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a quatro semanas após o depósito, o dinheiro poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta-corrente.

O saque da primeira parcela foi antecipado em 15 dias. O calendário de retiradas, que iria de 4 de maio a 4 de junho, passou para 30 de abril a 17 de maio.

Ao todo 45,6 milhões de brasileiros serão beneficiados pela nova rodada do auxílio emergencial. O calendário de pagamentos foi divulgado pelo governo no início do mês.

O auxílio será pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada.

Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS).

O pagamento da primeira parcela aos inscritos no Bolsa Família começou na sexta-feira (16) e segue até o dia 30. Nesta segunda-feira (19), recebem os beneficiários com NIS de final 2. O auxílio emergencial somente será pago quando o valor for superior ao benefício do programa social.

Calendário de pagamentos antecipados da primeira parcela do auxílio emergencial.

O presidente Jair Bolsonaro editou Medida Provisória nesta sexta-feira (16) que abre crédito extraordinário no valor de R$ 2,6 bilhões em favor do Ministério da Saúde. A liberação, publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), tem o objetivo custear cerca 8 mil leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) nos estados. Com isso, segundo o governo federal, o incremento total de leitos de UTI será de 21,3 mil desde o início do ano. Os recursos serão repassados mediante transferências do Fundo Nacional de Saúde para fundos de saúde dos demais entes federativos.

O crédito também será aplicado na aquisição de medicamentos e fármacos utilizados na intubação orotraqueal, procedimento usado em pacientes graves de covid-19. Os medicamentos a serem comprados são os chamados agentes hipnóticos, opioides e bloqueadores neuromusculares. 

De acordo com o governo, de janeiro a março houve um crescimento de mais de 148% no número de infecções e óbitos causados pela pandemia. Foram mais de 5,1 milhões de casos novos notificados e 126,5 mil óbitos apenas neste trimestre. Atualmente, o país registra mais de 368,7 mil mortes e um total de 13,8 milhões de infectados desde o início da crise sanitária.

360x310 (2) Imobiliaria
360x310 (3) Comercial Oshiro
Publicidade