Dourados-MS,
PRINCIPAL OK

Grid List

Ramon, lateral-esquerdo do Flamengo, atropelou uma pessoa na noite deste sábado, na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A vítima, Jonatas Davi dos Santos, de 30 anos, morreu a caminho do hospital.

O acidente aconteceu por volta de 20h30 (de Brasília). De acordo com informações do Centro de Operações do Rio, bombeiros e policiais estão prestando atendimento no local.

Ramon foi para a 16ª Delegacia de Polícia, na Barra da Tijuca, onde prestou depoimento, sendo liberado em seguida. Conforme informações, ele chamou a ambulância e solicitou o atendimento à vítima, um ciclista entregador de aplicativo. O jogador estava acompanhado de uma mulher no momento do acidente.

- Não tenho informações ainda para passar, saber se estão corretas. O que poso falar é que o atleta, dentro do possível, dentro de uma situação dessa, estava tranquilo, chateado, triste, mas parece que ele parou, chamou, eu acho, a ambulância, o bombeiro, ele se apresentou com o advogado, fez todos os procedimentos que qualquer cidadão teria que fazer - explicou Marcos Braz, vice-presidente de futebol.

Reeleito presidente do Flamengo neste sábado para os próximos três anos, Rodolfo Landim lamentou a fatalidade.

- Claro que a gente fica muito triste. Não sabemos nem em que condições ou o que aconteceu, pelas poucas informações. É um atleta exemplar, com comportamento exemplar. Em situações como essa, é óbvio que vamos prestar todo apoio - disse.

Vice-presidente geral e jurídico do clube, Rodrigo Dunshee também falou sobre o caso e disse que o atleta tem à disposição o apoio do clube. Por enquanto, Ramon segue acompanhado de seu advogado.

- O Flamengo através do Marcos Braz e de mim colocou o departamento jurídico à disposição. Ele está acompanhado do seu advogado. Está bem, calmo, dentro do possível, prestando depoimento. É um acidente lamentável. Pelas primeiras informações que tivemos, nosso atleta não teve culpa. Marcos vai para lá agora junto com o assessor de imprensa. Qualquer coisa que ele precisar, eu também vou - disse.

Cria das categorias de base do Flamengo, Ramon fez sua estreia pelo time profissional em 2018, quando atuou em dois jogos do Carioca. Ele tem ao todo 38 partidas pela equipe principal, 24 só na atual temporada.

Cerca de 5.100 pessoas participaram neste sábado, 04/12, do concurso para cargos de delegado de polícia, perito médico-legista e perito criminal, da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul. As provas objetivas aconteceram na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).

Os portões foram abertos às 13 horas, mas, pelo menos 1 hora antes já havia candidatos em frente às universidades para não correrem o risco de perderem o horário. Às 14 horas os portões foram fechados e em seguida iniciaram-se as avaliações.

Segundo dados da Secretaria de Administração e Desburocratização (SAD), especificamente para essas vagas foram inscritos 5.969 candidatos, sendo que deste número, 863 deixaram de comparecer nos locais das provas. O concurso prevê 158 vagas, sendo 30 para delegado, 75 para perito criminal e 53 para perito médico-legista.

De acordo com a secretária de administração e desburocratização do governo do estado, Ana Carolina Araújo Nardes, a realização deste concurso faz parte do projeto MS Mais Seguro e prevê o fortalecimento das Forças de Segurança do estado. “O governo recentemente fez um expressivo investimento nesta área, com mais de R$ 130 milhões que foram utilizados para compra de equipamentos e viaturas e agora está investindo no capital humano, para reforçar a segurança, fortalecendo a Polícia Civil do nosso Estado e, desta forma, mantendo o índice de primeiro em resolução de crimes no Brasil”, reforçou.

Para garantir a transparência, a lisura, a segurança e uma boa organização no concurso, foi montada uma equipe com 641 colaboradores da Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura (Fapec), 137 agentes de segurança privada, com detectores de metais, 459 Fiscais, 12 Coordenadores, 19 Auxiliares de Coordenação, 4 Coordenadoras Municipais, 1 Coordenadora-Geral, 1 Delegado-Supervisor, 2 motoristas, 8 membros da Comissão Organizadora e 22 policiais (agentes e delegados).

Além disso, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) esteve presente com uma equipe fazendo a verificação de eventuais sinais de rádio, celular ou algum outro meio de comunicação interna (sala de aula) ou externa, para prevenir qualquer tipo de fraude durante a realização das provas.

As mães com bebês também tiveram a possibilidade de levar seus filhos, que ficaram com um responsável em uma sala específica para que as candidatas pudessem ter seu direito de amamentação garantido.

Alunos sabatistas

As provas dos 13 candidatos que guardam o sábado tiveram início às 18 horas na UFMS, com encerramento às 22h10 minutos para perito criminal e médico legista e às 23h10min para delegado.

De acordo com o diretor da Academia de Polícia Civil e coordenador da comissão do concurso, delegado Roberto Gurgel de Oliveira Filho, foram mais de cinco meses de trabalho da comissão organizadora do concurso para que este dia transcorresse de forma tranquila e segura em todos os aspectos. “Estamos encerrando os trabalhos sem nenhuma intercorrência grave e todos os candidatos tiveram condições de realizar a prova, de forma ordeira, em ambos os locais”, salientou.

Outros cargos

As provas para agente de polícia científica e perito papiloscopista serão aplicadas no domingo, dia 12 de dezembro, para mais de 5.500 inscritos. Os locais e ensalamento serão divulgados na próxima semana.

Na noite desta sexta-feira dia (03) uma equipe do Grupamento Especializado Tático Motorizado (GETAM), do 3º Batalhão de Polícia Militar, prendeu um homem por direção perigosa de veículo em via pública.

A equipe policial realizava rondas preventivas na região do bairro Cuiabá, momento em que visualizaram um indivíduo que pilotava uma motocicleta de forma perigosa, realizando manobras em via pública e se equilibrando em apenas uma das rodas da motocicleta.

Os policiais deram ordem de parada para o condutor, porém, ao perceber que se tratava da Polícia Militar, empreendeu fuga em altíssima velocidade. Deu inicio a um acompanhamento tático, porém todas as ordens de parada dadas pelos policiais eram ignoradas pelo condutor.

O condutor que fugia em alta velocidade ignorou várias placas de parada obrigatória, avançou em sinais vermelhos, colocando assim em risco a vida de várias pessoas que transitavam pelas vias.

O condutor arremessou por diversas vezes a motocicleta que conduzia contra a equipe policial, na tentativa de derrubar os componentes. Já na Rua Coronel Ponciano o condutor conseguiu transpor o bloqueio policial realizado por outras viaturas que foram prestar apoio para a equipe.

Diante do perigo que o condutor representava para todas as pessoas que utilizavam as vias públicas naquele momento, a equipe policial teve que realizar um disparo no pneu traseiro da motocicleta, conseguindo realizar a abordagem ao autor e pondo fim ao acompanhamento tático já havia percorrido vários quilômetros.

O condutor e autor, um homem de (20) anos, teve sua motocicleta uma HONDA/XRE 300 recolhida até o pátio da 13ª CIRETRAN de Dourados.

O autor foi detido e encaminhado até o plantão de Polícia Judiciária, onde foi  autuado pelos crimes de dano, resistência, desobediência e direção perigosa de veículo em via pública.

O Santos pode garantir a permanência na Série A do Campeonato Brasileiro neste domingo mesmo sem entrar em campo. Para que isso aconteça, basta que o Bahia não vença o Fluminense, às 16 horas, na Fonte Nova.

Em caso de empate ou derrota neste domingo, o Bahia não poderá mais chegar aos 46 pontos do Peixe. A equipe baiana ainda não estará rebaixada, mas não poderá superar o Santos.

Caso o Bahia vença o jogo deste domingo, o Santos precisará de apenas um empate contra o Flamengo na segunda, no Maracanã, para garantir a permanência na Série A.

Com vitória do Bahia neste domingo e derrota do Santos na segunda, o Peixe ainda pode garantir a permanência antes da última jogada se o Cuiabá perder para o Fortaleza nesta segunda, na Arena Pantanal. Nesse caso, o Cuiabá só poderia chegar aos 46 pontos do Santos, mas com uma vitória a menos.

A confirmação da permanência na Série A é importante para o Santos já começar a definir o futuro. O técnico Fábio Carille revelou na sexta-feira, em entrevista coletiva

O São Paulo saiu na frente do Corinthians na decisão do Campeonato Paulista de futebol feminino. Neste sábado (4), as Soberanas venceram o primeiro jogo por 1 a 0, no Morumbi. Bicampeão estadual (1997 e 1999), o Tricolor tem a vantagem do empate na partida de volta, que será nesta quarta-feira (8), às 21h (horário de Brasília), na Neo Química Arena, com mando corintiano.

A decisão reúne os times de melhor desempenho no Estadual. O Corinthians chegou à final invicto, com 12 vitórias e um empate. O São Paulo também ganhou 12 vezes, mas sofreu uma derrota, justamente para as alvinegras, por 2 a 1, em 19 de agosto, no Parque São Jorge, pela segunda rodada da primeira fase. O embate reedita a decisão de 2019, vencida pelo Timão, que levou a melhor no Morumbi (1 a 0) e na Neo Química Arena (3 a 0). As Brabas também foram campeãs no ano passado, superando a Ferroviária, e buscam o tricampeonato. Em 2021, elas já levantaram as taças do Brasileiro e da Libertadores.

Apesar do placar não ser alterado, o primeiro tempo no Morumbi foi bastante agitado. O São Paulo iniciou melhor, apostando na velocidade de Naná e Micaelly pelos lados e na também atacante Gláucia fazendo o pivô e tentando quebrar as linhas de marcação. Na melhor chance tricolor, aos 12 minutos, Naná cruzou pela direita e a meia Jaqueline, quase na pequena área, completou com a bola ainda no ar, rente ao travessão.

Inicialmente acuado no campo de defesa, o Corinthians, aos poucos, aproximou-se da meta são-paulina e passou a comandar a pressão ofensiva. Na oportunidade mais clara, aos 33, a atacante Vic Albuquerque finalizou da entrada da área, com força, e a goleira Carla fez boa defesa, espalmando para escanteio.

Na volta do intervalo, o São Paulo repetiu a postura da primeira etapa. Desta vez, chegando ao gol. Aos nove minutos, Gláucia lançou Micaelly na área, às costas de Poliana. A atacante encarou a marcação da zagueira, cortou para a direita e abriu o placar. O segundo quase saiu na sequência, após uma saída errada da goleira Kemelly. Gláucia recuperou a bola na entrada da área, mas demorou e foi travada na hora de bater.

O Corinthians avançou as linhas e tentou pressionar o São Paulo, mas com dificuldades para superar a marcação e cedendo espaços para os contra-ataques. Como aos 31 minutos, quando Gláucia e Kemelli dividiram na pequena área e a atacante mandou por cima. O Timão balançou as redes aos 43 com a atacante Gabi Portilho, após cobrança de escanteio de Andressinha, mas a arbitragem deu falta da também meia Gabi Zanotti em Carla, anulando o lance.

Com a participação recorde de 1.738 atletas, de todas as idades e categorias elite e geral, a prova de corrida da sétima edição da Bonito 21K, realizada neste sábado, exigiu muita resistência a uma temperatura de 30 graus, clima amenizado depois de uma rápida chuva a uma hora da competição. Neste domingo, será realizada às 7h a prova de ciclismo, com a participação de 312 atletas.

O tradicional evento do calendário esportivo sul-mato-grossense conta com apoio do Governo do Estado, por intermédio da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), e a parceria da prefeitura de Bonito e Sanesul. Com patrocínio da Ambiental MS, é realizado pela Associação Desportiva Atletas de Cristo (ADAC) e organizado pela Agência H2O Ecoturismo.

Na classificação geral da prova principal de corrida, a minimaratona de 21 quilômetros teve como vencedores no grupo elite Glenison Gilbert de Carvalho, de Campo Grande, com o tempo de 1h10m14s, e Janine Rodrigues de Oliveira, de Iguatemi, com a marca de 1h26m. Os segundos colocados foram: Leonardo Moraes da Silva Messias Amorim (Bonito), com 1h10m54s, e Gisele Bittencourt Venâncio (Dourados), com 1h31m17s.

Pontuaram ainda na classificação geral: no masculino, Allison Rocha Peres (Curitiba), com o tempo de 1h12m28s; Laurindo Nunes Neto (Campo Grande), 1h13m10s; e Ronan Moraes da Silva (Campo Grande), 1h16m06s. No feminino: Valeria Melo Cattaruzzi (São Bernardo do Campo, SP), tempo de 1h32m15s; Roberta de Lima Medina (Bonito), 1h39m06s; e Maria das Graças de Oliveira (Santos, SP), 1h39m08s.

Crianças, o destaque

A prova principal (minimaratona) teve largada às 16h30 e a organização encerrou o registro de cronometragem na chegada somente às 19h45, dando início à premiação em seguida no palco armado na Praça da Liberdade. O evento começou com a corrida na categoria Kid, que reuniu crianças de 3 a 14 anos, com seis baterias de 50m e 100m. Todas as crianças inscritas (50) ganharam medalhas como prêmio pela participação.

Além da minimaratona, foram disputadas provas ainda nas distâncias de 5 e 10 quilômetros. Com largada e chegada na Praça da Liberdade, a corrida teve como trajeto a rodovia MS-382, saída da cidade em direção a Jardim. As provas foram realizadas sob rigorosos procedimentos de biossegurança, sendo obrigatório o uso de máscara descartável na largada em onda (com distanciamentos entre os atletas) até a uma distância de 500 metros.

Na classificação geral da prova de 10 quilômetros, os primeiros colocados no masculino foram: Walison Dos Reis Ferreira (Caarapó), com o tempo de 34m22s; Dinho Jesus (Campo Grande, 35m02s; Nelício da Silva Antônio (Campo Grande), 39m54s; Fábio Lobo (Campo Grande), 40m30s; e Magner Cardoso Matos (Bonito), 41m22s. Feminino: Dulcileia Soares de Brito Bruno (Paranhos), 42m36s; Thais Barateli (Monte Castelo), 45m50s; Nayara Rocha de Andrade (Bonito), 45m53s; Maira Benites Brum (Dourados), 46m51s; e Evelin Lima Eich Ribeiro (São Gabriel do Oeste), 46m52s.

Classificação geral da prova de 5 quilômetros: no feminino, Karen Valezio (Naviraí), tempo de 22m05s; Carolina Alves de Oliveira Dolzan (Campo Grande), 22m56s; Analia de Mello (Dourados), 23m12s; Ana Paula Kniess Pagiossi (São Paulo) 23m32s; e Cecília Fujimaki (Campo Grande), 23m40s. Masculino: Samuel Medeiros Coelho (Campo Grande), 16m57s; Bruno Shinjii Shimada (Campo Grande), 18m08s; Elenilson da Silva (Bela Vista), 18m21s; Diego de Arruda Silva, 18m24s; e Rafael Sandres Maciel (Bonito), 18m34s.

 

A Prefeitura de Dourados, através do Imam (Instituto de Meio Ambiente de Dourados), apoia neste domingo (5) uma ação de plantio de árvores nas margens do Córrego Jaguapiru, um dos afluentes do Córrego Laranja Doce. A ação tem início às 8h e faz parte do projeto Nascente Viva, que visa recuperar as margens e nascentes do córrego, além de promover a educação ambiental em áreas com populações em situação de risco socioambiental, neste caso as comunidades indígenas que vivem no entorno.

O diretor-presidente do Imam, Wolmer Sitadini, destaca a importância do apoio direto do executivo municipal, que por meio do prefeito Alan Guedes e sua equipe de governo, se colocou à disposição desde início empenhando esforços para viabilizar a ação, demandada pela comunidade indígena. Somando esforços o IMAM colocou à disposição seus técnicos e fez a doação de 300 mudas de árvores nativas da região. “O instituto apoia a ação com a disponibilização de mais de 20 espécies de mudas diferentes, entre elas estão mudas de peroba rosa, aroeira, guabiroba, cajá mirim, jabotá, entre outras. Além de dar apoio na logística e no plantio das mudas”, ressaltou.

O reflorestamento nas margens dos rios é importante, pois são as arvores que possibilitam a melhoria qualidade da água e do habitat da vida selvagem, ainda reduzem os riscos de erosão e assoreamento do rio. As árvores atuam como uma barreira de proteção evitando o transporte de sedimentos e detritos até o córrego.

A Dra. Zefa Valdivina Pereira, atuante, e uma das mentoras do projeto Nascente Viva, ressalta que a preservação da mata ciliar traz benefícios para toda a região. “É possível notar uma melhoria na conectividade dos corredores de biodiversidade, ganhos para a fauna e flora, a tendência é que com a melhoria da permeabilidade e estrutura do solo, ocorra não só a melhoria da qualidade da água, mas também o aumento da vazão do córrego, tudo com a manutenção da mata”, reforçou.

Já o professor indígena da escola municipal Tengatui Marangatu, Cajetano Vera , uns dos Coordenadores do Projeto Nascente Viva, ressalta que durante os três anos de vida do projeto, já foram plantadas mais de 2 mil arvores nativas nos arredores dos rios da região, muitas já dando frutos e produzindo sementes para novas mudas. “A continuação do plantio de árvores no córrego Jaguapiru é urgente. Pois, a área que está sendo recuperada foi deteriorada pela ação humana. Essa área era usada por indígenas e havia muitos animais roedores. É importante a recuperação rápida deste lugar, que além de devolver o ambiente de mata para aldeia, também promove a proteção do leito do córrego. Assim, os indígenas voltam a ter água limpa para beber”, contou.

O Geógrafo Cristiano Rodrigues do IMAM, aponta um diferencial único desta ação, que após reunião realizada com os moradores do entorno, resultou em um esforço coletivo, reunindo apoio da comunidade indígena, proprietários do entorno, alunos, professores de universidades, vereadores, todos em prol de um único objetivo, a recuperação ambiental das margens do córrego. “Nesta ação, um proprietário rural disponibilizou o trator, outro disponibilizou o implemento furador, conseguiram ainda a doação de mais 100 mudas, prova de que podemos todos trabalhar juntos, pois plantar arvore, é plantar água, é plantar vida, e isso atinge a todos nós como sociedade”.

Esta ação é uma realização do grupo Tempo de Plantar, da Associação de Mulheres Indígenas de Dourados, APOMS (Associação de Produtores Orgânicos de MS), Team Tarahumara Fans Running for the Planet e UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), e conta com o apoio das escolas Tengatuí Marangatu e Guateca.

Secretaria de Saúde aplicou aproximadamente 700 doses do imunizante contra a Covid-19 na manhã deste sábado (4), na ação de vacinação realizada na Escola Antônia Da Silveira Capilé. Foram ofertadas a 1ª dose e doses de reforço da vacina para maiores de 18 anos.

Edvan Marcelo Morais, responsável pela imunização em Dourados, comentou sobre a ação. “A população aderiu a campanha e esteve presente, isso é ótimo. Nosso objetivo era aproximar a vacina das pessoas e conseguimos”, disse ele.

Outra ação já está programada para a próxima terça-feira, dia 7, na Escola Presidente Vargas, na região central.

Mato Grosso do Sul acumula saldo positivo de 37.268 empregos com carteira assinada criados ao longo de 2021, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social.  

A quantidade de vagas abertas no ano é resultado do saldo entre admissões e demissões contabilizadas entre janeiro e outubro. Em dez meses, foram 239.439 contratações contra 202.171 desligamentos.

Em termos de variação relativa sobre o estoque de empregos existentes, o saldo acumulado no ano teve crescimento de 7,12%. O percentual está entre os 11 melhores do País, à frente de grandes estados como Bahia (7,09%), São Paulo (6,78%) e Rio Grande do Sul (5,67%).

Só no mês de outubro, o mais recente avaliado pelo Caged, Mato Grosso do Sul abriu 24.227 vagas de trabalho e fechou 20.812, resultando em um saldo positivo de 3.415 oportunidades geradas. Em relação ao mês anterior, o crescimento é de 0,61%.

Os setores que mais deram emprego no mês de outubro foram: serviços, com 1.287 vagas; comércio, com 1.159 postos; construção, com 565 oportunidades; agricultura, com 212 cargos; e indústria, com 192 vagas.

O projeto “Opera MS” já é uma realidade no hospital da SIAS (Sociedade Integrada de Assistência Social), de Fátima do Sul, com 110 procedimentos já computados neste sábado (4) nas várias especialidades assumidas.

Juntamente com o “Examina MS”, o projeto foi lançado na última quinta-feira (2) pelo governador Reinaldo Azambuja em Campo Grande, como parte do Programa “Caravana da Saúde”.

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende, que oficializou o início dos dois projetos em Fátima do Sul, afirmou que a iniciativa tem como objetivo reduzir, o máximo possível, a fila de espera existente em todos os municípios do Estado, para os mais diversos tipos de procedimentos cirúrgicos e de exames.

“A pandemia obrigou os hospitais a suspenderem diversos tipos de cirurgias e exames e passarem a atender, quase que exclusivamente, os pacientes de Covid-19. No entanto, com o sucesso da vacinação em nosso Estado e a diminuição dos casos dessa doença, podemos retomar a Caravana da Saúde nessa nova formatação, para reconstruirmos a meta inicial, que é a regionalização da Saúde, para a qual temos o aval e total apoio do governador Reinaldo Azambuja”, salientou o secretário.

Inédito no interior

Por meio de contrato com o governo do Estado na nova Caravana da Saúde, o Hospital da SIAS está apto a realizar os seguintes procedimentos: cirurgia de vesícula por vídeo, hérnias, cirurgias de remoção de útero, cirurgias de varizes, urológicas e oftalmológicas

Além destes, o destaque é para as cirurgias de retina, um procedimento inédito para o interior de Mato Grosso do Sul, uma vez que o mesmo era realizado apenas na capital do Estado.

“Graças ao governo do Estado, hoje a SIAS escreve mais um capítulo de sua história e torna-se o primeiro hospital do interior, a realizar cirurgia de retina”, comemora a diretora-administrativa da unidade, Rosa Conceição da Costa.

O compromisso da instituição é realizar, no período de vigência do contrato, 2.412 procedimentos, sendo 201 procedimentos cirúrgicos ao mês, contemplando todos os municípios do Estado, por meio do Sistema de Regulação Estadual (CORE).

No ato de lançamento oficial da Caravana da Saúde em Fátima do Sul, o secretário Geraldo Resende foi recepcionado também pelo presidente do Conselho Deliberativo do Hospital, Adair Luiz Antoniete e demais conselheiros, pela diretora-administrativa Rosa Conceição da Costa, acompanhado da prefeita anfitriã, Hilda Machado e dos prefeitos Boquinha (Angélica); Valdir Sartor (Deodápolis); Aldenir Barbosa do Nascimento, o Guga (Novo Horizonte do Sul); e  Marquinhos do Dedé (Vicentina), além do deputado estadual Londres Machados, secretários municipais de saúde, vereadores, diretores do Hospital da SIAS, entre outras lideranças.

“Agradecemos ao secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, que juntamente com o governador do Estado, Reinaldo Azambuja, lançam este projeto, que permite atender tantas pessoas que aguardavam há anos pelos procedimentos cirúrgicos, e também aos profissionais de saúde que diante deste grande projeto, poderão se manter no mercado de trabalho e usufruir das estruturas que por conta da pandemia foram disponibilizadas para atender pacientes com Covid, mas que agora os leitos já estão sendo ocupados por pacientes cirúrgicos”, finalizou Rosa Conceição.

Uma pesquisa encomendada pelo Instituto Brasileiro do Fígado (Ibrafig) ao Datafolha mostrou que 55% dos brasileiros com mais de 18 anos de idade consomem bebidas alcoólicas, sendo que 32%, ou seja, um em cada três indivíduos, consomem semanalmente. Desses, 44% consomem mais de três doses por dia ou ocasião e nesse grupo 11% consomem acima de dez doses por dia. A dose padrão à qual a pesquisa se refere é a de 14 g de álcool puro, o que corresponde a 45 ml de destilado, ou 150 ml de vinho ou a uma lata de cerveja.

Realizado em setembro, o levantamento revelou ainda que entre aqueles que afirmam consumir de uma a duas doses de álcool por dia ou ocasião, as mulheres (42%) consomem mais do que homens (32%) e mais do que a média nacional (37%), assim como pessoas acima de 60 anos de idade (52%). Segundo a pesquisa, à medida que aumenta o consumo por dia, diminui a faixa etária, sendo de 10% e 12% entre pessoas de 18 a 59 anos de idade, contra 5% entre os maiores de 60 anos de idade.

Entre os brasileiros que consomem três ou mais doses de bebida por vez, 44% são homens, percentual que sobe para 49% entre os homens nas classes AB. A maioria dos entrevistados acredita que o consumo frequente de álcool lidera o ranking de causa tanto do câncer de fígado quanto da cirrose, mas a maioria (56%) negligencia sua saúde quando afirma nunca ter feito exame para avaliar dano do fígado relacionado ao consumo de álcool.

De acordo com o presidente do Instituto Brasileiro do Fígado, Paulo Bittencourt, não existe limite de segurança para o consumo, já que a sensibilidade ao álcool é individual. Entretanto, de modo geral, para pessoas sem doença hepática, o consumo moderado, que é de 14 doses para homens por semana, ou sete doses para mulheres por semana, pode ser considerado seguro. Para aqueles que têm algum tipo de doença ou gordura no fígado o indicado é não consumir.

“Mesmo aquelas pessoas que bebem apenas aos finais de semana, conhecidos como bebedores sociais, têm risco duas vezes maior de cirrose, quando seguem o padrão de consumo caracterizado pela OMS [Organização Mundial da Saúde] como bebedor pesado episódico (BPE), isto é, mais de quatro e cinco doses de álcool por ocasião, respectivamente para mulheres e homens”, diz o instituto.

Segundo o instituto, apesar dos riscos, a maioria das pessoas que consome bebidas alcoólicas não desenvolverá cirrose e câncer de fígado, porque para isso, além do uso abusivo do álcool existe susceptibilidade individual, fatores genéticos e ambientais, tais como doença hepática subjacente, obesidade e diabetes que aumentam o risco de dano hepático pelo álcool.

Paulo Bittencourt alertou ainda para o fato de que o excesso de consumo de bebida alcoólica, ou a popularmente conhecida como ressaca, não pode ser contrabalançado com chás, produtos rotulados como detox ou medicamentos chamados hepatoprotetores, porque essas medicações não oferecem proteção ao fígado contra os efeitos nocivos do álcool.

“A recomendação é pelo consumo moderado e consciente, dentro dos padrões considerados como mais seguros, para quem não tem doença hepática. Entretanto, para quem passou ocasionalmente do limite, é importante compensar o uso abusivo com abstinência de álcool nos dias subsequentes, beber bastante líquido e se alimentar de forma adequada. O uso de analgésicos pode potencializar seus efeitos hepatotóxicos associado ao uso de álcool”, explicou o especialista.

Para diagnosticar a saúde do fígado, o recomendado é que sejam feitos exames de avaliação de enzimas hepáticas (sangue) disponíveis nas redes pública e privada em todos os indivíduos que façam consumo abusivo de álcool, mesmo aqueles com padrão de bebedor pesado episódico. 

A prefeitura do Rio cancelou a festa de Réveillon na Praia de Copacabana. O anúncio foi feito pelo prefeito Eduardo Paes diante da recomendação preliminar do comitê científico do estado, de suspensão do evento na forma clássica, para evitar as aglomerações na orla. O comitê da prefeitura tem entendimento diferente e concordava com a realização da tradicional festa da virada do ano. Segundo o prefeito, como havia divergências, ele optou pela mais restritiva e por respeito à ciência.

“Respeitamos a ciência. Como são opiniões divergentes entre comitês científicos, vamos sempre ficar com a mais restritiva. O comitê da prefeitura diz que pode, o do estado diz que não. Então não pode. Vamos cancelar, dessa forma, a celebração oficial do Réveillon do Rio”, postou Paes em seu perfil no Twitter.

“Se é esse o comando do estado (não era isso o que vinha me dizendo o governador), vamos acatar. Espero poder estar em Copacabana, abraçando a todos na passagem de 2022 para 2023. Vai fazer falta, mas o importante é que sigamos vacinando e salvando vidas”, comentou em outra mensagem.

Paes se reuniu hoje (4) com o secretariado no Centro de Convenções Sulamérica, na Cidade Nova, região central do Rio. Em coletiva após a reunião, o prefeito disse que tomou a decisão com tristeza. “Estou muito triste, pessoalmente e como prefeito. Acho que a celebração do Réveillon no Rio é uma das festas mais incríveis. É uma celebração incomparável, que mistura gente, mistura credos, em que as pessoas se abraçam. Não tem nada mais anticarioca do que essa porcaria da covid. O Rio é a cidade da celebração, do abraço, do espaço público, do encontro, mas nós vamos resistir bravamente. Nós vamos prevalecer, e o Rio continua aqui lindo e maravilhoso”, comentou.

O prefeito afirmou que até aquele momento só tinha visto as restrições à realização da festa, mas que se houver mais decisões restritivas, o município vai acatar. “Se puserem mais medidas restritivas, a gente acata. Eu vi, na decisão do comitê científico do estado, a decisão em relação à festa do Réveillon. Não houve nenhuma outra recomendação. Não sou eu que vou decidir. Se houver outra recomendação, a gente segue”.

Paes contou que tinha o limite, até o fim da primeira quinzena deste mês, para a prefeitura tomar a decisão se iria manter ou não a celebração em Copacabana e, enquanto isso estava sendo feito, havia o planejamento, porque para ocorrer um evento desse porte é preciso ter uma série de medidas que não podem ser tomadas de uma hora para outra. “A gente planeja muito para fazer um evento dessa dimensão e dessa proporção”.

O prefeito disse que foi surpreendido pela recomendação, embora mantenha contatos frequentes com o governador do Rio, Cláudio Castro, que, segundo ele, tem dado apoio ao município. Mas no caso de comitês científicos, nem ele, nem o governador têm ingerência. “Não é uma opinião minha. Eu gostaria que tivesse a festa, que pudesse ter a celebração, mas não vou ficar aqui palpitando. Isso não é achismo. O gestor político acompanha as decisões da ciência. Esse é o nosso papel”, afirmou.

“Comitê científico é comitê científico. Nem eu mando no meu, nem o Cláudio Castro manda no dele”

Sobre o carnaval, o prefeito disse que ainda faltam quase três meses, mas se houver uma recomendação da ciência de suspensão, a prefeitura vai seguir. “Eu sigo a ciência sempre, e essas coisas têm que estar muito claras. Tomara que não precise cancelar o carnaval, não só pela importância da festa e da celebração para a cultura do país, mas pela importância econômica para a cidade do Rio e para todo o Brasil”, completou.

O presidente do Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município - Hotéis Rio, Alfredo Lopes, lamentou a decisão de cancelamento da festa, mas concordou que se a recomendação é científica precisa ser acatada. “A hotelaria esperava chegar a 100% de ocupação. Mas entendemos, já que é uma recomendação do Comitê Científico, então precisamos acatar. Ano passado já não teve Réveillon e chegamos a 80% de ocupação. Vamos torcer para que as reservas se mantenham e vamos em frente para que no ano que vem a gente possa ter um Réveillon espetacular", completou.

O governador do Rio, Cláudio Castro, disse, em seu perfil no Twitter,que vai se reunir quarta-feira (8) com o prefeito Eduardo Paes para discutir uma decisão final sobre a realização do Réveillon em Copacabana. "Falei há pouco com o prefeito Eduardo Paes e decidimos, juntos, que faremos uma reunião na próxima semana para uma decisão final sobre a festa. Participarão desse encontro técnicos da saúde do estado e do município", informou Castro.

O presidente da Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ), Antonio Florencio de Queiroz Júnior, disse que apesar dos reflexos econômicos provocados pela suspensão, a decisão foi acertada. “Embora o impacto econômico imediato seja inegável, temos a convicção de estarmos plantando a segurança de curto e médio prazo. A capacidade de avaliar essa situação pela ótica científica nos traz a tranquilidade de medidas equilibradas. O comércio apoia a medida e daremos imediatamente início a uma campanha esclarecendo o âmbito e a abrangência, além das recomendações de segurança”, afirmou.

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.434 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (4) no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo. Com isso, o prêmio acumulou e, para o próximo sorteio, está estimado em R$ 37 milhões.

Veja as dezenas sorteadas: 01 - 02 - 14 - 28 - 40 - 51.

A quina teve 37 apostas ganhadoras; cada uma receberá R$ 75.710, 54. A quadra teve 3.663 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 1.092,50.

O próximo concurso (2.435) será na próxima quarta-feira (7).

O Ministério da Saúde está oferecendo mais de 21,5 mil vagas no Programa Médicos pelo Brasil. Eles poderão atuar em 5.233 municípios brasileiros, ou seja, quase 94% do país. A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União nessa sexta-feira (3). O objetivo é reforçar o Sistema Único de Saúde (SUS).

O programa vai substituir gradativamente o Projeto Mais Médicos para o Brasil na Atenção Primária à Saúde (APS). São oferecidos aos médicos selecionados para o programa a formação em medicina de família e comunidade, avaliação de desempenho, possibilidade de contratação por meio do regime CLT, a progressão de carreira (para diminuir a rotatividade) e gratificação para atuar em áreas remotas e de saúde indígena.

Os gestores de saúde dos municípios elegíveis devem fazer a adesão ao Médicos pelo Brasil, cujo edital deve ser publicado segunda-feira (6). O edital do processo seletivo para médicos também será publicado neste mês.

"A recomendação é que os gestores não percam a oportunidade de levar saúde e a presença de médicos qualificados para atender com dignidade o cidadão”, disse o secretário de Atenção Primária da pasta, Raphael Câmara. Ele preside o Conselho Deliberativo da Agência de Desenvolvimento da Atenção Primária à Saúde (Adaps), responsável por executar o novo programa.

Os munícipios foram escolhidos levando em consideração a alta vulnerabilidade e o fato de vários estarem em áreas rurais remotas. 

O Médicos pelo Brasil foi lançado em 2019 com o objetivo de estruturar a carreira médica federal para locais com dificuldade de provimento e alta vulnerabilidade. O orçamento previsto para execução no primeiro ano de trabalho é de R$ 1,2 bilhão.

O ministro da economia, Paulo Guedes, reconheceu que a subida dos juros para combater a inflação vai provocar uma desaceleração na economia no ano que vem. Para ele, o resultado será o melhor possível a ser feito, e a política econômica está seguindo o caminho correto.

“A Faria Lima e os banqueiros estão prevendo um crescimento menor. É natural. No ângulo de visão de financistas, é claro que vai haver uma desaceleração forte, porque os juros estão subindo. A inflação subiu, de novo estamos fazendo a coisa certa. O importante não é a previsão. O importante é fazer a coisa certa. O resultado será o melhor possível. Quando previram que o Brasil ia cair 10 [%], eu apenas descredenciei a previsão de 10. Eu não disse quanto ia cair. Aí surgiu uma guerra de fatos. Eu acreditava em recuperação em V. Não disse em quanto tempo e aconteceu até mais rápido do que eu esperava. Em compensação, veio acompanhada do componente inflacionário”, disse, ao participar nessa sexta-feira (3) do Encontro Anual da Indústria Química.

Em contrapartida ao efeito dos juros, Guedes conta com o avanço da taxa de investimentos, que vem registrando evolução e pode chegar em 2022 a 20% do Produto Interno Bruto (PIB). Para o ministro, o crescimento do Brasil é inevitável e o país está recuperando sua economia de forma sustentável. Segundo ele, a economia passa por uma fase de recuperação cíclica em forma de V, que é quando registra recuo seguido de ascensão, baseada em transferência de renda e agora passa para a etapa do aumento dos investimentos. “É um número importante. Estamos subindo a nossa taxa de investimentos", afirmou.

O ministro acrescentou que não vai fazer projeções do crescimento do PIB para 2022 . “Eu não estou prevendo quanto vai ser o crescimento do ano que vem. Eu estou tentando de novo colocar um certo ceticismo nessas previsões, que foram de queda de 10%, de depressão, de desemprego em massa. Estou tentando justamente inspirar uma volta à normalidade da economia brasileira e até transcender esse estado, questionando essas previsões do PIB e de crescimento zero. É verdade que a subida de juros para combater a inflação desacelera o crescimento, mas também é verdade que uma taxa de investimento de 20% do PIB é um sinal de bom crescimento à frente”, observou.

360x310 (2) Imobiliaria
360x310 (3) Comercial Oshiro
Publicidade