Dourados-MS,
Audiencia Reforma - Camara

Grid List

Foto - ASSECOM 3º BPM

Dourados

Após denúncia, uma das equipes da Força Tática do 3º BPM acabaram detendo na noite dessa segunda três adolescentes de 13, 14 e 16 anos, que estariam comercializando drogas.

Conforme boletim de ocorrência, o denunciante, morador no Jardim Florida teria encontrado várias porções de maconha no guarda-roupas do filho, um adolescente de 16 anos. Foram apreendidos no local 450 gramas de maconha em tabletes e mais 27 trouxinhas da droga prontas para a venda.

O acusado confessou estar comercializando as porções de droga por 10 reais e que agia em conjunto com outros dois adolescentes, sendo encontrado na casa da avó do adolescente de 13 anos, localizada na Vila Popular, um tablete de 230 gramas de maconha.

O outro adolescente de 14 anos, que estaria também estaria envolvido na posse da droga, foi localizado na casa da avó na Vila Industrial.

Os acusados foram encaminhados a DEPAC pelo ato infracional de tráfico de drogas, onde foram ouvidos e liberados.

 

 

 

Promotores comparam ala reformada onde Luiz Estevão cumpre pena (esquerda) e outro ambiente da mesma unidade (Foto: Ministério Público do DF/Divulgação)

Policia

A Polícia Civil do Distrito Federal fez buscas, no domingo (17), na cela que abriga o ex-senador Luiz Estevão e o ex-ministro da Articulação Política do governo Michel Temer, Geddel Vieira Lima (MDB-BA). Os dois dividem um alojamento com outros presos no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Segundo a polícia, as buscas foram autorizadas pela Justiça e motivadas pela denúncia, feita por um detento, de que os políticos estariam recebendo “regalias” na prisão. Barras de chocolate, anotações que seriam de Geddel e pelo menos cinco pendrives – supostamente, de Luiz Estevão – foram apreendidos.

O advogado de Geddel Vieira Lima disse que “estranha, mais uma vez, a defesa técnica não saber da operação antes da imprensa”. A defesa de Luiz Estevão também disse desconhecer as buscas, e não quis se pronunciar.

De acordo com a Polícia Civil, durante as buscas, Estevão tentou se livrar de um pendrive jogando o dispositivo na privada. O aparelho foi recuperado e passará por perícia.

Além do conteúdo dos itens apreendidos, os investigadores querem descobrir quem facilitou a entrada dos alimentos e das mídias.

A ação foi realizada pela Coordenação de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado da Polícia Civil do DF e pela Promotoria de Execução Penal do Ministério Público do DF. Até a noite deste domingo, nenhum dos órgãos tinha detalhado as possíveis medidas a serem tomadas com base no material encontrado. 

Geddel chega ao aeroporto de Brasília (Foto: ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO)
Geddel chega ao aeroporto de Brasília (Foto: ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO)  
Regalias 

A suspeita de regalias na cela ocupada por Luiz Estevão não é inédita. Em março de 2017, uma inspeção encontrou itens proibidos nas dependências compartilhadas pelo ex-senador. A lista incluía chocolate, cafeteira elétrica, cápsulas de café e até macarrão importado. 

  • Diretor de presídio é exonerado após denúncia de regalias para ex-senador Luiz Estevão 

O político também é acusado pelo MP do DF de financiar a reforma do bloco onde cumpre pena no Complexo da Papuda. Pelo menos três ex-gestores da Papuda também são listados no processo por, supostamente, terem sido coniventes com o empreendimento.

Considerada "luxuosa" em comparação ao restante da unidade, a ala de vulneráveis ocupada por Estevão (e Geddel, desde setembro) tem sanitário e pia de louça, chuveiro, cortina, tapete, cerâmica e paredes pintadas. 

Promotores comparam ala reformada onde Luiz Estevão cumpre pena (esquerda) e outro ambiente da mesma unidade (Foto: Ministério Público do DF/Divulgação)
Promotores comparam ala reformada onde Luiz Estevão cumpre pena (esquerda) e outro ambiente da mesma unidade (Foto: Ministério Público do DF/Divulgação) 
As prisões 

Geddel Vieira Lima foi denunciado na operação Cui Bono e está preso em Brasília desde setembro – antes, ele passou três meses em prisão domiciliar na Bahia. Durante a investigação, a Polícia Federal descobriu R$ 51 milhões em malas e caixas em um apartamento atribuído a ele, em Salvador (BA).

Geddel foi indiciado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução de investigação. Ele está em prisão preventiva, e ainda aguarda julgamento. 

Já o ex-senador pelo DF Luiz Estevão foi condenado a 26 anos de prisão por fraudes e desvios nas obras do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. Essa sentença já transitou em julgado, ou seja, não pode ser alvo de novos recursos.

Em março, a Justiça ampliou essa pena em dois anos pelo crime de sonegação fiscal. A defesa recorre dessa sentença, e diz que o processo já prescreveu – ou seja, perdeu a validade.

Tanto Geddel quanto Estevão cumprem pena no Centro de Detenção Provisória (CDP), no complexo da Papuda. Além dos presos provisórios, o CDP tem ala reservada para ex-policiais e detentos com direito a cela especial.

 

G1 DF

Foto - Cido Costa

Dourados

Um motociclista identificado como Éderson Benitez, de 36 anos, morreu na tarde deste domingo (17) depois de bater com a moto que pilotava na mureta de proteção da avenida Guaicurus, na saída para o Aeroporto em Dourados.

A vítima pilotava uma Suzuki Intruder azul, com placa HTP 9043, quando perdeu o controle da direção e bateu contra a mureta. Com a batida, ele foi jogado no asfalto e morreu na hora. Éderson era morador no bairro Altos da Lagoa, na proximidade de onde o acidente aconteceu.

A Polícia Militar Estadual esteve no local e acionou a Perícia Técnica da Polícia Civil.

 

MS em Foco

Foto - A Gazeta News

Outras Cidades

Homem, que não teve a identidade divulgada pela polícia, foi executado na manhã deste domingo (17), em Paranhos. A vítima havia acabado de sair da delegacia, onde prestou depoimento sobre atentado contra o prefeito da cidade Dirceu Bettoni (PSDB). 

Na noite do dia 14 de junho, Dirceu estava em sua caminhonete e, ao chegar em casa, foi surpreendido por criminosos e atingido por três tiros. Suspeitos fugiram sem roubar nada, mas acabaram presos ontem a noite.

De acordo com a Polícia Civil, o homem foi executado a tiros, a duas quadras de distância da delegacia. Testemunhas informaram que os suspeitos estavam num veículo branco e já passaram atirando.

Policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) já estavam na cidade investigando atentado contra o prefeito Dirceu Bettoni e agora apuram a execução.

PRISÃO

Casal suspeito de atentado contra o prefeito foi preso na noite de ontem (16), três dias após o crime, quando tentava fugir para Campo Grande. Eles foram encontrados na BR-163, em Rio Brilhante.
Eles foram capturados pelo Garras e identificados como Gabriel Queiroz, 26 anos, que disparou contra o prefeito e a mulher, Djuly Priscilla Couto, 28 anos.

Segundo informações do delegado Fábio Peró, no dia do crime, Gabriel pilotou uma motocicleta e a abandonou em certo local da cidade. Depois, ele entrou em um carro Gol conduzido pela esposa e ambos estavam fugindo para Campo Grande.

O delegado relata que a polícia chegou até o casal pela moto abandonada. “Descobrimos essa moto e soubemos o carro em que eles estariam. Saímos em diligência com o intuito de encontrarmos com eles na estrada, foi quando abordamos o casal na rodovia BR-163 vindo para Campo Grande”, relata.

Os policiais abordaram o carro conduzido por Djuly. O suspeito tem várias passagens policiais, inclusive por disparo de arma de fogo. Ele relatou ter recebido R$ 20 mil para executar o crime.

O casal foi encaminhado para a delegacia de Polícia Civil de Paranhos. A motivação e o mandante do crime ainda não serão divulgados pela polícia para não atrapalhar a investigação, conforme Peró.

 

 

Correio do Estado

Materiais apreendidos dentro da agência bancária - Foto: Divulgação/ Bope

Outras Cidades

Quadrilha invadiu uma agência do Banco do Brasil na noite de ontem (16), em Terenos. O caso aconteceu a 200 metros da delegacia de Polícia Civil da cidade. Quatro criminosos foram presos e um morreu, depois de trocar tiros com militares.

De acordo com a Polícia Civil, duas pessoas foram vistas em atitude suspeita dentro do banco. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi chamado e quando chegou ao local, flagrou os bandidos em meio a ação.

A polícia conseguiu prender dois criminosos que estavam do lado de fora da agência, dando cobertura aos demais. No entanto, um deles conseguiu avisar os outros sobre a presença dos policiais na cidade e os que estavam dentro da agência conseguiram fugir.

De acordo com a polícia, seis criminosos participaram da ação, mas só quatro foram presos sendo eles:  Adventor Brune Brandão, 46 anos, Denilson Moraes de Oliveira, 22 anos, Marilene Gonçalves da Silva, 44 anos, Daniela Regina de Oliveira, 33 anos. Thiago Velasques de Souza, 31 anos, morreu em meio a troca de tiros.

Ainda conforme a polícia civil, a quadrilha era de Campo Grande e pretendia usar explosivos para chegar até o cofre da agência. Diversos materiais foram apreendidos no local e policiais do Bope continuam na cidade em busca de outros suspeitos.

 

 

Correio do Estado

Luciano Flores de Lima, superintendente da PF em Mato Grosso do Sul. - Foto: Foto: Bruno Henrique

Campo Grande

A Polícia Federal mira a cúpula do consórcio de contrabandistas de cigarro que age a partir da fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai, despachando carregamentos para todo o país. Ontem, a corporação prendeu nove contrabandistas e apreendeu 11 carretas lotadas na região de Ivinhema, com carga total avaliada em aproximadamente R$ 33 milhões.

Durante coletiva de imprensa na tarde deste sábado, Luciano Flores de Lima, superintendente da PF no Estado, afirmou que a partir desta ação, serão levantadas informações que possam levar ao chefe do esquema. Os motoristas serão interrogados em buscas de dados sobre quem são os donos dos carregamentos. Não é descartada ligação com policiais investigados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual, no âmbito da Operação Oiketicus.

O sistema de consórcio é adotado por contrabandistas a fim de diminuir os custos operacionais com a logística de transporte, e também minimizar prejuízos em casos de apreensão. Tal prática é usada com frequência pelos traficantes, e agora passa a ser adotada também pelos cigarreiros que, segundo a PF, buscam novos meios de se prevalecer.

Conforme apurado, desde que facções passaram a dominar o tráfico de armas e drogas na fronteira com o Paraguai, aliados de Jorge Rafaat Toumani, executado em ação de guerra no ano de 2016, passaram a investir no contrabando de cigarro. Tal medida é refletida no número de apreensões que cresce dia a pós dia em Mato Grosso do Sul.

APREENSÃO

Segundo o superintendente, duas policiais perceberam movimentação estranha de quatro carretas na MS-141, ontem, e acionaram a PF em Naviraí. A via foi fechada e, durante abordagem, foram apreendidas 11 carretas, cada uma carregada com aproximadamente 1 milhão de maços de cigarro contrabandeado. Dois dos motoristas conseguiram fugiram, mas os demais foram presos e encaminhados à Delegacia da PF.

 

Correio do Estado

Foto - FIVB

Vôlei

Após duas derrotas consecutivas por 3 sets a 0, o Brasil entrou em quadra neste domingo em Varna, na Bulgária, em jogo válido pela quarta semana da Liga das Nações masculina de voleibol, para encarar os donos da casa. O confronto foi uma verdadeira batalha. Depois de um empate em 2 a 2, a partida foi para o tie-break. Melhor para os búlgaros, que venceram por 3 a 2, parciais de 25/22, 19/25, 25/15, 18/25 e 15/12, fazendo a seleção brasileira amargar sua quarta derrota no campeonato.

 
Brasileiros sobem para bloqueio contra búlgaros (Foto: FIVB)
Brasileiros sobem para bloqueio contra búlgaros (Foto: FIVB)

Os brasileiros venceram Sérvia, Alemanha, Coreia do Sul, Japão, Estados Unidos, Rússia, Irã e China. E foram superados pela Itália, Canadá, França e agora Bulgária.

Os duelos da quinta semana do Brasil vão acontecer em Melbourne, na Austrália. O primeiro confronto será contra os australianos, no dia 22 de junho, às 8h10. O segundo será diante da Polônia, em 23/06, às 7h10. No dia seguinte, a equipe pegará a Argentina, às 23h10. 

O jogo 

O jogo começou bem parelho. As duas seleções disputavam ponto a ponto. O "cardápio" era diversificado: ace búlgaro, bloqueio duplo do Brasil, bomba de 106km/h dos europeus e, claro, alguns erros tanto para a seleção verde e amarela quanto para a equipe do Velho Continente. Os búlgaros demonstravam um pouco mais de superioridade, preocupando Renan. No finzinho da parcial, as boas jogadas de Wallace voltaram a deixar o duelo disputado, mas os mandantes acabaram fechando em 25 a 22 em 31 minutos. 

Brasil x Bulgária pela Liga das Nações de Vôlei Masculino (Foto: FIVB)
Brasil x Bulgária pela Liga das Nações de Vôlei Masculino (Foto: FIVB) 

Mais uma vez, agora na segunda parcial, o jogo iniciou bem equilibrado. Mauricio deixou a seleção brasileira na frente, mas um erro de Wallace igualou tudo em 9 a 9. Depois, ele se redimiu e virou. Yordanov fez o 10º da Bulgária. O time de Dal Zotto abriu dois - 16 a 14 - quando seu bloqueio duplo, o quarto brasuca no jogo, funcionou. Com força, Wallace ampliou. Aos poucos, a equipe visitante foi dominando e, dessa forma, fechou em 25 a 19 com ponto de Douglas Souza explorando bloqueio búlgaro.

Na terceira parcial, muitas falhas brasileiras ajudavam a Bulgária. Um erro de Murilo em particular chamou a atenção. Após falha da defesa, ele precisou passar de toque, mas mandou a bola para fora. Renan ficou irritado. O time búlgaro abriu quatro pontos: 6 a 2. O ritmo seguiu o mesmo, e os búlgaros abriram 13 a 7, maior diferença do jogo até então, fazendo o técnico brasuca pedir tempo. A conversa não adiantou, e os europeus fecharam tranquilamente por 25 a 15. 

Brasil x Bulgária em ação neste domingo (Foto: FIVB)
Brasil x Bulgária em ação neste domingo (Foto: FIVB)

O Brasil voltou muito melhor no quarto set. Jogadores como Lucão, que estavam apagados nas outras parciais, passaram a funcionar. Dessa forma, a seleção chegou à vitória no set por 25 a 18, levando para o tie-break. Mais uma vez, jogo lá e cá, ponto a ponto disputado. Isac sobressaía pela seleção brasileira, mas os búlgaros eram levemente superiores. Um bom ataque de Penchev levou para o primeiro match point, com 14 a 11. Alan evitou na rede, mas Semenov fechou o jogo pelo meio: 15 a 12.  

Confira o desempenho do Brasil na Liga das Nações 

1ª semana - jogos em Kraljevo, na Sérvia
25.05 – Brasil 3 x 0 Sérvia (25/22, 25/22 e 26/24)
26.05 – Brasil 2 x 3 Itália (25/18, 19/25, 21/25, 26/24 e 8/15)
27.05 – Brasil 3 x 0 Alemanha (26/24, 25/23 e 26/24)

 

2ª semana - jogos em Goiânia, no Brasil
01.06 – Brasil 3 x 0 Coreia do Sul (25/21, 25/19 e 25/19)
02.06 – Brasil 3 x 0 Japão (26/24, 25/19 e 25/20)
03.06 – Brasil 3 x 2 Estados Unidos (21/25, 20/25, 25/19, 25/20 e 20/18)

 

3ª semana - jogos em Ufa, na Rússia
08.06 – Brasil 3 x 1 Rússia (25/21, 25/20, 25/27 e 25/18)
09.06 – Brasil 3 x 2 Irã (25/17, 23/25, 25/19, 21/25 e 15/13)
10.06 – Brasil 3 x 0 China (25/20, 25/19 e 27/25)

 

4ª semana - jogos em Varna, na Bulgária
15.06 – Brasil 0 x 3 Canadá (22/25, 32/34 e 22/25)
16.06 – Brasil 0 x 3 França (19/25, 23/25 e 23/25)
17.06 – Brasil 2 x 3 Bulgária (22/25, 25/19, 15/25, 25/18 e 12/15)

 

5ª semana - jogos em Melbourne, na Austrália
22.06 - 8h10 - Austrália x Brasil 
23.06 - 7h10 - Brasil x Polônia
24.06 - 23h10 - Brasil x Argentina

Federer festeja o 98º troféu na carreira | AFP

Tênis

Roger Federer celebrou a volta ao topo do ranking com mais um troféu, o 98º da carreira, o 18º na grama. Na final do ATP 250 de Stuttgart, neste domingo, o suíço bateu o canadense Milos Raonic, por 6//4 e 7/6 (7/3).

- Estou feliz, penso que fiz uma boa final. Acho que fui muito bem em todo o torneio, após não ter jogado por um tempo. Foi um grande retorno para mim - festejou o primeiro suíço a vencer o torneio. Federer não jogava desde o Masters 1000 de Miami, em março, quando caiu na estreia. Desde então, optou por não jogar a temporada de saibro, como fizera nos últimos anos.

- Talvez eu tenha jogado melhor nos  pontos mais importantes. É claro que estou feliz por, finalmente, vencer em Stuttgart - acrescentou o número 1 do mundo.

O recordista de títulos de Grand Slam (20), aos 36 anos, garantira o retorno ao topo na véspera, quando superou o australiano Nick Kyrgios nas semifinais. Nas próximas semanas, no entanto, o suíço, eliminado na estreia ano passado em Stuttgart, não terá mais como somar pontos, já que defenderá os títulos no ATP 500 de Halle, também na Alemanha, e em Wimbledon.

No próximo torneio alemão, o suíço já sabe até quem enfrentará na estreia: o esloveno Aljas Bedene.

Abel Braga não é mais o técnico do Fluminense. Neste sábado (16), o ex-comandante da equipe pediu demissão após conversa com o presidente do clube carioca, Pedro Abad, e deixa a partir de agora a direção técnica do Tricolor das Laranjeiras.

“Certamente é uma perda muito grande para o Fluminense. Abel estava conosco desde o início da gestão. Mas entendeu que era o momento de encerrar este ciclo. Respeitamos a decisão dele e já estamos em busca de uma reposição à altura para o carro-chefe do nosso clube”, lamentou Abad em nota oficial no site do Fluminense.

Abelão, como é conhecido, é tido como um dos principais alvos para dirigir outras equipes brasileiras, como o Santos e o Corinthians, que têm Jair Ventura e Osmar Loss, respectivamente, na corda bamba.

Com isso, Abel encerra sua terceira passagem pelo comando técnico do Flu. Os cariocas saíram-se derrotados nas últimas quatro partidas do Campeonato Brasileiro (Paraná, Flamengo, Atlético-MG e Santos) e não sabem o que é vitória na competição desde o 3 a 1 para cima da Chapecoense.

Após o revés para os santistas, o técnico fez um pedido aberto à diretoria do seu agora ex-clube, cobrando a vinda de reforços. “Não digo que o nosso grupo não tem qualidade, não é isso. Mas está faltando peças de reposição. Quando o grupo estava completo as coisas estavam funcionando dentro de campo. Neste momento estão faltando peças. É um momento oportuno. Para deixar algumas coisas e atitudes extremamente corretas de lado para ir buscar mais jogador”, afirmou à época.

O Corinthians foi mais uma vez o pior dentre duas equipes em campo na noite desta quarta-feira, contra o Bahia, na Fonte Nova. Dominado do primeiro ao último minuto por uma equipe que ocupava a 18ª colocação do Campeonato Brasileiro antes do início da partida, o Timão ainda sofreu um gol já aos 45 minutos do segundo tempo, marcado pelo chileno Mena.

O resultado completa o início muito ruim de trabalho do técnico Osmar Loss no cargo, com apenas uma vitórias, dois empates e quatro derrotas desde a saída do técnico Fábio Carille. Com 16 pontos, o Timão está mais próximo da zona de rebaixamento, que se inicia justamente no Bahia, com 12, do que dos quatro primeiros colocados (Internacional, com 22).

Os dois times agora terão uma pausa de mais de um mês nos jogos oficiais até a retomada do Campeonato Brasileiro. Depois da disputa da Copa do Mundo, o Alvinegro volta as suas atenções ao torneio no dia 18 de julho, contra o Botafogo, na Arena. Antes, no entanto, os comandados de Osmar Loss disputam amistosos contra o Cruzeiro, nos dias 4 e 11, frente ao Grêmio, no dia 8. Os baianos, por sua vez, jogam no dia 19 do mês que vem contra a Chape.

Bahia domina e perde chances

O primeiro tempo mostrou os donos da casa com um ritmo alucinante para um apático Corinthians sempre dobrando a marcação e roubando a bola no campo de ataque. A primeira oportunidade veio com o centroavante Kayke, que aproveitou vacilo de Sidcley e Pedro Henrique, antecipou-se na primeira trave e testou forte, levando bastante perigo ao gol de Walter.

O goleiro, que reclamou bastante do estado do gramado na sua pequena área, quase falhou clamorosamente em lance pouco depois, quando deixou bola espirrada passar por si. A redonda só não entrou porque Pedro Henrique afastou em cima da linha. Na sequência, Régis tentou o chute rasteiro da entrada da área, mas o arqueiro conseguiu segurar a firme.

Inoperante, principalmente com a dificuldade de Rodriguinho em ficar com a bola, o Alvinegro teve apenas uma boa chance para marcar, quando Roger ganhou pelo alto da defesa e raspou na bola, mas mandou ao lado da trave. Ainda antes do intervalo, o Bahia teve outra boa chance com Kayke, batendo falta, mas a bola desviou na barreira e passou por cima do gol.

Prêmio no fim para o melhor time

A dinâmica do jogo não mudou para a etapa final, que mostrou Juninho Capixaba no lugar de Sidcley e Mena na vaga de Elber. O chileno começou a ter suas chances ainda antes dos cinco minutos, quando Capixaba foi desarmado com facilidade por Régis e o meia cruzou forte para o meio da área. O canhoto, quase na pequena área, chutou forte de primeira, mas para fora.

Osmar Loss seguiu sem saber o que fazer para melhorar sua equipe, vendo o Bahia acumular chances desperdiçadas. Régis, Zé Rafael, Kayke e até Allione, que entrou depois, poderiam ter aberto o placar, mas acabaram errando o alvo. Júnior Dutra e Emerson Sheik foram acionados para ajudar no ataque alvinegro, mas o golpe fatal veio do lado baiano.

Depois de Maycon chutar rasteiro e exigir boa defesa de Anderson, que entrara na vaga do machucado Douglas, os baianos continuaram insistindo e foram premiados. Régis tirou a zaga para dançar, ameaçou chutar e criou muito espaço para a chegada de Mena para a esquerda. O chileno, dessa vez, bateu forte, acertou o ângulo de Walter e determinou o placar final.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 1 x 0 CORINTHIANS

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 13 de junho de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Bernardi e José Calza (ambos do RS)
Cartões amarelos: Gregore e Flávio (Bahia); Júnior Dutra (Corinthians)
Gols:
BAHIA: Mena, aos 45 minutos do segundo tempo

BAHIA: Douglas (Anderson); Nino Paraíba, Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Régis, Élber (Mena) e Zé Rafael; Kayke (Allione)
Técnico: Cláudio Prates (interino)

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Pedro Henrique, Henrique e Sidcley (Juninho Capixaba); Gabriel e Maycon; Pedrinho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel (Júnior Dutra); Roger (Emerson Sheik)
Técnico: Osmar Loss

 

Gazeta Esportiva

Roger Guedes marcou um dos gols na vitória da noite desta quarta-feira (Foto: Bruno Cantini / Atlético)

Futebol

O Atlético é capaz de coisas inacreditáveis. Um exemplo? Deixar um simples jogo contra o lanterna do Campeonato Brasileiro emocionante. No último jogo antes da parada para a Copa do Mundo, em confronto na noite desta quarta-feira, no Independência, o Galo venceu o Ceará, por 2 a 1, de virada, com o triunfo conquistado nos últimos 10 minutos de duelo, com gols aos 35, Roger Guedes, e 46, Luan. O resultado mantém a equipe preto e branca na vice-liderança do torneio nacional.

O duelo foi bastante truncado. O Ceará armou uma forte defesa em alguns momentos e dificultou a vida do Galo. A equipe mineira encontrou problemas para furar o bloqueio e viu, no segundo tempo, os visitantes marcarem um tento. Roger Guedes, artilheiro do Campeonato Brasileiro com nove gols, marcou e Luan, nos acréscimos, também balançou as redes dando ao Galo a vitória.

Primeiro tempo

O técnico Thiago Larghi conseguiu repetir a escalação do jogo anterior, contra o Fluminense, quando venceu por 5 a 2. Assim, Luan seguiu no banco para a sequência de Thomas Andrade no meio de campo atleticano.

Os minutos iniciais, porém, foram difíceis para o Atlético. O Ceará tinha um comportamento bastante defensivo, com a primeira linha defensiva com cinco jogadores e a segunda com quatro. Isso era o suficiente para anular as ações de Ricardo Oliveira e Roger Guedes – o segundo em grande fase e artilheiro do Campeonato Brasileiro.

O Atlético tinha amplo domínio do jogo. A posse de bola era inteira do Galo, mas isso não era suficiente, pois a defesa tão fechada não permitia avanços com chances claras para o gol.

A equipe fechada, no entanto, era um estratégia do técnico Lisca. Afinal, após os 15 minutos, o Ceará passou a buscar o jogo. A equipe cearense tentou agredir o Galo, porém, isso gerou resposta.

Ela chegou aos 20, quando o Atlético contou com sua melhor oportunidade no primeiro tempo. Em rápida saída de bola, Patric fez um belo lançamento colocando Cazares na área. O equatoriano dominou a bola, driblou o zagueiro e chutou. O goleiro defendeu e Gustavo Blanco, no rebote, sem goleiro, na pequena área, conseguiu mandar na trave.

O Ceará passou a gostar do jogo. A equipe descia para o ataque atleticano, geralmente com oportunidades que não se mostravam claras, com chutes de longa distância que não levavam perigo algum.

Aos 33, o Ceará conseguiu um ótimo contra-ataque. Após cobrança de escanteio do Galo, Eder Luis ganhou de Patric e pegou a defesa atleticano desarrumada. Ele fez o passe para Samuel Xavier que chutou e a bola pegou na trave esquerda do goleiro Victor.

Segundo tempo

O Ceará fechado do primeiro tempo já não tinha mais. Na etapa complementar a equipe buscava o ataque. Isso abria algum espaço para o Atlético, entretanto, quando o Atlético tinha a bola nos pés desde a defesa, a primeira linha de cinco jogadores era formada.

O torcedor atleticano perdeu a paciência. Nas arquibancadas os gritos pelo nome de Luan aconteceram. O técnico Thiago Larghi atendeu e tirou Cazares – que fez uma partida muito ruim.

O Galo melhorou. No desenho tático da equipe, a saída de bola era feita por Roger Guedes e Luan, que ocuparam a função que Cazares tinha. Thomas Andrade seguia colocado a entrada da área adversária na criação.

Aos 16 o Atlético por pouco não marca seu primeiro gol. Em ótima jogada pela direita, a redonda chegou para Ricardo Oliveira que chutou duas vezes e a defesa tirou em ambas.

Após os 20 minutos o Ceará deixou o jogo de lado. Não aparecia no ataque mais. Somente Eder Luiz tentava alguma coisa, mas sozinho. E foi assim que conseguiu.

Em um dos contra-ataques, quando ninguém acreditou, Eder Luiz, aos 32, conseguiu confundir a defesa atleticana. O volante Yago, do Atlético, vacilou e a bola chegou em Naldo. Ele chutou e bateu Victor.

A bola saiu novamente. A torcida que já não tinha paciência começou a vaiar alguns jogadores. O Atlético se lançou ao ataque para evitar o pior. E conseguiu. Aos 35, Roger Guedes recebeu a bola na entrada da área e soltou um forte chute para marcar o gol do Galo.

No finalzinho, o Atlético conseguiu a virada. Após passe de Ricardo Oliveira, Luan saiu na cara do gol e marcou o tento.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 1 CEARÁ

Local: Arena Independência, Belo Horizonte (MG)
Data: 13 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

Gols: Naldo, aos 32 do segundo tempo (Ceará); Roger Guedes, aos 35 do segundo tempo, Luan, aos 46 minutos do segundo tempo (Atlético)
Cartões: Fábio Santos (Atlético)

ATLÉTICO-MG: Victor, Patric, Bremer, Gabriel, Fábio Santos, Adilson (Yago), Gustavo Blanco (Elias), Tomás Andrade, Cazares (Luan), Roger Guedes e Ricardo Oliveira.
Técnico: Thiago Larghi.

CEARÁ – Éverson, Rafael Pereira, Thiago Alves, Luiz Otávio, Samuel Xavier (Douglas Coutinho), Jpão Lucas, Naldo, Pio (Arnaldo), Ricardinho, Eder Luis, Felipe Azevedo.
Técnico: Lisca

 

Gazeta Esportiva

O Internacional segue embalado no Campeonato Brasileiro. Em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio, a equipe gaúcha derrotou o Vasco por 3 a 1 e assumiu a quarta colocação com 22 pontos ganhos. O Vasco segue com 15 pontos ganhos e ocupa a 11ª posição na tabela de classificação. Os gols foram marcados por Nico López, Patrick e Victor Cuesta para o Colorado, descontando Andrey para o Vasco.

A vitória foi merecida porque o Internacional foi sempre mais objetivo do que o adversário. E procurou o gol desde os primeiros minutos do jogo, ao contrário do seu adversário. O Vasco entrou em campo com uma formação muito defensiva e só tentou mudar a forma de jogar quando estava perdendo por dois gols de diferença.

O jogo – Embalado pelos últimos resultados, o Inter começou a partida no ataque.empurrando o Vasco para sua linha de defesa. O time carioca, escalado com três volantes, parecia mais preocupado em bloquear os avanços do adversário.

Aos dez minutos, o time da casa marcou o primeiro gol. Depois de tabelar com Lucca, Patrick serviu Nico López que bateu sem dar chances para Fernando Miguel.

Quatro minutos depois, o Colorado quase ampliou. Fernando Damião foi rebater a bola e acabou bloqueado por Leandro Damião, em lance de grande perigo para o gol cruz-maltino, mas a bola saiu.

O time da casa continuava melhor e, aos 24 minutos, a torcida gaúcha pediu a marcação de pênalti quando Leandro Damião caiu na área após dividida com Luiz Gustavo, mas a arbitragem nada marcou.

Mesmo dominado e perdendo o jogo, o time dirigido por Jorginho mantinha a sua postura com três volantes quase não chegavam na intermediária do adversário.

Só aos 27 minutos é que o Vasco chegou na área em cobrança de falta executada por Andrey. Marcelo Lomba defendeu sem dificuldades.

Aos 30 minutos, o Inter teve chances de ampliar o marcador. Nico López fez bom lançamento para Pottker que chutou com muito perigo para o gol defendido por Fernando Miguel, mas a bola saiu.

A equipe comandada por Jorginho tentou assumir uma postura mais ofensiva, mas com apenas Rios na frente, ficava difícil penetrar na zaga colorada.

Aos 42 minutos, Pikachu se jogou na entrada da área gaúcha e o árbitro marcou falta. O próprio Pikachu bateu e Marcelo Lomba defendeu parcialmente. A zaga aliviou o perigo.

O Inter ampliou aos 44 minutos. Após cobrança de escanteio, Damião escorou e Patrick completou para as redes.
Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Nico López cruzou fechado e a bola bateu no travessão. Como o Vasco nao conseguia encontrar espaços no ataque, o técnico Jorginho trocou o volante Bruno Cosendey por Ramon. O time carioca subiu de produção e, aos 20 minutos, a equipe carioca marcou o primeiro gol. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Andrey que bateu forte. A bola bateu no goleiro Marcelo Lomba, tocou na trave e entrou.

Logo depois, Leandro Damião desperdiçou a chance de marcar ao invadir a área e chutar rasteiro, mas o goleiro Fernando Miguel defendeu com os pés.

Quando o Vasco começou a se animar e buscar o gol do empate, o Inter anotou o terceiro gol aos 23 minutos. Após cobrança de escanteio. Moledo desviou e Victor Cuesta cabeceou sem dar chances de defesa para Fernando Miguel.
O time de São Januário esfriou depois de sofrer o terceiro gol e o Inter poderia ter chegado ao quarto gol aos 35 minutos quando Nico López penetrou na área pela direita, mas chutou fraco, facilitando a defesa de Fernando Miguel. Logo depois, Luiz Gustavo falhou na saída de bola e Lucca lançou Iago que entrou livre mas acertou a rede, pelo lado de fora. O Vasco ainda criou uma chance com Caio Monteiro, mas Moledo salvou quando a bola já tinha passado por Marcelo Lomba.

Aos 44 minutos, Camilo fez ótimo lançamento para Nico López. O atacante uruguaio passou por Fernando Miguel, mas acabou concluindo na trave, desperdiçando a chance de marcar o quarto gol.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 3 X 1 VASCO

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 13 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa-SP) e Rogério Pablos Zanardo (SP)
Cartão Amarelo: Fabiano, Patrick (Inter)
Gols:
INTER: Nico López, aos dez minutos e Patrick aos 44 minutos do primeiro tempo;Victor Cuesta, aos 23 minutos do segundo tempo
VASCO: Andrey, aos 20 minutos do segundo tempo

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba , Fabiano, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago, Rodrigo Dourado, Patrick e Lucca (Gabriel Dias); Nico López, William Pottker (Camilo) e Leandro Damião (Brenner)
Técnico: Odair Hellmann

VASCO: Fernando Miguel, Luiz Gustavo, Miranda, Erazo e Henrique; Desábato, Andrey, Bruno Cosendey (Ramon), Yago Pikachu e Giovanni Augusto (Evander); Andrés Rios (Caio Monteiro)
Técnico: Jorginho

Na Copa do Mundo do Brasil, em 2014, o Japão foi goleado pela Colômbia por 4 a 1. Na manhã desta terça-feira, na estreia de ambas as seleções no Mundial da Rússia, o time asiático contou com a segunda expulsão mais rápida da história do torneio para se vingar com uma vitória por 2 a 1, em duelo disputado na Arena Mordovia, em Saransk.

Com o triunfo na estreia, o Japão assume provisoriamente a liderança do Grupo H, com três pontos ganhos. Na outra partida da chave, marcada para as 12 horas (de Brasília) desta terça, Polônia e Senegal se encaram em Moscou.

Pela segunda rodada da Copa do Mundo, o Japão tentará encaminhar sua classificação às oitavas de final diante de Senegal, no próximo domingo, às 12 horas, em Ecaterimburgo. No mesmo dia, às 15 horas, a Colômbia buscará se reabilitar na competição contra a Polônia, em Kazan.

O Jogo – Talvez nem o japonês mais otimista sonhava com um roteiro tão favorável à seleção de seu país no início da partida. Aos dois minutos, Osako saiu na cara do goleiro Ospina, que espalmou. No rebote, Kagawa bateu para o gol, mas viu a bola ser desviada intencionalmente pelo braço de Carlos Sánchez, que recebeu o cartão vermelho direto. Na cobrança do pênalti, Kagawa chutou no meio, rasteiro, e abriu o placar para o time asiático.

Em desvantagem numérica, a Colômbia tentou se reorganizar com a entrada do volante Barrios na vaga do meia Cuadrado e passou a apostar na jogada aérea para empatar. Aos 11 minutos, após bola levantada na área, Falcão García esticou a perna esquerda e exigiu defesa de Kawashima. Aos 33, em jogada parecida, o centroavante sul-americano voltou a parar no arqueiro nipônico.

Mas foi pelo chão que a Colômbia obteve o empate. Em disputa pelo alto, Falcão García ‘cavou’ falta perto da ponta direita da área. Aos 38 minutos, Quintero cobrou rasteiro, a bola passou por baixo da barreira e entrou no gol, mesmo com Kawashima alegando que ela não havia ultrapassado a linha. Acertadamente, o juiz validou o tento.

Como era de se esperar, o Japão começou tomando a iniciativa na etapa final. Aos oito minutos, após longa troca de passes, Osako recebeu dentro da área, girou sobre o zagueiro e bateu cruzado. Atento, Ospina caiu rápido para ficar com a bola. Pouco depois, o goleiro colombiano voltou a ser exigido ao praticar grande defesa em chute colocado de Inui.

Diante da pressão que sua equipe sofria, o técnico José Pékerman colocou James Rodríguez no lugar de Quintero. O seu colega Akiro Nishino respondeu com a entrada do veterano Honda na vaga de Kagawa. O treinador japonês se deu melhor.

Aos 27 minutos, Honda cobrou escanteio pela esquerda, e Osako subiu mais alto do que os zagueiros colombianos para testar no canto direito, sem chances para Ospina. Na base do abafa, os sul-americanos chegaram com algum perigo em chute de James Rodríguez, mas não conseguiram buscar o empate, e os asiáticos celebraram sua primeira vitória no Mundial da Rússia.

FICHA TÉCNICA
COLÔMBIA 1 X 2 JAPÃO

Local: Arena Mordovia, em Saransk (Rússia)
Data: 19 de junho de 2018, terça-feira
Horário: 9h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia)
Assistentes: Jure Prapotnik (Eslovênia) e Robert Vukan (Eslovênia)
Cartão Amarelo: James Rodríguez (Colômbia); Eiji Kawashima (Japão)
Cartão Vermelho: Carlos Sánchez (Colômbia)
Gols:
COLÔMBIA: Juan Quintero, aos 38 minutos do 1º tempo
JAPÃO: Shinji Kagawa, aos 5 minutos do 1º tempo, e Yuya Osako, aos 27 minutos do 2º tempo

COLÔMBIA: David Ospina; Santiago Arias,  Dávinson Sánchez, Oscar Murillo e Johan Mojica; Jefferson Lerma, Carlos Sánchez, Juan Cuadrado (Wilmar Barrios), Juan Quintero (James Rodríguez) e José Izquierdo (Carlos Bacca); Falcao García
Técnico: José Pékerman

JAPÃO: Eiji Kawashima; Hiroki Sakai, Maya Yoshida, Gen Shoji e Yuto Nagatomo; Makoto Hasebe, Gaku Shibasaki (Hotaru Yamaguchi), Takashi Inui, Genki Haraguchi e Shinji Kagawa (Keisuke Honda); Yuya Osako (Shinjo Okazaki)
Técnico: Akiro Nishino

 

 

Gazeta Esportiva

Foto - Divulgação

Copa 2018

O atacante Neymar Jr deixou o treino desta terça-feira ainda no aquecimento da Seleção Brasileira, em Sochi. O jogador participava de uma roda de bobinho ao lado de Willian, Miranda, Thiago Silva e Philippe Coutinho quando abandonou a atividade para receber o atendimento do departamento médico.

Na última segunda-feira, Neymar já havia sido desfalque no primeiro treino da Seleção após o empate em 1 a 1 com a Suíça, em Rostov. Na ocasião, o craque do Paris Saint-Germain fez trabalhos regenerativos separado do elenco, assim como Paulinho e Thiago Silva.

Após ser examinado brevemente, Neymar deixou o campo mancando e acabou virando mais uma dúvida para o técnico Tite nesta Copa do Mundo por conta de um problema físico. Antes, Fagner, Douglas Costa, Renato Augusto e Fred já haviam sido desfalques para o treinador em decorrência de lesões.

A forma física de Neymar ainda é uma dúvida para o restante da Copa do Mundo. Após se recuperar de uma fratura no quinto metatarso no pé direito, o jogador voltou aos gramados de maneira bastante positiva, surpreendendo até mesmo o técnico Tite ao marcar o primeiro gol do time canarinho no amistoso com a Croácia.

Na estreia da Seleção Brasileira no Mundial, porém, o atacante não foi bem. Muito caçado em campo, Neymar prendeu a bola demasiadamente, sendo desarmado em diversas oportunidades. Tite chegou a enfatizar a possibilidade de ele oscilar neste seu retorno aos gramados após a lesão. Agora, resta saber como o jogador irá reagir a esse incômodo que o tirou do penúltimo treino da Seleção Brasileira em Sochi antes do confronto com a Costa Rica, na próxima sexta, em São Petersburgo.

 

Gazeta Esportiva

Bastante badalado sob o comando de Tite, o Brasil não passou de um empate por 1 a 1 com a Suíça em sua estreia na Copa do Mundo da Rússia, neste domingo, na Arena Rostov. O time nacional abriu o placar com um belo gol de Philippe Coutinho no primeiro tempo e reclamou da omissão do árbitro de vídeo no segundo – no gol Zuber, que empurrou Miranda antes de cabecear para a rede, e em um suposto pênalti sofrido por Gabriel Jesus.

Seja como for, o Brasil e a Suíça somaram 1 ponto no grupo E do Mundial e estão atrás da Sérvia, que, mais cedo, em Samara, estreou com vitória por 1 a 0 sobre a Costa Rica. Na sexta-feira, as quatro seleções voltarão a entrar em ação. Enquanto os brasileiros buscarão a reabilitação contra os costa-riquenhos em São Petersburgo, suíços e sérvios irão se enfrentar em Kaliningrado.

Golaço de Coutinho
Os semblantes sérios e tensos dos jogadores da Seleção Brasileira, entrando em campo por uma Copa do Mundo pela primeira vez após o vexame de quatro anos atrás, contrastava com a animação dos seus compatriotas nas arquibancadas da Arena Rostov. Entre o público, nem mesmo a interrupção prematura e já protocolar do Hino Nacional cessou a cantoria.

Quando a bola rolou, o Brasil ainda não tinha entrado no clima dos seus torcedores. Os olhos marejados de Tite observaram a Suíça, famosa por sua histórica proposta de jogo defensiva, passar mais tempo com a bola nos pés nos primeiros minutos de partida. Com direito a uma conclusão de Dzemaili, livre no meio da área, para fora.

Com o seu novo penteado – um topete loiro, caprichosamente penteado –, Neymar tentou se encarregar de começar a chamar a atenção não apenas pelo visual. O astro da Seleção Brasileira foi quem recuou para carregar a bola do campo defensivo para o ataque, por vezes até com individualismo, e recebeu um puxão de camisa e um sorriso irônico de Dzemaili como resposta.

O Brasil não se intimidou. Aos 10 minutos, o time de Tite criou a sua primeira grande oportunidade de gol. Neymar foi acionado por Coutinho do lado esquerdo da área e fez o cruzamento. Schar se atrapalhou com a bola, e Paulinho, que começava a aparecer bem ofensivamente, finalizou sem precisão. O goleiro Sommer defendeu com a ponta dos dedos, mas a arbitragem assinalou tiro de meta.

Aos 19 minutos, por mais que se esticasse, Sommer não alcançaria a bola. Philippe Coutinho dominou fora da área depois de a defesa suíça cortar um cruzamento de Marcelo e fez a sua jogada característica – carregou da ponta esquerda para dentro e bateu cruzado. Acertou o ângulo, marcando um golaço, o primeiro da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Rússia.

A vantagem no marcador empolgou os brasileiros na Arena Rostov. “O campeão voltou!” era o grito que ecoava no estádio, audível nas transmissões televisas mundo afora. Igualmente à vontade na partida, a Seleção Brasileira diminuiu o ritmo nos minutos finais do primeiro tempo, possibilitando que a Suíça ficasse mais tempo com a bola nos pés.

Cadê o árbitro de vídeo?
A acomodação, desta vez defensiva, custou caro no princípio do segundo tempo. Logo aos quatro minutos, a bola foi alçada na área brasileira em cobrança de escanteio, e Zuber subiu sozinho para empatar a partida. O suíço empurrou o estático Miranda antes de cabecear, e os comandados de Tite pediram a anulação por intermédio do árbitro de vídeo, que não entrou em ação.

Era apenas a sexta vez sob o comando de Tite que o Brasil precisava se recompor após sofrer um gol. O técnico tentou ajudar com a entrada de Fernandinho no lugar de Casemiro, que deixou o campo depois de tentar encurtar o caminho para o gol com um chute de longa distância, direto para fora. A intenção era melhorar a saída de jogo da Seleção, ineficiente na etapa complementar.

A ideia de Tite não surtiu muito efeito, e o técnico resolveu agir outra vez. De novo, mexeu no setor de contenção do meio-campo, trocando Paulinho por Renato Augusto. E, aos 24 minutos, chegou a esboçar a comemoração do segundo gol. Neymar lançou Philippe Coutinho, que matou no peito dentro da área e limpou a marcação, mas finalizou torto, para fora.

Aos 27 minutos, Renato Augusto criou a sua primeira situação de gol na partida. O representante do futebol chinês na Seleção Brasileira girou e enfiou a bola para Gabriel Jesus, que reclamou de ter sido agarrado por Akanji dentro da área. O árbitro mexicano César Ramos mandou o jogo seguir e voltou a abrir mão do recurso de vídeo, revoltando a equipe nacional.

Gabriel Jesus saiu do gramado em seguida, substituído por Roberto Firmino. Modificado, o Brasil passou a pressionar a Suíça à base do desespero nos minutos finais, já sem muita organização tática. Neymar, por exemplo, queria decidir o jogo sozinho. E não era capaz. Nos acréscimos, Fernandinho e Miranda ainda desperdiçaram boas oportunidades de gol em sobras de bola.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 X 1 SUÍÇA

Local: Arena Rostov, em Rostov do Don (Rússia)
Data: 17 de junho de 2018, domingo
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: César Ramos (México)
Assistentes: Marvin Torrentera e Miguel Hernández (ambos do México)
Público: 43.109 pessoas
Cartões amarelos: Casemiro (Brasil); Lichtsteiner, Schar e Behrami (Suíça)
Gols: BRASIL: Philippe Coutinho, aos 19 minutos do primeiro tempo; SUÍÇA: Zuber, aos 4 minutos do segundo tempo

BRASIL: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro (Fernandinho), Paulinho (Renato Augusto), Willian, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus (Roberto Firmino)
Técnico: Tite

SUÍÇA: Sommer; Lichtsteiner (Lang), Schar, Akanji e Ricardo Rodríguez; Xhaka, Behrami (Zakaria), Shaqiri, Dzemaili e Zuber; Seferovic (Embolo)
Técnico: Vladimir Petkovic

A Alemanha decepcionou no início de sua campanha na Copa do Mundo da Rússia. No Estádio Luzhniki, os atuais detentores do título foram dominados pelo surpreendente México durante a manhã deste domingo e acabaram derrotados por 1 a 0.

Com o triunfo, a seleção dirigida pelo colombiano Juan Carlos Osório marca seus primeiros três pontos na Copa do Mundo. Os dois classificados do Grupo F, completado por Coreia do Sul e Suécia, cruzam nas oitavas de final com os integrantes da chave do Brasil.

Pela segunda rodada da Copa do Mundo da Rússia, o México volta a campo para enfrentar a Coreia do Sul às 12 horas (de Brasília) deste sábado, em Rostov. Às 15 horas do mesmo dia, no Estádio Olímpico de Sochi, a seleção alemã encara a Suécia.

O Jogo – Atual detentora do título a Alemanha tomou a iniciativa e buscou o jogo no primeiro tempo, ficando exposta aos contra-ataques puxados por Carlos Vela. Javier Chicharito e Miguel Layun chegaram a receber passes diante do goleiro Manuel Neuer, mas não finalizaram.

Aos 34 minutos, em mais uma jogada de contra-ataque, o México saiu na frente. Após roubar a bola na defesa, o time dirigido por Juan Carlos Osorio fez uma rápida transição para o campo de ataque. Hirving Lozano recebeu de Chicharito, cortou a marcação de Ozil e fuzilou Neuer.

A Alemanha procurou responder rápido e quase chegou ao empate em cobrança de falta dura, cometida por Lozano sobre Kimmich na entrada da área. Em um chute colocado, Kroos procurou o ângulo esquerdo de Ochoa, que conseguiu desviar a bola para o travessão.

Na tentativa de buscar o empate, a Alemanha se lançou ao ataque durante a etapa complementar e permaneceu exposta aos contragolpes mexicanos. Após receber cruzamento vindo da direita, Kimmich tentou uma bicicleta e assustou o goleiro Ochoa.

Juan Carlos Osorio, conhecido pelas alterações esquisitas, tirou Carlos Vela, que puxava os contra-ataques, e Hirving Lozano, autor do gol, para colocar Edson Alvarez. Com o time pressionado, ele fortaleceu a zaga com Rafael Marquez, com cinco Copas do Mundo no currículo.

Com Gomez no lugar de Plattenhardt, a Alemanha encurralou o México no campo de defesa, mas abusou dos cruzamentos na área e não conseguiu criar boas oportunidades. O time norte-americano ainda desperdiçou alguns contra-ataques, que não fizeram falta. No último susto, Brandt acertou a trave direita de Ochoa.

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA 0 x 1 MÉXICO

Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (Rússia)
Data: 17 de março de 2018 (Domingo)
Horário: 12h (de Brasília)
Árbitro: Alireza Faghani (Irã)
Assistentes: Reza Sokhandan (Irã) e Mohamed Mansouri (Irã)
Cartões amarelos: Muller e Hummels (ALE); Moreno e Herrera (MEX)
Gol:
MÉXICO: Lozano, aos 34 minutos do 1º tempo

ALEMANHA: Neuer; Kimmich, Hummels, Boateng e Plattenhardt (Gomez); Kroos, Khedira (Reus) e Ozil; MUller, Draxler e Werner (Brandt)
Técnico: Joachim Löw

MÉXICO: Ochoa; Salcedo, Moreno, Ayala e Gallardo; Herrera, Guardado (Rafael Marquez), Layun, Vela (Alvarez) e Lozano (Jimenez); Chicharito
Técnico: Juan Carlos Osório

O primeiro jogo da Copa do Mundo deste domingo não foi grandioso em qualidade técnica, mas foi um duelo tático interessante de duas seleções que chegam como francos-atiradores na Rússia e um golaço que definiu a partida. Em Samara, na Cosmo Arena, a Sérvia contou com uma cobrança de falta excepcional de Kolarov para vencer a Costa Rica por 1 a 0, pelo grupo E.

O primeiro tempo foi equilibrado, mas de momentos bastantes distintos. Depois de um início empolgante, as propostas passaram a ser menos agressivas e o cenário se tornou da Sérvia com posse da bola, mas pouca efetividade, enquanto a Costa Rica apostava nas transições rápidas para tentar surpreender. Se Milinkovic-Savic perdeu a melhor chance do jogo, do outro lado Ureña, Calvo e Giancarlo González levaram perigo, mas ninguém balançou a rede.

Os 45 minutos finais fizeram com que a partida se encaminhasse para outra dinâmica, principalmente pelo gol logo no início. Aos 10, Mitrovic acabou calçado por Guzmán perto da área e na cobrança de falta brilhou a estrela de Kolarov. O lateral bateu com perfeição e Keylor Navas nada pôde fazer. No decorrer da partida, virou um verdadeiro ataque contra a defesa, mas os costa-riquenhos pouco assustaram o goleiro Stojkovic.

Na próxima rodada, a Costa Rica terá a missão de se recuperar contra um adversário que se desenha indigesto. Na próxima sexta-feira, em São Petersburgo, o duelo é contra a Seleção Brasileira. Já a Sérvia tenta garantir mais um triunfo a fim da classificação contra a Suíça, também na sexta, em Kaliningrado.

O JOGO

Um começo empolgante e nada mais

O duelo de costas-riquenhos e sérvios começou de forma até surpreendente, com muita intensidade e dois times muito a fim de propor o jogo para abrir o marcador em Samara. Logo no primeiro minuto, os europeus chegaram com perigo, mas a conclusão do lance teve um cabeceio de Mitrovic que ficou pelo caminho. A resposta sérvia veio pela bola parada, um escanteio, que Gonzáles testou nas mãos de Stojkovic.

A primeira chance mais clara da partida foi da Costa Rica, aos 11 minutos, novamente com Gonzáles. O zagueiro subiu sozinho dentro da pequena área, mas o cabeceio ganhou altura e saiu raspando o travessão. Enquanto isso, a Sérvia já se comprometia a tocar a bola em busca de espaços, que pouco encontrava. As melhores jogadas saíam pelo lado direito, com Ivanovic e Savic, mas sem muita efetividade.

Chances esparsas e jogo de muito toque, mas pouco chute

Os números do jogo dizem muito a respeito da sequência da partida, a partir dos 15 minutos. Com mais de 60% de posse de bola, a Sérvia encontrava dificuldades para infiltrar com passes e um dos melhores do time nesse quesito, Matic, teve primeiro tempo apagado. Uma das alternativas passou a ser a ligação pelo alto e dessa forma, por pouco, Milinkovic-Savic não abriu o placar. Ele recebeu ótima bola de Kolarov, saiu na cara de Navas, que fechou bem o ângulo, contou com o chute fraco e fez a defesa.

Final esperançoso da Costa Rica

Duas chances da Costa Rica na reta final deixaram o jogo mais emocionante a atrativo. Aos 38, Ureña aproveitou a falha na saída de Tosic, recuperou, limpou a marcação e testou de longe, mas para fora. Três minutos depois, foi Calvo quem arriscou e, apesar de passar rente a trave, também saiu pela linha de fundo.

 

Segundo tempo com a Sérvia melhor e na frente do placar

O segundo tempo começou com a Sérvia fazendo o que pouco fez nos 45 minutos iniciais: finalizando. Aos quatro minutos, Mitrovic perdeu uma chance claríssima de gol. Na tabela com Milinkovic-Savic, o atacante recebeu na cara de Navas, que se agigantou e fez grande defesa para manter a igualdade no placar.

Entretanto, o 0 a 0 não durou muito. Na verdade, mais seis minutos, quando Guzmán derrubou Mitrovic. Na cobrança, da intermediária direita, Kolarov fez uma pintura: colocou a bola no ângulo de Navas, que depois que a bola passou pela barreira pouco pôde fazer.

Costa Rica, na tentativa do gol, povoando o ataque

Atrás no placar, a Costa Rica mudou a postura e tentou povoar o campo ofensivo da Sérvia. A alternativa encontrada, porém, não se refletiu a correta: jogar bola na área. Mais altos, os europeus se sobressaíram, correram poucos riscos e, além disso, chegaram com perigo em alguns contra-ataques. Destaque para a atuação de Milinkovic-Savic, que controlou muito bem e dominou o meio-campo.

Na reta final, já nos acréscimos, uma confusão tomou conta do jogo. A fim de acelerar a partida, um membro da comissão técnica da Costa Rica tentou pegar a bola que havia saído pela lateral, mas teve de conter a empolgação de Matic. Os dois se estranharam, mas tudo foi contornado pelo árbitro de Senegal.

No último lance, apesar do impedimento, Bolaños perdeu uma chance incrível para a Costa Rica na cara do goleiro. Resultado final: 1 a 0 para Sérvia.

FICHA TÉCNICA
COSTA RICA X SÉRVIA

Local: Cosmos Arena, em Samara (Rússia)
Data: 17 de março de 2018 (Domingo)
Horário: 9 horas (de Brasília)
Árbitro: Malang Diedhiou (Senegal)
Assistentes: Djibril Camara (Senegal) e El Hadji Samba (Senegal)

GOL:
Sérvia: Kolarov, aos 11 minutos 2T

CARTÕES AMARELOS
Costa Rica: Francisco Calvo, Guzmán
Sérvia: Ivanovic, Aleksandar Prijovic

COSTA RICA: Keylor Navas; Giancarlo González, Oscar Duarte e Johnny Acosta; Cristian Gamboa, David Guzmán (Daniel Colindres), Celso Borges, Francisco Calvo; Bryan Ruiz, Johan Venegas (Christian Bolaños) e Marcos Ureña (Joel Campbell)
Técnico: Oscar Ramirez

SÉRVIA: Vladimir Stojkovic; Branislav Ivanovic, Nikola Milenkovic, Dusko Tosic e Aleksandar Kolarov; Nemanja Matic, Luka Milivojevic, Sergej Milinkovic-Savic, Dusan Tadic (Antonio Rukavina) e Adem Ljajic (Filip Kostic); Aleksandar Mitrovic (Aleksandar Prijovic)
Técnico: Mladen Krstajic

Foto - Divulgação

Copa 2018

Os números da Seleção Brasileira sob o comando de Tite estão bem distantes daqueles imaginados para um time que foi humilhado em sua última Copa do Mundo. Entre Eliminatórias e amistosos, o sucessor de Luiz Felipe Scolari e Dunga acumulou 17 vitórias, três empates e apenas uma derrota à frente do Brasil, com 47 gols marcados e só cinco sofridos. Também adquiriu experiência suficiente para saber que esse desempenho pouco valerá se não mostrar força no principal torneio do planeta. A estreia no Mundial da Rússia será contra a Suíça, às 15 horas (de Brasília) deste domingo, na Arena Rostov.

“Por mais que sejam apenas números, os números apontam que o coletivo do Brasil é muito forte, muito bom. Quando o professor substitui, o nível continua o mesmo ou até é elevado. Temos um grande conjunto”, confiou o centroavante Gabriel Jesus, autor de um gol na mais recente vitória brasileira, por 3 a 0 sobre a Áustria. Ele chegou a 10 anotados com Tite, confirmou-se como o artilheiro da equipe nacional (seguido por Neymar, com 9) e afastou a ameaça de perder a titularidade para Roberto Firmino.

O jogo contra a Áustria ainda serviu para a Seleção Brasileira se testar contra uma adversária que, teoricamente, assemelha-se à sua vizinha Suíça. Tal qual ocorreu no amistoso anterior à Copa do Mundo, Tite encontrará em Rostov do Don um time que prioriza o jogo defensivo e, por vezes, não sente vergonha de apelar à violência. “Sabemos que o Brasil é muito forte, então jogaremos por uma bola”, admitiu o lateral esquerdo Ricardo Rodríguez, que atua no Milan, da Itália, e corre o risco de ser reserva.

Diante da Áustria, o antídoto brasileiro contra a forte marcação funcionou. O quarteto formado por Willian, Philippe Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus conseguiu ser envolvente e comprovou-se como a formação ofensiva ideal para o Brasil iniciar a Copa do Mundo. Antes, Tite cogitava utilizar o volante Fernandinho como armador central, o que já tinha deixado a Seleção pouco criativa, por exemplo, no primeiro tempo da vitória por 2 a 0 em cima da Croácia.

As experiências recentes, no entanto, não fazem os brasileiros esperarem facilidades. Ainda mais em uma estreia de Copa do Mundo, geralmente marcada por bastante tensão. “O torcedor pode imaginar que não é um grande clássico, mas sabemos que será muito difícil. Já joguei contra a Suíça. Eles atuam com linhas baixas, com forte marcação. Precisaremos ter paciência”, receitou o volante Paulinho, homem de confiança de Tite.

Além da Áustria, a Seleção Brasileira encontrará a Costa Rica, em 22 de junho, e a Sérvia, no dia 27, no grupo E da Copa do Mundo da Rússia.

FICHA TÉCNICA

BRASIL X SUÍÇA

Local: Arena Rostov, em Rostov do Don (Rússia)
Data: 17 de junho de 2018, domingo
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: César Ramos (México)
Assistentes: Marvin Torrentera e Miguel Hernández (ambos do México)

BRASIL: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Willian, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

SUÍÇA: Sommer; Lichtsteiner, Schar, Djourou e Moubandj (Ricardo Rodríguez); Xhaka, Behrami e Dzemaili; Zuber, Gavranovic e Shaqiri
Técnico: Vladimir Petkovic

 

Agencias

Foto - Vinicius Araujo

Dourados

"Vai ser dessa forma, então paciência", é o que diz o secretário municipal de educação Upiran Gonçalves, a respeito da cobrança do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Dourados) para que os servidores técnico-administrativos também recebam o mesmo reajuste proposto ao magistério municipal. 

Na manhã desta terça-feira (19), cerca de 350 trabalhadores se uniram na Praça Antônio João para reivindicar a aplicação dos reajustes em atraso para a categoria. 

No final da manhã de ontem (18), um ofício foi formalizado junto Secretaria de Governo anunciando o comprometimento da gestão em pagar já no próximo mês, o salário dos educadores com o reajuste deste ano completo, referente a 6,81%.

Desse percentual, 2,68% já haviam sido antecipados em abril, data base para os acordos salariais. 

O fato é que segundo Upiran, apenas professores serão contemplados, contrariando a exigência do sindicato de que "sem os técnicos administrativos, as unidades educacionais não funcionam", devendo ser linearmente beneficiados. 

O secretário se baseia na legislação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) para resistir a pressão sindical. Ele garante que o acordo é destinado exclusivamente aos professores. 

"Vai ser dessa forma, então paciência. O sindicato quer, mas querer é bem diferente de poder, e nesse momento não é possível aplicar linearmente o benefício a todos os servidores e sim, apenas aos beneficiários mediante a legislação", afirmou Upiran. 

MANIFESTO 

Durante a manhã desta terça-feira (19), pelo menos 350 trabalhadores da educação tomaram a Avenida Marcelino Pires até a Hayel Bon Faker e Joaquim Teixeira Alves em passeata. Com faixas de cobrança e instrumentos de percussão em mãos, o grupo exigia da chefe do executivo municipal, prefeita Délia Razuk (PR), um "posicionamento efetivo em valorização a educação". 

"Quem não valoriza educação, não merece o voto da população", "se não aguenta com a formiga não mexe com o formigueiro" e "se o salário não aumentar, olê olê olá, eu vou paralisar", foram um dos gritos entoados durante o protesto, que contou com escolta da Guarda Municipal. 

Enquanto a maioria seguia pela avenida, outro grupo preparado distribuía panfletos com informativos financeiros da Prefeitura de Dourados. No boletim os trabalhadores questionam o saldo positivo de R$16.156.324,26 milhões da educação que não foram repassados para o serviço. 

"Será falta de planejamento?", questionava o presidente do Simted Juliano Meneghetti Mazzini. 

OFÍCIO 

Na sexta-feira (15), representantes da prefeitura divulgaram que uma proposta de acordo já teria sido encaminhada à categoria, porém, o ofício só chegou de fato nas mãos do Simted na tarde de ontem (18). 

Upiran lamentou o fato e disse que por ter sido discutido na quinta-feira (14), o ofício deveria ter sido entregue no dia seguinte, mas ressaltou "o acordo foi encaminhado e agora vamos continuar com as tratativas a fim de cumprir o compromisso da gestão com a educação pública". 

No documento a prefeitura se compromete a iniciar a aplicação da diferença de 4,13% relativo ao 6,81% do piso salarial dos professores de 2018, ainda completando o retroativo a abril. Os pagamentos já serão regularizados no salário de julho. 

Em relação à defasagem do ano passado, quando os 7,65% relativos ao piso de 2017 não foram aplicados na folha, a regularização será discutida em reunião a ser agendada para o segundo quadrimestre do ano, com previsão para setembro. 

Ainda hoje, a partir das 14h30, o Simted realizará uma assembleia para discutir a proposta junto com os servidores. Pode ocorrer uma nova paralisação, mas ainda sem previsão de instaurar greve. 

As aulas em mais de 80 unidades educacionais foram interrompidas durante o ato desta terça-feira.

Manifestantes cobraram
 
 
 
Dourados News

Fabio Trad diz que maior parte dos recursos virá do partido - Foto: Divulgação

Mato Grosso do Sul

Os deputados federais sul-mato-grossenses que pretendem disputar a reeleição vão depender do repasse de recursos de seus partidos ou coligações para viabilizarem suas campanhas este ano por causa das limitações impostas pela legislação eleitoral. A maioria dos até R$ 2,5 milhões que podem usar devem vir do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) e do Fundo Partidário.

Os parlamentares afirmam que a vaquinha eletrônica (crowdfunding) deve ajudar, mas não criam grandes expectativas. Esse é o pensamento dos deputados Elizeu Dionizio (PSB/MS), Vander Loubet (PT/MS), Geraldo Resende (PSDB) e Dagoberto (PDT) em relação ao sistema eletrônico de coleta de recursos. “Vai ser difícil ter outra fonte de arrecadação que não seja o fundo eleitoral”, destacou Resende.

Para Dionizio, a vaquinha eletrônica “será uma forma de obter algum recurso, mas a maior parte do dinheiro de campanha será dos fundos do partido”. 

Este é o mesmo pensamento de Dagoberto, enfatizando que não tem uma estimativa de quanto poderá arrecadar com sistema eletrônico. “Vou fazer (vaquinha eletrônica), mas tenho um parâmetro, vou tentar”, disse o parlamentar complementando que o PDT deve repassar entre R$ 300 mil a  R$ 500 mil para sua campanha, já que a maior parte do dinheiro do partido vai ser usada na campanha a presidente e de 11 governadores.

O deputado Mandetta (DEM) afirmou que o candidato que tiver “setor pode ter alguma chance de mobilizar para ajudar no financiamento de campanha”  via doação eletrônica, mas ressaltando que o maior valor a ser usado na campanha virá do partido.

Um dos deputados que descarta completamente a vaquinha eletrônica é Fábio Trad (PSD), enfatizando que o maior valor de sua campanha virá dos fundos administrados pelo partido.

O parlamentar não tem ainda estimativa de quanto vai gastar na campanha, mas ressaltou que “o valor será bem inferior a de 2014 (De acordo com o TER-MS, Trad gastou R$ 1,077 milhão)”.

Trad disse que a divulgação do trabalho parlamentar vai ajudar e que  “essa vai ser uma campanha de divulgação, de massificação de ideias”. 

Com pensamento semelhante, o deputado Dionizio afirma que “já venho defendendo algumas bandeiras no Congresso Nacional que mostraram à população o meu trabalho”.

Na avaliação de Mandetta “quem tem voto de cabo eleitoral vai usar mais (recursos para campanha), quem tem voto por opinião vai gastar menos”, explicando achar suficiente o uso de R$ 2,5 milhões na campanha, exemplificando que na sua eleição em 2014 gastou cerca de R$ 2 milhões, sendo R$ 1,3 milhão de doações e o restante recursos próprios (autofinanciamento que continua permitido nesta eleição). 


Os parlamentares do Estado enfatizaram que o período de campanha vai ser curto, sendo de 45, mas que na prática será de 30 dias, de acordo com Loubet, por isso enfatizam que o trabalho que já desenvolvem no Congresso Nacional será muito importante na campanha eleitoral.

“Nós já estamos trabalhando para todo o Estado, são 60 municípios atendidos durante o meu mandato com emendas que asseguram investimentos federais, que mostram a nossa preocupação”, enfatizou Dionizio. 
Já Resende destacou que “me baseio muito mais no meu trabalho, sou o deputado que mais destinei recursos para os municípios”. Outro que está confiante no trabalho que faz como parlamentar federal é o petista Loubet. “A pré-campanha favorece quem já trabalha”.

 

Correio do Estado

Jovem ao aparecer no próprio velório - Foto: Porã News

Outras Cidades

Um jovem surpreendeu a família na manhã deste domingo (17). Juan Ramon Alfonso Penayo, 20 anos, havia sido dado como morto, depois que um corpo foi encontrado carbonizado na colônia Santa Clara, a aproximadamente 25 quilômetros da fronteira com Ponta Porã, mas apareceu no próprio velório hoje.

De acordo com o site Porã News, um corpo foi encontrado carbonizado na  manhã de sexta feira (15). A Divisão de Homicídios e a Policia Técnica da Polícia Nacional do Paraguai foram chamadas e encaminharam o corpo ao Instituto Médico Legal (IML) de Pedro Juan Caballero, para que fosse identificado.

Familiares de Juan Ramon Alfonso Penayo foram até o local e identificaram o corpo como sendo dele. Hoje pela manhã, o rapaz apareceu no próprio velório, assustando a família.

O rapaz disse a mãe que estava trabalhando, por isso não havia voltada para casa. O corpo que estava sendo velado na casa de Juan foi reencaminhado ao IML, onde aguarda familiares que possam realizar a identificação.

 

 

Correio do Estado

Vacinação vai até o dia 22 de junho

Mato Grosso do Sul

O Ministério da Saúde prorrogou novamente a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe. A vacinação já havia sido prorrogada por 15 dias no dia 1° de junho. Mas agora, o público-alvo tem até o dia 22 de junho para se vacinar em todo País. Os motivos para a nova prorrogação são a baixa adesão e a proximidade do inverno, conforme publicação no site oficial. 

A vacina está disponível para pessoas a partir de 60 anos, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estejam sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade, funcionários de sistema prisional e trabalhadores e estagiários da área da saúde.

Já foram vacinados em Mato Grosso do Sul 592.159 pessoas do total do público-alvo, que é de 737.395. Segundo o Datasus, entre os grupos prioritários, os professores são os que mais aderiram à vacinação (114,78%). Na sequência aparecem o grupo dos idosos (92,79%), puérperas (92,05%) e o dos trabalhadores em saúde (90,79%).

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) orienta que as cidades em que a meta de vacinação tenha sido alcançada passem a vacinar outros dois grupos específicos: as crianças de cinco a nove anos e adultos de 50 a 59 anos. Se após o fim da Campanha, Mato Grosso do Sul ainda tiver disponibilidade de doses, a vacinação deverá seguir ampliada para apenas os dois grupos específicos citados acima.

 

Correio do Estado

O acidente aconteceu já no fim da apresentação - Foto: Natalia Yahn

Campo Grande

A apresentação do Circo Mirage na noite de ontem em Campo Grande terminou em acidente. Seis motociclistas que estava no “Globo da Morte” caíram dentro da estrutura durante o espetáculo, porém de acordo com o informações de funcionários do local, ninguém se feriu gravemente. 

O acidente aconteceu já no fim da apresentação, por volta das 22h30. Dois artistas estavam no globo quando o equipamento entrou no palco por meio de trilhos, em seguida um terceiro homem entrou no local.

Para dramatizar a apresentação, o locutor informou que outros três motociclistas entrariam no local que ficou praticamente sem espaço para todos. 

Os três primeiros conseguiram fazer a primeira parte da encenação, rodopiando com as motos, mas quando os outros três começaram a rodar dentro do globo um deles caiu e assim todos os outros acabaram caindo também. O espetáculo acabou interrompido por alguns minutos até que todos foram retirados do globo, sem ferimentos graves.

O circo, que foi instalado no estacionamento do shopping Bosque dos Ipês, está no último fim de semana de apresentações na Capital.

 

Correio do Estado

O presidente regional do DEM, ex-prefeito de Dourados Murilo Zauith

Mato Grosso do Sul

O presidente regional do DEM, ex-prefeito de Dourados Murilo Zauith, colocou “panos quentes” nas reações contrárias às negociações de aliança com o PSDB, para manter o partido unido. Ele disse não haver nada decidido sobre apoiar a reeleição do governador Reinaldo Azambuja – contrário ao que havia sinalizado em Corumbá e também tem sido declarado pelos deputados estaduais, que já falam em casamento com os tucanos.

Murilo concordou com os deputados federais Luiz Henrique Mandetta e Tereza Cristina para aguardar a definição do DEM na sucessão presidencial para indicar o caminho de aliança em Mato Grosso do Sul. Ele avalia estar muito confuso o processo político no Brasil e no Estado. Por isso considera precipitada qualquer tomada de posição antes de a direção nacional do DEM acertar o rumo.

Zauith declarou ainda que o brasileiro está desacreditado da política. “Penso que o brasileiro está precisando confiar em alguém. As pesquisas mostram que a população não encontrou um líder que possa confiar ainda”. 

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Politica

O relatório da Medida Provisória (MP) 833/2018, que isenta caminhões que circularem com eixo suspenso de pagar pedágio em todo território nacional, foi aprovado hoje (19) pela comissão mista que analisa o tema. A MP 833, junto com as MPs 831 e 832, foi assinada pelo presidente Michel Temer no último dia 27, na tentativa de atender a algumas demandas dos caminhoneiros que fizeram uma paralisação de 11 dias em diversas estradas brasileiras. 

Durante a leitura de seu parecer, o relator, senador José Agripino Maia (DEM-RN), disse que uma das preocupações era a de não onerar o usuário. Segundo ele, das emendas apresentadas, ele acatou parcialmente a proposta apresentada pelo senador Lasier Martins (PSD-RS), que proíbe as concessionárias de aumentar o valor do pedágio para o motorista de veículo de passeio como forma de compensar a isenção. Segundo o parecer, esse aumento só será repassado quando “esgotadas as demais alternativas de reequilíbrio econômico-financeiro”.

De acordo com a MP 833, os órgãos e entidades competentes da União, Estados, Distrito Federal e municípios serão os responsáveis por estabelecer as medidas técnicas e operacionais para viabilizar essa isenção na sua região. 

A matéria foi transformada em projeto de lei de conversão (PLV 17/2018) e segue agora para análise do plenário da Câmara dos Deputados.

 

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Politica

O projeto de decreto legislativo 61/2018 que autoriza a venda de etanol diretamente do produtor aos postos de combustíveis foi aprovado no plenário do Senado por 47 votos favoráveis e dois contrários. Atualmente, essa venda direta é proibida por uma resolução da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O texto segue agora para a Câmara dos Deputados.

O projeto do senador Otto Alencar (PSD-BA) susta um artigo da Resolução nº 43 da ANP, que determina que o produtor só poderá vender o etanol a outro fornecedor cadastrado na agência ou a distribuidoras autorizadas pela ANP. Segundo o texto do projeto, o objetivo é aumentar a concorrência no mercado de combustíveis e, assim, baixar o preço para o consumidor.

“A crise institucional causada pelas paralisações de caminhoneiros contra a alta no preço dos combustíveis fez surgir a necessidade de alteração da política de comercialização do setor”, diz o senador, em sua justificativa para o projeto.

Para Otto Alencar, a limitação da negociação produz ineficiência econômica ao impedir o livre comércio por meio da venda direta entre produtores de etanol e postos de abastecimento.

 

Agencia Brasil

Da esq. para a dir.: Eunício Oliveira, Michel Temer e Rodrigo Maia, em encontro no gabinete do presidente da República (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Politica

Desde abril, sempre que o presidente Michel Temer viaja para o exterior, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), também programam agendas fora do país. O motivo é eleitoral: Maia e Eunício não querem correr o risco de serem impedidos de disputar as eleições em outubro.

Informados pelo Palácio do Planalto da presença de Temer na reunião do Mercosul realizada nesta segunda-feira (18) no Paraguai, Maia e Eunício acertaram compromissos em Portugal e na Argentina, respectivamente.

Temer viaja para o Paraguai na segunda-feira pela manhã e retorna ao Brasil no mesmo dia à noite. Eunício e Maia têm previsão de deixarem o país já no fim de semana.

Assim, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, deve assumir a Presidência da República pela segunda vez neste ano. Em 13 de abril, a ministra despachou do Planalto graças às viagens de Temer ao Peru, de Maia ao Panamá, e de Eunício ao Japão.

Como o Brasil no momento não tem vice-presidente, Maia e Eunício são os seguintes na linha sucessória. Quando eles também saem do país, Cármen Lúcia exerce a Presidência.

As assessorias do presidente da Câmara e do Senado confirmaram que as viagens ao exterior foram agendadas em razão da ida de Temer à reunião do Mercosul. 

Risco de ficar de fora da eleição 

Especialistas explicam que, no caso de ficarem no exercício da Presidência da República por algum período nos seis meses anteriores à eleição, Maia e Eunício só poderiam concorrer à Presidência. Ou seja, não poderiam disputar outros cargos nas eleições de outubro.

Conforme o professor de Direito Eleitoral Antônio Augusto Mayer dos Santos, o artigo 14 da Constituição prevê que presidente, governadores e prefeitos podem tentar uma vez a reeleição e, se desejarem disputar outro cargo, devem renunciar até seis meses antes da eleição. 

“Se Maia e Eunício assumirem a Presidência neste período pré-eleitoral, a quatro meses da eleição, eles poderiam disputar apenas a eleição à própria Presidência. Eles não poderiam tentar um novo mandato de deputado e senador”, diz Mayer dos Santos.

Leia abaixo trecho do artigo 14 da Constituição que trata do assunto: 

  • § 5º O Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos poderão ser reeleitos para um único período subseqüente.
  • § 6º Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito. 

 

Reeleição 

Eunício é pré-candidato à reeleição como senador pelo estado do Ceará. Maia, por sua vez, lançou pré-candidatura à Presidência da República pelo Democratas. Contudo, nos bastidores, não descarta concorrer a um novo mandato de deputado federal.

Especialista em Direito Eleitoral, o advogado Francisco Emerenciano lembra que a legislação não faz distinção entre quem assume a Presidência em definitivo ou quem apenas fica no exercício do cargo por poucos dias, substituindo o titular durante uma viagem.

“É desproporcional ficar inelegível para outros cargos por assumir a Presidência por um dia, mas a legislação não faz essa ressalva”, afirma Emerenciano.

No caso de Maia, o risco de inelegibilidade também poderia complicar o eventual interesse de seu pai, Cesar Maia, de disputar as eleições de outubro no estado do Rio de Janeiro.

A Constituição também estabelece que ficam inelegíveis parentes de até segundo grau do presidente ou de quem o tenha substituído nos seis meses anteriores à eleição, exceto quando esse familiar concorre à reeleição. Cesar Maia é vereador na cidade do Rio Janeiro.

“Rodrigo Maia assumindo a Presidência, automaticamente seu pai não poderia concorrer a deputado, senador ou governo no Rio”, explica o professor Mayer dos Santos. 

Leia abaixo trecho do artigo 14 da Constituição que trata do assunto: 

  • § 7º São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição. 

 

Consulta ao TSE 

Os especialistas também afirmam que Rodrigo Maia e Eunício Oliveira preferem viajar nas mesmas datas que Michel Temer por precaução.

Professor da FGV Direito Rio, Michael Mohallem diz que não há uma regra definida sobre a possibilidade de quem está na linha sucessória declinar de assumir a Presidência, permanecendo no Brasil.

“Não há clareza na lei porque a ordem de sucessão presidencial, em tese, é automática. Há também controvérsia sobre se a recusa a assumir a Presidência significaria uma renúncia ao cargo de comando da respectiva casa legislativa”, declara.

O tema, inclusive, foi alvo de um questionamento feito pelo Democratas, partido de Maia, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A sigla apresentou consulta formal à Corte para saber se fica inelegível quem substituir, nos últimos seis meses do mandato, como interino, o presidente da República.

O partido ainda perguntou se é possível declinar de ficar no exercício da Presidência em razão dessa eventual inelegibilidade. O relator da consulta é o ministro Luís Roberto Barroso. Segundo o TSE, o caso está pronto para ser julgado, mas ainda não há uma data definida para analisar o questionamento.

 

'Abusos de poder' 

Segundo o advogado Ademar Costa Filho, a inelegibilidade para outras funções – gerada a quem assume a Presidência da República seis meses antes da eleição – tem o objetivo de evitar “abusos e desvios de poder”. 

“É para evitar que a pessoa use do cargo – editando um decreto de liberação de verbas, por exemplo – para se beneficiar na disputa por outra função, como uma vaga na Câmara ou no Senado”, diz o especialista em Direito Eleitoral.

Na avaliação do advogado, uma saída, para evitar que os presidentes da Câmara e do Senado viajem ao exterior quando o chefe do Executivo se ausentar do país nos seis meses anteriores à eleição, seria retirar a obrigatoriedade de assunção desses parlamentares à cadeira presidencial.

Ademar Costa Filho afirma que, apesar dos avanços tecnológicos, é imprescindível ter, na Presidência da República, uma pessoa que esteja em território nacional.

“A Constituição é de 1988, outra época. Mas, se o presidente estiver em viagem a um país que não é de fácil acesso, e, por exemplo, desata uma nova greve dos caminhoneiros, o país não pode prescindir do controle, da presença do presidente”, opina.

O professor Michael Mohallem discorda. Para ele, o presidente tem condições de governo mesmo fora do país.

“A regra fazia sentido há 60 anos, quando a comunicação era mais difícil e o presidente perdia o contato direto com o país. Hoje, o presidente consegue pelo telefone ou do próprio avião presidencial tomar decisões importantes”, afirma.

 

Novas viagens 

Na contagem regressiva para o pleito de outubro, existe a possibilidade de que Cármen Lúcia assuma a Presidência da República novamente até as eleições.

Temer pode ir à África do Sul em julho para a 10ª Cúpula do Brics, grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O encontro ocorrerá entre 25 e 27 de julho em Johanesburgo.

Temer também pode ir outra vez ao Paraguai em 15 de agosto, para a posse do presidente eleito Mario Abdo Benítez.

 

Precedente 

Situação semelhante à verificada neste ano ocorreu na última eleição presidencial, em 2014. Na oportunidade, o então presidente do STF, Ricardo Lewandowski, ficou no exercício da Presidência da República.

 

À época, a presidente Dilma Rousseff foi aos Estados Unidos e o vice Michel Temer ao Uruguai. Os presidentes da Câmara e do Senado, Henrique Alves (MDB-RN) e Renan Calheiros (MDB-AL) não assumiram a Presidência porque alegaram impossibilidades eleitorais.

Alves, que hoje está preso na Lava-Jato, concorreu ao governo do Rio Grande do Norte e foi derrotado. Renan não disputou a eleição de 2014, porém seu filho, Renan Filho, foi eleito governador de Alagoas.

 

G1, Brasília

Foto - Divulgação

Politica

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou ontem (15) que o montante total do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) será de R$ 1,716 bilhão. Criado no ano passado para regulamentar o repasse de recursos públicos entre as legendas, o fundo será repartido entre os diretórios nacionais dos 35 partidos com registro no TSE, em conformidade com as regras de distribuição estabelecidas na Resolução nº 23.568/2018, aprovada pela Corte Eleitoral no fim de maio.

Pelas regras, 98% do montante serão divididos de forma proporcional entre os partidos, levando em conta o número de representantes no Congresso Nacional (Câmara e Senado). Isso significa que as siglas que elegeram o maior número de parlamentares em 2014 e aquelas que seguem mantendo o maior número de cadeiras legislativas receberão mais recursos, com destaque para MDB, PT e PSDB, que vão contar com cotas de R$ 234,2 milhões, R$ 212,2 milhões e R$ 185,8 milhões, respectivamente. Em seguida, aparecem o PP (R$ 131 milhões) e o PSB (R$ 118 milhões) entre as legendas beneficiadas com as maiores fatias.  

Apenas os 2% restantes (R$ 34,2 milhões) serão repartidos igualmente entre os partidos com registro no TSE, independentemente de haver ou não representação no Congresso. Nesse caso, os partidos que não contam com nenhum parlamentar no Legislativo federal receberão a quantia de mínima de R$ 980,6 mil do fundo eleitoral. 

Essas serão as primeiras eleições gerais do país na vigência da proibição de doação financeira de empresas a candidatos e partidos políticos, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), tomada em 2015. Por causa disso, os recursos do Fundo Eleitoral representam a principal fonte de financiamento da campanha.  

De acordo como o TSE, os recursos do fundo somente serão disponibilizados às legendas após a definição dos critérios para a sua distribuição interna dentro dos partidos, que devem ser aprovados, em reunião, pela maioria absoluta dos membros dos diretórios nacionais. Tais critérios devem prever a obrigação de aplicação mínima de 30% do total recebido do fundo para o custeio da campanha eleitoral de mulheres candidatas  pelo partido ou coligação. Os maiores partidos ainda não definiram de que forma vão dividir os recursos do fundo eleitoral entre os seus candidatos. 

Em seguida, os órgãos nacionais das legendas devem encaminhar ofício ao TSE indicando os critérios fixados para a distribuição do fundo. O documento deve estar acompanhado da ata da reunião que definiu os parâmetros, com reconhecimento de firma em cartório, de prova material de ampla divulgação dos critérios de distribuição, e da indicação dos dados bancários da conta corrente aberta exclusivamente para a movimentação dos recursos.

Foto - Divulgação

Politica

O Palácio do Planalto reafirmou, em nota oficial, que o presidente Michel Temer jamais incentivou pagamentos ilícitos ao ex-deputado Eduardo Cunha em troca de seu silêncio. A nota do Planalto foi divulgada hoje (14), após a entrega do relatório final da Polícia Federal (PF) à Justiça Federal sobre as investigações da Operação Cui Bono. A operação investigou esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013. O relatório confirmaria a suposta intenção do presidente de comprar o silêncio de Cunha e, consequentemente, obstruir as investigações.

“É mentirosa a insinuação de que o presidente Michel Temer incentivou pagamentos ilícitos ao ex-deputado Eduardo Cunha e a Lúcio Funaro. Isso jamais aconteceu. […] Apesar da ausência absoluta de provas, investigadores insistem em retirar do contexto diálogos e frases para tentar incriminar o presidente da República”, diz um trecho da nota, assinada pela Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República (Secom).

O assunto surgiu em maio do ano passado após delação do empresário Joesley Batista. Ele gravou uma conversa com o presidente da República e usou o áudio para acusá-lo à Justiça. É nessa gravação que se ouve o presidente dizendo “tem que manter isso, viu?”.

Segundo Joesley, a frase de Temer tem conexão com pagamentos ilícitos a Cunha. Mas a gravação não deixa isso claro e abriu margem para a defesa do presidente. Temer defende que a frase é uma resposta à afirmação do empresário, que disse estar “de bem” com Cunha. O próprio ex-deputado já negou algumas vezes essa tentativa de silenciá-lo.

A notícia instalou uma crise no governo, que só arrefeceu após a rejeição de duas denúncias contra Temer na Câmara dos Deputados. Após deixar a presidência, porém, ele responderá à Justiça pelas acusações.


Veja a nota da Secom na íntegra:

"Nota à imprensa


É mentirosa a insinuação de que o presidente Michel Temer incentivou pagamentos ilícitos ao ex-deputado Eduardo Cunha e a Lúcio Funaro. Isso jamais aconteceu. A gravação do diálogo com Joesley Batista foi deturpada para alcançar objetivo político. A verdade é que, na conversa grampeada, quando o empresário diz que mantinha boa relação com o deputado, o presidente o incentiva a não alterar esse quadro. Segue a transcrição desse trecho do diálogo:

Joesley – “Eu tô de bem com o Eduardo”

Michel Temer – “Tem que manter isso, viu?”

Portanto, não tem nada a ver com aval a qualquer pagamento a quem quer que seja. Assim, é ridículo dizer que houve obstrução à Justiça e, muito menos, relativamente a qualquer caso envolvendo integrantes da Magistratura e do Ministério Público. O presidente não tinha nomes, e nem sequer sabia que o procurador Marcelo Müller estava trabalhando para a J&F da família Batista.

Apesar da ausência absoluta de provas, investigadores insistem em retirar do contexto diálogos e frases para tentar incriminar o presidente da República. Perpetuam inquéritos baseados somente em suposições e teses, sem conexão com fatos reais." 

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Politica

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo, relator do processo das contas do presidente da República, Michel Temer, pediu, em seu parecer prévio, a aprovação, com ressalvas, das contas do presidente referentes ao ano de 2017. A aprovação, no entanto, faz quatro alertas e 22 recomendações.

“Voto para que o tribunal aprove as minutas de acórdão e parecer prévio”, disse o ministro, após ter alertado que, caso medidas estruturantes não sejam efetivadas, os recursos governamentais ficarão comprometidos com o pagamento de despesas previdenciárias e com custeio.

Primeira reunião da CPI da Petrobras no Senado. Na foto, o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (Valter Campanato/Agência Brasil)
Ministro Vital do Rêgo pede aprovação das contas do presidente com ressalvas (Arquivo/Agência Brasil) 

Ele enfatizou a necessidade de o teto de gastos, que limita o crescimento das despesas governamentais ao índice inflacionário do ano anterior, ser cumprido. Caso isso não ocorra, alertou, faltará ao governo recursos para o pagamento de suas despesas.

“Caso as medidas estruturantes não sejam efetivadas, em poucos anos só seria possível pagar despesas previdenciárias e de custeio. Um cenário em que, no futuro, [o governo] terá de recorrer a crédito para seus gastos de manutenção”, acrescentou.

Se aprovado pelo plenário do TCU, o parecer será encaminhado para avaliação da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) do Congresso Nacional, que elaborará novo parecer. Tendo em mãos os pareceres do TCU e da CMO, senadores e deputados julgarão as contas do presidente.

A análise do relatório de contas do governo é feita anualmente e abrange tanto o orçamento como a atuação governamental, a partir da consolidação de dados obtidos em diversos órgãos do governo.

 

Agencia Brasil

R$ 162,6 milhões foram sacados de 119,6 mil cotas na Caixa Econômica Federal, que administra o PIS, destinado a trabalhadores da iniciativa privada - José Cruz/Agência Brasil

Economia

As retiradas das cotas dos Programas de Integração Salarial (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) bateram recorde no primeiro dia de saques para trabalhadores com mais de 57 anos. Segundo o Ministério do Planejamento, 144.409 cotistas sacaram R$ 196,2 milhões ontem (18). O número é o maior para um dia, desde que começou a flexibilização dos saques, em setembro do ano passado.

Desse total, R$ 162,6 milhões foram sacados de 119,6 mil cotas na Caixa Econômica Federal, que administra o PIS (destinado a trabalhadores da iniciativa privada). No Banco do Brasil, responsável pelo Pasep (servidores públicos e trabalhadores de estatais), as retiradas somaram R$ 33,6 milhões em 24.809 cotas.

Entre 14 e 28 de setembro, a autorização será ampliada para todas as idades, diferentemente do que ocorria até então, quando o saque total só podia ser feito quando o trabalhador completasse 70 anos, se aposentasse, tivesse doença grave ou invalidez ou fosse herdeiro de titular da conta.

Pelas contas do governo, 28,7 milhões de pessoas serão beneficiadas. Em cifras, são R$ 34,3 bilhões disponíveis para saque no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal. Isto porque 3,6 milhões de pessoas já resgataram R$ 5 bilhões em recursos dos dois programas.

Quem tem direito

Têm direito ao saque servidores públicos e pessoas que trabalharam com carteira assinada de 1971, quando o PIS/Pasep foi criado, até 1988. Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque.

Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Para saber se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites www.caixa.gov.br/cotaspis e www.bb.com.br/pasep.

 

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

Os dez dias de greve dos caminhoneiros custarão R$ 15 bilhões para a economia, o equivalente a 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país), informou hoje (12) o Ministério da Fazenda. De acordo com a pasta, o ministro Eduardo Guardia repassou a estimativa ontem (11) em reunião com investidores em São Paulo.

Por causa da paralisação, a previsão oficial de 2,5% de crescimento do PIB para este ano poderá ser revista para baixo. O número só será divulgado no fim de julho, e o ministro não informou mais detalhes.

Na última edição do boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras divulgada todas as semanas pelo Banco Central, os analistas de mercado estimavam que a economia crescerá apenas 1,94% em 2018. Essa foi a sexta semana consecutiva de queda nas projeções. Há um mês, a projeção estava em 2,51%.

O ministro não informou o impacto que a greve dos caminhoneiros terá sobre a inflação, por causa da escassez de alimentos e da alta temporária do preço dos combustíveis provocadas pela paralisação. Segundo o boletim Focus, a previsão das instituições financeiras para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 3,65% para 3,82% em 2018. As projeções do Ministério da Fazenda para a inflação também só serão divulgadas no fim de julho

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, admitiu que a greve dos caminhoneiros trouxe prejuízos para o país, mas avaliou que a economia já voltou ao normal e retomou sua trajetória de crescimento. A declaração foi dada a jornalistas na tarde de hoje (11), na capital paulista, após sua participação na 5ª Conferência Anual do Goldman Sachs no Brasil.

“Não há dúvidas que a greve teve prejuízos para o país. A greve paralisou o país durante 10 dias, tivemos desabastecimento, afetou diversos setores da economia, inclusive a atividade dos próprios caminhoneiros. O que a gente tem que discutir agora é qual o impacto disso, e vi muitos números que me parecem excessivos”, disse. Durante a manhã, o ministro se reuniu com instituições financeiras.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, participa do debate Financiamento de Estados e Municípios: desafios para um novo pacto federativo, na sede do Tribunal de Contas da União (TCU)
O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia (Antonio Cruz/Agência Brasil)

No momento da greve, em que houve desabastecimento, os preços subiram refletindo a falta da disponibilidade desses bens, segundo o ministro. “Na medida em que a economia volta a funcionar, os preços voltam à normalidade. Do ponto de vista do setor real, evidente que, durante o período que a economia ficou quase que parada, você tem perdas, tem prejuízo a diversos setores, e agora a economia retomou e volta à sua trajetória de crescimento”. Para Guardia, o movimento da greve foi pontual.

Questionado sobre a possibilidade de um Produto Interno Bruto (PIB) mais baixo e de uma inflação mais alta do que a prevista pelo governo, ele disse que as estimativas de crescimento já tinham sido revistas antes mesmo da greve e que havia a perspectiva de que o crescimento não seria tão rápido. “Um ponto a destacar é que a economia está crescendo há cinco trimestres consecutivamente, então, o que a gente está discutindo agora é a taxa de crescimento da economia. Mas a economia está crescendo e retomou a sua trajetória de crescimento. A média hoje dos analistas econômicos é de um crescimento em torno de 2%. No início do ano era maior. Mas acho que não podemos perder a perspectiva de que a economia está retomando, sim, o crescimento”, avaliou.

De acordo com o ministro, a previsão de crescimento é revista a cada dois meses, quando há a divulgação da programação orçamentária e financeira. “Quando a gente faz a revisão, reprojeta receita e despesa para o ano, nós sempre saímos com uma nova grade de parâmetro. Então, faremos isso como a gente sempre fez. Esse processo de revisão é contínuo. A cada dois meses, a gente tem uma grade de parâmetros atualizada e, evidentemente, levamos em consideração as últimas informações disponíveis”. Sobre as próximas previsões, ele disse que pode ser que sejam valores mais baixos.

 

Agencia Brasil

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou hoje (7) a nova tabela com preço mínimo do frete para o transporte rodoviário de cargas. O documento, que substitui a tabela que está em vigor desde o dia 30 de maio, será publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) ainda nesta quinta-feira.

De acordo com a ANTT, a nova tabela vai responder as principais dúvidas dos transportadores e contratantes dos serviços de transporte rodoviário de cargas. “Entre os principais pontos da regulamentação, podem-se destacar: o estabelecimento dos valores de frete por km/eixo para outras combinações de veículos e a possibilidade de negociação do frete de retorno entre o contratante do frete de origem e o transportador”, informou a agência.

A medida, publicada por meio de resolução, estabelece ainda os casos em que a tabela de preços mínimos não será aplicada. Entre os casos em que os valores não serão aplicados estão o de transporte de produtos radioativos, o transporte de valores, de coleta de lixo, no frete de retorno, quando o veículo não for movido a diesel, entre outros.

O texto diz ainda que os novos valores de frete mínimo não se aplicam aos contratos com prazo determinado e que foram formalizados até a publicação das novas regras. Já para os contratos com prazo indeterminado, a resolução determina que os valores devem ser ajustados aos preços mínimos em um prazo de até 90 dias.

O estabelecimento de preços mínimos para os fretes foi uma das reivindicações dos caminhoneiros durante a paralisação que durou dez dias. Após críticas de representantes do agronegócio, a ANTT admitiu a possibilidade de ajustar alguns valores.

 

 

Agencia Brasil

A partir das 9 horas desta sexta-feira (8), será liberada a consulta ao primeiro lote de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2018. O lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017, informou a Receita Federal.

O crédito bancário para 2.482.638 contribuintes será realizado no dia 15 de junho, totalizando R$ 4,8 bilhões. Terão prioridade para receber a restituição 228.921 idosos acima de 80 anos, 2.100.461 contribuintes entre 60 e 79 anos e 153.256 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receita fone 146.

Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento.

Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora, informou a Receita.

Cadastro de Pessoas Físicas

Há, ainda, aplicativo para tablets e smartphones, o que facilita consulta às declarações do IRPF e situação no CPF – Cadastro de Pessoas Físicas.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

 

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

Apesar de o Banco Central ter ampliado com força sua atuação, o dólar saltou e fechou no patamar de 3,81 reais nesta terça-feira, o maior em mais de dois anos, em meio à piora da avaliação dos investidores sobre a cena política local e com o exterior pesando sobre os ativos.

 
O dólar avançou 1,78 por cento, a 3,8100 reais na venda, maior nível desde 2 de março de 2016 (3,8877 reais). Na máxima do dia, a moeda norte-americana chegou a 3,8163 reais. O dólar futuro tinha alta de cerca de 1,65 por cento no final da tarde.

 

"As perspectivas são muito ruins... A crise fiscal é séria", afirmou o economista e sócio da NGO Corretora Sidnei Nehme. "A economia não anda, nem vai andar, porque empresários não vão investir com esse elevado grau de incerteza. Todo o cenário ficou ruim", acrescentou ele.

A moeda norte-americana já vinha operando com elevação desde a abertura do negócios, influenciada pelo cenário político local, a poucos meses das eleições presidenciais, e pelo movimento no exterior, que ganhou força após dados mais robustos sobre a economia norte-americana.

No exterior, o dólar subia frente a divisas de países emergentes, como o rand sul-africano e o peso mexicano.

A atividade do setor de serviços dos Estados Unidos acelerou em maio, indicando crescimento econômico robusto no segundo trimestre, enquanto outros dados mostraram que a abertura de vagas de trabalho atingiu máxima recorde em abril, superando as contratações.

Outros indicadores fortes de emprego dos Estados Unidos divulgados recentemente já haviam reavivado apostas de que o Federal Reserve, banco central do país, pode aumentar a taxa de juros mais três vezes este ano. As expectativas do mercado, por enquanto, são de mais dois aumentos até dezembro.

Juros elevados têm potencial para atrair à maior economia do mundo recursos aplicados hoje em outros mercados, como o brasileiro.

Com isso, o dólar disparou no mercado brasileiro também, desencadeando um movimento conhecido como "stop loss", quando os investidores desfazem suas posições rapidamente diante de sinais que consideram mais negativos. Segundo o diretor de operações da Mirae Asset, Pablo Spyer, não houve saída de recursos do mercado, apenas esse movimento técnico. 

Assim, o BC brasileiro decidiu entrar mais pesado e anunciou novo leilão de até 30 mil novos swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, nesta sessão. Vendeu 16.210 contratos e, em seguida, anunciou outro leilão, do qual também não vendeu a oferta integral, mas apenas 6.110 do total de 13.790 swaps restantes.

Logo após essa intervenção mais forte do BC, o dólar chegou a bater 3,7581 reais na mínima do dia, mas as apreensões voltaram ao mercado em seguida.

A autoridade monetária já havia feito leilão o esperado de novos swaps neste pregão e vendeu a oferta integral de até 15 mil contratos, injetando o equivalente a 3,366 bilhões de dólares no mercado neste mês, incluindo todos os leilões de novos contratos.

E também vendeu integralmente a oferta de até 8.800 swaps para rolagem, já somando 1,320 bilhão de dólares do total de 8,762 bilhões de dólares que vence em julho. Se mantiver esse volume até o final do mês, rolará integralmente o volume.

"O mercado não está tão interessado em swaps", avaliou o operador de câmbio da corretora H.Commcor, Cleber Alessie Machado. "Fica a percepção que está querendo outra forma de intervenção e pode ser o leilão de linha, que supre a demanda no mercado à vista", acrescentou ele, referindo-se aos leilões do BC de venda de dólares com compromisso de recompra.

A alta do dólar na sessão também foi influenciada pela cena política local, após a divulgação da pesquisa de intenção de votos do Data Poder 360 que mostrou o candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) na segunda posição, atrás de Jair Bolsonaro (PSL), com Geraldo Alckmin (PSDB), visto pelo mercado como candidato com perfil reformista, sem decolar.

Além disso, a pesquisa mostrou o ex-prefeito de São Paulo João Doria, também do PSDB, como um dos possíveis candidatos, mas também sem força.

"A questão é que o candidato de esquerda tem se mostrado mais competitivo do que um candidato pró-mercado", afirmou o gestor de derivativos de uma corretora local.

Os investidores ainda continuaram cautelosos com os desdobramentos da greve dos caminhoneiros, que afetou o abastecimento do país nas últimas semanas. O governo acabou cedendo na maioria das reivindicações da categoria para baixar os preços do diesel, gerando uma conta bilionária que impactará os cofres públicos, prejudicando o ajuste fiscal.

Agora, o governo trabalha para mudar a periodicidade dos reajustes de preços de gasolina sem mudar a política de preços da Petrobras.

Tempo

Dourados Brazil Clear (night), 16 °C
Current Conditions
Sunrise: 6:18 am   |   Sunset: 5:4 pm
95%     11.3 km/h     32.520 atm
Forecast
QUA Low: 15 °C High: 26 °C
QUI Low: 16 °C High: 27 °C
SEX Low: 14 °C High: 27 °C
SáB Low: 15 °C High: 27 °C
DOM Low: 17 °C High: 25 °C
SEG Low: 16 °C High: 26 °C
TER Low: 17 °C High: 27 °C
QUA Low: 17 °C High: 27 °C
QUI Low: 17 °C High: 27 °C
SEX Low: 17 °C High: 28 °C