Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

Grid List

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

Duas pessoas morreram na manhã deste sábado (16) em Dourados após colidirem de moto. O acidente ocorreu na rua Monte Alegre, no cruzamento com a Rangel Torres, no Jardim Ouro Verde. 

Adilon da Silva Oliveira, 24, e Renato Souza Pereira, 37, pilotavam os veículos e são as vítimas fatais. 

O primeiro seguia numa Honda CG Titan, preta, sentido Jardim Canaã I, enquanto o segundo trafegava em direção ao Centro.

Após a colisão, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegou a ser acionado, mas os motociclistas já estavam mortos. 

A polícia apura as causas do acidente. 

 

Dourados News

Pneus e cigarros foram apreendidos - Foto: Divulgação / PMRv

Outras Cidades

A Polícia Militar prendeu três de seus policiais, da base da Polícia Militar Rodoviária de Ponta Porã, suspeitos de praticar o crime de corrupção passiva. Outros cinco pessoas - civis - foram detidos, pelos crimes de descaminho e corrupção ativa. 

Os policiais são suspeitos de participação em esquema de contrabando. A Polícia Militar não informou qual o material contrabandeado, mas informações apuradas pela reportagem dão conta de que são pneus, cigarros entre outras mercadorias de origem estrangeira.

Desde o ano passado, dezenas de policiais foram presos por suspeitas de participação no contrabando de cigarros paraguaios para todo Brasil. Os PMs facilitavam a passagem destas mercadorias. 

Em nota, a Polícia Militar informou que “não compactua com nenhum tipo de desvio de conduta por parte dos seus integrantes. Se comprovada a irregularidade, as medidas cabíveis serão tomadas pela Corregedoria Geral da PM no rigor da lei e os envolvidos responsabilizados administrativo e criminalmente”.

Os nomes dos envolvidos, nem tampouco as circunstâncias das prisões, não foram informadas pela Polícia Militar.

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Dourados

Pedro Jorge Braga Câncio Júnior, que ao lado de Valdirene Fiorentino da Silva, 35, tramou o assassinado do empresário José Pereira Barreto, 38, tentou se enforcar com uma camiseta antes de ser transferido à PED (Penitenciária Estadual de Dourados). 

O fato ocorreu na manhã desta sexta (15), na delegacia do 1º Distrito Policial, onde estava preso. 

O rapaz é acusado de, ao lado da mulher da vítima, com quem supostamente possuí um caso extraconjugal, pagar R$ 20 mil pelo crime. 

José Pereira Barreto foi baleado enquanto trafegava pela rua Cuiabá, nas proximidades do Jardim Santo André, no final da tarde de quarta-feira (13), em Dourados.

Ele continua internado em estado grave, porém, não corre risco de morte. 

Já Pedro, Valdirene e outras cinco pessoas, todas apontadas pelo envolvimento no caso, acabaram presos em flagrante por policiais civis do SIG (Setor de Investigações Gerais). 

 

Dourados News

Dinheiro apreendido na casa da vitima - Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

Valdirene Fiorentino da Silva, 35, encomendou a morte do marido, empresário do ramo de turismo José Pereira Barreto, 38, que ainda se encontra internado, mas não corre risco de morte. O atentado ocorreu na tarde de quarta (13), quando o homem acabou baleado dentro da GM S-10 em que conduzia, na rua Cuiabá, em Dourados. 

Pedro Jorge Braga Câncio Júnior, suposto amante dela, também teria envolvimento no crime. Além deles, outras cinco pessoas participaram da ação. Todas estão presas e serão apresentadas pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) às 15h de hoje (14/2).

De acordo com o apurado até o momento, logo após a tentativa de homicídio, a mulher foi à delegacia. Ela estava desaparecida desde o dia 10 de fevereiro, conforme mostrado aqui. 

Desconfiados, os policiais começaram a questiona-la e logo em seguida ela confirmou ter sido mandante do crime. 

Valdirene contou que era agredida constantemente pelo marido e teria iniciado uma relação extraconjugal com Pedro Jorge. O suposto caso acabou descoberto por Barreto. 

A mulher então se juntou ao rapaz e tramou a morte do empresário. Com R$ 20 mil, procuraram Paulo Vitor dos Santos, 32, David Jonathan dos Santos, 29, e Leandro Alves Gonçalves, 32.

O trio se encarregou de contratar duas pessoas para cometer o assassinato, Charles Barros de Lima Ribeiro, 21, e João Alves Cardoso, 26. 

Com o dinheiro, a dupla adquiriu a Honda Twister e um revólver 357, ambos usados na ação. João ficou responsável de pilotar a moto enquanto o comparsa realizou os disparos. 

Todos acabaram presos e encaminhados ao 1º Distrito Policial de Dourados. 

Além dos sete, José Pereira Barreto, também será encaminhado a uma das celas do 1ºDP. Na casa dele foram encontrados uma pistola 357 e mais R$ 449 mil. No veículo em que o empresário estava havia ainda uma pistola calibre 9mm.

O CASO 

Barreto acabou ferido no final da tarde de quarta-feira no cruzamento das ruas Cuiabá e Mato Grosso, região do Jardim Santo André.

Os tiros atingiram a região do tórax da vítima, que seguia numa GM S-10.

Após o atentado, o empresário proprietário da Eurotur Turismo, perdeu o controle da direção e bateu contra um veículo Ford/Ka. 

No veículo da vítima os policiais encontraram R$ 63.605 em dinheiro.

 

 

Dourados News

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

Um empresário do ramo de turismo, foi ferido no final da tarde de quarta (13), após ter a caminhonete que dirigia, uma GM-S-10, de cor prata, com placas QAH 1715, de Dourados, bloqueada por dois homens que estavam em uma motocicleta, na rua Cuiabá, esquina com a rua Mato Grosso, na região central da cidade, e ser atingida por vários disparos de arma de fogo efetuados pelos bandidos.

Após ser atingido por dois tiros na região do tórax, o empresário identificado pelo nome de José Pereira Barreto, 38 anos, proprietário da Eurotur Turismo, perdeu o controle da caminhonete e bateu contra um veículo Ford/Ka, de cor vermelha, com placas QNS 0168, de Dourados. 

O empresário foi socorrido por uma guarnição do Corpo de Bombeiros, e encaminhados em estado de saúde gravíssimo para o Hospital Evangélico, onde está recebendo os primeiros socorros. Os atiradores fugiram do local tomando rumo ignorado.

No veículo do empresário os policiais que compareceram na cena do crime encontraram a importância de R$ 63.605, em dinheiro, mas de acordo com a Polícia Civil, apesar do dinheiro encontrado na caminhonete, a hipótese de assalto está descartada.

 

Dourados News

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

O artesão Valmir Souza Gomes, 61 anos, vulgo João de Barro, morador no Campo Dourado, bairro de Dourados, foi encontrado morto há pouco, em um banheiro da casa dele, localizada na Alameda das Pérolas. 

De acordo com informações da Polícia Civil, que está no local, existem muitos sinas de sangue por toda a casa e o corpo do artesão esta em um banheiro nos fundos da residência, mas até o momento não é possível determinar quais os motivos do crime.

Peritos também se deslocaram até a cena do crime para fazer os levantamentos necessários, para determinar as causas da morte.

Valmir Gomes possuia uma banca de vendas de artesanato, instalada às margens da rodovia BR-463, na região do BNH 4º Plano.

 

Dourados News

Foto - Divulgação

Futebol

Sete de Dourados  e Comercial vão a campo pelo Campeonato Sul-mato-grossense de Futebol na tarde deste sábado (16). O jogo acontece às 16h no estádio Chavinha, em Itaporã, e o time local tenta manter a boa sequência na competição, já que venceu as últimas três partidas disputadas. 

O confronto vale pela 7ª rodada. As duas equipes estão próximas na tabela de classificação. 

Enquanto o Colorado tem 10 pontos conquistados em seis jogos, os douradenses possuem nove, com uma partida a menos. Na classificação, ambos ocupam a 4ª e 7ª posição, respectivamente. 

Outros Jogos

Hoje (16) as 19h.  Corumbaense x Aquidauanense - estádio Arthur Marinho em Corumbá.

Domingo (17) as 15h. Operário de Dourados x União ABC - estádio Chavinha em Itaporã.

Veja a classificação

1º   Águia Negra – 13p

2º   Aquidauanense – 11p

3º   Corumbaense – 10p

4º   Comercial – 10p

5º   Costa Rica – 10p

6º   Operário – 9p

7º   Sete de Setembro – 9p

8º   Serc – 9p

9º   União – 6p

10º Urso – 5p

11º Novo – 1p

12º Operário de Dourados – 1p

Foto - Divulgação

Futebol

Foram definidos, após 40 partidas, todos os 40 times que seguem vivos na briga pelo título da Copa do Brasil de 2019. Vale destacar a classificação solitária do Bragantino-PA entre os nortistas, além de dois clássicos estaduais: Santa Cruz x Náutico e Londrina-PR x Paraná.

A tabela detalhada da segunda fase ainda não está definida, mas, de acordo com informações divulgadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), os 20 jogos vão ser realizados em três datas: 20 ou 27 de fevereiro e seis de março.

 

A segunda fase, assim como a primeira, será decidida em jogo único, mas sem a vantagem do empate para o melhor ranqueado na CBF. Se a igualdade persistir no tempo regulamentar, o classificado será definido nos pênaltis.

Veja os confrontos da segunda fase 

  • Corinthians x Avenida-RS
  • Foz do Iguaçu-PR x Ceará
  • Bragantino-PA x Aparecidense-GO
  • URT-MG x Vila Nova-GO
  • Botafogo x Cuiabá-MT
  • Juventude x América-MG
  • ABC-RN x Moto Club-MA
  • Santa Cruz x Náutico
  • Fluminense x Ypiranga-RS
  • Luverdense-MT x Figueirense
  • Santa Cruz de Natal x Bahia
  • Goiás x CRB-AL
  • Santos x América-RN
  • Atlético-CE x Atlético-GO
  • Mixto-MT x Chapecoense
  • Criciúma x Oeste
  • Tombense-MG x Botafogo-PB
  • Londrina-PR x Paraná
  • Serra-ES x Vasco
  • Avaí x Brasil de Pelotas 

A terceira fase já será no esquema de mata-mata (ida e volta). Quando ela terminar, haverá um novo sorteio entre os 10 clubes que sobraram. Eles disputam a quarta fase, também em mata-mata.

Depois, os cinco que sobrarem vão se juntar aos 11 times que entram diretamente nas oitavas de final. São eles Palmeiras, Flamengo, Internacional, Grêmio, São Paulo, Atlético-MG, Cruzeiro e Atlético-PR (todos na Libertadores), Sampaio Corrêa (campeão da Copa do Nordeste), Paysandu (campeão da Copa Verde) e Fortaleza (campeão da Série B). Há um novo sorteio nessa fase.

A fase de Gustagol é realmente incrível. Na noite dessa quinta-feira, o centroavante balançou as redes aos 43 minutos do segundo tempo, chegou ao seu sexto tento em nove partidas no ano e impediu a derrota do Corinthians diante do Racing em plena Arena de Itaquera. O empate por 1 a 1 manteve o Timão vivo na luta por uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana. O reencontro está marcado para o dia 27, em Avellaneda, Buenos Aires. O empate sem gols servirá aos argentinos em função do gol marcado fora de casa.

A roda feita pelo time do Corinthians segundos antes da boal rolar deu clara mostra do que os jogadores estavam dispostos. Soou o apito inicial e foi possível perceber uma disposição muito semelhante ao que se viu no Derby do Allianz Parque. Uma formação no 4-3-3, com marcação alta e muita disciplina, principalmente sem a bola.

A estratégia dificultou a saída de bola dos argentinos, mas, em pouco tempo ficou claro que era Cássio que estava com maiores problemas para usar os pés em sua defesa. Por muito pouco o goleiro corintiano não entregou um gol ao adversário por duas vezes no primeiro tempo.

O equilíbrio era a tônica do jogo quando dois lances determinaram o placar. Primeiro, os mandantes tiveram a oportunidade de abrir o placar com Vagner Love, cara a cara com Arias. O atacante do amor, no entanto, parou no goleio de Avellaneda.

Pouco depois, um erro de Sornoza somado ao azar de Henrique e à lentidão de Manoel culminaram no gol do ex-vascaíno Ríos, em chute cruzado, sem chance para Cássio.

Fábio Carille alterou o sistema duas vezes, tentou o 4-2-3-1, mas, a exceção de algumas jogadas aéreas com Gustagol, o time do Corinthians não conseguia encaixar seu jogo. Nem por isso o técnico mudou a escalação no intervalo.

O panorama não se alterou muito, apesar da bola ter passado a ficar mais tempo nos pés dos corintianos. Atrás, Cássio causava calafrios nos torcedores a cada bola recuada. Carille então apostou em Clayson, promoveu a estreia no ano de Sérgio Díaz e colocou ainda mais velocidade com Pedrinho. Ramiro, Love e Jadson foram os escolhidos a sair. A decepção ficou por Mauro Boselli, que não pôde enfrentar seus conterrâneos, apesar de toda vontade demonstrada na beira do campo, durante o aquecimento.

No fim, o Timão pressionou na base da vontade e do talento individual. Chance real de gol, de fato, não houve. O Racing pouco fez nos 45 minutos finais, mas claramente estava satisfeito com o desenrolar da partida.

A torcida já não cantava tão alto quando, de repente, talvez na única forma capaz do Corinthians chegar ao gol, o empate veio. Sornoza cobrou falta na área e Gustagol saltou mais alto que a marcação para cabecear firme. Bola no chão e no ângulo do Racing.

No fim, o empate deu ao Corinthians alívio e um pouco mais de tranquilidade para seguir vivo no confronto pela Sul-Americana e não colocar ainda mais pressão em cima da equipe antes do clássico com o São Paulo, pelo Campeonato Paulista, agendado para domingo, às 19h (de Brasília), de novo na Arena de Itaquera. O Racing voltará ao campeonato nacional, onde é líder e está vivo na briga pelo título.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 1 RACING

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 14 de fevereiro de 2019, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carrillo (Peru)
Assistentes: Victor Raez e Michael Orue (ambos do Peru)
Cartões amarelos: Vagner Love, Ramiro (COR); Saravia, Carsozo, Solari, Sigali (RAC)
Público: 24.237.
Renda: R$ 935.243,00

GOLS
Corinthians: Gustagol, aos 43 minutos do 2T
Racing: Ríos, aos 22 minutos do 1T.

 

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Carlos; Ralf, Ramiro (Clayson), Sornoza e Jadson (Pedrinho); Love (Sérgio Díaz) e Gustagol
Técnico: Fábio Carille

RACING: Arias; Saravia, Sigali, Domínguez e Pillud; Díaz, Solari, Carsozo e Ojeda; Ríos (Fernández) e Cvitanich (Cristaldo)
Técnico: Eduardo Coudet

Foto - Divulgação

Futebol

Flamengo e Fluminense se enfrentam pelas semifinais da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, nesta quinta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ). A partida, que aconteceria no sábado e foi adiada, vai ser disputada em clima de luto pela morte de dez pessoas no Ninho do Urubu na última sexta-feira, em incêndio que tomou conta de parte do centro de treinamento do clube flamenguista.

Por ter feito melhor campanha na fase anterior, o Rubro-Negro tem a vantagem do empate. Porém, ambos chegam muito motivados. Os flamenguistas, invictos até aqui, golearam a Cabofriense por 4 a 0 no fim de semana passada. Na terça-feira o Tricolor, que tinha perdido por 1 a 0 o clássico para o Vasco, goleou o River por 5 a 0 no Piauí pela estreia na Copa do Brasil.

O momento dos dois times realmente transmite confiança aos jogadores. “A nossa equipe está crescendo e os bons resultados aumentam a nossa confiança. Sabemos que teremos um clássico importante pela frente e vamos encará-lo como a decisão que é. Acreditamos que podemos conquistar a classificação, apesar da qualidade do Flamengo”, disse o atacante Everaldo, um dos destaques do Fluminense. 

O Tricolor realmente vai precisar de confiança para enfrentar um rival que contará com uma torcida que vem dando exemplo e fazendo a festa nas arquibancadas, com uma média superior a 40 mil presentes como mandante.

“A torcida comparece muito, vamos ter que fazer a nossa parte agora. Eles estão fazendo lindas festas no Maracanã e estamos tentando retribuir. Nosso time é de pegada, qualidade, portanto, temos que fazer um grande jogo, pois a torcida vai nos apoiar”, disse o zagueiro Rhodolfo.

Sobre a vantagem do empate, os flamenguistas, liderados pelo técnico Abel Braga, parecem não valorizar muito. “O Flamengo sempre vai entrar pensando em ganhar. Pelo regulamento temos a vantagem do empate, mas não pensamos nisso. Se entrarmos pensando nisso, com certeza complica para a gente”, disse o volante colombiano Gustavo Cuéllar.

A partida então promete ser aberta, pois o Fluminense também garante uma postura ofensiva. “As características das equipes que dirijo são ofensivas e não mudei em relação ao Fluminense. Criamos e temos bom aproveitamento. Espero que continue assim. Porém, a partida vai ser muito complicada. À medida que enfrenta time mais difíceis e com defesas mais postadas e com jogadores de alto nível, a tendência é que encontremos mais dificuldades”, avisou o técnico Fernando Diniz.

Em termos de escalação, o Flamengo deverá ter a presença de Gabriel, o Gabigol, no comando do ataque. Apesar do mistério de Abel Braga, o ex-santista parece ter ganho a disputa interna com o colombiano Fernando Uribe pelo posto.

Fernando Diniz, pelo lado do Fluminense, deve manter a equipe que bateu o River-PI. Apesar de regularizado na CBF, o principal reforço do clube este ano, o meia Paulo Henrique Ganso, não foi inscrito na Taça Guanabara e não poderá atuar.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO X FLUMINENSE

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 14 de fevereiro de 2019 (Quinta-feira)
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Assistentes: Silbert Faria Sisquim (RJ) e Michael Correia (RJ)

 

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Rhodolfo, Rodrigo Caio e Renê; Gustavo Cuellar, Willian Arão, Everton Ribeiro, Diego e Bruno Henrique; Gabriel
Técnico: Abel Braga

FLUMINENSE: Rodolfo, Ezequiel, Digão, Matheus Ferraz e Marlon; Airton, Bruno Silva, Daniel; Everaldo, Luciano e Yonny González
Técnico: Fernando Diniz

O Corinthians vai além de testar sua força nesta quinta-feira, na Arena Corinthians, no primeiro duelo internacional da temporada. Sem convencer no Campeonato Paulista e classificado no sufoco contra o Ferroviário, pela Copa do Brasil, o Alvinegro encara o Racing a partir das 21h30 (de Brasília), pela primeira fase da Copa Sul-Americana, e busca mostrar um futebol que dê ânimo e confiança para a sequência do ano.

“Vai ser uma parada muito difícil, líder do argentino, campeonato já na segunda parte. Vai ser parada dura”, disse o técnico Fábio Carille, que responde perguntas sobre o embate contra os argentinos desde o começo do mês, dando noção da importância que o embate tem para o Timão. Ainda que seja pela primeira fase de um torneio fora da elite da América do Sul, derrotar um rival de qualidade jogando bem é o ponto de partida para a mudança na visão dos alvinegros.

O encontro, além disso, uma revanche das oitavas de final da edição de 2017 da competição, quando o clube do Parque São Jorge acabou eliminado ao empatar por 1 a 1 em seus domínios e 0 a 0 fora de casa, caindo pelo critério que valoriza o gol como visitante. Racing e Internacional, na Copa do Brasil daquele mesmo ano, são os únicos clubes que eliminaram o Corinthians em confrontos mata-mata sob o comando de Fábio Carille.

Em campo, a novidade fica pela presença do jovem Carlos, de volta da Seleção Brasileira sub-20. Depois de participar da decepcionante campanha no Sul-Americano da categoria, sem conseguir uma das quatro vagas para o Mundial, o jovem de 19 anos entra no posto deixado por Danilo Avelar. Expulso contra o Colo-Colo, na Libertadores do ano passado, o defensor tem de cumprir a suspensão automática na Sul-Americana.

Do outro lado, em meio a uma maratona que envolve briga pelo título nacional e clássicos locais, o Racing deve jogar com uma equipe mista. Titulares como o atacante Cristaldo, ex-Palmeiras, tendem a ficar no banco, ainda que sejam maioria na escalação. O destaque fica pelo habilidoso meia Zaracho, que não encarou o River no final de semana. Derrotado por 2 a 0 pelo rival, o time de Avellaneda veio a São Paulo sem Centurión, que se recusou a entrar em campo durante o revés no clássico.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X RACING

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 14 de fevereiro de 2019, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carrillo (Peru)
Assistentes: Victor Raez e Michael Orue (ambos do Peru)

 

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Carlos; Ralf, Ramiro, Sornoza e Jadson; Love e Gustagol
Técnico: Fábio Carille

RACING: Arias; Saravia, Sigali, Donatti e Mena; Díaz, Solari, Zaracho e Pol Fernandez; Ríos e Cvitanich
Técnico: Eduardo Coudet

Foi a terceira vitória consecutiva do time douradense - Foto: Franz Mendes

Futebol

Em jogo atrasado válido pela terceira rodada do Campeonato Estadual, o Sete de Dourados venceu o União/ABC por 1 a 0 no Estádio Chavinha, em Itaporã, na tarde desta quarta (13).

Foi a terceira vitória consecutiva do time douradense. O gol saiu apenas nos acréscimos do segundo tempo, dos pés de Régis Wenzel.

Por sua vez, o União/ABC chega ao quinto jogo consecutivo sem vencer e continua na zona de rebaixamento do Estadual.

Os times voltam a campo no fim de semana, pela sétima rodada. O Sete recebe o Comercial no sábado (16), novamente no Chavinha, no mesmo local o  Operário de Dourados e ABC, domingo (17).

Foto - Dourados News - Ligado na Redação

Dourados

Uma árvore de grande porte está prestes a cair na rua Monte Alegre, região do I Plano em Dourados. O fato foi denunciado via Canal Ligado na Redação nesta sexta-feira (15).

A funcionária pública federal, Ariane Moretti, 38, disse que notou o problema a alguns dias, no caminho que faz diariamente entre casa e trabalho. 

“Esta árvore situada na Monte Alegre esquina com a Benjamin Cosntant está prestes a causar uma tragédia”, disse. 

O ponto citado por ela fica na esquina do Ceper do I Plano, em Dourados. A mulher relata sobre a preocupação da queda da árvore em determinado momento no local que conta com grande fluxo de pessoas e tráfego de veículos. 

“Podemos tratar como tragédias anunciadas. É um lugar extremamente movimentado, crianças e adultos praticam esportes e passeiam”. 

A reportagem entrou em contato com o Secretário de Serviços Urbanos, Fabiano Costa, para um posicionamento quanto a questão. 

Ele informou que passará a situação para o setor responsável e solicitará que a remoção da árvore seja feita na próxima semana, se possível. 

A Defesa Civil de Dourados se manifestou sobre o assunto. 

Em contato com nossa equipe de reportagem, o diretor administrativo da Defesa Civil, Johnes Santana, disse que o órgão encaminhou ofício a Energisa, com solicitação de medidas, tendo em vista o fato de que árvore necessita ser removida e está em ponto que sobrepõe a fiação elétrica energizada. 

Ele citou que o documento foi entregue há 15 dias e até o momento não houve retorno. O contato com a concessionária de energia de Mato Grosso do Sul será retomado na próxima semana, de acordo com o diretor.  

 

Dourados News

Fim do horario de verão atrase o relógio em uma hora.

Mato Grosso do Sul

O horário de verão de 2018, que começou no dia 4 de novembro, termina neste domingo (17). Ao término do horário de verão, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem atrasar o relógio em uma hora.

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

Este ano, o horário de verão foi encurtado - começou mais tarde. Antes, ele se iniciava no terceiro domingo de outubro. Em dezembro de 2017, o presidente Michel Temer assinou decreto que encurtou a duração do horário de verão, atendendo a pedido do Tribunal Superior Eleitoral, para que o início do horário de verão não ocorresse entre o primeiro e o segundo turno da eleição.

O Palácio do Planalto chegou a informar em 2018 que, a pedido do Ministério da Educação, a entrada em vigor do horário seria adiada para dia 18 de novembro, a fim de não prejudicar provas do Enem, mas acabou decidindo manter a data de 4 de novembro.

As mudanças na data de início do horário de verão chegaram a causar confusão. No dia 15 de outubro, usuários de telefone celular reclamaram da mudança automática do horário em seus aparelhos para o horário de verão.

Mais de 28 mil alunos voltam às aulas nas unidades escolares e centros de educação infantil na segunda-feira – A. Frota

Dourados

Na próxima segunda-feira (18), mais de 23 mil alunos voltam às aulas nas escolas da Rede Municipal de Ensino de Dourados, além de 5.507 nos Centros de Educação Infantil Municipal, segundo informou nesta sexta-feira (15) a Secretaria de Educação.

Já as unidades conveniadas, num total de oito, disponibilizaram 1.500 vagas para Educação Infantil, entre rematriculados e novas vagas. Nessas unidades as aulas também reiniciam na segunda-feira.

A Central de Matrículas atuou com prazos para o direcionamento dos alunos às unidades de ensino, com base em critérios de designação previamente estabelecidos.

Os pais ou responsáveis que por algum motivo não inscreveram os menores para as vagas e ainda querem encaminhá-los para unidades de ensino deverão procurar a Central de Matrículas para verificação dos procedimentos.

Para este ano, a administração municipal ampliou o número de vagas na Educação Infantil, com a operacionalização de novas unidades de Ceim’s, no Jardim Colibri e no Idelfonso Pedroso, investindo também nas conveniadas. Esse trabalho foi possível por meio de gestão e investimento, sendo um ponto priorizado pela prefeita Délia Razuk diante da preocupação em atender essa demanda, tendo em vista, principalmente as mães que trabalham fora e precisam contar com os locais para deixar os filhos.

O secretário de Educação, Upiran Gonçalves informou que a Prefeitura já encaminhou a compra de uniformes e kits escolares, cuja previsão de entrega é o mês de março.

Dourados conta com 45 escolas municipais, 38 Centros de Educação Infantil, além do convênio com oito instituições para o Ensino Infantil.

Mais de 28 mil alunos voltam às aulas nas unidades escolares e centros de educação infantil na segunda-feira –  A. Frota

 

Simone comanda a CCJ; Nelsinho a Comissão das Relações Exteriores e Soraya a de Agricultura - Foto: Jefferson Rudy, Pedro França e Roque de Sá

Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul se tornou a bola da vez no cenário da política nacional. Além de ocupar dois ministérios e mais quatro cargos de expressão no governo Jair Bolsonaro, o Estado tem três senadores na presidência de comissões de destaque no Senado Federal. Simone Tebet (MDB) foi eleita para comandar a mais importante delas: de Constituição e Justiça. Ela ganhou projeção e força política para assumir esse cargo depois de desafiar o senador Renan Calheiros (MDB-AL) na disputa pela presidência do Senado. 

Simone desistiu de concorrer à presidência para apoiar Davi Alcolumbre (DEM-AP), que saiu vitorioso da disputa depois da renúncia da candidatura de Renan Calheiros.

O senador Nelsinho Trad (PSD) foi escolhido para presidir a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Esse cargo sempre foi reservado para os senadores de grande expressão nacional. Dois ex-presidentes da República comandaram essa comissão, como José Sarney (PMDB/AP) e Fernando Collor de Mello (PROS/AL). O último presidente foi também um sul-mato-grossense, Pedro Chaves (PSC).

 

Correio do Estado

Tereza Cristina ganhou força política como líder nacional do agronegócio e virou ministra - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Mato Grosso do Sul

Pela primeira vez, Mato Grosso do Sul tem maior representatividade no governo federal. O fato inédito é o Estado ter dois ministros: Tereza Cristina, na Agricultura, e Luiz Henrique Mandetta, na Saúde. Os dois são do DEM. A nomeação do capitão da PM, Cláudio César Felipe, para chefe de gabinete do ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Santos Cruz, mostrou a força do Estado no governo de Jair Bolsonaro.

Mais um capitão, agora do Exército, Brás Luiz Sérgio, assumiu o cargo  de chefe de gabinete do general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional. Outro sul-matogrossense, Edson Garcia, está no comando das Centrais Elétricas de Brasília.

Os deputados estaduais comentaram, ontem, a nomeação do capitão em importante cargo dentro do Palácio do Planalto. “Nunca tivemos na história de Mato Grosso do Sul tanto prestígio como estamos tendo com essas atitudes de Bolsonaro”, declarou o deputado João Henrique Catan (PR).

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Dourados

A justiça decidiu manter preso o vereador Idenor Machado (PSDB). Ele é um dos alvos na Operação Cifra Negra, desencadeada no dia 5 de dezembro do ano passado e que investiga esquema de corrupção na contratação de serviços de tecnologia e gestão na Câmara Municipal. 

A decisão foi tomada pelo juiz Luiz Alberto de Moura Filho, da 1ª Vara Criminal local na sexta-feira (8/2), três dias depois da defesa do parlamentar entrar com pedido de relaxamento de sua prisão. 

Idenor foi preso pela segunda vez no dia 30 de janeiro, após ter conquistado a liberdade há quase dois meses, para responder as investigações fora da cadeia. 

No entender do magistrado, o vereador “supostamente integra organização criminosa especializada em fraudar licitações, mediante desvio de verbas públicas e ainda supostamente perpetrou os crimes de peculato e corrupção passiva”.

Quando desencadeada a Operação Cifra Negra, outros dois vereadores, Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB), além do ex-parlamentar Dirceu Longhi (PT), empresários e ex-servidores da Câmara acabaram presos. 

Idenor continua preso numa das celas da PED (Penitenciária Estadual de Dourados). 

O novo mandado de prisão contra ele foi expedido após, segundo o Ministério Público Estadual, o parlamentar transitar pelas dependências da Casa de Leis, o que era proibido de acordo com as medidas cautelares estabelecidas contra ele. 

Além de Machado, Cirilo Ramão (MDB) também foi preso novamente, na semana passada, pelo mesmo motivo. 

 

Dourados News

O presidente Jair Bolsonaro disse que pretende “bater o martelo” hoje (14) sobre a proposta da reforma da Previdência que será encaminhada pelo governo federal ao Congresso. Segundo ele, será fixada a idade mínima de 62 ou 65 anos para homens e 57 ou 60 anos para mulheres, incluindo um período de transição.

A definição depende de uma reunião que Bolsonaro terá à tarde com a equipe econômica. Ele também afirmou que as regras aplicadas às Forças Armadas serão estendidas aos policiais militares e bombeiros.

“Eu não gostaria de fazer a reforma da Previdência, mas sou obrigado a fazer, do contrário o Brasil quebrará em 2022 ou 2023”, afirmou o presidente em entrevista exclusiva à TV Record na noite de ontem (13).

Bolsonaro não adiantou qual será a idade mínima para homens e mulheres, mas assegurou que o período de transição será fixado. No caso da idade mínima maior – 60 anos para mulheres e 65 para homens, a transição será de 2022 a 2023. “Vou conversar com a equipe econômica”, acrescentou.

Saúde

Após 17 dias internado para a terceira cirurgia, na qual foi submetido para a retirada da bolsa de colostomia, o presidente afirmou que o período mais difícil foi o da recuperação no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Ele lembrou que passou por uma pneumonia, o que atrasou sua alta hospitalar.

 “[O médico disse que] não se lembra de ter encontrado um intestino com mais aderência do que o meu”, afirmou. “Mas estamos prontos para voltar ao batente.”

O presidente ficará, nos primeiros dias, no Palácio da Alvorada, a residência oficial, com supervisão médica e retomará gradualmente as atividades, segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros.

PCC

Bolsonaro afirmou que, embora tenha sido uma decisão do Ministério Público de São Paulo transferir 22 presos ligados ao grupo organizado Primeiro Comando da Capital (PCC) para três presídios federais, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, acompanhou todo o processo.

 De acordo com a decisão judicial que decretou a transferência, os presos ficarão em RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) por 60 dias após a chegada aos presídios federais de segurança máxima.

“O ministro Sergio Moro tem tratado este assunto de forma excepcional”, destacou.

Brumadinho

Após a tragédia em Brumadinho (MG), causada pelo rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, na qual 165 pessoas morreram e 155 estão desaparecidas, o presidente disse que o governo federal trabalha intensamente em um “plano seguro” para as cerca de mil barragens existentes no país.

Segundo Bolsonaro, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, coordena os trabalhos para definir o plano que será executado em conjunto com outras pastas no esforço de impedir acidentes como o registrado, no último dia 25, nos arredores de Belo Horizonte.

O presidente ressaltou que o “houve uma pronta resposta do governo federal”. “No dia seguinte, fomos oferecer o apoio para o estado de Minas Gerais”, disse. “O almirante Bento está tomando providências juntamente com outros ministros para que as mil barragens possam ter um plano seguro para que não haja mais esse tipo de desastres.”

Governo

Bolsonaro reiterou que sua relação com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, é excelente e que ambos mantêm diálogo contínuo. Segundo ele, Mourão está apto para substituí-lo em eventualidades. “Temos excelente diálogo. Cada vez mais estará preparado para nos substituir.”

Bolsonaro disse ainda que acompanha a investigação sobre quatro filiadas ao PSL, legenda do presidente, por suspeita de terem atuado como “laranjas” para o desvio de dinheiro público destinado ao partido por meio do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). Matérias veiculadas na imprensa associam o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, a essa prática.

O presidente reiterou que é uma “minoria” dentro do partido que está sob suspeita e que a Polícia Federal foi encarregada do caso. “O partido tem de ter consciência. Não são todos, é uma minoria. Logo depois da minha eleição, eu dei carta branca para apurar qualquer tipo de crime de corrupção e lavagem de dinheiro.”

Bolsonaro disse que Bebianno responderá pelo que for responsabilizado. “Se tiver envolvido e logicamente responsabilizado, lamentavelmente o destino não pode ser outro a não ser o retorno das suas origens.”

 

Agencia Brasil

Ministro da Justiça, Sergio Moro, em sabatina com parlamentares sobre o pacote anti-corrupção Foto: Jorge William / Agência O Globo

Politica

A equipe do ministro da Justiça, Sergio Moro , prepara um segundo pacote de alterações legislativas para ser enviado ao Congresso, desta vez com o objetivo de antecipar a arrecadação do dinheiro decorrente dos bens apreendidos com traficantes e outros criminosos. Além de permitir a venda antecipada de móveis e imóveis produto do crime, o projeto define que o recurso obtido nessa transação já seja depositado na conta do Tesouro para ser destinado a políticas públicas.

Nas regras atuais, essa destinação final dos bens apreendidos só ocorre quando a ação penal transita em julgado, ou seja, esgotam-se as possibilidades de recursos. Se o dono do patrimônio for inocentado ao fim do processo, o governo ficará com o encargo de devolver o montante corrigido em três dias, prevê o projeto em elaboração. Mas essa hipótese é bastante residual, de menos de 10% dos casos, segundo Luiz Beggiora, titular da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), vinculada à pasta de Moro.

À frente da elaboração dos projetos, Beggiora disse que a medida tem dois objetivos principais: evitar a deterioração dos bens apreendidos que hoje ficam em pátios a céu aberto e tornar mais dinâmico o repasse dos recursos confiscados do crime para projetos de prevenção de drogas, aperfeiçoamento das polícias e programas de reinserção social de dependentes.

 

O Globo

Foto - Divulgação

Politica

O texto-base da reforma da Previdência foi concluído pela equipe de governo e agora aguarda a análise do presidente Jair Bolsonaro, ainda internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Segundo o secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, que esteve hoje (12) reunido com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília, o presidente dará a palavra final sobre o projeto que será enviado à Câmara dos Deputados.

“Evidente que existem pontos que serão levados à presença do presidente para que ele possa tomar sua posição, possa definir de que forma isso possa chegar à Câmara Federal”, disse Marinho.

O secretário informou que o texto foi construído por diversas áreas do governo, além da contribuição de economistas e avaliação do projeto enviado pelo ex-presidente Michel Temer ao Congresso. Ele não antecipou nenhuma regra.

Marinho disse que o texto final é “bem diferente” da minuta do projeto que vazou para a imprensa na semana passada. Nessa minuta, o governo proporia idade mínima única de 65 anos para homens e mulheres se aposentarem no Brasil. Além disso, a minuta de projeto ainda previa um mínimo de 20 anos de contribuição para o trabalhador receber 60% da aposentadoria chegando, de forma escalonada, até o limite de 40 anos, para o recebimento de 100%. 

Perguntado sobre quando o projeto será apresentado à sociedade, Marinho respondeu que isso vai ocorrer o mais rapidamente possível. “Vamos aguardar que o presidente convalesça, que ele esteja em plena condição de exercício do seu mandato, que eu espero que seja amanhã ou quinta-feira, e, apresentado [o texto] ao presidente, ele vai definir o prazo”, disse o secretário.

Militares

Sobre a inclusão de militares na reforma, mais cedo o senador Major Olímpio, líder do PSL, disse, ao deixar o Ministério da Economia, que os próprios militares apresentaram uma proposta para a Previdência. 

“Os próprios comandantes militares, o ministro da Defesa [general Fernando Azevedo] têm se debruçado sobre isso. Os militares que estão fazendo propostas. Tudo vai cair aqui dentro da área técnica, da área econômica. Os militares, que são sempre solução para o nosso país, não são problema, também estão fazendo suas propostas. Vamos ver a viabilidade dessas propostas”, disse. 

O senador também esteve reunido com Guedes, no ministério.

 

Agencia Brasil

Wilson Dias/Agência Brasil

Politica

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça (12) a primeira medida da legislatura: o projeto de lei que determina o cumprimento imediato, pelo país, de sanções impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) relacionadas ao crime de terrorismo, principalmente o bloqueio de ativos. O texto segue para análise do Senado.

Encaminhado pelo Executivo no ano passado, o PL 10431/18 tem como objetivo a prevenção e o combate ao terrorismo, incluindo a lavagem de dinheiro e o financiamento de atos ou grupos terroristas. 

Para que fosse aprovado, o relator do texto, deputado Efraim Filho (DEM-PB), retirou trechos do projeto considerados “ofensivos à soberania nacional” por parlamentares da oposição. O projeto prevê o bloqueio imediato de bens de empresas e de pessoas associadas ao terrorismo e também a proliferação de armas de destruição em massa. 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, preside a primeira sessão de votações da nova legislatura
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, preside a primeira sessão de votações da nova legislatura - Wilson Dias/Agência Brasil

Atualmente, a legislação brasileira já prevê o bloqueio de bens, que é determinado por meio de autorização judicial, o que segundo a ONU, deixa o processo demorado. O novo dispositivo prevê que o bloqueio seja homologado pelo Executivo.

O relator também excluiu do texto dois dispositivos que davam ao Ministério da Justiça e ao Ministério de Relações Exteriores a prerrogativa de decidir qual brasileiro poderia ter seu nome incluído em lista do Conselho de Segurança da ONU, sem prévia ordem judicial, destinada a indicar ativos passíveis de bloqueio por acusação de participação em atos de terrorismo ou seu financiamento. 

A recomendação para a medida veio do Grupo de Ação Financeira (Gafi), que reúne 35 países. Em 2010, o grupo apontou deficiências na legislação brasileira e as medidas necessárias para a correção. Vários aspectos legais foram solucionados, exceto a legislação sobre o bloqueio de bens. Como já foi advertido, o país pode sofrer sanções da ONU caso não reveja a lei.

Após a votação, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), descartou que a medida se trate de criminalização de movimentos sociais, mas de "sanções da ONU, ao qual o Brasil é signatário". "A ONU nunca vai criminalizar movimento social, até porque eles não têm nem essa força do ponto de vista jurídico no nosso país", disse.

 

Agencia Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu alta na manhã de ontem (11) da Unidade de Terapia Semi-intensiva, após melhora do quadro clínico, e está internado em apartamento no Hospital Israelita Albert Einstein, informou boletim médico divulgado há pouco.

O presidente não tem dor, nem febre e segue com melhora do quadro pulmonar. Na última semana, ele havia sido diagnosticado com pneumonia. Foi suspensa a nutrição parenteral (endovenosa) e introduzida dieta sólida leve e mantido o suplemento nutricional.

Presidente Jair Bolsonaro divulga foto em que aparece se barbeando (Jair Bolsonaro/Redes Sociais)
Presidente Jair Bolsonaro divulga foto em que aparece se barbeando  - Jair Bolsonaro/Redes Sociais

Estão sendo mantidas também as medidas de prevenção de trombose venosa, realizados exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto.

Por ordem médica, as visitas permanecem restritas. O governador de São Paulo, João Doria, visitou o presidente na tarde desta segunda-feira e disse que ele deve ter alta ainda esta semana. De acordo com o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, no entanto, não há ainda previsão de alta para Jair Bolsonaro. "A alta do presidente dar-se-á quando ele esteja em condições de sair do hospital, usando uma metáfora, pela porta frente", disse o porta-voz.

Além do governador de São Paulo, se reuniram com o presidente, no hospital, os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, da Defesa, Fernando Azevendo e Silva, e o chefe do Gabinente de Segurança Institucional, Augusto Heleno. Nos encontros, Bolsonaro tratou de assuntos do governo. O secretário de segurança pública de São Paulo, João Campos, também fez uma visita de cortesia ao presidente. 

Jair Bolsonaro também autorizou, nesta segunda, o afastamento do país do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que participará, de 12 a 15 de fevereiro, em Washington (EUA), da primeira conferência humanitária do governo interino da Venezuela, informou o porta-voz. 

 

Agencia Brasil

O presidente Jair Bolsonaro acordou bem e sem febre nesta segunda  (11). Ele se alimentou no café da manhã com creme de frutas e chá.

O presidente segue uma dieta cremosa, menos densa do que a pastosa.

Jair Bolsonaro faz caminhada no Hospital Albert Einstein
Bolsonaro caminha no Hospital Albert Einstein - Presidência da República

Bolsonaro está internado há 14 dias no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, após cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal e retirada da bolsa de colostomia.

Ele iniciou ontem a redução da nutrição parenteral (endovenosa), ingerindo suplemento nutricional por via oral. Seu almoço no domingo foi creme de mandioca com carne e gelatina.

Evolução

Internado na Unidade Semi-Intensiva do hospital, o presidente apresenta boa evolução clínica. De acordo com o boletim médico, o quadro pulmonar apresenta melhora significativa, e ele continua sendo tratado com antibióticos.

Na agenda oficial da Presidência, não estão previstos compromissos para hoje. O porta-voz, general Otávio Rego Barros, fará o briefing sobre o quadro de saúde do presidente às 17h, em Brasília.

 

Agencia Brasil

 

Secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Economia

O presidente Jair Bolsonaro e a equipe econômica do governo decidiram que a proposta de reforma da Previdência fixará uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homens e 62 anos para mulheres, com um período de transição de 12 anos. A proposta de reforma do sistema previdenciário será encaminhada ao Congresso na próxima quarta-feira (20).

As informações são do secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, ao final da reunião com o presidente, no Palácio da Alvorada. Foram cerca de duas horas de reunião, com a participação dos ministros da Economia, Paulo Guedes; da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; e da Secretaria de Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz.

Marinho disse que a equipe econômica defendeu uma idade mínima de 65 anos para homens e para mulheres. Já o presidente discordava da idade mínima das mulheres: queria 60 anos. Além disso, o tempo de transição desejado pelos economistas era de dez anos, algo também negociado por Bolsonaro, que queria 20 anos de transição. No final, o consenso ficou em 12 anos.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, fala à imprensa sobre a reforma da Previdência, após reunião com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada.
O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, fala sobre a reforma da Previdência, após reunião com o presidente Jair Bolsonaro  - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Depois de assinar o texto da reforma, na próxima quarta-feira, Bolsonaro vai fazer um pronunciamento à nação para explicar a necessidade de mudar as regras para aposentadoria no país. “O presidente fará um pronunciamento à nação, explicando de que forma essa nova Previdência vai ser encaminhada ao Congresso para ser discutida. E esperamos que seja aprovada brevemente”, disse Marinho.

Segundo Marinho, os detalhes da proposta só serão conhecidos na quarta-feira. “O presidente bateu o martelo e pediu para que divulgássemos apenas algumas informações. O conteúdo do texto vai ficar para o dia 20. Os detalhes da proposta serão conhecidos pelo Congresso Nacional, até como uma deferência ao Parlamento”.

O texto já havia sido formatado ao longo das semanas e foi trazido para aprovação final do presidente. “Ao longo do período da elaboração da proposta, o presidente estava sendo informado periodicamente. Voltamos hoje com o texto já finalizado”, disse o secretário. Após as alterações negociadas entre Bolsonaro e sua equipe, o texto vai para a área técnica da Presidência da República, onde será validada sua constitucionalidade antes que o presidente possa assinar.

O governo calcula que a reforma vai permitir uma economia de R$ 1 trilhão nos próximos dez anos. Por se tratar de uma proposta de emenda constitucional (PEC), a reforma da Previdência precisa ser votada em dois turnos na Câmara e depois no Senado, com apoio de no mínimo dois terços dos deputados e dos senadores em cada votação.

 

Agencia Brasil

Divulgação/Ari Versiani/PAC

Economia

O Brasil, os Estados Unidos e o México despontam como líderes na produção de energia eólica nas Américas, segundo dados recentes do Conselho Global de Energia Eólica (Global Wind Energy Council – GWEC, na sigla em inglês). Como um todo, as Américas do Norte, Sul e Central responderam por 25% do total da capacidade instalada global dessa energia em 2018.

Segundo o GWEC, a capacidade instalada total de energia eólica nas Américas agora totaliza 135 GW – aumento de 12% em relação a 2017. A expectativa é que a procura por esse tipo de energia na região continue, e a organização prevê a adição de 60 GW em novas capacidades eólicas entre 2019 e 2023.

Sediado em Bruxelas, na Bélgica, o GWEC é um órgão que representa o setor de energia eólica global, reunindo mais de 1,5 mil empresas e organizações em mais de 80 países, incluindo fabricantes, institutos de pesquisa, associações nacionais de energia eólica, fornecedoras de energia, empresas financeiras e seguradoras.

No Brasil

Líder em energia eólica na América do Sul, o Brasil adicionou 2 GW de capacidade eólica à sua matriz energética em 2018 e leiloou capacidade desse tipo de energia a preços competitivos em nível global de U$ 20 por MWh, segundo o GWEC.

A informação é confirmada pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério das Minas e Energia, Reive Barros. Segundo ele, o Brasil tem hoje capacidade instalada de produção de energia eólica de 14,7 GW. “Isso representa, na matriz energética brasileira, cerca de 8% do total. A meta é que daqui a 10 anos este percentual suba para 13%.”

O secretário disse que a Região Nordeste responde por 85% da produção de energia eólica brasileira, com destaques para os estados do Piauí, Rio Grande do Norte e Bahia, nesta ordem. “Num prazo mais longo, contudo, a Bahia deverá assumir a liderança, por suas dimensões territoriais e potencialidades.”

Para este ano, Barros diz que estão previstos dois leilões para implantar parques eólicos no país. Um no primeiro semestre, a ser implantado em quatro anos, e outro no segundo semestre, com prazo de implantação de seis anos. “Nossa meta para a energia eólica no Brasil é crescer 2,2% ao ano.”

Américas

Os dados mais recentes divulgados pelo GWEC mostram que em 2018 a capacidade instalada de energia eólica das três Américas foi de 11,9 GW – aumento de 12% em relação a 2017. Na América do Norte (Canadá e EUA), houve aumento de 10,8% na capacidade adicionada em relação a 2017. Já na América Latina, a adição de capacidades cresceu 18,7% em relação a 2017.

Segundo o GWEC, na América Latina, o compromisso com leilões serviu para impulsionar o desenvolvimento do setor. A expectativa é que a região continue a crescer na área eólica em 2019, com expansão maior da cadeia de suprimentos.

“O desenvolvimento do mercado de energia eólica na América Latina se mostra bastante positivo. O Brasil realizou novamente leilões de grande escala e esperamos que o primeiro leilão na Colômbia ocorra este mês de fevereiro. Outros investimentos na cadeia de suprimentos por parte das principais fabricantes de equipamentos originais na Argentina comprovam o potencial do mercado no longo prazo”, disse Ben Backwell, diretor do GWEC.

Por causa de sua forte caracterítica ecológica, a geração de energia eólica contribui de forma significativa para ajudar os países a cumprirem com suas metas previstas em acordos internacionais sobre o clima. O crescimento desse tipo de energia é parte fundamental da solução para reduzir emissões de gases, fortalecer a segurança energética, reduzir custos e aumentar o investimento em economias locais.

De acordo com Karin Ohlenforst, diretora de Inteligência de Mercado do GWEC, “o crescimento da energia eólica na América do Sul, em particular, comprova como essa fonte energética é competitiva nos mercados de leilão".

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

A Receita Federal abre hoje (8) consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física de fevereiro. Ao todo, serão desembolsados R$ 401 milhões para 142,6 mil contribuintes que estavam na malha fina das declarações de 2008 a 2018, mas regularizaram as pendências com o Fisco.

A lista com os nomes estará disponível a partir das 9h no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

As restituições terão correção de 5,68%, para o lote de 2018, a 107,8% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração no próximo dia 15. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Economia

O Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3, antiga BM&F Bovespa, encerrou o pregão de hoje (6) com queda de 3,74%, aos 94.635 pontos. O recorde do índice, de 98.588 pontos, foi registrado na segunda-feira (4).

Entre as ações que compõem o Ibovespa, apenas os papéis da Suzano Papelon apresentaram alta hoje: valorizaram 1,18%. As maiores quedas ficaram por conta das ações da Viavarejo ON (- 8,64%), Cielo ON (-7,42%), e Mafrig ON (-6,43%). Os papéis mais negociados foram os da Petrobras PN (-2,26%), ItauUnibanco (-4,21%), e Vale ON (-4,63%).

O dólar comercial fechou o dia em alta de 1,09%, cotado a R$ 3,70. O Euro também valorizou. Subiu 0,54%, e encerrou o dia custando R$ 4,20.

 

 

Foto - Divulgação

Economia

A forte queda nas exportações foi o principal fator da retração na produção de veículos em janeiro, disse o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale. Segundo o balanço divulgado hoje (6) pela entidade, na comparação entre o mês passado e janeiro de 2018, houve uma redução de 46% nas vendas para o exterior. Foram comercializadas para fora do país 25 mil unidades em janeiro deste ano, contra 46,4 mil no mesmo mês do ano passado.

“O que está em desacordo com as nossas expectativas são as exportações. Os números não foram bons, exportamos somente 25 mil veículos. É um número inferior ao que a gente gostaria”, disse Megale ao comentar os números do setor.

Em valores, houve uma retração de 29,1% nas exportações, com um faturamento de US$ 712 milhões no último mês de janeiro, contra US$ 1 bilhão no mesmo mês de 2018. No segmento de veículos comerciais leves a queda ficou em 31,7%, as receitas foram de US$ 479,1 milhões no primeiro mês de 2019 e de US$ 701,7 milhões em janeiro de 2018.

Um dos principais destinos dos carros brasileiros, a Argentina enfrenta dificuldades econômicas e preocupa as montadoras. “Estamos acompanhando o mercado argentino, que é o nosso principal mercado e eles ainda estão em dificuldade. Então, nós vamos passar ainda alguns meses com exportações baixas. Nós temos a expectativa que a partir do meio do ano a coisa comece a reverter”, disse Megale.

A produção de veículos caiu 10% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2018. Foram fabricados 196,8 mil unidades no último mês, contra 218,7 mil em janeiro do ano passado.

Recuperação

No panorama geral, o presidente da Anfavea avalia que a economia e, consequentemente o mercado interno, mostram sinais de recuperação. “Me parece que a questão do desemprego ainda é grave, mas começa a ceder. As pessoas começam a ter um pouco mais de segurança no seu emprego. Isso ajuda muito na hora de decidir comprar um bem como um automóvel”, disse.

No acumulado dos últimos 12 meses, no entanto, houve um crescimento 2,9% na produção de veículos. Saíram das montadoras 2,86 milhões de unidades de fevereiro de 2018 a janeiro deste ano. No período anterior, foram fabricados 2,78 milhões de veículos.

Sobre a queda de 14,8% nas vendas de janeiro em relação a dezembro, Megale disse que é um movimento sazonal natural e que a comercialização está em um patamar razoável. “Desde 2015 a gente não tinha um mercado entorno de 200 mil unidades”, destacou. Foram licenciadas em janeiro, 199,8 mil unidades e, em dezembro, 234,5 mil.

 

Agencia Brasil

Pela sétima vez seguida, o Banco Central (BC) não alterou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 6,5% ao ano, na primeira reunião do órgão do ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Com a decisão de hoje, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano em março de 2018.

Em comunicado, o Copom informou que a manutenção dos juros em níveis baixos depende do progresso de reformas estruturais da economia brasileira. Segundo o BC, a percepção de continuidade dessas medidas afeta as expectativas econômicas.

Em relação ao cenário externo, a nota indicou que diminuiu o risco de inflação provocada por instabilidades na economia internacional. Isso porque fatores como as disputas comerciais e o Brexit – saída do Reino Unido da União Europeia – podem fazer a economia global desacelerar neste ano.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em 2018, o indicador fechou em 3,75%, contra 2,95% em 2017. O índice de janeiro só será divulgado nesta sexta-feira (8).

Para 2019, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabeleceu meta de inflação de 4,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. O IPCA, portanto, não poderá superar 5,75% neste ano nem ficar abaixo de 2,75%. A meta para 2020 foi fixada em 4%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.

Inflação

No Relatório de Inflação divulgado no fim de dezembro pelo Banco Central, a autoridade monetária estima que o IPCA encerrará 2019 em 4% e continuará baixo até 2021. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a inflação oficial deverá fechar o ano em 3,94%.

Depois de fechar abaixo do piso da meta em 2017, a inflação subiu no ano passado afetada pela greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias e provocou desabastecimento de alguns produtos no mercado, e por causa da alta do dólar no período. Mesmo assim, o IPCA voltou a registrar níveis baixos nos últimos meses de 2018, tendo encerrado o ano abaixo de 4%.

Crédito mais barato

A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. No último Relatório de Inflação, o BC projetava expansão da economia de 2,4% para este ano. Segundo o boletim Focus, os analistas econômicos preveem crescimento de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos pelo país) em 2019.

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir.

 

Agencia Brasil