Dourados-MS,
Assembléia - Audiencia Publica

Grid List

ASSECOM 3º BPM

Dourados

Policiais da Radio patrulha fizeram na manhã dessa sexta-feira(25) a recuperação de uma motocicleta que teria sido furtada na manhã de 24/05 no BNH 4º plano.

Os policiais receberam uma denúncia de que teria uma moto abandonada na rua Arapongas, próximo a matinha, sendo que em diligencias pelo local foi encontrada uma motocicleta Honda CG 125 Titan de cor verde com placa de Itaporã, sem as rodas e alguns assessórios. Em checagem ao veículo foi constatado que o mesmo seria produto de furto.

A motocicleta foi encaminhada ao 1º DP.

 

 

ASSECOM 3º BPM

Foto - Divulgação

Dourados

O fazendeiro Alcino Dias Campos, 82, conhecido como “Criatura” foi absolvido pelo assassinato do advogado Paul Oserow, em março de 2010, no interior do Cartório do 1° Ofício em Dourados. A decisão do júri ocorreu nesta quinta-feira (24), no Fórum Dr. João Adolfo Astolfi, em Dourados. 

A justiça entendeu que no caso ocorreu legítima defesa putativa. Alcino foi absolvido por quatro votos a favor, sendo que não ocorreu voto contrário. 

Foi determinada ainda a devolução ao fazendeiro da arma utilizada no crime, pistola calibre 380. Ele possuía porte regulamentar da mesma, bem como registro ‘legal’. 

O caso 

O advogado Paul Oserow, de 62 anos, foi assinado com quatro tiros de pistola, dentro do Cartório do 1º Ofício em Dourados, no dia 26 de março de 2010. O fazendeiro Alcino Dias Campos, na época com 75 anos foi acusado pelo crime. 

O desentendimento entre os dois seria por conta de problemas quanto a documentação de um imóvel. O “Criatura” fugiu após a ação. 

Alguns dias depois, o então acusado se apresentou no 1° Distrito Policial acompanhado de advogado. 

 

 

Dourados News

O Corpo de Bombeiros apagou as chamas e realizou o procedimento de resfriamento do local - Foto: Maikon Leal/Coxim Agora

Outras Cidades

Veículo Gol, com placas aparentes de Dourados, foi encontrado em chamas pelo Corpo de Bombeiros, na noite de ontem (22), em estrada rural, próximo ao Bairro Previsul, em Coxim. Não havia ninguém dentro do carro. 

Segundo boletim de ocorrência, por volta das 23h, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados no endereço. Os militares apagaram o fogo e fizeram o procedimento de resfriamento do veículo.

Os bombeiros entregaram a placa aos policiais que acabaram descobrindo que o carro carro tinha sido furtado em São Gabriel do Oeste no mês passado.

A perícia foi acionada no local e o caso será investigado.

 

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Outras Cidades

Genival Rodrigues de Almeida, de 45 anos, foi executado por pistoleiros na noite de ontem, na frente do filho, no município de Sete Quedas, na fronteira com o Paraguai. Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu por volta das 18h30, na Rua Érico Veríssimo, momento em que a vítima chegava em casa.

Conforme relatado pelo filho à polícia, ele disse ter visto o pai chegando de carro e estacionado sobre a calçada como de costume. O homem desembarcou do veículo e quando estava entrando no imóvel, foi surpreendido por dois desconhecidos que se aproximaram em uma moto e começaram a atirar.

Genival foi atingido próximo ao queixo, braço e tórax. No local foram apreendidas sete cápsulas de munição calibre .40. O socorro chegou a ser acionado, mas o homem morreu antes mesmo que pudesse ser encaminhado ao hospital. Ainda não há informações sobre a identificação dos autores. O caso é investigado.

 

 

Correio do Estado

Proprietário da carne terá que explicar origem do produto e autorização oficial - Foto: Capitan Bado

Outras Cidades

O condutor de uma caminhonete da marca Chevrolet Silverado, com placa do Paraguai, AFK-339, foi flagrado nesta terça-feira (22) por policiais militares do município de Antonio João, município localizado a 50 quilômetros de Pedro Juan Caballero, transportando um total de 1.200 quilos de carne de origem duvidosa e sem documentação.

Segundo informação da PM, os detidos foram identificados como Pedro Paulo Alvarenga Cabañas (condutor) e Fabio Gustavo Díaz Ferreira (carona), ambos cidadãos paraguaios.

O achado aconteceu durante abordagem de fiscalização e descobriram a carne armazenada na correceria e coberta por uma lona.

Aos agentes, os homens disseram que foram contratados pelo fazendeiro, Antônio Barboza para levar a carne até Ponta Porã, para ser comercializada nos açougues da fronteira.

Depois de algumas horas, o produtor rural compareceu ao quartel e confirmou que era dono da carne apreendida. 

Barboza explicou que os animais foram abatidos durante sua estada em Pedro Juan Caballero e que contratou os dois trabalhadores para transportar o produto até a fronteira, e posteriormente ser comercializada em Ponta Porã e Pedro Juan Caballero. 

Apesar da argumentação, a secretaria de Vigilância em Saúde, de Antônio João solicitou a apreensão da carne e vai indiciar o produtor rural, que deverá esclarecer a origem do produto, uma vez que há relatos frequentes de roubo de gado na região.

 

 

Correio do Estado

 

Motorista receberia R$ 5mil pelo transporte do entorpecente e dinheiro falso - Foto: PRF/MS Divulgação

Outras Cidades

Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordou nesta segunda-feira (21), por volta das 10h, na rodovia BR-267, km 18, em Bataguassu, um veículo Fiat Uno, conduzido por um homem de 35 anos.

Os policiais solicitaram o documento de habilitação, o qual verificaram que era falsa e após revista realizada no interior do carro foram encontrados alguns tabletes de maconha, totalizando 48 quilos. 

No entanto, o que chamou atenção foram maços de cédulas de dinheiro, aparentemente notas falsas, totalizando R$ 44 mil reais. 

Durante depoimento, o condutor declarou que pegou o veículo já carregado com a droga e o dinheiro em Ponta Porã e que tinha objetivo de levá-los até a cidade Goiânia (GO). Pelo serviço, o motorista receberia R$ 5 mil. 

 

 

Correio do Estado

Finalizando a segunda semana de compromissos pela Liga das Nações, em Ancara, na Turquia, a Seleção Brasileira feminina de vôlei teve ótimo desempenho nesta quinta-feira e chegou à quinta vitória consecutiva no torneio. O adversário da vez foi a República Dominicana, que, sofrendo com a consistência e a variação de jogadas do time dirigido por Zé Roberto Guimarães, perdeu por 3 sets a 0, com parciais de 25/20, 25/10 e 25/13.

As dominicanas chegaram a equilibrar em alguns momentos, mas não conseguiram frear o volume de jogo das brasileiras, que cometeram pouquíssimos erros e tiveram amplo domínio da partida. Individualmente, o destaque ficou por conta de Adenízia, que teve uma grande atuação no meio de rede e nos bloqueios dos ataques das rivais.

Com o triunfo, o Brasil chega a 15 pontos ganhos na competição e permanece na vice-liderança, com um ponto a menos que os Estados Unidos, que venceram a Bélgica também nesta quinta-feira. A Seleção volta a atuar na próxima terça-feira (29), já em Apeldoorn, na Holanda, onde enfrenta a Coreia do Sul. A República Dominicana, com apenas cinco pontos ganhos, cai para 13ª posição da tabela.

Brasil acumula cinco vitórias e apenas uma derrota na Liga das Nações (Foto: William Lucas/CBV)
O Jogo

As dominicanas começaram bem no jogo e, logo de cara, abriram três pontos de frente. O Brasil não se abalou, empatou, virou e chegou a dois pontos de vantagem. Errando pouco e muito menos que as adversárias, as comandadas de Zé Roberto Guimarães conseguiram uma folga no placar pouco antes da reta final do primeiro set. Mantiveram o ritmo e fecharam a parcial em 25 a 20.

Principal arma ofensiva do Brasil, Tandara foi bem marcada no primeiro período. Porém, a equipe verde e amarela mostrou um repertório de ataque mais extenso que a República Dominicana, que, por sua vez, se mostrou dependente das ações de Martínez e Peña para colocar a bola no chão. Pelo meio de rede, Adenízia começou a se destacar, se tornando a maior pontuadora do Brasil na partida.

O segundo set começou bem equilibrado, com as dominicanas errando menos que no primeiro. No entanto, uma série de bloqueios de Adenízia colocou a Seleção Brasileira com ótima vantagem no marcador. Tandara também passou a aparecer bem e, na parada obrigatória, o placar marcava 16 a 6 para as brasucas. O ritmo seguiu intenso e a parcial foi fechada em 25 a 10.

O Brasil continuou não dando chance à República Dominicana no terceiro set. Com muita segurança e com as adversárias já mostrando certo desânimo, o time verde e amarelo abriu 16 a 7 na parada obrigatória. Mesmo com algumas substituições e a entrada de jogadoras que ainda não tinha atuado na partida, não sofreu riscos e fechou a última parcial em 25 a 13.

Mogi forçou o jogo 4 com a vitória (Foto: LBF/Divulgação)

Basquete

Nesta quinta-feira, no segundo jogo da final do Novo Basquete Brasil. o Mogi devolveu a derrota que sofreu em casa em casa . A equipe de Guerrinha superou o Paulistano por 84 a 70, no Ginásio Wlamir Marques, e deixou a série empatada em 1 a 1.

Os principais pontuadores das Jaguatiricas foram Jimy e Tyrone com 18 pontos cada. Além disso, o americano fez seis assistências e pegou seis rebotes. Larry Taylor fez 12 pontos e pegou nove rebotes. Pelo Tigre, Hubner teve 18 pontos e dez rebotes. Deryk anotou 12 pontos.

Depois de um início de partida com poucos pontos, o Mogi começou a acertar as cestas na segunda metade do primeiro quarto e conseguiu criar uma vantagem de 11 pontos nos primeiros dez minutos (21 a 10). O segundo período foi mais equilibrado, os dois times alternaram cestas e o jogo foi para o intervalo em 38 a 27 depois do empate em 17 a 17 no quarto.

Os dois times protagonizaram um terceiro quarto muito intenso na volta para a segunda metade do jogo e o time visitante conseguiu ampliar um pouco a sua vantagem ao ganhar os dez minutos por 34 a 28. Apesar do Paulistano ter vencido o último período, o jogo terminou em 84 a 70 para o Mogi.

As duas equipes voltam a se enfrentar no sábado, às 12h35 (de Brasília), no Ginásio Wlamir Marques.

O Corinthians não teve um mau desempenho na noite desta quinta-feira, mas ficou longe de dar ao seu torcedor o resultado que desejava. Depois de perder muitos gols, parando tanto na falta de precisão do ataque quanto em boas defesas do goleiro Faríñez, o Alvinegro viu Carillo, na metade do segundo tempo, acertar um lindo chute, no ângulo de Walter, decretando o triunfo do Millonarios na Arena Corinthians.

Apesar do resultado, o Timão se manteve na primeira posição do Grupo 7, com um saldo superior ao do Independiente, dono dos mesmos 10 pontos (6 a 2). O problema é que o time ficou apenas na sexta posição entre os primeiros colocados da competição, diminuindo a chance de decidir em casa os mata-matas. O sorteio para saber o adversário será no dia 4 de junho, na sede da Conmebol.

Na outra partida do grupo, o Independiente conseguiu uma vitória por 2 a 0 sobre o Deportivo Lara, da Venezuela, chegou aos dez pontos e sacramentou a sua classificação à próxima fase. O primeiro saiu na parte final do primeiro tempo, quando Benítez bateu escanteio, a bola saiu baixa e o goleiro Salazar falhou na tentativa de afastar, mandando para a própria meta. Na etapa final, com um a mais, os argentinos fecharam o placar com o centroavante Gigliotti.

Os comandados de Osmar Loss agora dão um tempo na disputa da Libertadores da América, que só será retomada no próximo semestre, depois da Copa do Mundo. Antes do Mundial, o Alvinegro terá pela frente seis rodadas do Campeonato Brasileiro, sendo a primeira delas o duelo contra o Internacional, às 16h (de Brasília) do domingo, no Beira-Rio.

Jogo movimentado, Corinthians descalibrado

O primeiro tempo da partida mostrou um Corinthians muito superior técnica e taticamente com relação ao adversário, focado em construir uma linha de cinco defensores, protegidos por dois volantes, evitando que o Alvinegro tivesse qualquer possibilidade de contra-ataque. Coube aos meias, então, achar espaço na defesa adversária no jogo posicionado, apostando sempre na movimentação do 4-2-4 corintiano.

A chance inicial de perigo saiu com Maycon, que se infiltrou entre os zagueiros e recebeu passe por elevação de Jadson. O canhoto teve que girar para a perna boa, perdeu um pouco de tempo, mas conseguiu proteger da chegada do zagueiro e chutar cruzado, mandando para fora do gol. Pouco depois, em cruzamento de Romero, pelo lado esquerdo, Rodriguinho não alcançou e Faríñez espalmou para o lado.

Muito espaçado em campo, o Millonarios atacava praticamente só com os três jogadores de frente, sempre dominados pela boa recomposição corintiana. Em bola parada, Del Valle saiu cara a cara com Walter e abriu o placar, mas estava em claro impedimento. A resposta corintiana veio com Rodriguinho. Até então sumido, ele recebeu na área, deu lindo drible em Rivas e, cara a cara com Faríñez, optou por chutar no canto direito, facilitando a defesa do goleiro.

O jogo diminuiu de ritmo na sequência, bastante por causa dos erros de passe dos donos da casa. Sem a necessidade da vitória para a classificação e aparentemente relaxados, os corintianos erraram 41 passes, algo grave em qualquer ocasião, ainda mais quando se tem pela frente um adversário que jogou para se defender. Dessa forma, o placar não teve como não ir zerado para o intervalo.

Golaço desmonta melhor momento corintiano

O retorno para a etapa final mostrou um Millonarios um pouco mais ofensivo, tratando de ficar mais mais com a bola e tentar trabalhar os ataques. A grande chance, no entanto, veio em um vacilo de Mantuan. último homem da defesa após cobrança de escanteio, ele errou o domínio e viu Valencia passar como um caminhão sem freio ao seu lado. O canhoto limpou o jovem lateral e ficou com o gol aberto para si, mas preferiu tocar para o meio, no pé de Gabriel, que afastou.

O lance pareceu dar ânimo ao Timão, que quase chegou ao gol antes dos 20 minutos. Após boa enfiada de Jadson, Rodriguinho tentou encobrir o goleiro e parou em boa saída do venezuelano. Na sobra, Jadson conseguiu vencê-lo, mas RIvas, em cima da linha salvou. Pouco depois, aos 24, Maycon soltou uma bomba e parou em Faríñez. Na sobra, Romero tentou de primeira e mandou rente à trave.

No melhor momento da equipe na partida, no entanto, os anfitriões foram surpreendidos. Em lance pela esquerda, Balbuena tentou fazer o corte em passe que tentava o centroavante Del Valle. A bola acabou sobrando no meio, na entrada da área, e viu Carrillo acertar um lindo chute no ângulo de Walter, que nada pôde fazer. Balde de água fria em Itaquera e muita festa dos animados colombianos.

A pressão corintiana seguiu forte e chegou a resultar em gol, mas o juiz apontou impedimento inexistente quando SIdcley serviu Dutra sem goleiro. Pouco depois, Rodriguinho ainda teve boa chance de empatar com um chute de pé esquerdo, parando em defesa de Faríñez, que assegurou o triunfo colombiano. Resultado ruim para os alvinegros, mas que ouviram da arquibancada um alento. “Eliminado”, cantaram os corintianos, em direção aos visitantes.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 0 X 1 MILLONARIOS

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 24 de maio de 2018, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Diego Haro (Peru)
Assistentes: Raúl López Cruz e Víctor Raez (ambos do Peru)
Público: 30.340 pagantes
Renda: R$ 2.044.105,52
Cartões amarelos: Mantuan (Corinthians); Rivas e John Duque (Millonarios)
Gol: MILLONARIOS: Carrillo, aos 27 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel, Maycon, Pedrinho (Mateus Vital), Jadson (Júnior Dutra), Rodriguinho e Romero (Marquinhos Gabriel)
Técnico: Osmar Loss

MILLONARIOS: Fariñez; Palacios, Figueroa, Rivas e Banguero; Matías de los Santos, John Duque (Carrillo), Salazar (Aragón), Valencia (Quiñones) e Rojas; Del Valle
Técnico: Miguel Ángel Russo

 

 

Gazeta Esportiva

Em dia de greve dos caminhoneiros e de filas quilométricas nos postos de gasolina, faltou combustível ao Santos na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, no empate em 0 a 0 com o Real Garcilaso-PER.

Diante de uma equipe fraca e já eliminada, o Peixe penou. Sem inspiração, abusou dos cruzamentos e ouviu vaias ao apito final. A única boa notícia foi a classificação como líder do Grupo 6 e a vantagem de decidir as oitavas de final da Libertadores da América em casa. O Estudiantes-ARG venceu o Nacional-URU e avançou como segundo.

Em baixa e longe do futebol ofensivo pregado pelo técnico Jair Ventura, o Santos voltará a campo no domingo para enfrentar o Cruzeiro, no Pacaembu, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Santos só empata com o Real Garcilaso (Foto: Fernando Dantas/ Gazeta Press)

O JOGO

O Santos teve 75% da posse de bola no primeiro tempo, girou o jogo de um lado para o outro a todo tempo, mas não criou como poderia. Longe disso.

Foram duas chances claras, uma com Rodrygo, aos 16 minutos, depois de lançamento de Jean Mota, e outra em boa finalização de Eduardo Sasha, aos 37′. No rebote, Vitor Bueno, com pouco ângulo, desperdiçou na pequena área.

Na saída para o intervalo, os poucos torcedores presentes na Vila Belmiro se dividiram entre aplausos e vaias. Uma das organizadas gritou: “Não é mole não, jogando com vontade ninguém ganha do Peixão”.

E NADA MUDOU…

Nas primeiras ações do segundo tempo, o Santos até pareceu que seria um time diferente, mas não foi assim. Depois de certa pressão, o Peixe voltou a ser monótono.

Posse de bola sem objetividade, desorganização e excesso de cruzamentos. Nada muito trabalhado e noite sem inspiração de pilares da equipe, como Eduardo Sasha, Rodrygo e Gabigol. Diego Pituca, estreante em Libertadores, se destacou.

Nos minutos finais, o técnico Jair Ventura confirmou o discurso de ofensividade, que só fica na teoria, e colocou Yuri Alberto e Copete nas vagas de Vitor Bueno e Pituca, respectivamente. Sim, o Peixe terminou com um meia e cinco atacantes.

O 4-1-5 deu certo? Não. No desespero, o alvinegro ainda assustou o fraco Garcilaso em alguns momentos, porém, merecidamente, o zero não saiu do placar. E a bola comemorou o apito final.

E na Argentina, o Estudiantes virou sobre o Nacional-URU, venceu por 3 a 1 e se classificou como segundo colocado do Grupo 6. O Santos venceu a equipe de La Plata na Vila Belmiro e também em Quilmes.

FICHA TÉCNICA
Santos 0 x 0 Real Garcilaso-PER

Data: 24/05/2018
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Alexis Herrera (VEN)
Assistentes: Luiz Murillo e Jorge Urrego (VEN)
Público e renda: 5.016/R$ 119.075,00
Cartões amarelos: SANTOS: Daniel Guedes e Lucas Veríssimo. REAL GARCILASO: Morales, Cóssio e Arismendi.

Santos: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Diego Pituca (Copete), Jean Mota (Renato) e Vitor Bueno (Yuri Alberto); Gabigol, Rodrygo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jair Ventura

Real Garcilaso: Morales, Arismendi, Dulanto, Lojas e Cóssio; Kontogiannis, Tragodara (Mendoza), Archimbaud, Ramúa (Pérez) e Landauri (Santillán); Vidales.
Técnico: Tabaré Silva

 

 

Gazeta Esportiva

 

 

 

Osmar Loss estreará como técnico da equipe profissional do Corinthians em uma partida de Copa Libertadores da América. A partir das 21h30 (de Brasília) desta quinta-feira, dois dias após Fábio Carille confirmar a sua transferência para o saudita Al Wehda, o seu antigo auxiliar estará em foco diante do colombiano Millonarios, em Itaquera.

O último compromisso na fase de grupos vale para o Corinthians melhorar a sua pontuação antes de iniciar o mata-mata. O time que Loss herdou de Carille já está classificado com os seus 10 pontos ganhos e dificilmente perderá a liderança da chave 7 para o Independiente (7), que tem sete gols de saldo de desvantagem e brigará pela segunda vaga contra o Deportivo Lara (6), em Avellaneda.

Mais importante do que a tabela da Libertadores, porém, é fazer com que Osmar Loss inicie bem a sua trajetória como sucessor de Carille. Aos 42 anos, o profissional gaúcho está no Corinthians desde 2013, tendo conquistado duas Copas São Paulo (2015 e 2017), um Campeonato Brasileiro sub-20 (2014) e dois Campeonatos Paulistas sub-20 (2014 e 2015). A trajetória vitoriosa na base fez com que ele virasse auxiliar do time profissional e, agora, um candidato óbvio a assumir o posto de comandante.

A princípio, Loss não mudará a formação que Carille vinha adotando. Contra o Millonarios, ele não poderá contar com o goleiro Cássio e o lateral direito Fagner, em preparação para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo, nem com o centroavante Roger, não inscrito na fase de grupos da Libertadores. Já os titulares preservados no empate por 1 a 1 com o Sport estarão em ação outra vez.

“Sabemos da importância desse jogo, da força que a gente tem dentro de casa. Vamos para cima”, pregou o lateral esquerdo Sidcley, um dos que não atuaram na rodada passada do Campeonato Brasileiro. “Mas, aqui, ninguém é titular absoluto. A gente faz o que o Corinthians precisar”, discursou.

Do outro lado, com 5 pontos ganhos, o Millonarios tem chances remotas de classificação – precisa vencer o Corinthians e contar com um empate entre Independiente e Deportivo Lara para avançar. “Será duríssimo porque o rival é forte, como tem sido esse grupo. Precisamos conseguir algo para, no mínimo, ir à Sul-Americana. Mas estamos falando de um campeão brasileiro, de um clube muito importante a nível de estrutura”, respeitou o técnico argentino Miguel Ángel Russo.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X MILLONARIOS

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 24 de maio de 2018, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Diego Haro (Peru)
Assistentes: Raúl López Cruz e Víctor Raez (ambos do Peru)

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel, Maycon, Pedrinho, Jadson, Rodriguinho e Romero
Técnico: Osmar Loss

MILLONARIOS: Fariñez; Palacios, Figueroa, Cadavid e Banguero; Matías de los Santos, John Duque, Salazar, Valencia, Rojas e Del Valle
Técnico: Miguel Ángel Russo

Instável na temporada e pressionado depois de perder para o São Paulo, o Santos tem a chance de dar uma boa notícia ao torcedor na noite desta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), na Vila Belmiro.

O Peixe enfrentará o Real Garcilaso-PER em busca do primeiro lugar do Grupo 6 na Libertadores da América. Para avançar às oitavas de final em primeiro e com a vantagem de decidir em casa, basta vencer por qualquer resultado. O adversário está eliminado, mas tem a chance de terminar em terceiro e se classificar para a Sul-Americana.

Para espantar a má fase e terminar bem a primeira fase da Libertadores, o Santos precisará superar alguns desfalques: Alison, Bruno Henrique, Arthur Gomes, Léo Cittadini e Guilherme Nunes estão no departamento médico. Yuri não está inscrito.

Renato deve ser mais uma vez escalado no Santos (Ivan Storti)

A tendência é que o capitão Renato seja mantido e atue ao lado de Jean Mota e Bueno, com o trio de ataque já conhecido pelos santistas: Gabigol, Rodrygo e Eduardo Sasha.

“A gente tem que vencer esta partida para trazer a confiança para o nosso lado. Todos ficaram chateados no fim de semana, mas é dar sequência ao nosso trabalho. Sabemos que não estamos jogando bem fora de casa, mas estamos vencendo dentro de casa. Precisamos garantir o primeiro lugar na Libertadores”, disse David Braz, em entrevista coletiva.

O Real Garcilaso deve apostar na marcação e nos contra-ataques para enfrentar o Santos na Vila. Na primeira rodada da Libertadores, no Peru, a equipe venceu o Peixe com tranquilidade por 2 a 0. Destaque para Ramúa, meia de 31 anos e autor de um gol.

O Garcilaso não vence há seis jogos, com três empates e três derrotas. A última vitória foi diante do Cantolao, por 1 a 0, no dia 10 de abril. Pela Libertadores, vem de dois 0 a 0 consecutivos contra Estudiantes-ARG e Nacional-URU.

FICHA TÉCNICA
Santos x Real Garcilaso-PER

Data: 24/05/2018
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Alexis Herrera (VEN)
Assistentes: Luiz Murillo e Jorge Urrego (VEN)

Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Renato, Jean Mota e Vitor Bueno; Gabigol, Rodrygo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jair Ventura

Real Garcilaso: Morales, Arismendi, Kontogiannis, Juan Lojas e Cossio; Luis Garcia, Tragodara e Ramúa; Peres, Landauri e Vidales.
Técnico: Tabaré Silva

Os ministros da Secretaria de Governo, Carlos Marun, da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Fazenda, Eduardo Guardia, falaram sobre acordo celebrado com representantes do movimento dos caminhoneiros - Valter Campanato/Agência Brasil

Politica

Governo e representantes de caminhoneiros chegaram a um acordo e a paralisação será suspensa por 15 dias. Em troca, a Petrobras mantém a redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 30 dias enquanto o governo costura formas de reduzir os preços. A Petrobras mantém o compromisso de custear esse desconto, estimado em R$ 350 milhões, nos primeiros 15 dias. Os próximos 15 dias serão patrocinados pela União.

O governo também prometeu uma previsibilidade mensal nos preços do diesel até o final do ano sem mexer na política de preços da Petrobras e irá subsidiar a diferença do preço em relação aos valores estipulados pela estatal a cada mês. “Nos momentos em que o preço do diesel na refinaria cair e ficar abaixo do fixado, a Petrobras passa a ter um crédito que vai reduzindo o custo do Tesouro”, disse o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia.

Os ministros  da Secretaria de Governo, Carlos Marun, da Casa Civil, Eliseu Padilha e da Fazenda, Eduardo Guardia, falam sobre acordo celebrado com representantes do movimento dos caminhoneiros.
Os ministros da Secretaria de Governo, Carlos Marun, da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Fazenda, Eduardo Guardia, falaram sobre acordo celebrado com representantes do movimento dos caminhoneiros - Valter Campanato/Agência Brasil

O governo também se comprometeu a zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para o diesel até o fim do ano e negociará com os estados buscando o fim da cobrança de pedágio para caminhões que trafegam vazios, com eixo suspenso.  “Chegou a hora de olhar para as pessoas que estão sem alimentos ou medicamentos. O Brasil é um país rodoviário. A família brasileira depende do transporte rodoviário. Celebramos esse acordo, correspondendo a essas solicitações, dizendo humildemente aos caminhoneiros que precisamos de vocês”, disse o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Sem unanimidade

A decisão de suspender a paralisação, porém, não é unânime. Das onze entidades do setor de transporte, em sua maioria caminhoneiros, que participaram do encontro, uma delas, a  Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que representa 700 mil caminhoneiros, recusou a proposta. O presidente da associação, José Fonseca Lopes, deixou a reunião no meio da tarde e disse que continuará parado. “Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. [...] vim resolver o problema do PIS, do Cofins e da Cide, que tá embutido no preço do combustível”, disse Lopes.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Valter Casimiro (Transportes), além do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, se sentaram à mesa com representantes dos caminhoneiros decididos a ter um respiro na paralisação, que afeta distribuição de produtos em todo o país. Os ministros entendem que o governo e a Petrobras têm mostrado iniciativa suficiente.

Os representantes dos caminhoneiros pedem o fim da carga tributária sobre o óleo diesel. Eles contam com a aprovação, no Senado, da isenção da cobrança do PIS/Pasep e da Cofins incidente sobre o diesel até o fim do ano. A matéria foi aprovada ontem pela Câmara e segue agora para o Senado. Caso seja aprovava, a isenção desses impostos precisará ser sancionada pelo presidente da República.

Quarto dia de paralisação

Hoje é o quarto dia de paralisação dos caminhoneiros. Em vários estados, foi registrada falta de alimentos e combustível. Em Brasília, postos fecharam porque o estoque de combustível zerou. Filas de dezenas de carros se formaram nos postos que ainda têm gasolina em seus estoques.

Em São Paulo, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do estado, José Alberto Paiva Gouveia, informou que, desde o início dessa quarta-feira (23), os postos de abastecimento do estado não receberam combustível e há estoque para operar só por até três dias.

No Rio de Janeiro, de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Município (Sindcomb), ao menos metade dos postos da capital estará, nesta quinta-feira, sem algum dos três combustíveis: gasolina, diesel ou etanol. Também começa a faltar gás de cozinha na cidade, pois os caminhões trazendo botijões ficaram retidos nos pontos de mobilização nas rodovias, o que praticamente zerou o estoque dos distribuidores do produto.

 

 

Agencia Brasil

Ministro do Trabalho, Helton Yomura

Politica

O ministro do Trabalho, Helton Yomura, disse na quarta (23) que as medidas de ajustes para dar mais segurança jurídica à reforma trabalhista devem ser apresentadas em até 15 dias pelo seu ministério. O objetivo é que os ajustes não necessitem de apresentação por projeto de lei.

“Estou elaborando outras medidas em conjunto com a consultoria jurídica do Ministério do Trabalho e espero fazê-lo naquilo que for possível e não necessite de reserva legal, ou seja, de passar pelo Congresso”, disse o ministro. Yomura acrescentou que o processo se dará com “transparência e moderação, para passar segurança jurídica nas relações do trabalho”.

 
Yomura acredita que uma maior segurança jurídica é o que fará “o investidor se sentir otimista, trazer investimento e gerar empregos no país”.

Desde o dia 24 de abril, pontos que resolviam questões polêmicas ou omissões da reforma trabalhista incluídos na Medida Provisória (MP) 808/17 perderam a validade, já que o Congresso não transformou a medida em lei.

Em julho de 2017, depois de passar pela Câmara, o texto da reforma trabalhista foi aprovado no Senado. À época, se o texto fosse modificado pelos senadores, a proposta teria que voltar à Câmara. Para que isso não ocorresse, o senador Romero Jucá (MDB-RR), líder do governo na Casa, garantiu que os pontos mais polêmicos questionados pelos senadores seriam alterados por meio de medida provisória.

Pontos polêmicos

A medida provisória deixava claro que as mudanças da lei se aplicavam, na integralidade, aos contratos de trabalho vigentes. Além disso, ela tratava de polêmicas como, por exemplo, contrato intermitente, negociação coletiva, jornada 12 x 36 e atividade insalubre desenvolvida por gestantes e lactantes. Com a perda de validade da MP, voltam a valer as regras anteriores.

O texto definia que valores de indenização por dano moral deveriam ter como referência o teto de benefício do Regime Geral de Previdência Social (hoje em R$ 5,6 mil). Agora, o limite deve ser o último salário contratual do empregado — até três vezes, quando a ofensa é de natureza leve e, nos casos gravíssimos, podendo alcançar 50 vezes.

Também deixa de ser obrigatória a necessidade de acordo ou convenção coletiva para a jornada 12 x 36 horas: a Lei 13.467/17 permite a prática mediante acordo individual escrito.

A reforma trabalhista não mais impede que grávidas atuem em atividade insalubre, enquanto a MP determinava o afastamento da funcionária durante toda a gestação. Outro ponto diz que, quando um profissional autônomo é contratado, deixa de existir impedimento para cláusula de exclusividade. Com a perda de validade da MP, também acaba com a quarentena de 18 meses para o empregado celetista demitido retornar à mesma empresa com outro contrato, na modalidade intermitente.

A não aprovação da medida também acaba com a garantia de que a gorjeta não pertence aos patrões e sim aos empregados. A regra, que determinava inclusive que o valor recebido pelo trabalhador como gorjeta deveria ser anotado na carteira de trabalho, passa a não existir mais.

Entendimentos distintos

O texto da reforma trabalhista tem sido alvo de controvérsias. A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), por exemplo, considera que a Lei 13.467/2017, da reforma trabalhista, só deve valer para processos e contratos iniciados após o dia 11 de novembro de 2017, data em que as novas medidas entraram em vigor.

Outro posicionamento tomado pela associação é relativo aos acordos coletivos. A Anamatra também considerou inconstitucionais a previsão legal que diz que o percentual de insalubridade pode ser diminuído por norma coletiva e também o artigo que aponta que jornada e repouso não dizem respeito à saúde e à segurança do trabalhador. Para a associação, não é possível que acordos se sobreponham às leis existentes – o chamado negociado sobre o legislado – em relação a essas questões, exatamente por se tratar de temas relacionados à saúde e segurança do trabalho, que não podem estar disponíveis para negociação.

 

 

Agencia Brasil

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia

Politica

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou na quarta-feira (23) a decisão do Tribunal Superior eleitoral (TSE) sobre a distribuição dos recursos do Fundo Eleitoral. Segundo Maia, embora tenha ido na direção certa, o TSE usou o instirumento errado e legislou, tarefa que cabe ao Congresso Nacional.

Na terça-feira (22). o TSE decidiu que 30% dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha deverão ser reservados para candidaturas femininas.e que o mesmo percentual seja aplicado para o tempo destinado à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV. Além disso, na hipótese de percentual de candidaturas superior ao mínimo de 30%, o repasse dos recursos do fundo e a distribuição do tempo de propaganda devem ocorrer na mesma proporção.

Brasília:  Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia,  o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski e o do Senado, Eunício Oliveira, participam da 21ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, participa de encontro com prefeitos de 7 mil municípios (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

“É uma decisão meritória, que vai na linha certa, mas o instrumento foi errado. O TSE legislou. E legislar cabe ao Congresso Nacional. Nós não podemos, [mesmo] com boas ideias, gerar precedentes para que amanhã os tribunais sejam usados para legislar sobre temas não tão populares assim", afirmou Maia.

"O ativismo de ontem do TSE foi claro, e isso acaba gerando uma insegurança jurídica para todos”, afirmou o presidente da Câmara, ao participar da Marcha dos Prefeitos, que reúne até amanhã (24), em Brasília, representantes de mais 7 municípios.

Maia também falou também sobre o andamento de pautas que considera essenciais para os prefeitos, como, por exemplo, a votação da Lei de Licitações. Segundo o deputado, o assunto deve entrar na pauta da Câmara nas próximas semanas.

 

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Politica

Na tentativa de apresentar uma solução em meio à greve de caminhoneiros que ocorre em vários estados brasileiros contra a alta dos combustíveis, os deputados aprovaram, em votação simbólica na noite de quarta (23), o texto-base o projeto que reduz benefícios fiscais concedidos pelo governo a diversos setores da economia com mudanças que reduzem o preço do óleo diesel. A proposta que retira a desoneração da folha de pagamento de 56 setores estava pronta para ser votada há pelo menos um mês. Os deputados estão votando neste momento as emendas feitas ao texto-base.

Os deputados conseguiram terminar a votação no final da noite, mantendo o texto-base sem aprovar nenhum destaque. Mais cedo, após reunião com representantes dos caminhoneiros, o governo informou que estuda a possibilidade de zerar ou reduzir o imposto PIS/Cofins do óleo diesel, mas ressaltou que não abrirá mão da receita correspondente.

Depois de um dia inteiro de negociações, o relator do projeto, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), apresentou o parecer à matéria prevendo a isenção da cobrança do PIS/Pasep e da Cofins incidente sobre o diesel até o fim deste ano. Ele propõe a reoneração imediata de 28 setores da economia. Em 2020, segundo o relatório, acbaria a desoneração como um todo. 

Segundo Orlando Silva, a medida de zerar os tributos pode produzir uma queda de 14% no preço final do óleo diesel. Ao ler o parecer na tribuna do plenário, o relator defendeu a necessidade de novos critérios para definir quais setores brasileiros devem ter o mercado de trabalho estimulado por meio da medida.

 
Na terça (22), o governo havia confirmado que vai zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) mediante aprovação, no Congresso, da reoneração da folha de pagamento. Os caminhoneiros, no entanto, não estão satisfeitos somente com o fim da Cide, que segundo as primeiras estimativas causaria redução de apenas R$ 0,05 por litro do diesel, e pediram outras medidas. Além da solução do PIS/Cofins patrocinada pelo Congresso, a Petrobrasanunciou hoje a redução provisória no preço.

A iniciativa de aprovar a matéria conta com apoio de lideranças do governo e da oposição. Desde o último domingo (20), antes do início da paralisação de caminhoneiros, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem levantado a hipótese da redução do PIS e do Cofins e de outros impostos com o objetivo de aplacar o aumento do valor do petróleo nas refinarias. Somente na semana passada, a Petrobras subiu o preço cinco vezes consecutivas.

O deputado Orlando Silva estimou que cerca de R$ 3 bilhões serão arrecadados pelo governo com a reoneração, valor similar às expectativas de impacto financeiro com a isenção do PIS/Cofins. Na tentativa de um acordo com os parlamentares, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, foi até a Câmara conversar com os deputados da base governista. 

"Diante da grave crise por que passa o país em decorrência do aumento do preço dos combustíveis, reduzimos a zero, pelo prazo de seis meses, as alíquotas da contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins incidentes sobre o óleo diesel e suas correntes. Não há que se falar em aumento de renúncia de receitas, pois a medida é plenamente compensada pelo aumento de arrecadação com a reoneração da folha de pagamentos", escreveu o relator, no parecer.

No início da votação, o PSOL tentou adiar a votação, mas "por coerência" se disse favorável à reoneração. "Essa matéria está sendo votada hoje apenas por causa da crise. Nós votamos [no passado] contra a desoneração de setores que abocanharam R$ 283 bilhões nos últimos quatro anos. É criminoso retirar recursos do PIS/Cofins, que vai para a Previdência Social, para garantir a empresários que embolsem grande parte das desonerações, mesmo as que sobraram no relatório do deputado Orlando Silva", criticou o líder Ivan Valente (PSOL-RJ).

Os deputados só conseguiram iniciar a análise do projeto depois que votaram medidas provisórias que trancavam a pauta. No momento, eles discutem emendas apresentadas ao relatório de Orlando Silva.

Greve dos caminhoneiros

Os caminhoneiros protestam há três dias contra os seguidos aumentos do preço do diesel. O movimento tem fechado algumas estradas, o que já impacta no abstecimento de combustível em algumas regiões do país. As principais reivindicações da categoria são a redução de impostos sobre o preço do óleo diesel, como PIS/Cofins e ICMS e o fim da cobrança de pedágios dos caminhões que trafegam vazios nas rodovias federais que estão concedidas à iniciativa privada.

 

 

Agencia Brasil

Foto - Divulgação

Politica

O Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), com sede em Genebra (Suíça), rejeitou hoje (22) a solicitação da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em favor de uma medida cautelar para evitar a permanência do petista na prisão. Porém, o comitê decidiu apreciar o mérito da questão e deu um prazo de seis meses para o governo brasileiro apresentar a defesa.

Segundo Sarah Cleveland, que é membro independente do comitê, medidas cautelares costumam ser acatadas quando o Estado viola preceitos democráticos e há riscos e danos irreparáveis, o que não foi entendido neste caso.

Curitiba - O ex-presidente Lula chega à sede da Superintendência da Polícia Federal onde vai cumprir pena (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
O pedido à ONU tentava impedir a prisão de Lula, ocorrida em 7 de abril passado (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

De acordo com o PT, o comitê informou que investiga as supostas violações às garantias fundamentais de Lula. A análise se baseia no artigo 25 do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, que assegura a todo cidadão a possibilidade de participar “sem restrições infundadas” do direito de “votar e ser eleito em eleições periódicas, autênticas, realizadas por sufrágio universal e igualitário por voto secreto, que garantam a manifestação da vontade dos eleitores”.

Advogados de Lula

Em nota, o PT informou ter recebido com satisfação a decisão de o comitê julgar o mérito sobre a denúncia de supostas violações aos direitos do ex-presidente, de acordo com o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos.

A defesa de Lula afirma, em documento enviado à ONU, que houve transgressões aos direitos políticos e civis no processo de investigação e prisão. De forma contundente, os advogados fazem críticas aos procuradores e ao juiz envolvidos diretamente na Operação Lava Jato.

Os advogados Cristiano Zanin Martins, Valeska Teixeira Zanin e Geoffrey Robertson estão à frente da defesa do ex-presidente e foram responsáveis pelo pedido de intervenção ao Comitê de Direitos Humanos da ONU.

Solicitação da defesa

A solicitação dos advogados a este órgão da ONU incluía um pedido para que o governo brasileiro impedisse o ingresso de Lula na prisão até que se esgotassem todos os recursos jurídicos. Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Desde 2016, o Comitê de Direitos Humanos da ONU analisa a denúncia contra o Estado brasileiro por suposta “perseguição judicial” a Lula. No começo deste ano, Lula foi condenado a 12 anos e um mês pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro por obtenção de vantagens indevidas. No caso, a vantagem seria um apartamento triplex em Guarujá (SP).

Competências do Comitê

Além de verificar periodicamente se os Estados cumprem com a Convenção de Direitos Humanos da ONU, o Comitê é competente para examinar queixas individuais contra eles, sempre que o Estado denunciado tenha ratificado o primeiro protocolo adicional à Convenção.

As queixas devem estar diretamente relacionadas com a violação, por parte do Estado, dos direitos e liberdades protegidas pela Convenção. As decisões do Comitê não são vinculativas e um Estado pode decidir cumpri-las ou ignorá-las, incluindo os pedidos de medidas cautelares.

 

Agencia Brasil

Em um evento em Brasília nesta terça-feira (22), o MDB anunciou o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como pré-candidato do partido na eleição para a Presidência da República.

A cerimônia do MDB, chamada de "Encontro com o Futuro", contou com a presença do próprio Meirelles e de caciques do partido, como o presidente Michel Temer.

Meirelles se filiou ao MDB com o objetivo de ser o candidato do partido na eleição presidencial de outubro. No entanto, Temer também vinha se posicionando como uma das opções do MDB para encabeçar a chapa.

Temer decidiu dar apoio à candidatura de Meirelles depois da pressão de um setor do partido por uma definição oficial do presidente. Há a avaliação de que Temer não conseguiu sair da agenda negativa das investigações da Lava Jato, o que inviabilizaria a candidatura à reeleição.

No discurso no evento do partido, Temer disse que os integrantes do MDB "chamam" Meirelles para ser "presidente do Brasil".

“Eu quero concluir dizendo que foi para isso, Meirelles, para essas palavras que foram ditas aqui, que nós chamamos você, e chamamos para ser presidente do Brasil”, disse Temer.

“Ficarei orgulhosíssimo se um dia, no plano pessoal e institucional, se um dia o Meirelles for proclamado pelo voto popular presidente da República Federativa do Brasil”, completou o presidente.

Se a candidatura de Meirelles for registrada, será a primeira vez, em mais de 20 anos, que o MDB terá candidato próprio à Presidência. A última vez foi nas eleições de 1994, com o ex-governador de São Paulo, Orestes Quércia.

Meirelles 

Em entrevista coletiva após ser anunciado como pré-candidato, Meirelles disse que sairá em busca de alianças e que o presidente Michel Temer deverá participar da sua campanha. "O nosso palanque terá todas as lideranças dispostas a se engajar neste projeto", afirmou. "O presidente certamente participará dos eventos que considerar adequado", disse.

Na coletiva, Meirelles afirmou que vai enfrentar as "incertezas" do cenário eleitoral e que confia em uma campanha bem sucedida. Segundo ele, o Brasil se "cansou de política populista", o que, na opinião dele, gera "desemprego".

"Não há duvida de que temos condições de aqui iniciar uma caminhada vitoriosa. Os brasileiros esperam resultados concretos."

Meirelles defendeu durante o evento as medidas econômicas adotadas na gestão de Temer. Ele disse ainda que o país deve continuar tomando medidas para evitar uma nova crise "a cada dez anos"

“É o momento de tomar medidas para evitar que o Brasil entre em crise a cada dez anos. Precisamos apenas de mais quatro anos para construir um novo Brasil", disse.

O ex-ministro também comentou o apoio de Temer à sua candidatura. Segundo Meirelles, Temer é um "cabo eleitoral positivo".

“Olha, o presidente certamente será um cabo eleitoral positivo, porque ele está realizando. O governo está mostrando crescimento, criação de emprego, renda, e os resultados falam por si só. É importante dizer também que o meu histórico é um histórico de uma reputação inquestionável”, afirmou Meirelles. 

Desistência de Temer 

Presidente nacional do MDB, o senador Romero Jucá disse que o nome de Meirelles foi uma escolha feita pelo partido a partir de conversar "com a base toda" e não uma escolha individual.

Questionado sobre o motivo de Temer ter desistido da candidatura, Jucá afirmou que ele só havia se colocado como "opção". "O presidente Temer não desistiu da candidatura. Ele tinha se colocado como opção. A premissa não é de desistência, é de escolha", afirmou. 

No discurso, Temer disse que seu governo tem como marca "fazer escolhas".

"Escolhas sempre foram marcas do nosso governo. Sou realista: sei o que fiz e o que não fiz; o que falei e o que falam por mim. Se estou resistente, é porque estamos com a verdade e ela nos fortalece. A dor da acusação injusta não vai nos paralisar. Do meu momento cuido eu, do país cuidamos todos nós, o MDB." 

Documento do MDB 

O evento desta terça também serviu para lançar um documento do MDB chamado “Encontro com o Futuro”. O texto apresenta um balanço de ações realizadas nos dois anos da administração do presidente Michel Temer e aponta a necessidade de manter as reformas iniciadas pelo governo.

No documento, o MDB destaca medidas aprovadas pela gestão Temer, como o teto de gastos e a reforma trabalhista. O partido ainda cita a recuperação da economia e as quedas da taxa de juros e da inflação.

O MDB também fez críticas ao governo da ex-presidente Dilma Rousseff. O documento ressalta que o “primeiro compromisso” do governo de Temer foi “reverter” a política econômica de Dilma, “para interromper os desastres em curso”.

O texto destaca ainda que se esgotou o modelo de crescimento que aposta no aumento da força de trabalho e na intervenção do Estado no setor produtivo. “O crescimento vai depender agora da iniciativa privada”.

 

 

 

G1.Globo.com

Tempo

Dourados Brazil Partly Cloudy (day), 20 °C
Current Conditions
Sunrise: 6:8 am   |   Sunset: 5:4 pm
80%     11.3 km/h     32.453 atm
Forecast
SEX Low: 16 °C High: 21 °C
SáB Low: 16 °C High: 24 °C
DOM Low: 16 °C High: 27 °C
SEG Low: 16 °C High: 26 °C
TER Low: 16 °C High: 26 °C
QUA Low: 18 °C High: 26 °C
QUI Low: 19 °C High: 26 °C
SEX Low: 17 °C High: 20 °C
SáB Low: 14 °C High: 17 °C
DOM Low: 15 °C High: 18 °C