Entre em contato conosco: Contato@folhadoms.com.br

Muitos pacientes receberão a primeira vacina contra o câncer do mundo

Compartilhe:

O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS) está agilizando os pacientes para participarem dos próximos testes da vacina contra o câncer, a qual será personalizada de acordo com as necessidades de cada indivíduo.

Conforme relatado pelo The Guardian, pacientes que cumprirem os critérios de elegibilidade precisarão apenas consentir com a coleta de amostras de sangue e tecido para terem acesso imediato aos testes. A vacina utilizará tecnologia inovadora de mRNA para adaptar cada dose ao DNA dos participantes.

De acordo com o NHS, dezenas de pessoas já foram inscritas no programa denominado Cancer Vaccine Launch Pad, e milhares mais poderão se juntar aos testes em 30 locais espalhados pelo Reino Unido. Inicialmente, a busca é por pacientes com cânceres de bexiga, colorretal, renal, pulmonar, de pele e pancreático, mas outros tipos de câncer serão incluídos conforme o programa avança.

Amanda Pritchard, chefe do NHS Inglaterra, explicou que, “à medida que mais testes forem realizados em hospitais de todo o país, nosso serviço nacional de matchmaking garantirá que o maior número possível de pacientes elegíveis tenha a oportunidade de participar”.

Anunciado antes da conferência da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco) em Chicago, o programa do NHS está em parceria com a empresa alemã de vacinas BioNTech, conhecida por suas vacinas de mRNA contra a COVID-19, que abriram caminho para a aplicação dessa tecnologia em várias doenças.

Durante a conferência, a BioNTech também apresentará evidências preliminares de pesquisas que sugerem que a medição do DNA tumoral circulante pode auxiliar na detecção precoce do câncer colorretal, que causou aproximadamente 930.000 mortes em todo o mundo em 2020.

O primeiro paciente do programa, Elliot Pfebve, de 55 anos, também sofre de câncer colorretal. Segundo o The Guardian, ele não apresentava sintomas e descobriu a doença durante um exame de rotina.

Pfebve teve o tumor cancerígeno e parte de seu intestino grosso removidos e passou por quimioterapia antes de se inscrever no programa piloto do NHS, recebendo a primeira dose mundial da vacina de mRNA do mesmo tipo usada na vacina contra a COVID-19 da Pfizer e BioNTech.

Victoria Kunene, investigadora principal do teste, disse ao The Guardian que ainda é cedo para determinar se o câncer de Pfebve foi completamente curado, mas ela está “extremamente esperançosa” quanto ao resultado.

“Com base nos dados limitados que temos atualmente sobre a resposta do corpo à vacina, isso pode ser um desenvolvimento significativo e positivo para os pacientes”, afirmou Kunene, “mas ainda são necessários mais dados, e continuamos recrutando pacientes adequados para o teste para obter mais informações”.

Por sua vez, Pfebve se mostrou entusiasmado com a oportunidade de ajudar na cura do câncer e fazer parte da história.

“Participar deste teste foi uma decisão muito importante na minha vida, tanto para mim quanto para minha família”, disse Pfebve. “Depois de enfrentar o diagnóstico e a quimioterapia debilitante, foi maravilhoso poder participar de algo que poderia levar a uma nova forma de tratar o câncer, e se outros puderem se beneficiar das descobertas do teste, isso será ótimo também.”