Dourados-MS,

Pesquisa realizada pela GMT Dados, junto a 702 eleitores do perímetro urbano, distritos e aldeias indígenas, aponta que Barbosinha terá 44,8% dos votos válidos contra 29,3% do segundo colocado

O deputado estadual José Carlos Barbosinha (DEM) que disputa a Prefeitura de Dourados pela coligação “Reconstruir é Nosso Desafio” chega à véspera da eleição municipal com vantagem de mais de 15 pontos percentuais sobre o segundo colocado, o vereador Alan Guedes (PP), da coligação “Respeito por Dourados”. É o que revela a pesquisa realizada nesta quinta e sexta-feira pela GMT Dados junto a 702 eleitores do perímetro urbano, distritos e aldeias indígenas de Dourados.

A pesquisa foi realizada com base em amostragem aleatória representativa da população residente e eleitores de Dourados, com 16 anos ou mais de idade e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número MS-05812/2020 e tem margem de erro de 3,7 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

Na pesquisa estimulada, os entrevistadores apresentaram um disco com os nomes de todos os candidatos a prefeito de Dourados e fizeram a seguinte pergunta: se as eleições fossem hoje em qual desses nomes você votaria para prefeito de Dourados?

Barbosinha foi apontado como o nome escolhido por 35,3% dos entrevistados, com o vereador Alan Guedes aparecendo em segundo lugar na preferência do eleitor com 23,1%. Em terceiro lugar aparece o advogado Wilson Matos (PTB) com 6,3% das intenções de voto, seguido pelo farmacêutico Racib Panage Harb (Republicanos) com 5,3% das intenções de voto.

O comerciante Mauro Tronicke (PSL) aparece em 5º lugar com 4,7%, enquanto o professor João Carlos Joca (PT) está com 3,1% das intenções de voto. Na última colocação aparece Jeferson Bezerra (PMN) com 1%. Os votos brancos e nulos somam 7,6%, enquanto aqueles que responderam que não sabiam ou não responderam ficou em 13,6%.

Quando se considera apenas os votos válidos, excluídos brancos, nulos e indecisos, que é a forma que a Justiça Eleitoral usa para apurar o vencedor, a vantagem de Barbosinha fica ainda maior. Nesse cenário o candidato do DEM fica com 44,8% dos votos válidos, enquanto Alan Guedes fica com 29,3% dos votos válidos, uma diferença de 15,5% em relação ao primeiro colocado.

Nesse mesmo cenário, Wilson Matos fica com 8%, seguido por Racib Panage Harb com 6,7% e Mauro Tronicke com 6%. Computando apenas os votos válidos, João Carlos Joca fica com 4%, enquanto Jeferson Bezerra fica com 1,2%.

Devido à pandemia do novo coronavírus, a Justiça Eleitoral elaborou um plano de segurança sanitária com diversas recomendações aos eleitores sobre procedimentos a serem adotados durante a votação, que ocorre no domingo (15) das 7h às 17h.

Neste ano, os itens imprescindíveis para votar são um documento oficial com foto e a máscara, cujo uso será obrigatório a todo o momento nas sessões eleitorais.

A Justiça Eleitoral recomenda ainda que, se possível, o eleitor leve sua própria caneta para assinar o caderno de votação, de modo a evitar o compartilhamento de objetos e a disseminação do novo coronavírus.

Assim como ocorreu em anos anteriores, o eleitor que já fez o cadastro biométrico pode, caso prefira, utilizar o aplicativo e-Título para se identificar, precisando mostrar somente a tela do celular ao mesário. A ferramenta digital dispensa que o eleitor porte qualquer documento em papel.

O eleitor também pode levar a conhecida cola na hora de votar, com os números de seus candidatos. Vale lembrar, porém, que não é permitido portar o aparelho celular dentro da cabine de votação. Por isso, se for mesmo necessária, o melhor é levar a cola em papel. 

Dentro da cabine, também são proibidos máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação ou quaisquer instrumentos que possam comprometer o sigilo do voto. Esses aparelhos devem ficar retidos com o mesário enquanto o eleitor vota.

Está previsto que a Justiça Eleitoral deverá fornecer álcool gel aos eleitores. O previsto é que também haja álcool 70% disponível para higienização de superfícies.

Os organizadores da eleição não incentivam o uso de luvas, seja por mesários ou eleitores, sob o argumento de que o item desencoraja a higienização frequente das mãos e ainda pode se tornar um vetor de transmissão de covid-19, no caso de descarte inadequado.

Abaixo, as recomendações aos eleitores feitas pela Justiça Eleitoral no Plano de Segurança Sanitária das Eleições Muncipais de 2020. Instruções para mesários, coordenadores e outras pessoas envolvidos no processo eleitoral podem ser encontradas na íntegra do documento, disponível no site do TSE.

Instruções aos eleitores

- Se apresentar febre, não saia de casa.

- No transporte até o local de votação, mantenha distância de, no mínimo, um metro das outras pessoas em filas e evite entrar em veículos cheios.

- Mantenha distância de, no mínimo, um metro das outras pessoas dentro dos locais de votação. Evite contato físico com outras pessoas, como abraços e apertos de mão.

- Respeite a marca de distanciamento nas filas e nas seções eleitorais (sinalizada com adesivos nos chãos).

- Se possível, compareça sozinho ao local de votação. Evite levar crianças e acompanhantes.

- Permaneça nos locais de votação apenas o tempo suficiente para votar.

- Use máscara desde o momento que sair de casa até a volta.

- Nos locais de votação, não é permitido se alimentar, beber ou fazer qualquer outra atividade que exija retirada da máscara.

-Se possível, leve sua própria caneta para assinar o caderno de votação.

- Mostre seu documento oficial com foto, esticando os braços em direção ao mesário. O mesário verificará os dados de identificação à distância.

- Se houver dúvida na identificação, o mesário poderá pedir que você dê dois passos para trás e abaixe brevemente a máscara.

- Higienize as mãos com álcool em gel antes e depois de votar.

As Forças Armadas vão atuar com cerca de 28 mil homens durante o primeiro turno das eleições municipais deste domingo (15). Caberá aos militares o transporte de urnas eletrônicas e agentes eleitorais em 104 localidades.

Esse apoio é necessário nos locais de difícil acesso da Justiça Eleitoral. É o caso de tribos indígenas e populações ribeirinhas, por exemplo. Em 2020, esse apoio atingirá oito estados: 35 localidade do Acre; 26 no Amazonas; cinco no Amapá; uma na Bahia; quatro no Mato Grosso e no no Mato Grosso do Sul, duas no Rio de Janeiro e 27 localidades em Roraima.

As Forças Armadas também farão a segurança em 616 locais. Os militares cumprirão esse papel em 11 estados: Acre, 20 localidades; Alagoas, 12; Amazonas, 41; Ceará, 31; Maranhão, 98; Mato Grosso, 34; Mato Grosso do Sul, 8; Pará , 72; Piauí, 169 localidades; Rio Grande do Norte, 121; e Tocantins, 11 locais.

Eleições 2020

Neste domingo, quase 148 milhões de eleitores poderão votar em 26 unidades da Federação. A população elegerá vereadores, prefeitos e vice-prefeitos. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, há 19.342 candidatos a prefeito e 518.308 disputando uma vaga de vereador. Este ano não haverá pleito no Distrito Federal e nem em Fernando de Noronha, que é um distrito do estado de Pernambuco.

O eleitor de Mato Grosso, por sua vez, também escolherá um senador, em virtude da vaga deixada por Selma Arruda. Ela teve seu mandato cassadopelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelos crimes de caixa dois e abuso de poder econômico na campanha de 2018.

Advertisement