All for Joomla The Word of Web Design
Dourados-MS,
CMD-2

A qualidade da água consumida nos municípios de Mato Grosso do Sul será o tema principal da mesa redonda promovida nesta quarta-feira (24) pela Frente Parlamentar de Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul. A reunião de trabalho, intitulada de “Ações e Políticas para discussão da qualidade da água nos centros urbanos de Mato Grosso do Sul”, acontece a partir das 13h, no plenarinho da Assembleia Legislativa, e contará com a presença de representantes da Sanesul e da Águas Guariroba, que são as concessionárias responsáveis pelo fornecimento de água para os 79 municípios do Estado.

Conforme o coordenador presidente da Frente Parlamentar, deputado estadual Renato Câmara (MDB), o principal objetivo da reunião é de promover um amplo debate técnico, envolvendo diversas instituições, sobre a qualidade da água consumida no Estado e esclarecer diversos pontos da reportagem da Agência Pública, divulgada na semana passada, que apontou a presença de “coquetel de 27 agrotóxicos” na água consumida por 65 municípios de MS, incluindo Dourados, Campo Grande, Ivinhema, Bonito e Jardim.

Para isso, a Frente Parlamentar de Recursos Hídricos solicitou a presença dos representantes da Sanesul e da Águas Guariroba para prestar esclarecimentos sobre o trabalho de controle da qualidade da água. “A Frente de Recursos Hídricos está atenta a essa situação, tendo em vista que a reportagem levantou dúvidas sobre a qualidade da água consumida por toda nossa população. Isto gera uma grande preocupação. Por isso, consideramos importante a presença das concessionárias responsáveis pelo fornecimento de água em nosso Estado para se posicionar oficialmente a respeito desta publicação e para esclarecer toda a sociedade sobre o que a Sanesul e a Águas Guariroba têm feito para garantir o controle de qualidade da água que chega às torneiras dos sul-mato-grossenses”, destacou.

Estão convidados para participar da mesa redonda promovida pela Frente Parlamentar de Recursos Hídricos os representantes do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde em MS, da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), da Secretaria Estadual de Saúde, do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS), da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), da Secretaria Municipal de Saúde Pública de Campo Grande, da Coordenadoria de Vigilância de Saúde Ambiental, da Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz)/MS, da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), da Comissão de Saúde da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)/MS, do Crea/MS, da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados), do IHGMS (Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul), do MPE (Ministério Público Estadual), do Rotary e da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco).

Renato Câmara adiantou que a Assembleia Legislativa vai se aprofundar neste debate devido à gravidade da questão e da preocupação provocada na população. “A contaminação da água pode ter uma abrangência ainda muito maior do que imaginamos. Além de estar contaminada, o que é questionável, se temos a tecnologia eficaz para despoluir esta água que contamina também todos os animais que fazem uso dela, principalmente os peixes. Devemos fazer as devidas discussões, fiscalizar e tomar as devidas providências sobre o assunto e, se necessário, medidas urgentes para preservar os recursos hídricos de nosso Estado que abriga o Aquífero Guarani, considerado a maior reserva de água doce do mundo”, registrou o deputado Renato Câmara.

O Secretário Especial de Articulação Política, Sérgio de Paula, é o nome de consenso para o comando do diretório regional do PSDB em Mato Grosso do Sul, após reuniãoo com os deputados federais Beto Pereira (PSDB) e Rose Modesto (PSDB), que pleiteavam o comando da sigla no Estado.

O anúncio é feito após De Paula se reunir com os deputados federais na manhã desta segunda-feira (22) para ratificar a decisão de consenso em torno de seu nome. Na semana passada, o secretário já havia antecipado ao Midiamax a decisão de assumir o comando do partido.

De Paula contou que esteve em Brasília (DF), onde havia almoçado com os deputados federais e eles chegaram ‘numa fórmula’. Na escolha da terceira via, foram cogitados os nomes do governador, de Sérgio e do secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel. A escolha não seria feita fora dessa tríade, explicou.

Mas Reinaldo já havia anunciado que não tinha pretensão de comandar a legenda. Segundo De Paula, o nome de Riedel que havia sido cogitado acabou não sendo opção pela dificuldade de conduzir a legenda em uma eleição municipal conciliando às atividades da Segov.

Com esse entendimento, foram apaziguados os ânimos no ninho tucano, que estava dividido por conta da disputa entre os deputados federais. “O partido nesse momento não merece uma disputa”, pontuou na ocasião.

O secretário destacou ter uma ligação forte com os pretendentes ao cargo, que ele define como “novas lideranças no partido”. Segundo o governador, a terceira via que encerraria a disputa pelo diretório inclusive teria de partir de Beto e Rose. Diversas lideranças tucanas participam do anúncio do nome de consenso nesta tarde.

O Ministério da Infraestrutura divulgou uma nota nesta segunda-feira (22) na qual anunciou compromisso com os caminhoneiros de repassar o custo do diesel para a tabela de fretes.

A nota foi divulgada após o ministro Tarcísio Gomes de Freitas se reunir com integrantes da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e de outras entidades, além de caminhoneiros autônomos.

"Após ouvir as reivindicações, foram firmados os seguintes compromissos: estudar a eliminação de multas desnecessárias aos caminhoneiros; transferência do custo do diesel para a tabela do frete; a fiscalização efetiva da referência de custo do piso mínimo do frete; a celebração de um termo de compromisso com as entidades representantes da categoria para tornar mais efetiva a fiscalização", informou a pasta.

A tabela de fretes foi criada no ano passado pelo governo Michel Temer, após a greve dos caminhoneiros que bloqueou estradas e comprometeu o abastecimento de combustível, de medicamentos e de alimentos em todo o Brasil. A criação era uma das reivindicações da categoria.

O mecanismo, no entanto, foi alvo de críticas até mesmo dentro do governo. Na ocasião, o então ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que a tabela prejudica o agronegócio. A tabela também foi alvo de contestações da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) na Justiça.

Reajuste do diesel

No último dia 11, a Petrobras anunciou reajuste de 5,74% no preço do óleo diesel. No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro mandou a empresa suspender o reajuste até que ele tivesse uma reunião com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, e com os ministros da equipe econômica.

A reunião aconteceu no dia 16. Após o encontro, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmaram que o valor do reajuste e o momento do anúncio cabem à Petrobras.

'Agenda de trabalho'

Pouco antes de o ministério divulgar a nota, nesta segunda-feira, Tarcísio Freitas informou em uma rede social ter construído uma "agenda de trabalho" com os caminhoneiros para eliminar multas "injustas" e fiscalizar o cumprimento da tabela de fretes.

"Recebi hoje representantes dos caminhoneiros e Integrantes da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) para dialogar sobre as demandas da categoria. Estamos trabalhando em soluções efetivas. As portas estão sempre abertas e manter o diálogo é nossa prioridade", afirmou o ministro.

"Construímos em conjunto agenda de trabalho que envolve eliminação de multas injustas, transferência do custo do diesel para tabela de frete, fiscalização dessa referência de custo e termo de compromisso com entidades representantes para tornar a fiscalização mais efetiva", acrescentou.

Segundo Wanderlei Dedeco, um dos caminhoneiros autônomos que participaram da reunião, a categoria denunciará nos sindicados as empresas que não cumprirem a tabela e repassarão as denúncias ao Ministério da Infraestrutura e à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O presidente da CNTA, Diumar Bueno, afirmou que o acordo do governo com a categoria prevê reajuste na tabela de frete a partir de "agora". "Esse é um dos compromissos do governo hoje, do ministro conosco, é fazer um reajuste no preço mínimo do frete para corrigir esses aumentos do diesel que tivemos", disse.

Íntegra

Leia a íntegra da nota do ministério:

Ministério da Infraestrutura constrói agenda de trabalho com caminhoneiros

Após 4 horas de reunião com integrantes da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e cerca de 20 lideranças dos caminhoneiros, o Ministério da Infraestrutura firmou com a categoria uma agenda de trabalho a curto prazo. O objetivo é amortecer o efeito da variação do preço do diesel para a categoria e estabelecer o compromisso de manter aberto o diálogo com as lideranças.

Após ouvir as reivindicações, foram firmados os seguintes compromissos:

Estudar a eliminação de multas desnecessárias aos caminhoneiros;
Transferência do custo do diesel para a tabela do frete;
A fiscalização efetiva da referência de custo do piso mínimo do frete;
A celebração de um termo de compromisso com as entidades representantes da categoria para tornar mais efetiva a fiscalização.
De acordo com o ministro Tarcísio Gomes de Freitas, “a construção dessa agenda vai amortecer o efeito do diesel, vai fazer com que o dinheiro sobre na contratação de cada frete e vai fazer com que a referência de preço seja praticada”, disse. “Estamos com uma agenda sólida, que está sendo construída com base numa conversa e nos pleitos dos caminhoneiros”, finalizou Freitas.

Advertisement