Dourados-MS,
CMD-DROGAS
Grid List

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

Ação conjunta realizada entre o Conselho Tutelar, juizado da Infância e da Adolescência e policiais militares da Força Tática acabou com festa regada a bebida alcoólica e lotada de menores de idade. 

O fato ocorreu no início da noite de domingo (16/12), em Dourados. 

De acordo com o boletim de ocorrência, o flagrante aconteceu após denúncia do evento num espaço para festas localizado no Residencial Bonanza.

Em torno de 500 pessoas estavam no local, aproximadamente 100 deles, adolescentes. 

Cinco menores – três meninas e dois meninos – apresentavam visível estado de embriaguez e acabaram levados ao 1º Distrito Policial. Os policiais também apreenderam várias garrafas de bebidas alcoólicas. 

Ainda de acordo com o registro, o organizador do evento foi identificado, porém, não estava no local. 

O caso segue investigado. 

 

Dourados News

Foto - Osvaldo Duarte

Dourados

Natanael Nunes Costa, 51, morreu há pouco em Dourados após confrontar agentes da Polícia Civil do SIG (Setor de Investigações Gerais), 1 Distrito Policial e militares da Força Tática durante abordagem. 

Segundo informações preliminares apuradas, o rapaz estaria articulando a morte de um bombeiro militar. Nesta tarde ele foi encontrado na Rua C, região do Jardim Caimã, buscando armas e se encontrando com comparsa para praticar o crime. 

A polícia chegou ao local na tentativa de abordar o rapaz, mas foi recebida a tiros. No confronto Natanael acabou atingido e morreu. 

Peritos estão se deslocando para o bairro a fim de realizar a análise do fato. 

 

Dourados News

Foto - ASSECOM 3º BPM

Dourados

Ação conjunta da Polícia Militar com a Guarda Municipal localizou uma arma calibre 32 e porção de maconha em um ônibus em Dourados, no início da noite desta sexta-feira (14). Cinco homens e um adolescente acabaram detidos e posteriormente liberados. 

O ônibus de transporte de trabalhadores foi interceptado ao lado da Rodoviária de Dourados. As equipes localizaram a arma e a porção de 735 gramas de maconha. 

Cinco homens, sendo estes com idade de 29 anos, 20 anos, 19 anos, 22 anos, moradores em Baurú-SP e um de 47 anos, morador em Dourados acabaram levados para o 1° Distrito Policial. Adolescente de 17 anos que também foi levado era morador de Baurú-SP. 

Na delegacia, eles afirmaram que a pessoa que carregava a arma tinha conseguido fugir do ônibus. Quanto a droga, relataram que era pra consumo do grupo, “que sempre que iam na fronteira com o Paraguai buscar alguns itens traziam um pouco para uso”. 

O grupo foi ouvido e liberado. 

 

Dourados News

PF cumpre mandados em Mato Grosso do Sul

Campo Grande

A Polícia Federal deflagrou hoje (11) a Operação Ross, que tem como objetivo investigar o recebimento de vantagens indevidas por parte de três  senadores da República e três deputados federais, entre os anos de 2014 e 2017. 

Aproximadamente 200 policiais federais cumprem 24 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, e realizam 48 intimações para oitivas.  Os alvos estão no Distrito Federal e nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Tocantins, e Amapá. Ainda não há detalhes sobre os locais de cumprimento em território sul-mato-grossense.

De acordo com o Globo, imóveis do senador Aécio Neves e de Andréa Neves, irmã dele, foram alvos de mandados de busca e apreensão em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. O deputados federais Paulinho da Força (SD-SP), Benito da Gama (PTB-BA) e Cristiane Brasil (PTB-RJ), bem como os senadores Agripino Maia (DEM-RN) e Antonio Anastasia (PSDB-MG) também são investigados.

As vantagens ilícitas recebidas pelos políticos teriam sido solicitadas ao grupo JBS, que teria efetuado o pagamento, inclusive para fins da campanha presidencial de 2014. A ação de hoje é um desdobramento da Operação Patmos, deflagrada pela PF em maio de 2017. 

Os valores investigados, que teriam sido utilizados também para a obtenção de apoio político, ultrapassam os  R$ 100 milhões.  Suspeita-se que os valores eram recebidos  através da simulação de serviços que não eram efetivamente prestados e para os quais eram emitidas notas fiscais frias.

São investigados os crimes de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e associação criminosa.    Ross faz referência a um explorador britânico que dá nome à maior plataforma de gelo do mundo localizada na Antártida fazendo alusão às notas fiscais frias que estão sob investigação.     

 

Correio do Estado

Policiais estão na superintendência da PF em Campo Grande - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Campo Grande

A Polícia Federal, a Controladoria Geral da União (CUG) e a Receita Federal deflagraram hoje (27) a sexta fase da Operação Lama Asfáltica, intitulada Computadores de Lama. As investigações foram baseadas, em especial, nas remessas clandestinas de valores para o exterior realizadas por proprietários de empresas de informática investigadas nas fases anteriores.

São cumpridos quatro mandados de prisão preventiva, 25 de busca e apreensão, além do sequestro de valores nas contas bancárias de pessoas físicas e empresas. As ações ocorrem em Campo Grande, Jaraguari, Dourados e Paranhos, com a participação de mais de 100 policiais, 17 servidores da CGU e 33 servidores da Receita Federal. 

A Computadores de Lama decorreu da análise dos materiais já apreendidos, com resultados de fiscalizações e exames periciais. As investigações também têm como objetivo apurar desvios de recursos públicos por meio do direcionamento de licitações em contratações de serviços de informática, aquisição fictícia ou ilícita de produtos, simulação de contratos para o repasse de recursos ilícitos e utilização de “laranjas” para ocultação patrimonial.

Os prejuízos causados ao erário, somando-se todas as seis fases da Operação lama Asfáltica, consideradas as fraudes, valores concedidos irregularmente como benefícios fiscais e as propinas pagas a integrantes da Organização Criminosa passam dos R$ 432 milhões.

 

Correio do Estado

Local onde Cláudio foi morto nesta madrugada. - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

Campo Grande

Cláudio Simeão, de 47 anos, foi executado com tiros de pistola calibre 9 milímetros no início da madrugada desta quinta-feira, no Jardim Bela Vista, em Campo Grande. Empresário do ramo da mineração em Corumbá, ele voltava do aeroporto em uma caminhonete, quando foi atingido pelos disparos. Ele estava com o filho, baleado, e o amigo do filho, atingido por estilhaços.

De acordo com o delegado Antônio de Souza Ribas, plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro, os executores estavam em um veículo Onix cinza. A polícia já definiu uma linha de investigação sobre qual seria a motivação, mas optou por não divulgar detalhes neste momento, para não atrapalhar o inquérito.

Conforme apurado, por volta da 1 hora, Cláudio chegava em casa na Rua Patagônia, quando os suspeitos se aproximaram e atiraram 13 vezes. O empresário foi atingido próximo ao tórax e nas costas e morreu no local. O filho dele, Gabriel Yuri de Moura Simão, 22, também baleado, foi socorrido em estado grave e está internado na Santa Casa. 

O amigo que estava no banco traseiro foi atingindo por estilhaços, mas não precisou de socorro. Ainda segundo o delegado, o empresário havia acabado de voltar de uma viagem de negócios do Rio de Janeiro. Outras três pessoas foram executadas de forma semelhante em Campo Grande nos últimos dias, como Ilson Martins Figueiredo, de 62 anos, Marcel Costa Hernandes Colombo, 31, e Orlando Silva Fernandes, 41.

 

Correio do Estado

Advertisement