Dourados-MS,
Câmara_plano_diretor

Materiais apreendidos dentro da agência bancária - Foto: Divulgação/ Bope

Quadrilha invadiu uma agência do Banco do Brasil na noite de ontem (16), em Terenos. O caso aconteceu a 200 metros da delegacia de Polícia Civil da cidade. Quatro criminosos foram presos e um morreu, depois de trocar tiros com militares.

De acordo com a Polícia Civil, duas pessoas foram vistas em atitude suspeita dentro do banco. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi chamado e quando chegou ao local, flagrou os bandidos em meio a ação.

A polícia conseguiu prender dois criminosos que estavam do lado de fora da agência, dando cobertura aos demais. No entanto, um deles conseguiu avisar os outros sobre a presença dos policiais na cidade e os que estavam dentro da agência conseguiram fugir.

De acordo com a polícia, seis criminosos participaram da ação, mas só quatro foram presos sendo eles:  Adventor Brune Brandão, 46 anos, Denilson Moraes de Oliveira, 22 anos, Marilene Gonçalves da Silva, 44 anos, Daniela Regina de Oliveira, 33 anos. Thiago Velasques de Souza, 31 anos, morreu em meio a troca de tiros.

Ainda conforme a polícia civil, a quadrilha era de Campo Grande e pretendia usar explosivos para chegar até o cofre da agência. Diversos materiais foram apreendidos no local e policiais do Bope continuam na cidade em busca de outros suspeitos.

 

 

Correio do Estado

Dois homens de motocicleta aproximaram-se de Bettoni e dispararam vários tiros - Foto: Gazeta News

 A equipe da Polícia Civil, responsável pela investigação e identificação dos autores do atentado cometido contra o prefeito de Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB), no fim da tarde de quinta-feira (14), já identificou um dos suspeitos. 

Trata-se de Jefferson do Nascimento Moreira, 27 anos, identificado por câmera de segurança, enquanto se encaminhava para o quarteirão no qual se localiza a residência da vítima. Conforme divulgado pela polícia, Jefferson possui várias passagens pela polícia. 

DESCRIÇÃO DO VÍDEO

Conforme apurado pela equipe do jornal Gazeta News, de Amambai, nas imagens do circuito de tv, o suspeito é vai até as proximidades da casa de Bettoni e conversa com outro homem, vestido com uma jaqueta de cor escura, que supostamente o aguardava.

A dupla permaneceu no local por algum tempo até que a caminhonete da vítima passa pelos dois e estaciona em frente a residência. 

Nesse instante o indivíduo de jaqueta escura cruza a pista de rolamento da avenida, tomando direção oposta a casa da vítima e a pessoa, que segundo a polícia, seria Jefferson Moreira, segue em direção ao sentido que a caminhonete se deslocou, supostamente em direção também ao destino do prefeito.

A polícia paraguaia está auxiliando a polícia civil, no intuito de localizar Jefferson e identificar o outro indivíduo que seria cúmplice na ação criminosa. 

 

 

Correio do Estado

Divulgação

João de Deus Marques do Nascimento foi preso na noite desta sexta-feira (08), com quase 700 kg de maconha. Ele foi localizado na BR-463. Ocorreu tentativa de fuga, no entanto, ele foi “fechado”. 

A Polícia Rodoviária Federal deu ordem de parada a João que conduzia um veículo modelo Chevrolet Agile, cor vermelha que não obedeceu e empreendeu fuga, sendo perseguido pela equipe. 

Quando alcançado, abordagens constataram que o carro estava “recheado” com 685,5 kg de maconha. 
Ele disse que pegou a droga em Ponta Porã e entregaria em ourados. 

Diante das informações obtidas o preso e a droga juntamente com o veículo foram encaminhados ao 1º DP Civil de Ponta Porã para o devido flagrante e demais providências cabíveis.

 

Dourados News

Carro foi abandonado em plantação de milho - Foto: Foto: Sidrolândia News

Dois traficantes fugiram em meio a um milharal e abandonaram carro carregado com 845 quilos de maconha. O fato aconteceu por volta de 20h de ontem (2) na BR-060, em Sidrolândia.

Policiais militares faziam patrulhamento pela área central da cidade, quando avistaram um carro Hyundai HB20 de cor branca, transitando na Avenida Dorvalino dos Santos. Os militares estranharam o fato dos vidros do carro estarem escuro e o veículo aparentar estar carregado.

Os policiais resolveram abordar o motorista e fizeram o retorno, porém, o condutor acelerou e começou a fugir em alta velocidade, entrando na contramão, na BR-060.

Houve perseguição por dois quilômetros e.próximo ao trevo em frente a um frigorífico, o condutor realizou manobra, jogando o veículo em direção a uma plantação de milho, localizada às margens da rodovia.

Os policiais ouviram um barulho parecido com disparo de arma de fogo. Os militares se esconderam, mas conseguiram ver dois suspeitos fugindo em meio a vegetação, sendo que um deles, segundo informações dos policiais, estava armado.

Foram efetuados tiros pelos PMs, mas os suspeitos não foram atingidos. A equipe policial chamou reforço e procurou pelos homens por uma hora no meio do mato, mas eles não foram localizados.

Os bancos e porta-malas do carro estavam carregados com tabletes de maconha. Após pesado, a droga totalizou 845 quilos.

 

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

O prefeito da cidade de Paranhos na fronteira do Brasil com o Paraguai sofreu um atentado na noite desta quinta-feira (14). O político estava chegando em casa quando se aproximou uma motocicleta com dois indivíduos e efetuou vários dispardos contra o prefeito Dirceu Betoni do PSDB. O vice-prefeito do município que é médico ajudou a socorrer o prefeito no hospital da cidade de Paranhos. Segundo informações a vítima levou três tiros sendo um na boca, um no abdômen e outro na cabeça que atingiu de raspão. 

Segundos as primeiras informações, Dirceu Betoni teria sido transferido para a cidade de Amambai. O estado de saúde e  estável, com pressão  arterial controlada e ele vai ser encaminhado para Dourados onde será operado para a retirada de um projétil  alojado no abdômen.

Arma de grosso calibre apreendida em operação da PF desencandeada em Dourados e Fátima do Sul - Foto: Divulgação/PF

Quatro pessoas foram presas preventivamente pela Polícia Federal em Mato Grosso do Sul, durante a manhã desta terça-feira (5), pela 'Operação Fura 556', que busca desarticular a atuação de quadrilhas responsáveis por traficar armas e drogas internacionalmente.

De acordo com a Polícia Federal, o nome da operação faz referência à forma como os integrantes da organização criminosa faziam referência aos fuzis 5.56, ou seja, “FURA 556”. A potência é tamanha, que o calibre é tem poderio para perfurar blindados e derrubar helicópteros. Equipamentos para embalar drogas também foram localizados.

Segundo a PF, o esquema criminoso consistia na obtenção de entorpecentes e armamentos no Paraguai e depois o envio das mercadorias ilícitas para o Espírito Santo e também estados da Região Nordeste, por meio de 'mulas' (como são chamados os transportadores de droga) atraídas por boas vantagens financeiras. O início das investigações se deu após grandes apreensões de drogas ocorridas em Recife (PE), espécie de 'sede' da quadrilha. 

Além dos quatro mandados de prisão preventiva, outros quatro mandados de busca e apreensão foram desencandeados nas cidades de Fátima do Sul (MS), Dourados (MS) e Gurarapari (ES). 

Um paiol de grandes proporções foi aprendido pelos agentes. Ao todo, o rol inclui uma carabina semi-automática calibre .22, munições de diversos calibres, inclusive de fuzil 5.56mm e de pistola 9mm, uma prensa utilizada para a formação de tabletes de maconha e mais de R$ 70 mil em dinheiro.

Os crimes investigados e desarticulados são o tráfico internacional de armas e de entorpecentes, falsificação de documentos e formação de organização criminosa.

 

Correio do Estado

Lailla Cristiane Arruda, 19, foi brutalmente assassinada na cidade de Sonora, extremo norte de Mato Grosso do Sul. Policiais encontraram o corpo da vítima na tarde de ontem (1°). 

Segundo informações, Lailla seria natural de Rondonópolis (MT) e teria relação com facções criminosas do estado. A vítima já vinha sofrendo ameaças há algum tempo, conforme noticiou o Coxim Agora.

Ainda de acordo com o site, quatro homens foram presos e confessaram o envolvimento com o crime. Eles relataram aos policiais que na quinta-feira (31) teriam se encontrado com a jovem, que não sabia que seria morta. 

Lailla entrou em um VW Gol e foi levada até um canavial próximo ao rio Confusão, na zona rural da cidade e arrancada para fora do veículo. Eles obrigaram a vítima a ficar de joelhos e um deles, adolescente de 17 anos, golpeou o pescoço da vítima com extrema violência. 

A cabeça da mulher chegou a ser arrancada para fora do corpo.

A polícia chegou até os suspeitos na noite de ontem (1°) após testemunhas denunciarem que a jovem teria sido vista pela última vez na companhia de Rodrigo França, de 21 anos, Alexandro Silva dos Santos, de 24 anos e dois adolescentes de 15 e 17 anos.

Os acusados disseram que a vítima fazia “leva e traz” de informações entre facções criminosas rivais que atuam em MS e MT. O crime chocou a cidade, que abriga pouco mais de 15 mil habitantes, e foi classificado como “julgamento no tribunal do crime”.

 

 

Dourados news

Mais Artigos...