Dourados-MS,
Camara- (1000x90)

Polícia indicia e pede prisão de homem que matou ex-prefeito Dirceu Lanzarini

Policia
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Continuam desde a madrugada desta quarta-feira (26) as buscas a Luis Fernandes, 54, o “Luiz Paraguaio”, autor do assassinato do ex-prefeito e secretário especial da Casa Civil do governo do Estado Dirceu Lanzarini. A força-tarefa envolve agentes da Polícia Civil, DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Defron, e Bope (Batalhão de Operações Especiais) da Polícia Militar.

As investigações são conduzidas pelo delegado Marcos Werneck, da Polícia Civil em Amambai. Ele pediu a prisão preventiva de Luis Fernandes e o indiciou por homicídio qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima e porte de arma de uso restrito. Também foi indiciado pela tentativa de homicídio contra o genro de Lanzarini, Kesley Aparecido Vieira Matricardi, 33, baleado no ombro e de raspão no pescoço.

As equipes mantêm buscas na região de Amambai, mas ainda não têm pistas do autor dos crimes. Não é descartada a possibilidade de ele ter fugido para o território paraguaio, localizado a menos de 50 km de Amambai. Policiais que atuam no caso afirmam que qualquer informação sobre o paradeiro de Luis Fernandes é considerada valiosa para sua prisão.

A Polícia Civil já descobriu que os desentendimentos entre Luis Fernandes e Dirceu Lanzarini começaram porque patrão e o funcionário discordavam quanto a valores de comissões sobre a produção da fazenda.

Na segunda-feira (24) de manhã, Dirceu Lanzarini e o genro foram até a Fazenda Palmeiras, a 30 km do centro urbano de Amambai, onde se encontraram com Luis Fernandes. Eles não chegaram a descer da caminhonete S10 que ocupavam. Funcionário da propriedade há dez anos, Fernandes já estava com a arma na cintura, o que indica crime premeditado.

A investigação mostrou até agora que Lanzarini questionou o funcionário sobre o motivo de ainda não ter feito o plantio de soja em determinada área da fazenda. A versão surgiu com base no depoimento de Kesley Matricardi.

Parado ao lado da caminhonete, Luis Fernandes entendeu a pergunta como um insulto e teria respondido: “está nervoso por que”? Em seguida, sacou a arma e disparou seis tiros em direção aos dois ocupantes do veículo. Os tiros foram disparados de curta distância. A polícia afirma que no momento do crime não houve briga ou sequer bate-boca entre Dirceu Lanzarini e Luis Fernandes.