Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

No dia do aniversário, menina de três anos morre em incêndio

Foto: Bruno Henrique

Campo Grande
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Uma menina de três anos morreu, na manhã desta quinta-feira (27), no dia em que fazia aniversário e outras três pessoas ficaram feridas após o incêndio que ocorreu na manhã no bairro Center Park, em Campo Grande. A menina chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros e Samu ainda no local, mas não resistiu. Outras vítimas foram levadas para a Santa Casa.

Conforme as informações do tenente dos  bombeiros Hamad Ali Aziz, no momento em que as chamas começaram estavam na casa, localizada na Rua Aurélio Leonardo de Souza, a menina, de três anos e a mãe dela. Uma pastora evangélica, que é proprietária da residência, e uma adolescente de 12 anos, filha da líder religiosa.

O corretor de imóveis, Silvio Haikawa, que mora na casa ao lado, foi o primeiro a pular o muro do imóvel em chamas para tentar ajudar as vítimas. Outro vizinho entrou no local em seguida. Com o auxílio de um martelo eles arrombaram o portão e foram retirando as pessoas que estavam lá.

Mas, no momento de desespero, não sabiam que ainda havia uma menina na casa. Os bombeiros e os socorristas do Samu já estavam a caminho e conseguiram retirar a garota. Ela foi atendida dentro de uma viatura, porém, não resistiu e morreu antes mesmo de ser levada para o hospital.

Todas as outras vítimas foram encaminhadas para a Santa Casa.  O estado de saúde da adolescente e da pastora é considerado grave. A outra vítima inalou fumaça e teve ferimentos mais leves.

MOMENTOS DE DESESPERO

E foi justamente esta mulher quem pediu socorro, conforme conta Haikawa. Ele e a mulher ouviram gritos de socorro e saíram para ver o que estava ocorrendo. Neste momento, ele viu a vítima ferida e gritando “pelo amor de Deus para abrir o portão”. A preocupação era a retirada de um botijão de gás que poderia explodir.

CAUSAS DO INCÊNDIO

Ainda não há informações sobre as causas do incêndio. Quando o socorro foi acionado, a informação preliminar era a de que as causa era criminosa. Os militares identificaram que um dos vizinhos cedia energia elétrica para a casa da líder religiosa, mas nenhuma “gambiarra” ou ligação clandestina foi identificada. As polícias Militar e Civil, além da perícia técnica também foram chamadas e investigam as circunstâncias do caso.

 
(Bruno Henrique/Correio do Estado)
 
 
Correio do Estado