Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

Após prisão de 9, Polícia Federal mira chefe de consórcio de cigarreiros que age em MS

Luciano Flores de Lima, superintendente da PF em Mato Grosso do Sul. - Foto: Foto: Bruno Henrique

Campo Grande
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

A Polícia Federal mira a cúpula do consórcio de contrabandistas de cigarro que age a partir da fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai, despachando carregamentos para todo o país. Ontem, a corporação prendeu nove contrabandistas e apreendeu 11 carretas lotadas na região de Ivinhema, com carga total avaliada em aproximadamente R$ 33 milhões.

Durante coletiva de imprensa na tarde deste sábado, Luciano Flores de Lima, superintendente da PF no Estado, afirmou que a partir desta ação, serão levantadas informações que possam levar ao chefe do esquema. Os motoristas serão interrogados em buscas de dados sobre quem são os donos dos carregamentos. Não é descartada ligação com policiais investigados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual, no âmbito da Operação Oiketicus.

O sistema de consórcio é adotado por contrabandistas a fim de diminuir os custos operacionais com a logística de transporte, e também minimizar prejuízos em casos de apreensão. Tal prática é usada com frequência pelos traficantes, e agora passa a ser adotada também pelos cigarreiros que, segundo a PF, buscam novos meios de se prevalecer.

Conforme apurado, desde que facções passaram a dominar o tráfico de armas e drogas na fronteira com o Paraguai, aliados de Jorge Rafaat Toumani, executado em ação de guerra no ano de 2016, passaram a investir no contrabando de cigarro. Tal medida é refletida no número de apreensões que cresce dia a pós dia em Mato Grosso do Sul.

APREENSÃO

Segundo o superintendente, duas policiais perceberam movimentação estranha de quatro carretas na MS-141, ontem, e acionaram a PF em Naviraí. A via foi fechada e, durante abordagem, foram apreendidas 11 carretas, cada uma carregada com aproximadamente 1 milhão de maços de cigarro contrabandeado. Dois dos motoristas conseguiram fugiram, mas os demais foram presos e encaminhados à Delegacia da PF.

 

Correio do Estado