Dourados-MS,
Agosto_lilás

Funcionários e clientes da farmácia Pag Menos, localizada na Avenida Calógeras, na região central de Campo Grande, foram rendidos por um bandido armado na noite de ontem (23). O assaltante deixou o local levando dinheiro e celulares.

Segundo informações do boletim de ocorrência, uma mulher de 50 anos procurou a polícia e relatou que, ao entrar na farmácia, por volta das 19h20, foi rendida por um assaltante que estava atrás do balcão.

O bandido anunciou o assalto, mandou que a vítima entregasse a bolsa e fosse para os fundos do prédio, onde estavam outros clientes e funcionários do estabelecimento.

Pouco tempo depois, o bandido fugiu do local levando celulares e dinheiro das vítimas. Não foi informado o valor que o suspeito levou da farmácia.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga.

(Campo Grande News)

Foto: WhatsApp/Correio Do Estado

O guarda municipal Everton Alves da Silva, de 30 Anos, morreu ao voltar do seu trabalho na Avenida Gury Marques, próximo a Rua Osvaldo Aranha, na Vila Concórdia em Campo Grande. 

Segundo informações preliminares, o acidente aconteceu por volta das 05h40 e ele poderia ter dormido na condução.  A moto é um modelo CB 300 azul. 

Equipes do Corpo de Bombeiros e Samu foram acionadas para a ocorrência. A Policia Militar está presente e o corpo ja foi retirado do local. 

A assessoria da Guarda Municipal informou que ele era servidor desde 2010.

Duas viaturas estão na Fiems desde hoje de manhã

Duas equipes da Polícia Federal cumprem dois mandados de busca e apreensão em Campo Grande,  na sede da Fiems, localizado na Avenida Afonso Pena, na manhã desta terça-feira (19). As buscas estão sendo executadas após investigações apontarem que um grupo de empresas está sob o controle de uma família desde 2002, executando contratos firmados por meio de convênios com o Ministério do Turismo e entidades paraestatais do intitulado sistema “S”.  

Com isso, a Operação Fantoche foi desencadeada e os policiais estão nas ruas desde hoje cedo, em sete Estados, incluindo a Capital de Mato Grosso do Sul. Segundo a Polícia Federal, com a colaboração do Tribunal de Contas da União, a forma que a empresa atuava é sempre igual aos outros crimes contra a administração pública, fraudes licitatórias, associação criminosa e lavagem de ativos.

Em resumo, consiste na utilização de entidades de direito privado sem fins lucrativos para justificar celebração de contratos e convênios diretos com o Ministério convenente e Unidades do Sistema S, contratos voltados à execução de eventos culturais e de publicidade superfaturados e com falta de execução parcial, sendo os recursos desviados depois em favor do núcleo empresarial por meio de empresas de fachada.  

A estimativa é que o grupo já tenha recebido mais de R$ 400 milhões, desses contratos. Ao todo, são 213 policiais federais e oito auditores do TCU,  cumprindo 40 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão temporária, nos estados de Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Paraíba, Distrito Federal, Alagoas e aqui no Estado.

As prisões e as buscas e apreensões, foram determinadas pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Pernambuco, que ainda autorizou o sequestro e bloqueio de bens e valores dos investigados. 

Homem colocou fogo na própria residência, mobilizando bombeiros - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Suposta briga entre casal terminou com uma residência incendiada, na tarde de segunda (4), na rua dos Vasos, Jardim Aquarius, em Campo Grande. O homem, identificado como Thiago de Souza Fernandes, ateou o fogo na casa após discussão com a esposa e mobilizou diversas viaturas do Corpo de Bombeiros.

Não há informações sobre o que motivou a discussão, mas o suspeito, que estava em visível estado de embriaguez, teria brigado com a mulher e o cunhado e, durante a tarde, quando a mulher saiu da casa, ele aproveitou para colocar fogo no imóvel.

Após iniciar o incêndio, Fernandes foi para a casa do vizinho, onde ficou sentado enquanto as chamas destruíam parte da casa e dos móveis. Ele permaneceu no local até a chegada do Corpo de Bombeiros, que foi acionada por testemunhas.

Corpo de Bombeiros, da equipe do subtenente Nilson Gonçalves, utilizou apenas águas no combate as chamas. A principal preocupação era pelo fato da casa ser geminada e haver o risco do fogo se alastrar para o imóvel vizinho. Incêndio foi controlado e não houve vítimas, apenas danos materiais.

Por conta da suspeita de briga e pelo incêndio criminoso, a Polícia Militar também foi acionada e encaminhou Fernandes para a Delegacia de Polícia Civil, para prestar esclarecimentos.

No entanto, como não houve vítimas e a residência incendiada era do próprio suspeito, a polícia aguarda para saber se a mulher irá prestar queixa e registrar boletim de ocorrência, tendo em vista que não há informações se ela sofreu agressões; 

Como o rapaz estava embriagado, ele não deu declarações no local e não há informações sobre o que ele usou para iniciar o incêndio. 

Correio do Estado

Casal viajava o Brasil fazendo furtos em agência bancárias - Foto: Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Juan Daniel da Silva Capzzello, de 33 anos, e Andréia Pereira dos Anjos, de 22, foram presos por policiais  da Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), suspeitos de sete furtos a bancos em Campo Grande, nos dias 2 e 3 de fevereiro.

Conforme o delegado João Paulo Sartori, responsável pela investigação, a prisão aconteceu na segunda-feira (25), em um motel na cidade de São Paulo (SP), de onde a dupla é natural. Eles teriam gasto cerca de R$ 700 no local.

“Ele [Juan] é casado e tinha um relacionamento extraconjugal com essa menina [Andréia], que acompanha ele em todas as viagens, inclusive fazia as reservas dos hotéis no nome dela, pagava as contas com o cartão dela. Ela disse que fica com 15% do valor aferido”, disse o delegado.

Os furtos de envelopes de depósitos eram feitos com auxílio de placas de MDF e fita adesiva dupla face, que eram usados para “pescar” os envelopes. De acordo o delegado, o casal chegava na agência e aguardava o momento em que os locais ficavam vazios, geralmente aos fins de semana.

O dinheiro que eles levaram das agências de Campo Grande não foi encontrado. Os criminosos também realizaram furtos em cinco cidades do Paraná, em duas em Santa Catarina e em três em Mato Grosso. Há suspeitas que também atuaram em municípios nordestinos.

O casal foram presos e trazidos para Campo Grande, onde as prisões preventivas dos dois já foram solicitadas à Justiça, que responderá por furto qualificado.

 

Correio do Estado

Operação aconteceu durante essa madrugada: toda a bebida de um dos bares foi apreendida - Foto: Divulgação

Operação conjunta entre polícias Civil e Militar, Conselho Tutelar e fiscais da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur) flagrou adolescentes consumindo bebidas alcoólica em dois bares de Campo Grande. A ação ocorreu na madrugada de ontem e, além do consumo de bebidas por adolescentes, também teve como alvo o crime de poluição sonora. A primeira abordagem ocorreu na região da Mata do Segredo. Depois de constatada a presença de adolescentes, toda a bebida do bar foi apreendida. A polícia também encontrou papelotes de droga no chão.

Adolescentes embriagados também foram flagrados em outro bar, na região do Jatiuca Park. A constatação da embriaguez dos adolescentes foi feita por meio do bafômetro, aplicado por agentes do Batalhão de Trânsito que participaram da operação.  Conforme informações da Polícia Militar, todos os responsáveis foram detidos e encaminhados para a delegacia da Polícia Civil por descumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). 

POLUIÇÃO SONORA

Além da presença de adolescentes, o bar, situado no bairro Vila Manoel da Costa Lima, foi autuado por poluição sonora. Conforme informações da Polícia Militar Ambiental (PMA), a pressão de som emitida pela aparelhagem instalada  foi de 100,7 decibéis, quando a potência permitida para o horário e região é de 45 decibéis. “Esse bar já havia sido alvo de outras denúncias”, completou o tenente-coronel Ednilson Paulino Queiroz, responsável pela comunicação da PMA.

Toda a aparelhagem de som, explicou o oficial, foi apreendida e duas pessoas, autuadas administrativas e multadas pela PMA em R$ 5 mil cada um. Eles responderão por crime ambiental de poluição sonora. Os infratores poderão pegar pena de um a quatro anos de reclusão. Além disso, poderão perder a aparelhagem apreendida, que passa a ser material de crime.

“Essa operação teve como alvo todas as questões que envolvem ordem pública e social. A nossa participação foi referente à poluição sonora, mas tivemos a averiguação da questão de trânsito, de adolescentes consumindo bebidas alcoólicas. Foi uma grande operação, que contou com a participação de várias instituições”, completou Queiroz.

 

Correio do Estado

Participaram da ação policiais da PMA, 9º Batalhão, 11ª Companhia, Batalhão de Trânsito, Policiais Civis das delegacias Especializada de Ordem Política e Social (Deops) e da Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, fiscais da Semadur e Conselho Tutelar.

Em nota, a PM reforçou que são proibidas a entrada e a permanência de menores de dezoito anos, quando desacompanhados dos pais, em boates, bailes, festivais, promoções dançantes e eventos assemelhados, incluindo bailes carnavalescos e réveillon, exceto mediante o alvará judicial. O número de adolescentes acolhidos não foi divulgada.

Vários equipamentos foram destruídos pelas chamas - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

Uma conveniência foi parcialmente destruída por incêndio, na manhã de hoje, no Aero Rancho, em Campo Grande. Prejuízo foi estimado em R$ 30 mil.

O estabelecimento é de propriedade do casal Ana Cláudia Monteiro Mussi, 30 anos, e Murilo Plínio de Oliveira Rosa, 23. Segundo ela, a conveniência foi fechada às 4h e, às 10h30, eles receberam ligações de vizinhos, informando que o local estava pegando fogo.

Corpo de Bombeiros foi acionado e, segundo os comerciantes, demorou uma hora para chegar e as chamas foram apagadas pelos próprios vizinhos, com uso de uma mangueira.

Dentro da conveniência estavam uma moto Biz, três freezers, computador, home theather e uma televisão.

Segundo Ana Cláudia, a suspeita é que o incêndio tenha sido causado por uma instalação elétrica mal feita. “Nós desligamos tudo, deixamos apenas um freezer ligado”, disse, acrescentando que apesar disso, o eletrodoméstico não foi atingido.

No momento do incêndio, não havia ninguém dentro do comércio. O estabelecimento abriu há seis meses e ficará fechado até a reconstrução dos estados.

 

Correio do Estado

Mais Artigos...