Dourados-MS,
 Camara municipal

Carro em que o médico estava

O médico envolvido no acidente que matou Márcia Martins Honório, na madrugada de domingo (2), é sócio de uma empresa médica que presta serviço ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul). Edson de Arruda Alves, de 69 anos, acabou preso por embriaguez após colidir no carro em que a vítima estava na BR-163.

Especialista em ginecologia, Edson aparece no Diário Oficial de Mato Grosso do Sul como sócio da clínica Medtrans, empresa prestadora de serviços para a realização de exames de aptidão física e mental do Detran há cerca de 10 anos. 

Em maio, uma nova portaria, também publicada no Diário Oficial, credenciou a Medtrans por mais um ano como prestadora de serviço ao Detran. Na publicação, o nome de Edson está entre a lista de médicos autorizados ao serviço até o dia 30 de setembro de 2019.

O médico acabou preso em flagrante por embriaguez logo depois do acidente. O teste do bafômetro foi feita e contatou 0,71 miligramas de álcool por litro de ar, valor muito acima do permitido para que o caso não seja crime. Na delegacia, Edson confessou ter bebido “duas cervejas na casa de um amigo”.

Segundo a defesa do médico, composta pelos advogados Andrea Flores e o Luiz Henrique Camargo, apesar da embriaguez confirmada, o acidente aconteceu pela falta de visibilidade do motorista, já que no momento da colisão chovia.

Para a reportagem, Flores explicou que o cliente voltava da casa de um amigo, e resolveu ultrapassar uma carreta bitrem. Ao terminar a manobra e voltar para a pista de sentido a saída de Três Lagoas, atingiu o Fiat Punto, onde a vítima estava. “Ele não viu o carro, quando terminou a manobra e voltou para a pista encostou no Punto”, afirmou a advogada.

Segundo a versão do médico, a Mercedes C230 que conduzia também rodou na pista e atingiu uma carreta que seguia na frente das vítimas. Ainda conforme a defesa, Edson está prestando toda assistência a família da vítima.

Ainda conforme a advogada, o médico vai esperar pela audiência de custódia, que acontece na manhã desta segunda-feira (3).

Caso - De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o médico conduzia uma Mercedes Benz Sedan em sentido a saída de Três Lagoas quando atingiu a traseira do Fiat Punto, onde estavam a vítima e o namorado, de 37 anos. Com a colisão o veículo rodou e saiu da pista, parando às margens da rodovia.

Ainda conforme os policiais que atenderam a ocorrência, a velocidade da Mercedes era tanta, que mesmo com o acidente o médico não conseguiu parar e atingiu uma carreta que seguia na frente do carro das vítimas.

O motorista da Punto - que não teve no nome divulgado - foi socorrido com ferimentos leves, mas Márcia, que era passageira, morreu no local do acidente.

 

 

Campo Grande News

O benefício não vale para outros servidores - Foto: DIVULGAÇÃO

Seis meses após tentativa de criar mais um benefício para juízes e desembargadores de Mato Grosso do Sul, o “auxílio transporte”, o Tribunal de Justiça do Estado (TJMS) decidiu conceder “benefício de assistência médico-social” para todos os magistrados, ativos e inativos. O aumento de 200% no auxílio saúde vai representar acréscimo de 9,99% no salário inicial do magistrado, que varia de R$ 26.734,73 a R$ 30.471,11.

Mas a Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso do Sul (OAB-MS), considera ilegal a Resolução n° 209, de 17 de agosto de 2018, publicada hoje no Diário da Justiça. “Vamos pedir informações para ver se isso realmente vai ser aplicado e aí vamos adotar as medidas cabíveis. Fizeram alteração na Lei Orgânica da Magistratura por meio de Resolução, isso é ilegal. No nosso ponto de vista só poderia ser alterada através de outra lei”, explica o presidente da entidade Mansour Elias Karmouche.

A texto assinado pelo presidente do TJMS, desembargador Divoncir Schreiner Maran, considera os termos da Resolução n° 207, de 15 de outubro de 2015, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), cujo o teor dispõe sobre a Política de Atenção Integral à saúde de magistrados e servidores do Poder Judiciário. E também “o congelamento dos subsídios da magistratura pelo Governo Federal há aproximadamente quatro anos”.

Além de “ser notório os constantes reajustes dos planos de saúde e que estes, para a manutenção do equilíbrio econômico-financeiro de seus contratos, utilizam-se de meios para reajustá-los por mudança de faixa etária, onerando excessivamente os usuários ao longo do tempo”.

Com isso Maran resolveu alterar a redação do art. 1º da Resolução nº 33, de 2 de dezembro de 2009, passando a vigorar nos seguintes termos: “Art. 1º O benefício de assistência médico-social, previsto no artigo 255-A da Lei n. 1.511, de 15 de julho de 1994, será concedido aos magistrados ativos e inativos, bem como aos seus pensionistas, na forma de auxílio pecuniário, de caráter indenizatório, no valor correspondente de até 15% do valor do subsídio ou do provento do magistrado ou da pensão, observada a disponibilidade orçamentária e financeira.” 

A resolução entra em vigor a partir da data de publicação e não é válida para os servidores do TJMS, apesar de nas considerações o presidente ter citado resolução do CNJ que também atinge os trabalhadores do Poder Judiciário.

“A Lei Orgânica prevê o agamento de auxílio saúde, mas no caso de comprovação de uso entre 5% e 15%. Agora estão dando indiscriminadamente, de forma isonômica e linear para todo mundo. Vão receber em dinheiro”, disse Karmouche.

“AUXÍLIO TRANSPORTE”

Em fevereiro deste ano, após repercutir de forma polêmica em todo o Estado, o projeto que criava o “auxílio transporte” para servidores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) foi retirado da pauta na Assembleia Legislativa. Na época a Casa de Leis informou que a retirada foi feita após pedido informal dos próprios desembargadores, sob justificativa de que farão correção e alteração de informações.

O Tribunal, por sua vez, negou que tenha feito qualquer solicitação.

O presidente da Assembleia Junior Mochi (PMDB)  informou, sem revelar maiores detalhes, que recebeu uma ligação na qual foi solicitada a retirada do projeto da pauta. “Eles ligaram porque tem algumas correções e alterações para fazer. Pediram para sobrestar até ver o que é para fazer”.

Caso aprovado pelos deputados estaduais e depois sancionado pelo governador Reinaldo Azambuja (PMDB), o valor do “auxílio transporte” corresponderá a 20% do subsídio recebido pelos servidores do judiciário, podendo variar de R$ 4.702,53 a R$ 6.094,22. 

Em relatório anexo ao projeto, o Departamento de Orçamento e Contabilidade e a Secretaria de Finanças da Corte Estadual estima que o impacto orçamentário-financeiro desse benefício no orçamento do Fundo Especial para Instalação, Desenvolvimento e o Aperfeiçoamento das Atividades dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais (Funjecc), uma das fontes de recursos do Poder Judiciário, será de R$ 3,6 milhões e R$ 5,5 milhões.

“O projeto do auxílio foi retirado. Tem decisão do Supremo (Tribunal Federal - STF) que não pode ser pago mensalmente, por incorporação ao salários”, explicou o presidente da OAB.

 

Correio do Estado

Acidente ocorreu na madrugada desta sexta-feira. - Foto: Álvaro Rezende

Mulher identificada apenas como Paula escapou com vida de grave acidente de trânsito ocorrido na madrugada desta sexta-feira, em Campo Grande. A vítima estava em veículo Gol que bateu no guard rail, capotou e caiu dentro córrego na Avenida Presidente Ernesto Geisel, região do bairro Cabreúva.

Segundo informações do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, o acidente aconteceu por volta das 04h30. A vítima seguia no sentido do bairro para o centro, aparentemente dormiu ao volante e perdeu o controle da direção, caindo no córrego em frente a um posto de combustíveis.

O carro ficou destruído, mas a vítima foi socorrida com vida e encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Coronel Antonino, onde recebeu os primeiros socorros e foi liberada pouco tempo depois. Por volta das 07h30 desta manhã, o guincho esteve no local para retirar o carro.

 

Correio do Estado

Local está fechado para limpeza geral; expediente deve voltar a partir de amanhã (10) - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Criminosos invadiram fácil da Avenida Gury Marques e levaram cofre do correspondente Banco do Brasil. De acordo com o coordenador do prédio Rafael Saueia, 22 anos, os funcionários chegaram hoje pela manhã e encontraram divisórias, portas e vassouras quebradas e o cofre não estava no local.

Ainda de acordo com o coordenador, não havia muito dinheiro no cofre. "Todo final de expediente, o dinheiro é levado e fica apenas troco, na sexta-feira, o pessoal de transporte de valores levaram quase todo o dinheiro", disse.

A Polícia e a perícia compareceram no local para verificar os fatos e um boletim de ocorrência foi registrado.

Sem expediente

O Fácil da Avenida Gury Marques que atende serviços do governo entre outros, ficará fechado durante a tarde desta segunda-feira. O expediente volta a partir de amanhã (10) com horário normal. Enquanto a reportagem estava no local, várias pessoas procuraram atendimento mas encontrou os portões trancados.

 

Correio do Estado

Corpo foi encontrado em cela da Máxima - Foto: Arquivo/ Correio do Estado

Detento, de 34 anos, foi encontrado morto na manhã de hoje, dentro da Penitenciária de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho, em Campo Grande. Ismael Ferreira Araújo estava preso numa cela com outros 12 internos que tem problemas psiquiátricos.

De acordo com boletim de ocorrência registrado, a vítima estava na cela 102, galeria B, pavilhão 4. O corpo de Ismael foi encontrado por volta das 8h30, quando agentes penitenciários foram até o local, que fica na área de saúde do presídio. Não há detalhes sobre a situação em que o corpo estava.

Ainda segundo o registro, uma equipe da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Piratininga foi chamada, junto com policiais do Grupo de Operações e Investigações (GOI), além de peritos, estiveram no presídio para investigar o caso, registrado como morte a esclarecer.

'Gordo': preso em 2004 por receptação e uso de documentação falsa - Foto: Divulgação/Batalhão de Choque/PM-MS

Técnico em inseminação artifical em animais, morador de Rondonópolis (MT) e articulador da tentativa de roubo da aeronave em fazenda de Aquidauana na manhã de quarta-feira (18). Esse é o perfil de José Carlos Netto Cabreira, 51 anos, conhecido entre a bandidagem como 'Gordo' e preso pelo Batalhão de Choque (tropa de elite da PM) em um hostel no bairro Universitário, região sul de Campo Grande, no momento em que fingia ser um pecuarista interessado na compra do objeto pelo qual copntratou comparsas para roubar.

É o terceiro integrante da quadrilha rachada na quarta. Horas antes de sua prisão, Rosival Fernandes da Cruz, 42, e José Donizeti da Silva, 52, comparsas de Cabreira, morreram ao trocarem tiros com policiais do Choque na fazenda em Aquidauana.

Conforme revelado anteriormente, o setor de inteligência da PM recebeu denúncia de que haveria o roubo de uma aeronave. Haviam três na fazenda. Os policiais ficaram à espera dos suspeitos e, assim que chegaram, houve resistência à voz de prisão. Depois de baleados, Cruz e Silva foram levados a um pronto-socorro da região, mas não resistiram aos ferimentos. Ambos já haviam sido presos anteriormente por crimes como estelionato e furto. Em 2016, a Polícia Civil os deteve por envolvimento com traficantes do Pará.

Aviões em hangar na fazenda de Aquidauana: desejo dos bandidos (Foto: Divulgação/Batalhão de Choque)

Nesse cenário, não é difícil fazer a ligação com 'Gordo'. Conhecido pela atuação criminosa no estado vizinho, onde mora desde os anos 1990, apesar de ter nascido em Dourados, já fora preso em Mato Grosso do Sul em 2004. Foi flagrado pela Polícia Militar Rodoviária em Sidrolândia com objetos roubados. Apresentou documento falso. E no ano seguinte ganhou o direito de responder o processo em liberdade por alegar ter residência fixa e emprego conceituado.

A formação, aliás, é a principal arma de 'Gordo' para se aproximar das vítimas. Pelas inseminações, obtém informações privilegiadas sobre bens e posses de fazendeiros. Foi assim que descobriu os três aviões em Aquidauna. E a possibilidade do dono vender um deles. Então pensou no plano para ter sua própria aeronave à disposição para buscar cocaína na Bolívia e levar para os amigos dos comparsas na Região Norte do Brasil.

De acordo com a PM, 'Gordo' confessou que contratara os dois suspeitos mortos para o crime, sem mencionar valores pagos, apenas que comprou armas para eles. Não confirma, contudo, uma quarta participação, justamente a de um propvável piloto.

Mas a megalomania do plano tinhas falhas, que se mostraram evidentes. De acordo com o Choque, o dono das aeronaves desconfiou do discurso de 'Gordo' ao telefone se passando por potencial comprador e ameaçou avisar um amigo seu policial civil. Pudera, primeiro usou o nome de 'Zé Paulo' e depois chegou a oferecer R$ 500 mil.

Vendo que a potencial vítima não caiu na história inventada, 'Gordo' avisou por telefone os comparsas, que decidiram por conta prórpia seguir com o planejado.

Com documentos e celulares do trio apreendidos, as investigações seguirão para descobrir se há mais ramificações da quadrilha no Estado. O principal objetivo é identificar pilotos possivelmente contratados para tirar o avião da fazenda e que podem ter fugido ao perceberem a presença da polícia.

Outro ponto a ser apurado é se 'Gordo' tem algum tipo de participação em outro roubo recente de aeronave ocorrido em Mato Grosso do Sul, mais precisamente em Coxim, em outubro do ano passado.


Cruz e Silva: presos em 2016 por envolvimento com quadrilha de traficantes do estado do Pará (Foto: Álvaro Rezende)

 

 

Correio do Estado

Bombeiros resgatam corpo em poço na zona rural - Foto: Fábio Oruê/Correio do Estado

O corpo de um homem aparentando ter entre 30 e 40 anos foi encontrado com indícios de ter tido a bolsa escrotal arrancada dentro de um poço em sítio no Bom Jardim, bairro da zona rural da região sul de Campo Grande, no início da tarde desta quinta-feira (5). O local fica a cerca de 2,7 quilômetros da MS-040, uma das vias auxiliadoras que ligam a Capital ao estado de São Paulo. 

Junto do corpo, que estava de ponta cabeça, sem camisa e com as calças abaixadas, os Bombeiros encontraram um carregador de celular, cinco pen drives e uma quantia de dinheiro não revelado. O material foi apreendido e será periciado.

Um morador da região, de 52 anos, foi o responsável pelo achado do cadáver. Ele contou que por volta das 9h fazia a limpeza da estrada de entrada da sua chácara quando sentiu um forte cheiro ruim e viu a presença de urubus. Por isso decidiu pular na propriedade alheia. "Quando cheguei ao poço, ele estava tampado com tambores. Tirei eles, vi um tênis e decidi chamar a Polícia Militar", disse.

A perícia determinou inicialmente que a hipótese é de que o corpo estava no local há cerca de dez dias. Mas a presença de água no poço, que tem cerca de quatro metros de profundida e 1,5 metro de diâmetro, pode afetar as condições. Por isso exames serão feitos para se ter a certeza do tempo e, principalmente, a causa da morte. O homem não tinha ferimentos aparentes. Apenas duas tatuagens, uma em cada braço, que podem auxiliar a identificação: um tribal e o nome masculino.

O caso será registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga e a hipótese primordial da polícia é a de assassinato. A investigação ficará a cargo do 4º Delegacia de Polícia Civil, responsável pela área do crime.

 

Correio do Estado

Mais Artigos...