Dourados-MS,
ALMS_Iris

Justiça mantém prisão de policial e professora suspeitos de extorsão

Dourados
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Audiência de custódia realizada nesta quarta-feira (23/10), em Dourados, manteve a prisão do policial militar Waldison C., 46, e da professora Dirce C., suspeitos de extorsão contra produtores rurais da região da Perimetral Norte, área que vive intenso conflito por terra no município. 

A manutenção da prisão preventiva de ambos foi confirmada pelo juiz da 2ª Vara Criminal, Marcus Vinicius de Oliveira Elias. 

O policial está no Presídio Militar, em Campo Grande, desde a terça-feira, enquanto a mulher permanece numa das celas do 1º Distrito Policial de Dourados e deve ser transferida a presídio feminino a qualquer momento. 

O caso 

Waldison e Dirce foram presos em flagrante na tarde de segunda-feira quando recebiam R$ 30 mil de produtores rurais como parte de um acordo para manter indígenas que ameaçavam invadir as terras dessas pessoas afastados. 

Policiais civis do SIG (Setor de Investigações Gerais) e da Corregedoria da PM realizaram a ação. 

Ao Dourados News na manhã de ontem, o comandante do 3º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Carlos Silva, afirmou ter sido aberto um processo de investigação criminal contra o policial. 

“Foi feito o flagrante na Justiça Comum e na Justiça Militar. Ele entrou como coautor da mulher que pedia dinheiro. Pelas nossas investigações ele acompanhava essa senhora que ia pegar o dinheiro”, explicou.

Os produtores rurais vítimas da suposta extorsão são alvos frequentes de invasões promovidas por índios nas imediações da Perimetral Norte.