Dourados-MS,
Assembléia - Vem participar

Foto - Divulgação

Rural

Passagem de frente fria por Mato Grosso do Sul no último fim de semana pouco contribuiu para mudar a estiagem severa que castiga as principais regiões produtoras do milho safrinha no Estado, algumas delas há mais de 30 dias. De acordo com última circular da Associação de Produtores de Soja do Estado (Aprosoja-MS), divulgada nesta semana, a produção terá queda de 19,8% no volume de grãos, saindo de 9,8 milhões de toneladas na safra 2016/2017 para 7,65 milhões de toneladas na safra 2017/2018. A produtividade está estimada em 75,0 sacas por hectare, recuo de 10 sacas em relação ao índice estimado no início do plantio, enquanto a redução da área plantada nesta safra é de 8,21% em relação ao ciclo anterior, passando de 1,8 milhão para 1,7 de milhão de hectares. 

Dentre as sete regiões monitoradas pelo Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga), sete permanecem em estresse hídrico (respectivamente o sudeste, sul-fronteira, sul, centro-oeste, centro-sul e centro), embora em duas delas tenha sido registrada precipitação em um único dia, variando entre 10 e 30 milímetros. Somente na região norte, “o regime hídrico segue dentro da normalidade”, apontou o mapeamento, realizado entre os dias 7 e 10 deste mês.

MERCADO

Apesar das condições climáticas desfavoráveis no campo, o boletim da Aprosoja aponta que o preço da saca do milho em Mato Grosso do Sul apresentou alta entre 4 e 11 de maio. O cereal foi cotado em R$ 33,81 no período, valorização de 4,84%. No acumulado do mês a elevação foi de 12,24%. No comparativo com maio do ano passado houve alta nominal de 60,4%.

 

 

Correio do Estado

A campanha de vacinação contra a febre aftosa de bovinos e bubalinos começa nesta terça-feira (1º de maio) em todo o País, com exceção de Santa Catarina, onde a doença já está erradicada e no Amapá, que concentrará a imunização no período de setembro a novembro.

De acordo com a Acrisul (Associação dos criadores de Mato Grosso do Sul), a expectativa é de imunizar 21 milhões de animais entre bovinos e bubalinos nesta campanha, nas regiões do Planalto, Fronteira e Pantanal sul-mato-grossense.

A reportagem entrou em contato com empresas do ramo agropecuário e constatou que no local a procura pelas doses ainda é tímida. De acordo com o representante de uma delas, Cleison Caramalati, apenas 5% dos clientes cadastrados foram retirar os produtos.

Já em outra empresa da área procurada pela reportagem, o vendedor Valter Ito, disse que essa calmaria inicial se deve principalmente a fatores climáticos.

“Quando faz muito calor ou com chuva forte fica complicado o manejo do rebanho para efetuar o procedimento, acredito que nos próximos dias a procura deve aumentar”, enfatizou.

Como o prazo previsto para o encerramento da campanha é dia 30 de maio, ele acredita que após o feriado, já a partir da próxima quarta-feira (02), a procura deverá ser intensificada.

PREÇOS

Ainda de acordo com Cleison, os preços têm se mantido estáveis, porém há rumores entre os laboratórios de que haverá falta da vacina para quem deixar para a última hora, o que consequentemente poderá ocasionar um aumento na faixa de 30 a 40% no valor das doses.

 

 

Dourados News

Além da ampla programação técnica e área expositora voltada aos produtores rurais, a exposição de animais da raça nelore é outra vertente da Expoagro, onde criadores podem apresentar suas matrizes e incluí-las no julgamento da Associação dos Criadores de Nelores do Brasil (ACNB). Este ano, a previsão é expor em torno de 200 bovinos da raça nelore na área conhecida como pavilhão, onde os animais ficam expostos para visitantes e produtores. A 54ª Expoagro acontece em Dourados de 11 a 20 de maio, no Parque de Exposições João Humberto de Carvalho.

Ricardo Carvalho Filho, diretor do Sindicato Rural de Dourados responsável pela raça nelore, explica que a feira atrai criadores de todo o Brasil, em busca de divulgação dos animais e também do julgamento por parte dos técnicos da ACNB. “A Expoagro é uma grande vitrine para estes criadores de nelore, considerada a ‘raça mãe’ do Brasil”, explica.

O preço para participação na feira é definido de acordo com a quantidade de animais expostos por cada criador e varia de R$ 200 até R$ 160 por cabeça, no caso de grupos acima de 30 bovinos.

Conforme cronograma definido para a 54ª Expoagro, o prazo para entrada dos animais no Parque de Exposições será de 9 a 14 de maio e a pesagem está programada para o dia 15 de maio, quando são avaliados todos os parâmetros dos bovinos expostos. De 17 a 19 de maio é a vez do julgamento por técnicos da Associação dos Criadores, uma avaliação bastante aguardada pelos produtores e que irá definir o perfil ideal do animal a ser seguido pelos criadores. A saída dos animais da feira está prevista para o dia 20 de maio, último dia de programação da Expoagro.

Sobre a Expoagro

A 54ª Expoagro é realizada pelo Sindicato Rural de Dourados em parceria com Daniel Freitas e João Paulo Paz, organizada pelo Grupo Sato e conta com o patrocínio da cervejaria Devassa, Governo de Mato Grosso do Sul, Caixa, Prefeitura Municipal de Dourados, São Bento incorporadora e Senar/MS, com o apoio do Sicredi e tem a parceria da Aced - Associação Comercial e Empresarial de Dourados, da Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de MS -, e do  Hotel Ibis e Hotel 10.

A entrada é gratuita todos os dias até às 18 horas. Nos dias de show, a cobrança será feita a partir desse horário e nos demais, a entrada será franca.

Ingressos e passaportes

Os ingressos e passaportes para os shows podem ser adquiridos pelos sites  www.expoagrodourados.com.br e www.ingressonacional.com.br

 

Siga a Expoagro nas redes sociais: @expoagrodouradosoficial e facebook.com/expoagrodouradosoficial