Dourados-MS,
BANNER 1 - Camra-20-11- (1000X90)

O papa Francisco anunciou neste domingo (29) que nomeará 21 novos cardeais, incluindo um baseado na Mongólia, e colocou novamente suas impressões digitais no futuro da Igreja Católica Romana ao levar mais clérigos de países em desenvolvimento para o primeiro escalão da instituição.

Dezesseis dos 21 serão cardeais eleitores com menos de 80 anos e elegíveis para entrar em um conclave que escolherá o sucessor de Francisco após sua morte ou renúncia. Onze dos clérigos eleitores são de países fora da Europa ou da América do Norte.

Os cardeais ficam atrás apenas do papa na hierarquia da Igreja e atuam como seus conselheiros mais próximos no Vaticano e em todo o mundo. Devido ao seu poder e influência histórica, eles ainda são chamados de Príncipes da Igreja, embora Francisco lhes tenha dito para não viver como realeza e permanecer perto dos pobres.

Uma nomeação significativa entre os países mais desenvolvidos foi a do bispo Robert McElroy de San Diego, Califórnia, visto como um progressista. Ao dar a San Diego seu primeiro cardeal, Francisco ignorou os arcebispos conservadores das cidades maiores de São Francisco e Los Angeles.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse ao primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, por telefone, nesta quinta-feira, que a Rússia está pronta para ajudar a aliviar a crise internacional de alimentos, mas apenas se o Ocidente suspender as sanções impostas contra o país, anunciou o Kremlin. 

"Vladimir Putin enfatizou que a Federação Russa está pronta para fazer uma contribuição significativa para superar a crise alimentar, com a exportação de grãos e fertilizantes, uma vez que as restrições com motivações políticas do Ocidente sejam suspensas", disse o governo russo em nota. 

A Ucrânia descreveu a posição russa como "chantagem", e a secretária de Relações Exteriores do Reino Unido, Liz Truss, disse na quinta-feira que Putin está "tentando fazer o mundo de refém" ao tentar dar um caráter bélico à crise alimentar criada por sua guerra contra a Ucrânia. 

O bloqueio da Rússia aos portos ucranianos impede que o país exporte grãos, produtos que ambos os países são grandes exportadores. A Rússia acusa a Ucrânia de minar seus portos. 

O conflito abastece uma crise global de alimentos fazendo disparar os preços de grãos, óleos de cozinha, combustíveis e fertilizantes. 

Separadamente, o Ministério da Defesa da Rússia afirmou que embarcações civis agora podem utilizar em segurança o porto de Mariupol, no Mar de Azov, na Ucrânia, completamente controlado pelos russos desde semana passada, quando combatentes ucranianos se renderam na usina siderúrgica de Azovstal. 

Segundo o ministério, o perigo das minas em torno do porto de Mariupol já foi eliminado. 

Um atirador abriu fogo em uma escola primária no Texas nesta terça-feira (24), matando 14 alunos e uma professora antes de ser morto, disse o governador Greg Abbott a repórteres, no mais recente tiroteio em um surto de violência armada em escolas dos Estados Unidos.

O governador afirmou que o suspeito, que ele identificou como Salvador Ramos, de 18 anos, foi morto aparentemente por policiais que responderam a um chamado no local, e que dois desses oficiais foram atingidos por tiros, embora o governador tenha dito que os ferimentos não eram graves.

As autoridades disseram que o suspeito agiu sozinho.

Os detalhes oficiais ainda eram incompletos sobre as circunstâncias do ataque, que aconteceu por volta do meio-dia (horário local) na Robb Elementary School, na cidade de Uvalde, cerca de 130 quilômetros a oeste de San Antonio.

"Ele atirou e matou horrivelmente, incompreensivelmente, 14 alunos e matou um professor. O sr. Ramos, o atirador, ele próprio está morto e acredita-se que os policiais o mataram", disse Abbott em entrevista coletiva.

“Acredita-se que ele abandonou seu veículo e entrou na escola primária Robb Uvalde com uma arma”, acrescentou Abbott.

O Hospital Universitário de San Antonio disse no Twitter que recebeu dois pacientes do tiroteio em Uvalde, uma criança e um adulto. Ambos os pacientes, uma mulher de 66 anos e uma menina de 10 anos, foram classificados como estado grave.

O ataque no Texas foi o mais recente de uma série de tiroteios em massa em escolas dos EUA que chocaram o mundo e alimentaram um debate acirrado entre defensores de controles mais rígidos de armas e aqueles que se opõem a qualquer legislação que possa comprometer o direito dos norte-americanos de portar armas.

O tiroteio no Texas foi um dos mais letais em uma escola dos EUA desde que um atirador matou 26 pessoas, incluindo 20 crianças de 5 a 10 anos, em um ataque na Sandy Hook Elementary School, em Connecticut, em dezembro de 2012.

Em 2018, um ex-aluno da Marjory Stoneman Douglas High School em Parkland, na Flórida, matou 17 alunos e educadores.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta segunda-feira (23) que Moscou avaliaria a necessidade de restabelecer os laços com o Ocidente caso receba ofertas, mas se concentrará no desenvolvimento das relações com a China.

Lavrov, em uma sessão de perguntas e respostas em um evento em Moscou, disse que os países ocidentais tinham adotado a "russofobia" desde que a Rússia lançou sua incursão na Ucrânia, descrita por Moscou como uma "operação militar especial".

A Rússia está trabalhando para substituir mercadorias importadas de países ocidentais, disse ele, e no futuro dependerá apenas de países "confiáveis" que não sejam controlados pelo Ocidente.

"Se eles [Ocidente] quiserem oferecer algo em termos de retomada das relações, então consideraremos seriamente se precisaremos ou não", disse Lavrov, de acordo com uma transcrição no site do Ministério das Relações Exteriores.

"Devemos deixar de depender de qualquer forma do fornecimento de absolutamente tudo do Ocidente para garantir o desenvolvimento de setores criticamente importantes para a segurança, a economia ou a esfera social de nossa pátria", afirmou.

Moscou diz que a incursão procura desmilitarizar a Ucrânia depois do que descreve como “um golpe de Estado de inspiração ocidental que encarnou um nacionalismo extremo e derrubou um presidente aliado da Rússia, em 2014”.

Lavrov disse que o objetivo de Moscou agora é desenvolver ainda mais os laços com a China.

"Agora que o Ocidente tomou uma 'posição de ditador', nossos laços econômicos com a China crescerão ainda mais rápido", disse. "Além da receita direta para o orçamento estatal, esta é uma chance de desenvolver (a Rússia) no extremo leste e leste da Sibéria".

O papa Francisco canonizou neste domingo dez novos santos da Igreja Católica Romana, incluindo um padre holandês antinazista assassinado no campo de concentração de Dachau e um monge eremita francês assassinado na Argélia.

Aos 85 anos e usando cadeira de rodas devido a dores no joelho e na perna, o papa foi levado ao altar no início da cerimônia, que contou com a presença de mais de 50 mil pessoas na Praça de São Pedro. Foi uma das maiores aglomerações desde a flexibilização das restrições contra a Covid no início deste ano.

Francisco mancou em direção a uma cadeira atrás do altar, mas se levantou para cumprimentar individualmente alguns participantes. Ele leu sua homilia sentado, mas ficou de pé durante outras partes da missa e realizou a leitura com voz forte, muitas vezes saindo do roteiro, e depois caminhou para cumprimentar os cardeais do Vaticano.

Francisco leu as proclamações de canonização sentado em frente ao altar e ouviu salvas de palmas a cada um dos dez novos santos proclamados.

Titus Brandsma, que era membro da ordem religiosa carmelita e atuou como presidente da universidade católica de Nijmegen, começou a se manifestar contra a ideologia nazista antes mesmo da Segunda Guerra Mundial e da invasão alemã da Holanda em 1940.

Durante a ocupação nazista, ele se manifestou contra leis antijudaicas e pediu aos jornais católicos holandeses que não publicassem propaganda nazista.

Ele foi preso em 1942 e mantido em prisões holandesas antes de ser levado para Dachau, perto de Munique, onde foi submetido a experimentos biológicos e morto por injeção letal no mesmo ano, aos 61 anos. Ele é considerado um mártir, tendo morrido pelo que a Igreja chama de "ódio à fé".

O outro novo santo conhecido é Charles de Foucauld, um nobre francês, soldado, explorador e geógrafo do século XIX que mais tarde passou por uma conversão e se tornou padre, vivendo como eremita entre os pobres berberes no norte da África. Ele publicou o primeiro dicionário tuaregue-francês e traduziu poemas tuaregues para o francês. De Foucauld foi morto durante uma tentativa de sequestro por invasores beduínos na Argélia em 1916.

Entre os outros oito que foram canonizados neste domingo estão Devasahayam Pillai, que morreu por se converter ao cristianismo na Índia do século 18, e Cesar de Bus, um padre francês do século 16 que fundou uma ordem religiosa.

Os outros eram dois padres italianos, três freiras italianas e uma freira francesa, todos tendo vivido entre os séculos XVI e XX.

Vários parques em Pequim foram hoje (9) fechados, no momento em que a capital chinesa estabelece mais restrições para conter a propagação do novo coronavírus, à medida que o número de novos casos diários continua a aumentar.

A cidade registrou 49 infecções nas últimas 24 horas, incluindo 16 casos assintomáticos, elevando o total da atual onda para pouco mais de 700.

A China pratica política de 'zero casos', que inclui o isolamento de bairros ou cidades inteiras, sempre que um surto é detetado.

Chaoyang e Shunyi - os dois distritos de Pequim no centro das últimas infecções - estão paralisados. Os moradores foram instruídos a ficar em casa e os habitantes de outras áreas da cidade proibidos de entrar nas zonas afetadas.

Todos os serviços de transporte público em Chaoyang - que abriga quase 4 milhões de pessoas e muitos complexos comerciais - foram interrompidos, e os funcionários de escritório estão trabalhando em casa.

O Parque Chaoyang, um dos maiores de Pequim, foi fechado até novo aviso, juntamente com a Floresta Olímpica e os parques de Shunyi.

"O número de novos casos ainda está em níveis altos", disse o porta-voz do governo municipal de Pequim, Xu Hejian, nesse domingo.

"A batalha contra o vírus está num impasse. Devemos intensificar o controlo em áreas-chave", afirmou.

Os moradores de Pequim passaram por três rodadas de testes em massa desde o início do surto, juntamente com outras medidas de precaução, para impedir a propagação da doença.

No distrito de Dongcheng - o centro cultural da cidade - as pessoas devem apresentar um resultado de teste PCR negativo feito nos sete dias anteriores para ter acesso a locais públicos.

As reclamações sobre a inconveniência causada pelas medidas antiepidêmicas aumentaram.

Um consultor português radicado na capital chinesa, que prefere não ser identificado, disse à Lusa ter recebido ordem para ficar em casa nos próximos 17 dias, após dois moradores no seu condomínio terem testado positivo.

O condomínio, situado na zona oeste de Pequim, é composto por 12 prédios e abriga mais de cinco mil pessoas. Todos os moradores vão ter que cumprir quarentena e serão sujeitos a seis rondas de testes.

Grades foram colocadas em torno dos edifícios, para impedir a saída dos moradores, segundo fotografias partilhadas pelo consultor.

"Todos os prédios foram cercados com barricadas, apesar de apenas em um edifício existirem dois moradores que testaram positivo", descreveu. "Isso faz algum sentido?", perguntou.