Dourados-MS,
 Camara municipal

Maduro critica decisão do TSE de barrar candidatura de Lula Foto: EPA / Ansa

Mundo

presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, criticou a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de barrar a candidatura do petista Luiz Inácio Lula da Silva às eleições de outubro no Brasil. Maduro disse que a "oligarquia do continente" pretende "calar a voz" de uma nação. Em um texto no Twitter, o venezuelano pediu "força, Brasil". "Somos milhões de Lulas", escreveu. "Levanto a voz junto ao povo brasileiro diante do atropelamento contra o irmão Lula", afirmou Maduro.

 

Terra.com

 

 

A agência espacial americana (Nasa) adiou, pela terceira vez, o lançamento da sua primeira missão para "tocar" o Sol, a Parker Solar Probe. A operação estava prevista para acontecer às 4h48 da manhã deste sábado (11), horário de Brasília, mas teve que ser adiada mais uma vez após problemas técnicos. As equipes tentarão realizar um novo lançamento na manhã deste domingo (12).

A nave espacial deverá se aproximar da enorme estrela cheia de hidrogênio e hélio e enfrentará temperaturas altíssimas, assim como níveis de radiação. Os cientistas vão chegar mais perto do que nunca – na atmosfera externa do Sol - e o que será colhido de informação pelo caminho também será importante.

 

G1

 

Equipes de resgates buscam vítimas na mesquita Jamiul Jamaah, em Bangsal, norte de Lombok, Indonésia (Foto: Tatan Syuflana / AP)

Mundo

Ao menos 70 mil pessoas tiveram que deixar suas casas e recorriam a abrigos improvisados - sem água potável e alimentos - nesta quarta-feira (8), três dias após o terremoto que atingiu a ilha indonésia de Lombok. O número de mortos subiu para 131.

O porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB, sigla em indonésio), Sutopo Purwo Nugroho, disse que após o tremor 1.467 pessoas tiveram que ser hospitalizadas - sendo que 236 tiveram ferimentos graves. Entre os feridos há sete estrangeiros: um dinamarquês, um americano, uma britânica, um francês, uma belga, uma tcheca e uma sul-coreana.

No norte de Lombok, a região mais próxima ao epicentro, milhares de imóveis desmoronaram e os serviços de emergência se esforçam para encontrar sobreviventes e recuperar os corpos. O novo balanço indica que 156 mil pessoas tiveram que deixar suas casas - dessas 70 mil permaneciam em abrigos nesta quarta.

A província onde se encontra Lombok sofre com a grave falta de alimentos, medicamentos e pessoal médico, advertiu o governador Muhammad Zainul Majdi. 

"Nossos recursos são limitados. Faltam auxiliares médicos nos abrigos improvisados" e em outros locais, afirmou o governador de Lombok. 
 
Equipes de resgates buscam vítimas na mesquita Jamiul Jamaah, em Bangsal, norte de Lombok, Indonésia (Foto: Tatan Syuflana / AP)
Equipes de resgates buscam vítimas na mesquita Jamiul Jamaah, em Bangsal, norte de Lombok, Indonésia (Foto: Tatan Syuflana / AP)

As equipes de resgate seguem removendo os escombros dos prédios destruídos, com a ajuda de máquinas, e o número de vítimas pode aumentar. 

"Os esforços para evacuar as pessoas se intensificaram, mas ainda há muitos problemas sobre o terreno", disse o porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Catástrofes, Sutopo Purwo Nurgroho.

Em algumas partes da ilha aldeias inteiras ficaram praticamente destruídas e os habitantes dormem ao relento. 

Retirada de turistas 

As autoridades informaram que a retirada dos 4,6 mil turistas que estavam nas três pequenas ilhas de Gili, na costa noroeste de Lombok, foi concluída. Os turistas deixaram Lombok aos poucos, utilizando barcos e aviões, após acamparem com papelões e cobertores no aeroporto ou nas praias de Lombok desde o último domingo.

 
Terremoto atinge Lombok, na Indonésia (Foto: Juliane Monteiro/G1)
Terremoto atinge Lombok, na Indonésia (Foto: Juliane Monteiro/G1) 
Terremoto 

O terremoto que atingiu a ilha de Lombok no fim da tarde de domingo (horário local) teve 6,9 de magnitude, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS). O seu epicentro foi registrado a 10,5 km de profundidade, a 2 km ao sul de Loloan, no norte da ilha.

O tremor foi seguido de um alerta de tsunami que provocou pânico entre os turistas. Ele também foi sentido em Bali, o principal destino turístico do país.

'Alerta de tsunami foi pior que tremor', diz brasileiro que está na Indonésia

O abalo aconteceu uma semana depois de outro terremoto, de 6,4 de magnitude, deixar 16 mortos e mais de 300 feridos, também em Lombok. Nesta ocasião, centenas de turistas ficaram presos no topo do monte do vulcão Rijani.  

Círculo de Fogo do Pacífico 

A Indonésia, um arquipélago de 17.000 ilhas e ilhotas, está em uma das regiões mais propensas a tremores e atividade vulcânica do mundo: o Círculo de Fogo do Pacífico. Cerca de 7 mil tremores atingem essa área por ano, em sua maioria de magnitude moderada.

A região, de cerca de 40 mil km de extensão, tem formato de ferradura e circunda a bacia do Pacífico, abrangendo toda a costa do continente americano, além de Japão, Filipinas, Indonésia, Nova Zelândia e ilhas do Pacífico Sul.

Em 2004, um tremor de magnitude 9,1, perto da costa noroeste da ilha de Sumatra, gerou um tsunami que matou 230 mil pessoas em 14 países no Oceano Índico.

 

Por France Presse

 

 

O Papa Francisco aprovou a modificação do Catecismo da Igreja Católica para declarar "inadmissível" a pena de morte em todas as circunstâncias e indicou o compromisso da instituição em encorajar sua abolição no mundo todo, informou o Vaticano nesta quinta-feira (2). Até então, essa prática era aceita em casos raros.

O Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Cardeal Luís Ladaria, encontrou-se com o pontífice, em maio, ocasião em que a nova redação do artigo 2267 do catecismo foi aprovada. 

Papa Francisco participa de audiência geral no Vaticano, na quarta-feira (1º)  (Foto: Max Rossi/ Reuters)
Papa Francisco participa de audiência geral no Vaticano, na quarta-feira (1º) (Foto: Max Rossi/ Reuters)

“Durante muito tempo, o recurso à pena de morte, por parte da legítima autoridade, era considerada, depois de um processo regular, como uma resposta adequada à gravidade de alguns delitos e um meio aceitável, ainda que extremo, para a tutela do bem comum”, diz o texto.

O artigo afirma que difundiu-se "uma nova compreensão do sentido das sanções penais por parte do Estado" e foram desenvolvidos sistemas de detenção mais eficazes, que "garantem a indispensável defesa dos cidadãos, sem tirar, ao mesmo tempo e definitivamente, a possibilidade do réu de se redimir".

 

No novo texto ressalta que "a Igreja mostra, à luz do Evangelho, que a pena de morte é inadmissível, porque atenta contra a inviolabilidade e a dignidade da pessoa, e se compromete com determinação para sua abolição no mundo todo".
Pena de morte no mundo 

A China é o país que mais aplica a pena de morte em todo o mundo, segundo levantamento anual da ONG Anistia Internacional (AI) divulgado em abril deste ano. Os números não são conhecidos, porque condenações do tipo são consideradas segredos de estado. Mas a instituição acredita que milhares foram executados ou condenados à morte na China em 2017.

Excluindo a China, a Anistia diz que 84% das execuções documentadas no mundo ocorreram no Irã, na Arábia Saudita, no Iraque e no Paquistão. Alguns países chegaram até mesmo a retomar a aplicação da pena de morte em 2017. Entre eles, estão Bahrein, Kuwait, Emirados Árabes Unidos e Jordânia.

Em abril deste ano, o Gabinete do Governo da Índia aprovou uma emenda para que os culpados de estupro de menores 12 anos possam ser condenados à morte, em meio à indignação no país pelo abuso e assassinato de uma menina de 8 anos.

Especialistas da Anistia Internacional dizem que não há provas de que a pena de morte funcione como elemento de dissuasão para o crime. Ao todo, 142 países já aboliram a pena de morte em suas leis ou na prática.

 

Por G1

Socorristas carregam ferido em maca durante resgate após acidente com avião da Aeroméxico perto do aeroporto de Durango, no México, na terça-feira (31) (Foto: Red Cross Durango via AP)

Mundo

Um avião da Aeroméxico, modelo Embraer 190, sofreu um acidente nesta terça-feira (31) nas imediações do Aeroporto Internacional Guadalupe Victoria, em Durango, no norte do México. De acordo com a companhia aérea, o acidente ocorreu por volta das 18h09, no horário de Brasília.

Autoridades de segurança locais disseram que 85 pessoas ficaram feridas. Dois estão em estado crítico, afirmou a agência Reuters. A Associated Press, na última atualização, disse que, dos feridos, 49 estão hospitalizados. Já a Efe, citando o porta-voz da Secretaria de Saúde do estado de Durango, Fernando Ros, diz que são 80 feridos, 12 deles em estado crítico.

Havia 101 pessoas na aeronave: 97 passageiros e 4 tripulantes.

Em nota, a Embraer afirmou lamentar o acidente. "A Empresa já se colocou à disposição das autoridades aeronáuticas para auxiliar nas investigações e uma equipe de técnicos da Embraer prepara-se para deslocar-se para o local do acidente", disse. 

Bombeiros apagam fogo após acidente com avião da Aeroméxico perto do aeroporto de Durango, no México, na terça-feira (31) (Foto: Civil Defense Office of Durango Photo via AP)
Bombeiros apagam fogo após acidente com avião da Aeroméxico perto do aeroporto de Durango, no México, na terça-feira (31) (Foto: Civil Defense Office of Durango Photo via AP) 
Mau tempo 

O governador do estado de Durango, Jose Aispuro, disse a jornalistas que o avião abortou a decolagem devido ao mau tempo. A aeronave, então, teria varado a pista e se incendiado. Não se sabe, porém, se o Embraer chegou ou não a sair do solo, ainda na pista.

Tanto o governador do estado quanto um representante da Defesa Civil informaram, cerca de uma hora depois do acidente, que não foram registradas mortes no local da queda. A secretaria de Saúde de Durango afirmou que 18 feridos foram atendidos no "Hospital General 450".  

Fumaça de avião modelo Embraer 190, da Aeroméxico, que caiu próximo ao aeroporto de Durango, no México (Foto: Francisco Javier Castrellon/via Reuters)
Fumaça de avião modelo Embraer 190, da Aeroméxico, que caiu próximo ao aeroporto de Durango, no México (Foto: Francisco Javier Castrellon/via Reuters)

O voo que sofreu o acidente foi o AM2431, da subsidiária Aeroméxico Connect, com destino à Cidade do México. A viagem deveria levar cerca de uma hora e 20 minutos em um avião modelo Embraer 190 - fabricado no Brasil em 2008 - com capacidade para 100 passageiros.

A companhia aérea operava o avião desde 2014 com a matrícula XA-GAL. De acordo com sites de monitoramento aéreo, esse foi o quinto voo daquela aeronave nesta terça, todos de ou para a Cidade do México. 

A administração do aeroporto informou, pelo Twitter, que o acidente ocorreu devido às condições meteorológicas em Durango. A avaliação ainda é preliminar, e a perícia ainda deve informar as causas.

 

Por G1

 

Olhar para o céu no início da noite de amanhã (27) será um convite obrigatório. A partir das 16h30 começa o eclipse lunar mais longo do século 21, que deve durar cerca de uma hora e 43 minutos. Em quase todo o planeta será possível acompanhar o fenômeno que, geralmente, ocorre duas vezes por ano, com um tempo de duração de 60 a 80 minutos, podendo durar até muito menos. Em 2015, por exemplo, a cobertura total da Lua durou apenas 12 minutos.

“Agora a Lua vai atravessar bem no centro da sombra da Terra”, explicou a pesquisadora Josina Nascimento, do Observatório Nacional. E é por isso que vai demorar mais tempo até que ela volte a aparecer. Mas, no Brasil, essa fase do eclipse não será visível pelo período integral de 104 minutos. “Toda a parte leste do Brasil vai ver a Lua nascer já durante o eclipse total. Dependendo do lugar, no Rio de Janeiro, por exemplo, a Lua vai nascer 17h26, quando o céu ainda estará claro. Por volta de 18h13, fica mais visível e é quando começa o eclipse parcial [quando a Lua começa a sair da sombra da Terra]”, afirmou.

O eclipse da Lua acontece quando o Sol, Terra e Lua ficam alinhados nesta ordem. O Sol, iluminando a Terra, faz uma sombra no espaço em duas partes: a penumbra, que ainda revela raios do Sol, e a umbra que não recebe qualquer feixe de luz. “Quando a Lua, caminhando em torno da Terra, penetra totalmente na sombra escura temos o eclipse total”, completou a pesquisadora.

No Brasil, em toda a parte leste do país, a Lua já vai nascer na fase total do eclipse, fase que termina às 18h13, no horário de Brasília. A partir desse horário, a Lua começa a sair da sombra mais escura da Terra [umbra], iniciando o eclipse parcial, que dura até 19h19. O fenômeno completo, que inclui a fase penumbral do eclipse, termina às 20h29. Segundo Josina, o eclipse total será visto por toda as regiões Sul, Sudeste e Nordeste. “O Centro-Oeste e parte da Região Norte verá o eclipse parcial e a parte mais a oeste da Região Norte verá somente o eclipse penumbral”, disse.

Se o tempo do fenômeno já carrega um grau de ineditismo, o espetáculo promete ser ainda maior pelas cores com as quais a Lua despontará no horizonte: um efeito laranja avermelhado que dá nome à Lua de Sangue, provocado durante o eclipse total.

“Depois que o sol se põe você tem a tonalidade do horizonte avermelhado que é causado pelos raios de sol passando pela atmosfera. Ou seja, mesmo sem ver o sol, ainda recebe um pouco dessa luz. Os tons vermelhos são os menos filtrados e acabam se destacando mais. O mesmo acontece no eclipse total da Lua. Quando está totalmente na umbra [sombra mais escura da Terra] fica totalmente escura mas ainda chega à Lua os raios solares que passam pela atmosfera da Terra. Passam os mais próximos do vermelho e ela fica com essa tonalidade”, explicou a pesquisadora.

O show celeste ainda promete a maior visibilidade de planetas que estarão na mesma linha. Marte, sem dúvida, merecerá o destaque por estar, desde o início do ano, em máxima brilhância, se destacando como um ponto vermelho ao lado da Lua. O pico desse efeito está previsto para o dia 3 de agosto, mas já é impossível ignorar a presença desse planeta visto a olhos nus. “Júpiter também estará no alto. Vênus está a oeste e Saturno estará entre Marte e Júpiter, na mesma linha, também muito brilhante mas menos que Marte.”