Dourados-MS,
Audiencia_Câmara1

Aced destaca início das obras do aeroporto de Dourados em 2020

Economia
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Diretores da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados) visitaram o Aeroporto Municipal Francisco de Matos Pereira, em Dourados, a convite do diretor aeroportuário, Juliano de Almeida Domingos, para conhecer em detalhes a atual estrutura, movimentação e obter informações sobre os investimentos previstos. Ele repassou à entidade que este ano será a fase de montagem do canteiro de obras para execução dos trabalhos, recebimento de materiais e equipamentos, e acolhida dos militares que serão designados de outras localidades do país para a reforma do local que está prevista para começar a partir de 2020.

As obras devem durar dois anos, iniciando pela ampliação da pista que passará de 1.950 para 2.240 metros de comprimento e de 30 para 45 metros de largura. A ação ainda inclui taxiway e pátio. Essa parte será executada pelo Exército Brasileiro. Atualmente, uma empresa que venceu o processo licitatório feito pelos militares, desenvolve o projeto.

A reforma é aguardada desde dezembro de 2012, quando Dourados foi incluída no ‘Programa de Investimentos de Logística: Aeroportos do Governo Federal’. O investimento total em verbas federais - atualmente realizado pela SAC (Secretaria da Aviação Civil) - é de R$ 49 milhões ao todo, incluindo novo aeroporto, pista, pátio, terminal, sala de desembarque e embarque, e torre de controle.

A operação do aeroporto não precisará ficar suspensa durante a primeira etapa das obras executadas pelo Exército. Atualmente o aeródromo de Dourados conta somente com a companhia Azul Linhas Aéreas. A Passaredo já está montando estrutura para voltar a operar na cidade e a Gol Linhas Aéreas está vendendo passagens no município, indicando que também pode começar a atuar na cidade. Além de aumentar as oportunidades de horários de voos, com mais empresas operando há competitividade, o que pode impactar nos preços das passagens, como já aconteceu em anos anteriores.

A movimentação do aeródromo municipal era de 63,2 mil no ano de 2013. Na época, apenas a Passaredo operava no município. Com a chegada da Azul em 2014 e 2015, chegou a aumentar para cima de 100 mil anualmente. No ano de 2016, com a saída da antiga companhia e a permanência somente da Azul, a quantidade de embarques e desembarques reduziu para 75 mil, caindo para 62 mil em 2018. Este ano até agosto, já circularam 50 mil passageiros.

Além de ter demanda para ampliar o volume de passageiros, o município ainda tem potencial para o aumento do transporte de cargas através de aeronaves. Segundo Juliana Carvalho Ferreira de Andrade representante da Azul Cargo Express, que é o serviço de cargas da Azul Linhas Aéreas, hoje são enviadas e recebidas somente encomendas de até 60 quilos por volume, que não sejam de cargas perigosas.

De acordo com ela, por falta de estrutura do aeroporto, o serviço não consegue atender a todos os tipos de clientes que o procuram. Para ampliar as atividades, seria necessário um terminal específico para atender cargas; uma secretaria de fazenda para atendimento direcionado ao aeroporto, já que ao entrar na fila com outras transportadoras para fiscalização há demora na liberação de manifestos; além de mais estrutura para receber aeronaves maiores.

“Dourados tem um potencial enorme, é a segunda maior cidade do Estado, polo de uma região que depende dela economicamente, foi destaque nacional em várias publicações pelo crescimento, pelos impostos gerados aqui”, afirma Juliana.

A área do aeroporto é federal, cuja administração está designada à Prefeitura de Dourados que o faz através da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). Conforme o diretor aeroportuário do órgão, a visita da Aced para conhecer a estrutura é importante, pois mostra o interesse do setor produtivo.

“A importância do comércio em si se envolver, é mostrar para as companhias aéreas a demanda, como a cidade pode crescer em benefício dessas novas companhias e com a reforma do aeroporto”, afirma. Ele ainda lembra que quando uma nova empresa pretende se instalar no município, uma das primeiras avaliações é a estrutura aeroportuária para atendê-la.

“Agradecemos o diretor aeroportuário Juliano Domingos, que se mostrou bastante receptivo e prestativo para dirimir todas as expectativas quanto aos cronogramas, projetos e impactos que trarão ao desenvolvimento da região da Grande Dourados”, afirmou o presidente da Aced, Nilson Aparecido dos Santos. Ele esteve no aeródromo na semana passada, acompanhado do secretário Everaldo Leite Dias e Diretores Departamentais Clécio Tina (Turismo), Lídio Guerra (Agronegócio), César Scheid (Indústria) e Whanderson Rodrigues (Startup).