Dourados-MS,
BANNER 1 - Camra-20-11- (1000X90)

A cantora e compositora Marília Mendonça, nascida na cidade de Cristianópolis (GO) e criada em Goiânia, morreu nesta sexta-feira (5) à tarde, quando se deslocava de avião para a cidade de Caratinga (MG), onde faria um show à noite. Todas as outras quatro pessoas que estavam no avião com a artista também morreram na hora.

Marília Mendonça teve seu primeiro contato com a música por meio da igreja e começou a compor aos 12 anos, passando a compor canções para vários cantores. Se tornou procurada pelo meio, com várias composições para os principais destaques da música sertaneja, como Minha Herança (gravada por João Neto & Frederico), Muito Gelo, Pouco Whisky (Wesley Safadão), Até Você VoltarCuida Bem Dela , Flor e o Beija-Flor (Henrique & Juliano), Ser Humano ou um Anjo (Matheus & Kauan), Calma (Jorge & Mateus) e É Com Ela Que Eu Estou (Cristiano Araújo). Outros artistas também gravaram suas canções, como Luccas Luco, Maiara e Maraísa, Matheus e Kauan, César Menotti e Fabiano.

Foi só em 2015, aos 20 anos, que Marília decidiu seguir a carreira de cantora. Ela começou participando das músicas A Flor e o Beija-Flor Impasse, ambas da dupla sertaneja Henrique e Juliano. Já no ano seguinte, lançou seu primeiro álbum: Marília Mendonça: Ao Vivo. Não demorou muito para que algumas músicas figurassem entre as mais tocadas do país, como Sentimento Louco e Infiel.

Naquele ano, a música Infiel se tornou a quinta canção mais executada nas rádios brasileiras. Com o reconhecimento nacional, Marília lançou um novo álbum acústico, intitulado Agora É Que São Elas, com faixas antigas e o single inédito Eu Sei de Cor.

O sucesso foi meteórico, principalmente por cantar músicas que falam de amor, traição e dor de cotovelo. Não demorou muito para a cantora ser coroada a “Rainha da Sofrência”, referência direta ao tom dramático de suas músicas. A artista logo se tornou uma das mais requisitadas para shows e festas em todo o Brasil.

De acordo com o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), a música Até Você Voltar, em parceria com Juliano Tchula, foi a canção de autoria de Marília mais tocada nos últimos 10 anos nos principais segmentos de execução pública de música.

No banco de dados do órgão, há, ao todo, 324 músicas e 391 gravações suas e de parceiros cadastradas. "Com sua percepção aguçada e letras que mostravam o sentimento de muitos brasileiros, Marília foi uma artista essencial para o sertanejo e fará muita falta na música brasileira", destacou o Ecad.

Com a abertura para shows após mais de um ano da pandemia de covid-19, a artista retomou a turnê em março e estava com a agenda repleta até o final do ano.

Em maio de 2019, a cantora confirmou que estava se relacionando há cinco meses com o também cantor sertanejo Murilo Huff. Meses depois, ela anunciou que estava grávida do primeiro filho com o cantor. Léo nasceu no dia 16 de dezembro de 2019. 

 

Juliette venceu a final do BBB21 nesta terça-feira, 4/5. Com 90,15% dos votos, a campeã conquistou o público e levou para a casa o prêmio de R$ 1,5 milhão.

Tiago Leifert começou o discurso do grande resultado, falando sobre as transformações que todos os participantes sofrem ao longo do jogo. Ele citou as mudanças em Camila de Lucas, Fiuk e Juliette, e elogiou os finalistas.

Sobre a paraibana, o apresentador disse: "Indecisa, sem noção, possessiva, frágil, caça-like, oportunista. Fora o que falaram na suas costas, isso eu não vou nem te falar. Tentaram te fazer louca, triste e má, você tem razão, Juliette. Quando te deixaram triste, você fez a gente dar muita risada. Você não caiu na armadilha de atacar um alvo fácil. Mas a verdade também que você nunca esteve sozinha, em nenhum momento. Você nunca mais vai sentir sozinha. Juliette, você é um fenômeno. Você é a campeã!"

 
"Obrigada, Jesus. Obrigada, meu povo!", disse a sister ao ser anunciada como a grande campeã da temporada. "Eu vou fazer vocês sorrirem".

Camilla de Lucas ficou em segundo lugar e recebeu 5,23% dos votos. Em terceiro, Fiuk recebeu 4,62%. O trio vibrou muito com o resultado ao ir em direção ao pódio.

"Acreditem em vocês, acreditem nas pessoas", disse Juliette.
G1

Criador da personagem Dona Hermínia e um dos humoristas mais populares e admirados do Brasil, ele estava internado desde 13 de março. No domingo, horas após acordar e interagir com o marido, o ator sofreu uma embolia, da qual não conseguiu se recuperar.
 
A piora no quadro de saúde de Paulo Gustavo aconteceu na noite de domingo (2). Ele vinha apresentando melhoras significativas, chegou a ter redução de sedativos e bloqueadores e a interagir com médicos e também com o marido, Thales Bretas. À noite, no entanto, sofreu uma embolia pulmonar.
 
Nesta terça, um novo boletim informou que o ator estava com quadro irreversível, mas mantinha os sinais vitais. Às 21h12, no entanto, foi constatada a morte de Paulo Gustavo.
 
O humorista deixa o marido, Thales, e dois filhos pequenos, Gael e Romeu, além do pai, Júlio Marcos, da irmã, Juliana Amaral, e da mãe, Déa Lúcia Amaral, que inspirou a criação de Dona Hermínia.
 
Recorde de bilheteria
 
Somados, os três filmes de “Minha mãe é uma peça” venderam mais de 26 milhões de ingressos entre 2013 e 2020. O terceiro filme teve a maior arrecadação da história do cinema brasileiro, com R$ 182 milhões de bilheteria.
 
Além do sucesso de Dona Hermínia, o ator se destacou pelos filmes “Minha Vida em Marte” (2018) e “Os Homens São de Marte... e é para lá que eu vou” (2014), nos quais contracenou com a atriz e amiga Mônica Martelli. Ele interpretou o personagem Aníbal em ambas as comédias.
 
 
Carreira na TV
 
Na televisão, Paulo apresentou em 2011 o programa “220 Volts”, do Multishow. Dois anos depois, no mesmo canal, ele passou integrar o elenco da sitcom "Vai que cola", vivendo o malandro Valdomiro Lacerda. O personagem foi um sucesso também na adaptação para o cinema, em 2015.

Ainda no Multishow, o ator protagonizou, ao lado de Katiuscia Canoro, a série "A vila". Na produção, ele interpretou o ex-palhaço Rique.
 
Ele também foi o apresentador de várias edições do Prêmio Multishow.
 
Família
 
Paulo Gustavo se casou com o médico Thales Bretas em 2015. Após um processo de barriga de aluguel feito nos Estados Unidos, eles se tornaram pais de Romeu e Gael, de 1 ano de idade.
 
Apesar de a personagem mais famosa de Paulo Gustavo, Dona Hermínia, não ser biográfica, ela foi muito inspirada em Déa Lúcia Amaral, mãe do ator.
 
Em entrevista ao programa “Mais Você”, Paulo chegou a falar, com seu jeito bem-humorado, que a mãe só queria saber dos netos.
 
“Mamãe começou o VT falando que enlouqueceu sendo avó, como se ela já não fosse louca né? Ela fica do lado de Thales, prefere ser avó do que ser mãe”, brincou o ator.
 
 
Como forma de retribuir toda a contribuição da mãe para sua carreira, Paulo Gustavo Gustavo criou a peça “Filho da mãe”, na qual dividia o palco com Dona Déa para cantar e contar histórias.

 

G1

O humorista Kleber Lopes, intérprete do personagem Rick Marcos no programa "A praça é nossa", do SBT, morreu morreu aos 39 anos na manhã deste domingo (7) em São Paulo, vítima de uma parada cardíaca ocasionada pela Covid-19, segundo a assessoria da emissora.
Ator e bailarino, ele estava internado desde sábado (6) no Hospital Municipal de Urgência, em Guarulhos, na Grande São Paulo, por causa da piora do quadro de saúde.
“O SBT presta solidariedade à família e aos amigos do ator, e deseja que Deus conforte sua família”, disse a emissora de Silvio Santos.

O perfil nas redes sociais do programa infantil "Turma da Alegria e Cia", também do SBT, publicou uma homenagem a Kleber Lopes e citou "ensinamentos e amor" que ele transmitiu ao longo de sua passagem pela emissora.

"Tio Kleber, por quê? Estamos muito tristes por ter nos deixado, nosso desejo é que isso tudo seja apenas um pesadelo, porque sabemos que você não queria ir, mas também sabemos que você não foi completamente, em nós sempre vai ter um pouco de você, da sua alegria, do seu sorriso, dos seus ensinamentos e do seu amor por nós, nós nos tornamos melhores ao seu lado, você foi o melhor diretor, amigo e irmão", diz o post.
"Gostaria de pedir a Deus te deixar mais um pouquinho aqui, mas agora Ele quer você ao lado dEle ensaiando os anjinhos. Pode deixar que vamos te deixar orgulhosos aqui, sempre te amaremos, obrigado."

 Trajetória do humorista

Kleber Lopes integrou o corpo de balé do SBT no início da década de 2000, atuando em diversas atrações musicais e em eventos especiais.
Na mesma época, junto com o balé, ingressou em “A praça é nossa”, numa modernização do programa, que deixava de ter abertura gráfica para iniciar a atração com um número de dança.
Ao longo dos anos, Kleber passou a fazer figuração e elenco de apoio nas esquetes, destacando-se pela irreverência e pelo talento.
Em 2016, ele ganhou de Carlos Alberto e Marcelo de Nóbrega a oportunidade de interpretar seu primeiro personagem fixo – Ricky Marcos –, um divertido cantor inspirado no astro porto-riquenho Ricky Martin.

Nos anos seguintes, formou parceria com Andréa de Nóbrega, a Gigi do quadro “A nova rica".

'A praça é nossa'
À frente do programa “A praça é nossa”, o humorista Carlos Alberto de Nóbrega, de 84 anos, também teve Covid-19 e ficou dez dias internado no Hospital Sírio Libanês, no Centro de São Paulo, para se tratar da doença ao lado da esposa, Renata Domingues de Nóbrega, que também contraiu o vírus.
Carlos Alberto teve alta em 2 de março, após ter anunciado nas redes sociais que estava curado da doença. Ele agradeceu aos fãs e à equipe médica pelo apoio e cuidados.

“Nós vencemos. Vencemos porque vocês oraram muito por mim. Pelas centenas de mensagens de amigos, por ter uma equipe médica que cuidou de mim com muito amor. Essa equipe de enfermagem que mais cuidou com muito amor", afirmou Carlos Alberto.
"Obrigado meus velhos amigos e doutores David Uip e Roberto Kalil. E agradecer finalmente mais uma vez a Deus. E minha família. Bendito aquele que tem vocês. Minha esposa Renata, meus filhos e netos! Estou de volta!!!!"
A esposa de Carlos Alberto teve alta em 1º de março e também comemorou nas redes sociais.

Mato Grosso do Sul registrou mais 26 óbitos em decorrência do novo coronavírus. Com a atualização apresentada nesta segunda-feira (11) sobe para 2.077 o número de pacientes que perderam a batalha para a doença. A média móvel indica que na última semana foram registrados 18,3 óbitos por dia.

Dos óbitos registrados nesta segunda-feira, 15 são de Campo Grande, 4 de Dourados e 2 de Aquidauana. Os municípios de Aral Moreira, Batayporã, Bonito, Dois Irmãos do Buriti e Maracaju registraram uma morte cada. 

Com a proximidade das festas de natal e ano novo, o secretário de saúde Geraldo Resende alertou para o cenário que se agrava diariamente no Estado. 

“Façam as confraternizações só com pessoas que residem na sua casa. Não recebam ninguém de fora. Porque ao fazê-lo corremos o risco de em janeiro sermos as pessoas que precisam de um leito hospitalar. Estamos em um patamar elevado de óbitos. No sábado tivemos 23, no domingo 19 e hoje anunciamos 26 óbitos. Chegamos a 2077 óbitos no Mato Grosso do Sul”, lamentou prestando solidariedade às famílias.

Os casos confirmados da doença também continuam em elevação. O novo boletim epidemiológico registrou mais 726 sul-mato-grossenses infectados de ontem para hoje, totalizando 122.187 positivados desde o início da pandemia. Nos últimos 7 dias foram confirmados uma média de 1.172 casos diários da doença.

Além dos 13.851 casos ativos da doença, vale ressaltar que 6.306 casos aguardam a liberação de resultados no sistema pelos municípios, e outros 3.812 amostras estão em análise pelo Lacen e laboratórios parceiros.

O número de pacientes internados está em 658, sendo 362 em leitos clínicos e outros 296 em leitos de UTI. A taxa de ocupação de leitos global por macrorregião é de 111% em Campo Grande, 90% em Dourados, 65% em Três Lagoas e 66% em Corumbá.

Aumentou para 15 o número de mortos das fortes chuvas em Santa Catarina. A região foi atingida pelas por temporais desde quinta-feira (17). Segundo a Defesa Civil do estado, foram 12 mortes em Presidente Getúlio, duas em Rio do Sul e uma em Ibirama. Seis vítimas continuam desaparecidas. Até o momento 184 pessoas estão desabrigadas e 284 desalojadas.

Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro sobrevoou, na tarde de hoje (19), a região do Alto Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Registros do sobrevoo foram feitos pelo ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogério Marinho, no Twitter. O próprio presidente divulgou uma foto do sobrevoo, afirmando que o MDR tem dado apoio no atendimento às vítimas.

“O Governo Federal entra com o apoio do Exército Brasileiro nas operações de restabelecimento e a Defesa Civil Nacional com o trabalho dos técnicos pra simplificar as ações e agilizar o repasse de recursos para os trabalhos de restabelecimento”, explicou o chefe da Defesa Civil do estado, Aldo Baptista Neto.