The current Bet365 opening offer for new customers is market-leading bet365 mobile app You can get a free bet right now when you open an account.

Banco do Brasil destina R$ 6,4 bilhões para o Plano Safra de MS

Banco do Brasil destina R$ 6,4 bilhões para o Plano Safra de MS

O Banco do Brasil anunciou ontem em Dourados que vai destinar R$ 6,4 bilhões de recursos para o Plano Safra 2017/2018 em Mato Grosso do Sul. O anúncio feito em cerimônia na agência Parque dos Ipês, especializada em atender produtores rurais, foi um detalhamento do Plano Safra lançado oficialmente no início do mês. O Banco do Brasil é um dos agentes financiadores.

A maior parte dos recursos para o Estado, cerca de 60%, financia safra na região da grande Dourados. O sul do Estado é o maior produtor de grãos em Mato Grosso do Sul, diferentemente das regiões centro e norte, fortes na pecuária. O montante destinado nesta safra é bem superior se comparado ao ano passado - 5,1 bilhões.

O superintendente estadual do Banco do Brasil, Gláucio Zanettin Fernandes, diz que os estudos de avaliação de safra recorde no Estado e no País aumentaram o aporte de recursos para os produtores. "É uma safra de grandes expectativas", declarou. Até segunda-feira o banco já havia financiado R$ 40 milhões do Estado.

No País serão disponibilizados R$ 103 bilhões. A maior parte dos recursos, R$ 91,5 bilhões, será para o crédito rural aos produtores e cooperativas. Deste montante, R$ 72,1 bilhões serão direcionados para operações de custeio e comercialização e R$ 19,4 bilhões para créditos de investimento agropecuário. Já os R$ 11,5 bilhões restantes serão destinados às empresas da cadeia do agronegócio.

Entre os destaques está a redução das taxas em um ponto percentual para linhas de custeio, investimento e comercialização para a agricultura empresarial. O médio produtor rural terá direito à fatia de R$ 15,5 bilhões pelo Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural.

Já a agricultura familiar terá, pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), R$ 14,6 bilhões. Serão mantidas as taxas de financiamento de 2,5% a 5,5% ao ano. A linha de crédito Pronaf Mais Alimentos terá R$ 6,5 bilhões. O Programa Agricultura de Baixo Carbono terá R$ 1,5 bilhões em financiamento.

Outro R$ 1 bilhão será voltado para o Programa de Construção e Ampliação de Armazéns. Será ofertado também R$ 1 bilhão por meio do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro). A abrangência do programa foi ampliada e inclui agora equipamentos de agricultura de precisão e de sistemas de conectividade para a gestão das atividades agropecuárias, entre as atividades financiadas.

 

 

 

 

 

fonte dourados agora