The current Bet365 opening offer for new customers is market-leading bet365 mobile app You can get a free bet right now when you open an account.

Debate sobre reforma da Previdência deve mobilizar sociedade, diz Ishy

Debate sobre reforma da Previdência deve mobilizar sociedade, diz Ishy

Está em construção em Dourados a organização de uma Audiência Pública que irá debater a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, do Governo Federal. Segundo o vereador Elias Ishy, o debate é necessário para esclarecer a população as consequências da chamada “Reforma da Previdência”. Ele destacou a importância da participação social neste ato, bem como em outras mobilizações.

Os principais pontos da medida devem atingir ainda mais os labutadores rurais, servidores públicos e mulheres (que ainda enfrentam duplas jornadas com afazeres em casa e o cuidado com os filhos). A medida não leva em conta as desigualdades das condições de trabalho, salário e iguala a idade limite da aposentadoria em 65 anos.

O texto também institui o tempo de contribuição em 49 anos para aposentadoria absoluta, o que praticamente impediria a ação, levando em consideração a economia e o índice de desemprego no país. A desmotivação também atinge a juventude. Para conseguir o tributo integralmente, um indivíduo deverá trabalhar dos 16 aos 65 anos, sem interrupção. “Essa medida precariza ainda mais a situação dos trabalhadores, a saúde e a qualidade de vida, portanto, os movimentos devem se organizar para resistir a essa imposição”, diz Ishy.

No dia 8 de março, as mulheres pararam todo o mundo pela passagem do Dia Internacional da Mulher. Na pauta, além dos assuntos relacionados à aposentadoria, questões históricas do movimento feminista foram debatidas. Já no dia 15, todos os sindicatos do Brasil estão convocando uma paralisação, aderida em Dourados, principalmente, pelos trabalhadores em educação. O objetivo, no entanto, é de que todas as categorias se mobilizem.

O parlamentar lembra que, nacionalmente, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se posicionou contra a reforma e criou uma Frente em Defesa da Previdência. Além disso, as centrais sindicais e outras organizações contestaram o texto, como a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip) e os Movimentos ligados aos Trabalhadores Rurais.

Ishy acredita que os argumentos apresentados pelo Governo para defender estas medidas são puramente econômicos e ferem profundamente os direitos dos trabalhadores (as). Para ele, a luta e a mobilização social dos grupos são uma alternativa para impedir que a proposta tenha a aprovação no Congresso Nacional.

“Não é uma reforma, mas sim uma desconstrução do atual sistema, pois o discurso do Governo nos apresenta uma ‘pasta’ quebrada. Enquanto isso, as pessoas se sentem inseguras e vão procurar os bancos para aderir a planos privados. Então, para quem serve esta reforma?”, questiona o vereador. Ishy lembra ainda que uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pode ser instalada no Senado para investigar a real situação da Previdência Social. “A proposta como está é injusta para milhões, então todos devemos nos preocupar”, finaliza.