The current Bet365 opening offer for new customers is market-leading bet365 mobile app You can get a free bet right now when you open an account.

Incêndio que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros já dura mais de 72h, em Goiás

Incêndio que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros já dura mais de 72h, em Goiás

Corpo de Bombeiros continua a combater na manhã deste sábado (14) o incêndio que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, na região nordeste de Goiás. De acordo com a corporação, o trabalho já passa de 72 horas. A visitação no local continua suspensa.

Segundo a corporação, existem mais de 50 pessoas envolvidas na operação, mas, em função das chamas em áreas de difícil acesso, há dificuldade para extinguir o fogo, que está próximo ao Distrito de São Jorge, no município de Alto Paraíso de Goiás.

Fogo chegou a ser visto perto de áreas com moradias e pousadas, em Alto Paraíso de Goiás (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

O fogo começou na quarta-feira (11) e atingiu duas áreas que não fazem parte da visitação. No entanto, as chamas se aproximaram de regiões onde há pousadas e de pontos turísticos, fazendo com que a entrada de visitantes fosse suspensa.

O capitão Pedro Nimerson Ferreira Neri explicou que o local deve continuar fechado para o público durante o combate às chamas por questões de segurança.

“Dos dois focos que estavam lá dentro do parque, um foi extinto, era o que ameaçava áreas habitadas. Porém, o outro que atinge regiões de difícil acesso, dentro de canyons, onde não conseguimos acessar, segue ativo. Ele fica em uma área isolada, não há risco para a população, no entanto, se não combatidos, pode atingir pontos turísticos”, contou.

Ainda não há informações sobre a extensão total da área atingida. Segundo os bombeiros, brigadistas de Alto Paraíso recebem apoio de aviões tanque, voluntários e bombeiros do DF para apagar as chamas.

Os trabalhos também ocorrem em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Por Fernanda Borges, G1 GO