The current Bet365 opening offer for new customers is market-leading bet365 mobile app You can get a free bet right now when you open an account.

Vereador e policial militar estão envolvidos em 'consórcio' para tráfico de drogas

Vereador e policial militar estão envolvidos em 'consórcio' para tráfico de drogas

 

Vereador de Coronel Sapucaia João Bastida de Andrade (PRP) está entre os presos na Operação Malote, deflagrada pela Polícia Federal de Cascavel (PR) nesta sexta (28).

Na cidade, ele é conhecido como João do Banquinho e atuaria como empresário na cidade. O ramo dele divulgado é uma fábrica de bancos.

"Tenho uma empresa no ramo de banquinhos, dou empregos para muitas famílias, mas sei que isso ainda é pouco e nem todos querem fazer a mesma coisa, mas agora que sou um vereador tenho a oportunidade de poder contribuir com algo a mais pela minha cidade, onde vou estar em constante busca e cobrando juntos aos órgãos competentes para que venham oferecer mais oportunidades e, consequentemente, uma valorização do que temos de melhor em nosso município", declarou o vereador preso nessa semana, na Câmara.

Além do político, policial militar, ainda sem identificação, e mais outros seis envolvidos com tráfico de drogas em Mato Grosso do Sul também já foram presos.

Conforme informações da PF, o militar foi preso no município de Naviraí e afastado por causa do envolvimento com o caso.

A operação tem objetivo de desarticular quadrilha especializada no tráfico de drogas. A sede do grupo ficava em Umuarama (PR), mas as operações para compra, venda e transporte de entorpecentes no modelo de consórcio, eram realizadas pela célula instalada em Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai.

Foragido, um dos líderes, identificado como Adriano Lechuga, 36 anos, levava vida luxuosa e se apresentava como garimpeiro para encobrir a verdadeira origem de sua fortuna.

O grupo acumula milhões em bens, tanto que a Receita Federal auxiliou na discriminação das riquezas. Até mesmo uma embarcação luxuosa foi apreendida pelos investigadores.

No Mato Grosso do Sul, 20 equipes buscaram os 25 alvos que estavam em Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Amambai, Dourados e Ponta Porã. A partir de Amambai, a quadrilha autorizou o transporte de 24,5 toneladas de maconha apreendidas no dia 23 de novembro de 2015, no distrito de Porto Camargo, em Icaraíma (PR), às margens do Lago de Itaipu.

OPERAÇÃO

Ao longo de dois anos, investigações revelaram extensa rede de narcotraficantes dedicados à introdução, no território nacional, de grandes carregamentos de drogas.

No período, foram retiradas de circulação 39 toneladas de maconha e 160 kg de cocaína. Adriano e comparsas moradores em Umuarama, se prevaleciam das ramificações na fronteira com o Paraguai para distribuir drogas em todo o Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: DouradosInforma