Dourados-MS,
BANNER 1 - Camra-15-09- (1000X90)

Paralisação não impactará no pagamento dos servidores, diz governador

Reinaldo Azambuja lembra projeto de expansão da ferrovia previsto para MS - Foto: Correio do Estado/Arquivo

Mato Grosso do Sul
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Apesar do governo de Mato Grosso do Sul computar 10 dias sem arrecadação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), está confiante de que pagamento da folha de servidores não será comprometido. 

"Os recursos estão garantidos para este mês e apesar dos dias sem arrecadação, faremos adequações para garantir que as obrigações mensais sejam cumpridas. Portanto, cada dia que demora para restabelecer o serviço impactará na arrecadação do Estado e dos municípios que recebem 25% do montante", reforça o chefe do Executivo Estadual.

Durante uma coletiva com a imprensa realizada terça (29), o governador alertou que Mato Grosso do Sul deixou de receber R$ 178 milhões referentes ao ICMS, por conta da paralisação dos caminhoneiros, fato que poderia impactar na folha de pagamento do mês de maio.

ALTERNATIVAS 

Para Azambuja é fundamental acelerar a mudança do perfil logístico do Estado, com a expansão da concessão da ferrovia no Estado, que depende da aprovação da Agência Nacional de Transportes (ANTT).

"Nossa proposta não é só uma ferrovia estadual, mas, com alcance transamericano e isso será crucial para redução de custos e aumento da competitividade de nossa produção. A Ferroeste saindo de Dourados para o porto de Paranaguá ou o porto em Porto Murtinho que prevê a construção da ponte internacional sobre o rio Paraguai, são exemplos de logística, que impactarão positivamente no desenvolvimento do Estado", conclui.

 

Correio do Estado