Dourados-MS,
CMD-DROGAS

Alerta é para que a doença erradicada desde 1990 no Brasil não retorne, para isso é preciso imunizar 95% das crianças menores de cinco anos - Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado

Cinco municípios de Mato Grosso do Sul estão em estado de alerta, de acordo com a lista divulgada pelo Ministério da Saúde, sobre as cidades com baixa cobertura da vacina contra a poliomielite. Ao todo 312 cidades do país estão abaixo de 50% da meta de imunização de crianças menores de cinco anos. No Estado, Miranda conta com 45,83%, Ladário 42,04%, Amambai 40,55%, Japorã 11,41% e Ivinhema com a menor porcentagem, 3,19%.

A pouco mais de dez dias do início da campanha de vacinação contra poliomielite e sarampo, que será realizada entre os dias 6 e 31 de agosto, com o Dia D marcado para dia 18. A reportagem entrou em contato com os cinco município em busca de respostas para a baixa imunização.

Segundo o secretário de Saúde da cidade de Amambai, Leonildo Acosta Martins, a cobertura na cidade é de quase 90%, diferente da publicação do Ministério, e explicou que a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), responsável pela imunização dos indígenas na região, não havia repassado o número de crianças vacinadas para contabilizar o município inteiro. Até o fechamento da matéria não conseguimos entrar em contato com a Sesai.

Para Martins, um dos problemas é a falta de documentação. “Já conversei no hospital e cartório para fazermos um mutirão e regularizar a documentação deste público”, disse completando que não terá tempo hábil para que todos estejam com seus devidos documentos até a campanha, mas afirmou que todas as crianças são atendidas e imunizadas.

A enfermeira Coordenadora de Imunização de Ivinhema, Deise Govzi, informou que o sistema de alimentação de dados do Ministério da Saúde estava em manutenção, o que dificultou a transmissão dos dados das crianças vacinadas, mas que entrou em contato com o Ministério e o problema já foi solucionado. Ela explicou que está de férias e não poderia passar dados ou o números de crianças imunizadas.

Em resposta, a assessoria do Ministério da Saúde disse ser de conhecimento que há problemas na manutenção do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) e o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) tem envidado esforços para fazer as correções.

Em várias tentativas de entrar em contato com as secretarias de saúde das cidades de Ladário, Japorã e Miranda, a reportagem não conseguiu respostas.

NA CAPITAL
Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), a cobertura da vacina da poliomielite na Capital é de 76,09%, totalizando 7.101 crianças imunizadas no primeiro semestre deste ano. Em nota, a Sesau reforçou que as Unidades Básicas de Saúde (UBS/UBSF) estão abastecidas com todas as vacinas do Calendário Vacinal. Pais e responsáveis são importantes no processo de imunização e eliminação das doenças imunopreveníveis tendo obrigação de atualizar a carteira de vacina de seus filhos, principalmente crianças menores de cinco anos, comparecendo às unidades. As salas de vacinação das unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h15 às 10h45 e das 13h às 16h45.

O alerta do Ministério da Saúde é para que a doença, que está erradicada no país desde 1990, não volte. Para isso é preciso que 95% das crianças menores de cinco anos sejam imunizadas.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (PNI), Carla Domingues, em reunião com a Comissão Intergestores Tripartite (CIT) disse que o risco existe para todos os municípios que estão com coberturas abaixo da meta. “Temos que ter em mente que a vacinação é a única forma de prevenção da poliomielite e de outras doenças que não circulam mais no país. Todas as crianças menores de cinco anos de idade devem ser vacinadas, conforme esquema de vacinação de rotina e na campanha nacional anual. É uma questão de responsabilidade social”.

Carla ressaltou que as vacinas ofertadas pelo SUS estão disponíveis durante o ano todo, exceto a da gripe que faz parte de uma campanha e exige um período específico de proteção, que é antes do inverno.

A DOENÇA
A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infecto-contagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se subitamente e sua evolução, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido.

A transmissão ocorre por contato direto pessoa a pessoa, pela via fecal-oral (mais frequentemente), por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral-oral, através de gotículas de secreções da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar). A falta de saneamento, as más condições habitacionais e a higiene pessoal precária constituem fatores que favorecem a transmissão do poliovírus.

ORIENTAÇÃO
O Ministério da Saúde orienta que os gestores dos Estados que estão abaixo da meta de vacinação organizem suas redes possibilitando readequação da rotina de horários mais compatíveis para atendimento da população. Importante reforçar as parcerias com as creches e escolas, ambientes que potencializam o envolvimento do núcleo familiar, outra orientação é para que estados e municípios mantenham os sistemas de informação devidamente atualizados.

 

Correio do Estado

Segundo comerciantes da região, o dólar alto não espanta visitantes pois há produtos nas mais variadas faixas de preço - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Mesmo com a forte valorização do dólar, movimento de turistas em férias contribuiu para aquecer o comércio e a rede hoteleira de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero neste mês de julho. De acordo com lojistas ouvidos pelo Correio do Estado, a estimativa é de que o movimento de vendas tenha crescido pelo menos 20% nos últimos 15 dias. Em consequência, a ocupação de leitos no município de fronteira com o Paraguai ficou na média de 75%, índice considerado satisfatório para o período. De acordo com dados do Observatório do Turismo de Mato Grosso do Sul, a taxa média de ocupação dos hotéis e pousadas em Ponta Porã, um dos três principais destinos turísticos do Estado, é de 61,4%.

Proprietário de lojas nos lados brasileiro e paraguaio, o comerciante Pedro Bondiman conta que as férias do meio do ano tradicionalmente ajudam a impulsionar as vendas do comércio na fronteira, porque as famílias viajam e aproveitam para fazer as suas compras, apesar da escalada do dólar. “A cotação varia de R$ 3,90 a R$ 4,10 – “sexta (20), está em R$ 4,00, mas, na verdade, o que ocorre é o impacto sobre o poder aquisitivo do consumidor. Dólar alto sempre tem um impacto, mas o cliente não vai deixar de fazer as compras, pois há produtos em todas as faixas de preço”, defende.

Ainda segundo o empresário, em função da Copa do Mundo, em que as pessoas não saíam de casa, o comércio varejista de fronteira teve uma redução de movimento, mas, após o fim da participação brasileira no Mundial, começou a melhorar. “Depois que passaram os jogos, aumentou de 15% a 20% o movimento de vendas. Também vamos ter, nos dias 6 a 9 de setembro, a Black Friday, o que deve aumentar ainda mais as vendas”, acredita.

 

Correio do Estado

Uma advogada de 24 anos, identificada como Déborah Talma Silva Moraes, morreu vítima de um grave acidente de trânsito ocorrido na madrugada deste sábado, no prolongamento da Avenida Antônio Joaquim de Moura Andrade, na saída para o distrito de Nova Casa Verde, em Nova Andradina. O veículo ocupado pela vítima caiu em uma ribanceira existente à margem da via.

Conforme apurado pelo site Nova News, a advogada trafegava pelo local quando, por motivos e serem apurados, perdeu o controle da direção do veículo I/MMC Lancer, com placas de Nova Andradina. O automóvel invadiu a contramão, bateu na guia, capotou e caiu na ribanceira, ficando totalmente destruído. Devido à violência do acidente, o corpo de Déborah foi parar fora do carro.

Populares acionaram o Corpo de Bombeiros que constataram a morte da jovem. Ela estaria sozinha no veículo. Equipes da Polícia Militar, Polícia Civil e do Núcleo de Perícias estiveram no local realizando os levantamentos necessários. Após isso, o corpo da jovem foi recolhido por funcionários de uma empresa funerária.

O trânsito no prolongamento da Avenida Antônio Joaquim de Moura Andrade, em frente à Concórdia Home Center, não chegou a ser interditado. O veículo será removido do local com auxílio de um guincho. 

Dezenas de populares se aglomeraram no local para acompanhar os trabalhos das autoridades. Um homem ouvido pelo Nova News disse ter sido um dos primeiros a chegar. 

O morador disse que ouviu um forte estrondo e correu para ver o que havia acontecido. Ele relatou que viu o corpo da jovem ao solo e tentou verificar se havia mais alguma vítima no carro ou nas proximidades.

Nas palavras deve, em seguida, os militares do Corpo de Bombeiros chegaram e assumiram a ocorrência. Destroços do carro conduzido por Déborah ficaram espalhados pelo local. 

Um detalhe que merece atenção são garrafas de bebida presentes na cena do acidente, porém um morador das proximidades afirma que as garrafas já estavam ali antes do ocorrido. 

"As pessoas jogam este tipo de material aqui na ribanceira. Ontem mesmo fiz caminhada por aqui e pude perceber que estas garrafas já estavam aí", disse uma testemunha.

 

 

Dourados News

Jovem ao aparecer no próprio velório - Foto: Porã News

Um jovem surpreendeu a família na manhã deste domingo (17). Juan Ramon Alfonso Penayo, 20 anos, havia sido dado como morto, depois que um corpo foi encontrado carbonizado na colônia Santa Clara, a aproximadamente 25 quilômetros da fronteira com Ponta Porã, mas apareceu no próprio velório hoje.

De acordo com o site Porã News, um corpo foi encontrado carbonizado na  manhã de sexta feira (15). A Divisão de Homicídios e a Policia Técnica da Polícia Nacional do Paraguai foram chamadas e encaminharam o corpo ao Instituto Médico Legal (IML) de Pedro Juan Caballero, para que fosse identificado.

Familiares de Juan Ramon Alfonso Penayo foram até o local e identificaram o corpo como sendo dele. Hoje pela manhã, o rapaz apareceu no próprio velório, assustando a família.

O rapaz disse a mãe que estava trabalhando, por isso não havia voltada para casa. O corpo que estava sendo velado na casa de Juan foi reencaminhado ao IML, onde aguarda familiares que possam realizar a identificação.

 

 

Correio do Estado

Mais Artigos...