Dourados-MS,
 Camara municipal

Reinaldo Azambuja e Nelsinho Trad são aliados em pré-campanha - Foto: Arquivo / Correio do Estado

O ex-prefeito de Campo Grande e pré-candidato ao Senado Federal Nelsinho Trad (PTB) afirmou não raciocinar com hipóteses, se referindo à possível candidatura do irmão, deputado federal Fábio Trad (PSD), ao governo de Mato Grosso do Sul e ao apoio, ou não, na campanha em outubro. 

O deputado declarou deixar o nome à disposição, se algum dos três pré-candidatos ao governo, no caso, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), André Puccinelli (MDB) ou Odilon de Oliveira (PDT) desistirem das candidaturas. “Se um dos três desistir, eu deixo meu nome como uma das possibilidades para concorrer ao cargo. Mas apenas nessa hipótese, porque, se só dois disputarem, será um jogo de cartas marcadas”, afirmou.

Nelsinho diz não acreditar na possibilidade de uma desistência e, por isso, vê como improvável a candidatura do irmão ao governo. “Primeiro, é bom esclarecer que o Fábio condicionou essa situação a uma mudança do quadro atual, situação essa que eu acho pouco provável”, disse. 

 

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Contrariando a pressão de boa parte das entidades do setor de açúcar e etanol da Região Sudeste, o Senado aprovou, na noite de terça-feira, projeto que libera a venda direta de etanol das usinas aos postos de combustível. O texto, aprovado por 47 votos a dois, segue para a análise da Câmara dos Deputados.
A medida é criticada por representantes dos postos, das distribuidoras e da maior parte das usinas do Sudeste do País. Produtores das regiões Norte e Nordeste, por sua vez, são favoráveis.

O Governo de Mato Grosso do Sul se posicionou contrário ao projeto. O titular da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, falou sobre as implicações da medida. “A nossa avaliação inicial é de que não seria uma medida positiva. Ela só tem sentido se efetivamente conseguir gerar redução de preço [do etanol]. A sinalização das distribuidoras e das usinas de álcool é de que elas são contrárias à proposta”, afirmou. 

“Nós teríamos que mudar nossa legislação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), legislação de PIS/Cofins. E existe evidência que a redução do preço não vai acontecer, talvez até ocorra uma desestruturação da cadeia produtiva. É claro que, se virar lei, teremos que nos adaptar e faremos esforço para que ocorra a redução”, completou Verruck.

 

 

Correio do Estado

O acidente aconteceu já no fim da apresentação - Foto: Natalia Yahn

A apresentação do Circo Mirage na noite de ontem em Campo Grande terminou em acidente. Seis motociclistas que estava no “Globo da Morte” caíram dentro da estrutura durante o espetáculo, porém de acordo com o informações de funcionários do local, ninguém se feriu gravemente. 

O acidente aconteceu já no fim da apresentação, por volta das 22h30. Dois artistas estavam no globo quando o equipamento entrou no palco por meio de trilhos, em seguida um terceiro homem entrou no local.

Para dramatizar a apresentação, o locutor informou que outros três motociclistas entrariam no local que ficou praticamente sem espaço para todos. 

Os três primeiros conseguiram fazer a primeira parte da encenação, rodopiando com as motos, mas quando os outros três começaram a rodar dentro do globo um deles caiu e assim todos os outros acabaram caindo também. O espetáculo acabou interrompido por alguns minutos até que todos foram retirados do globo, sem ferimentos graves.

O circo, que foi instalado no estacionamento do shopping Bosque dos Ipês, está no último fim de semana de apresentações na Capital.

 

Correio do Estado

Foto - Divulgação

Na solenidade de inauguração do Complexo de Proteína ADM do Brasil, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) refutou indisposição com o prefeito Marcos Trad (PSD) por conta da tarifa de ônibus. “Não temos desgaste nenhum com o prefeito, pelo contrário, nós estamos em uma ampla sintonia de trabalho por Campo Grande, construindo parcerias. Essa questão do desgaste é algo de alguns veículos. Se você perguntar para o Marquinhos, não teve nenhum tipo daquilo no dia que ele deu a coletiva.”

Na segunda-feira (5), em reunião na Assembleia Legislativa, Azambuja afirmou acreditar que com o preço do diesel reduzido, a tarifa dos ônibus de transporte coletivo da Capital também diminuiria.

O prefeito Marcos Trad, então, desconsiderou baixar o preço dizendo que “o governador foi sem fundamentação técnica dos dados que o contrato [com o Consórcio Guaicurus] prevê”.

“Quando nós estipulamos R$ 3,70, se a gente fosse cobrar pela tarifa do Estado, ela seria R$ 3,90”, ressaltou Trad. A declaração do prefeito teria criado um mal estar com o governador, que foi contestado por ele, em um momento de discussão sobre aliança partidária para sucessão estadual.

 

 

Correio do Estado

Mais Artigos...