Dourados-MS,
Semestre- Camara

Foto - Divulgação

A defesa do ex-governador, André Puccinelli; do filho dele, André Puccinelli Júnior; e do advogado João Paulo Calves, ainda analisa a decisão expedida ontem pela 3° Vara Federal de Campo Grande, para reverter a prisão preventiva do trio. Os mandados foram cumpridos na sexta-feira pela Polícia Federal, depois das prisões serem determinadas pelo Ministério Publico Federal (MPF), com base na decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal em maio de 2018, relativa à Quinta Fase da Operação Lama Asfáltica.

Conforme o advogado de defesa de Calves, André Borges, a decisão da Justiça que decretou a prisão é muito extensa e é analisada. “Podemos entrar com pedido de habeas corpus durante o plantão deste final de semana ou apenas na segunda-feira”. O trio passou a noite no Centro de Triagem.

Ontem o advogados do ex-governador e seu filho, Renê Siufi, afirmou que entrará com o pedido de HC apenas na segunda-feira. Ele defende que a prisão tem a intenção de prejudicar a candidatura de Puccinelli, já que acorreu às vésperas da convenção do MDB.

As novas prisões foram motivadas pela suspeita de continuidade de esquema de lavagem de dinheiro. De acordo com a decisão, mesmo após a deflagração da operação Lama Asfáltica e prisão de diversos envolvidos, o esquema criminoso segue operante e a lavagem de dinheiro “se aperfeiçoou no benefício de seus integrantes”.

Está já é a terceira vez que o ex-governador entra na mira da PF, no âmbito da Operação Lama Asfáltica. Em 2016, foi alvo de busca e apreensão e, em novembro do ano passado, ele e o filho foram presos na Operação Papiros de Lama, desdobramento da Lama Asfáltica, responsável por invertigar organização criminosa envolvida com desvio de recursos públicos.

 

Correio do Estado

Coligações podem ser feitas até o dia 5 de agosto - Foto: Álvaro Rezende/Correio do Estado

Os partidos Podemos e Pros formalizaram aliança com o PDT para as eleições de 2018. O anúncio foi feito na manhã de sábado, em convenção do partido que tem Odilon de Oliveira como candidato a governo do estado. A chapa não está fechada e outros partidos podem ser inclusos até o início de agosto.

Foi definido também o candidato a vice-governador. Quem comporá chapa com o juiz federal aposentado será o empresário Herbert Assunção Freitas, ex-secretário executivo da Fundação de Apoio à Pequisa ao Ensino e à Cultura (Fapec).

O PDT apresentou ainda como candidatos ao senado, o ex-vereador, Chico Maia, e a professora  Leocádia Petri Lemos, ex-reitora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). O partido contará também com 11 candidatos aos cargos de deputado federal e 32 aos cargos de deputado estadual.

 

Correio do Estado

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, deputado Barbosinha, é o relator do projeto que será votado após o recesso - Foto - Divulgação

Projeto que cria o Regime de Previdência Complementar em Mato Grosso do Sul, em trâmite há mais de um mês na Assembleia Legislativa, deve ser votado depois do recesso parlamentar, em agosto.

Pela proposta, já aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, os servidores que recebem remuneração superior ao limite máximo do regime geral de previdência, atualmente em R$ 5.531,31, serão automaticamente inscritos no Plano de Previdência Complementar a partir de sua data de entrada em exercício. 

Também poderão aderir, por opção, os servidores e membros que tenham ingressado no serviço público em data anterior à publicação. Para os demais servidores que não integrarem o novo plano, a aposentadoria será feita nos moldes do plano antigo, criando uma segregação entre os servidores.

 

Correio do Estado

Operário teria sido soterrado durante instalação de tubulação - Foto: Gerson Oliveira

Operário que trabalha nas obras do projeto Reviva Campo Grande, que não teve o nome divulgado, ficou parcialmente soterrado após deslocamento de terra na manhã deste domingo. O acidente de trabalho ocorreu no cruzamento da Rua 14 de Julho com a Sete de Setembro, em frente ao quartel central do Corpo de Bombeiros. 

Conforme apurado, três funcionários cavavam buraco para instalação de tubulação, quando uma das laterais cedeu. Dois deles conseguiram sair a tempo, mas o terceiro ficou soterrado até perto da cintura. Ele foi resgatado e encaminhado para atendimento médico, aparentemente sem gravidade.

As informações foram confirmadas pelos colegas da vítima no local e pelo Corpo de Bombeiros, que detalharam que o rapaz foi encaminhado para a Unidade Pronto Atendimento (UPA) das Moreninhas, sem fraturas, consciente e orientado.

Porém, responsáveis pela obra negaram que houve acidente nesta manhã no local. Representantes da Engepar, empresa que opera no local, se recusaram a dar esclarecimentos e reiteraram que nada aconteceu. 

A assessoria de imprensa do projeto foi procurada pela reportagem e se disponibilizou a fornecer mais esclarecimentos sobre o acidente ainda hoje.

 

Correio do Estado

Mais Artigos...