Dourados-MS,
 Camara municipal

Campo Grande terá 66 Unidades de Saúde com vacinação contra gripe

Foto - Divulgação

Campo Grande
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

A 20ª edição da Campanha de Vacinação contra Gripe será lançada nacionalmente neste sábado (12), com o nome "Dia D". Em Campo Grande, 66 Unidades Básicas de Saúde (UBS/UBSF) funcionarão sem intervalo de almoço, para atender a comunidade e ainda, em um trailler instalado na Praça Ary Coelho, na região central da cidade. 

Segundo levantamento divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), desde que foi lançada no dia 23 de abril, a campanha imunizou 45,6% das pessoas que integram os grupos de risco. Os idosos com 60 anos ou mais ocupam o topo do ranking: foram vacinados 48.890, o que representa 61,05% da meta para este ano. Em segundo lugar, os professores representam 56,75% (3.750), seguido por puérperas 46,10% (780) e trabalhadores da saúde 44,38% (10.258).

As crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos representam 29% (15.768) seguida pelas gestantes com 26,22% (2.700). Pacientes com comorbidades somam 6.789, o que equivale a 31,44% da meta. Já os indígenas 530, população privada de liberdade 12 e funcionários do sistema prisional 700, não há meta de vacinação.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

É importante destacar que a vacinação será direcionada para o chamado grupo de risco, do qual fazem parte: idosos com mais de 60 anos, crianças entre 6 meses e menores de cinco anos, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde, povos indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade , funcionários do sistema prisional e professores da rede pública privada que atuam no ensino fundamental e médio.

As pessoas que comparecerem aos postos ou na praça Ary Coelho devem apresentar os seguintes documentos: o Cartão Nacional de Saúde (CNS) e/ou número prontuário da rede de saúde de Campo Grande (Hygia); documento pessoal de identificação; e a caderneta de vacinação (caso tenha).

Além dos documentos exigidos para todos, os profissionais de saúde devem apresentar a carteira de conselho ou holerite; as gestantes e puérperas: cartão da gestante, laudo médico ou exames com identificação; e os indígenas: cadastro na SESAI. O controle mais rigoroso para imunizar as pessoas do grupo de risco é para atender as recomendações do Ministério da Saúde, que não irá disponibilizar doses extras.

 

 

Correio do Estado