Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

Delcídio afirma que está 'aliviado' e avalia possibilidade de candidatura

Delcídio do Amaral foi cassado por unanimidade (74 votos a 0), em 2016 - Foto - Divulgação

Campo Grande
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

O ex-senador de Mato Grosso do Sul, Delcídio do Amaral declarou ontem (30), durante entrevista concedida na Rádio CBN Campo Grande, o sentimento de alívio com relação a sua absolvição, mas destacou que avaliará junto com a família a viabilidade de participar das eleições 2018.

"Foram dois anos e meio de muito sofrimento e momentos difíceis, mas, o importante foi receber o aval da justiça de minha inocência total e os amigos leais que me ajudaram no período. Apesar de tudo que aconteceu fui abençoado e não tenho mágoa de ninguém, pois, não quero me tornar prisioneiro de sentimentos negativos", desabafou. 

Delcídio se filiou ao Partido PTC e reforçou que pela aliança a tendência é apoiar o MDB, no pleito deste ano. No entanto, questionado sobre o apoio a senadora Simone Tebet (MDB) que votou a favor de sua cassação, o ex-senador argumenta:

"Não tenho problema com isso, mas, confesso que achei estranha a posição dos senadores aqui do Estado, todos favoráveis à minha cassação, e posteriormente, apoiando o Aécio Neves que é de Minas Gerais e soma vários processos ", pontua. 

Mesmo satisfeito com sua atual condição, o ex-senador argumenta que analisará com cautela o retorno imediato, pois observa que não há pressa e retomar a carreira política.

"Decidirei junto com minha família, e, se não for agora pode ser daqui dois ou quatro anos. O número de votos que consegui na minha última campanha foi histórico, pois, fui eleito com 820 mil votos. Estou tranquilo com o trabalho que consegui realizar e posso afirmar que fiz o meu melhor, conquistando pelo menos R$ 2 bilhões em emendas para Mato Grosso do Sul", acrescenta. 

 

Correio do Estado