Dourados-MS,
Audiencia Reforma - Camara

Chegada da ADM deve gerar emprego e atrair outras indústrias, diz governador

Fábrica foi inaugurada hoje, no Núcleo Industrial de Campo Grande - Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado

Campo Grande
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

A chegada da indústria ADM à Campo Grande deve gerar empregos, acelerar a economia de Mato Grosso do Sul e atrair novas investimentos e outras indústrias ao Estado, segundo o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Com a inauguração da empresa americana hoje (8), a proteína texturizada, que antes era importada dos Estados Unidos, agora é gerada aqui.

“Transforma soja em proteína texturizada. São 70 tipos de proteína que vão agregar à cadeia alimentar, como conservação de produtos. Esse produto era importado dos EUA e hoje é produzido em Campo Grande. Tem geração de empregos também, que traz mais uma oportunidade no Núcleo Industrial. E o investimento não só para a ADM. Com a chegada deles, vai trazer novas indústrias, agrega novo cadeiamento industrial que deve gerar ainda mais emprego”, comentou Azambuja durante o evento de inauguração.

Ainda conforme o governador, isso tudo é reflexo da política de incentivo fiscal criada pelo Governo do Estado, em parceria com a Assembleia Legislativa e a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems).

“Melhor política de incentivo fiscal do Brasil e que é copiada em vários estados do país. E temos mais investimentos vindo e se ampliando. Em Dourados temos uma planta da Coamo, a Seara está ampliando o cadeiamento industrial de suínos e aves no Estado. Isso tudo tem a ver com a política. Em transformar matéria-prima em produto industrializado e acabado. Não queremos ser exportador do grão, queremos exportar a carne, as aves, os produtos com valor agregado. Isso dá uma competitividade muito grande à economia local”, detalhou ressaltando um investimento de R$ 28 bilhões em três anos e meio de mandado.

“Mato Grosso do Sul recebeu em três anos e meio mais de R$ 28 bilhões em investimentos produtivos como celulose, plantas de carne. Esse é um caminho para a gente poder potencializar uma cadeia industrial de valor agregado e oportunidades em todas as regiões do Estado”, concluiu.

 

 

Correio do Estado