Dourados-MS,
Audiencia Reforma - Camara

Irritado, Marcos Trad reage com deselegância a Azambuja

Marcos Trad não acredita em mal estar porque o governador teria admitido erro em sua avaliação - Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado

Campo Grande
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

No momento da discussão sobre aliança partidária para a sucessão estadual, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) foi alvo de ataques do seu virtual parceiro político, prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), por causa da discussão da tarifa de ônibus. Esse estremecimento político pode não ter efeito conclusivo na futura aliança entre os dois. Mas deixou mal estar, porque alguns tucanos consideraram deselegante a repreensão do prefeito ao governador, que defendeu a redução da tarifa do ônibus com a baixa no preço do óleo diesel.

“O governador simplesmente manifestou o seu pensamento. Isso não é crime e nem intervenção na administração dele (Marcos Trad)”, comentou um assessor de primeiro escalão de Azambuja. Além disso, o governador se tornou grande parceiro de Trad com investimentos em obras em Campo Grande. Nem por isso o prefeito criticou o governador. Mas reagiu duro quando Azambuja sugeriu a redução da tarifa de ônibus.
Marcos Trad criticou Azambuja por falar “sem base técnica” sobre as cláusulas contratuais do município com o Consórcio Guaicurus quando (o governador) defendeu a redução da tarifa de ônibus. “Houve até a discussão entre Assembleia Legislativa e o governo de que isso, também, deve ter um impacto positivo na tarifa do ônibus urbano, até porque o óleo diesel tem, dentro da composição de preço, é um fator primordial nesse preço”, teria declarado o governador.

Azambuja defendeu a discussão sobre assunto com a Câmara Municipal para beneficiar os usuários de ônibus urbanos em Campo Grande. “É preciso que, a partir desse esforço feito pelo governo federal (redução do preço do diesel), com envolvido das instituições, nós possamos também estar discutindo e reavaliando junto com a Câmara Municipal os impactos positivos dentro da tarifa do transporte urbano”, ponderou.

 

Correio do Estado