Dourados-MS,
CMD-2

Bateria da Vila Carvalho durante apuração - Foto: Luiz Alberto / Correio do Estado

E o carnaval de Campo Grande tem sua supercampeã. Com o enredo que festejou seus 50 anos de história, a Unidos de Vila Carvalho conquistou seu 20° título na história da folia da Capital. A apuração aconteceu na noite desta quarta (6), no Horto Florestal (região central).

O Jubileu de Ouro da agremiação da região central não poderia ser melhor: estandarte de ouro, com apenas seis décimos perdidos na apuração, garantindo assim ampla vantagem para a segunda colocada, a Deixa Falar, campeã do ano passado.

Gosto de revanche para a Vila Carvalho, que desta forma se redime da derrota em 2018, já que acabou deixando o troféu escapar por conta de punições impostas pela Liga. Título assegurado para a escola que transformou o bairro com as cores verde e rosa, como diz o seu enredo.

"Eu estava um ano engasgado com isso, é um momento mais do que especial para toda a comunidade, que mostrou sua força e garra. É um grito que estava preso na garganta. Cinquenta anos não são 50 dias", festejou o vice-presidente Wlauber Carvalho.

Tremendo e emocionado, o filho do presidente e maior estandarte da maior vencedora do Carnaval correu junto à imensa torcida presente para comemorar. 

"A gente faz a festa para eles, passa noites sem dormir, cansamos de ensaiar, é muita dedicação premiada neste final", completou.

AS NOTAS

O resultado do Carnaval campo-grandense de 2019 demorou duas horas além do esperado, por conta do atraso. Mesmo assim isso não inibiu o público, que compareceu em bom número ao Teatro de Arena do Horto Florestal, na região central, com muita festa proporcionada pelas baterias.

A apuração começou com um mudança na leitura das notas dos jurados. Pela primeira vez uma escola teve, de uma só vez, todas as notas cantadas, já sabendo a pontuação final de imediato e não sendo necessário esperar a a avaliação individual por cada quesito.

Foi a segunda mudança fundamental do ano. Antes, fora anunciado o fim do grupo de acesso, fazendo uma 'divisão única', com todas as oito escolas da Capital desfilando e concorrendo ao título.

"É uma forma de agilizar, não mudará em nada a emoção", garantiu o presidente da Liga Independente das Entidades Carnavalescas de Campo Grande (Lienca), Eduardo de Souza Neto, ao microfone.

Antes da leitura, um anúncio importante: o problema com um fio de alta tensão caído que impediu três escolas de levarem carros alegóricos à passarela do samba, na Praça do Papa (região norte), fez com que a Liga anulasse as notas de evolução do jurado do terceiro módulo, justamente onde o quesito seria prejudicado por conta do imprevisto.

"É a forma mais justa. Fomos obrigados a fazer essa mudança, com aval de todas as escolas, para evitar que a festa se transformasse em tragédia, visto que se os carros encostassem poderiam carbonizar tudo", disse Neto.

Quatro escolas começaram com pontuação negativa após sofrerem punições.

A Unidos da Vila Cruzeiro começou um décimo a menos, punição por entrar com um integrante a menos em uma das alas.

De resto, todas as escolas que desfilaram na terça-feira foram punidas. A Unidos de São Francisco teve a pena máxima de um ponto por faltar ritmista, um casal de mestre-sala e porta-bandeira, ausência de integrantes na comissão de frente e em suas aulas.

Aero Rancho e Tradição também tiveram punição máxima de um ponto. Na agremiação da Região Sul, faltaram ritmistas na bateria, baianas e integrantes em quatro alas da escola 

Já na escola do bairro José Abraão, faltaram integrantes em todas as cinco alas.

Durante as notas, a disputa acirrada ficou centrada mesmo entre Deixa Falar e Vila Carvalho. 

A Deixa Falar perder décimos na maioria dos quesitos e viu a co-irma correr livre para o título com o grande acúmulo de notas dez obtidas. 

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1) Vila Carvalho - 259,3
2) Deixa Falar - 258,8
3) Igrejinha - 256
4) Catedráticos do Samba - 242,8
5) Cinderela Tradição do José Abrão - 241,2
6) Unidos do Cruzeiro - 241,2
7) Aero Rancho - 224,2
8) São Francisco - 213,2

 

Correio do Estado

Secretário de Administração, Roberto Hashioka, se reúne amanhã com equipe - Foto: Foto: Luiz Alberto/ Correio do Estado

A secretaria de Administração se reúne amanhã (18) com objetivo de finalizar o decreto do Plano de Demissão Voluntária (PDV) e entregar ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ainda este mês.

O PDV é uma das saídas para contenção de gastos no governo. A folha dos servidores está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e para não ultrapassar esse limite, o governo trabalha para que esse projeto seja aprovado. A folha de servidores é um dos maiores custos do governo, atualmente.

O prazo dado pelo governo para finalização do PDV é em fevereiro. Segundo o secretário de Administração, Roberto Hashioka, amanhã a equipe se reúne para finalizar o decreto. “A reunião é para estarmos finalizando a minuta do decreto para levar para o governador avaliar”, comentou.

Hashioka disse não saber se amanhã finaliza o decreto. “Mas é uma das reuniões visando a conclusão da minuta. O PDV é abrangente, a princípio é para todos os servidores, vai depender da vontade de cada um”, explicou.

Um estudo para reimplantação do programa começou a ser feito em dezembro do ano passado, mas ainda não há conclusões sobre quais benefícios os servidores terão, caso se inscrevam, nem a expectativa de adesão ou de economia que o governo terá com o programa.

O PDV é a prioridade no segundo mandato do governo de Azambuja. O projeto será o primeiro a ser apresentado aos deputados estaduais de Mato Grosso do Sul.

 

Correio do Estado

 

 

Foto - Divulgação

Os contribuintes do Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotor (IPVA) recolheram aos cofres estaduais pouco mais R$ 357 milhões até o dia 31 de janeiro de 2019. A data foi o prazo final para o pagamento à vista com desconto de 15% ou da primeira parcela do tributo sem multa. O valor representa 46,5% do total anual previsto pela Secretaria de Fazenda (Sefaz-MS), que divulgou expectativa de arrecadação de aproximadamente R$ 767 milhões neste ano.

Do total, 88,7% ou R$ 317 milhões são referentes ao pagamento dos proprietários que preferiram optar pelo desconto e quitaram o tributo à vista. Os outros cerca de 11%, ou R$ 40 milhões, foram pagos pelos contribuintes que optaram pelo parcelamento em cinco vezes.

A Sefaz informa a quem perdeu o prazo, que ainda há a possibilidade de ficar em dia com os pagamentos. Os contribuintes podem regularizar sua situação por meio da internet (http://www.autoatendimento.ms.gov.br/ipva/) ou ainda buscar auxílio junto às agências fazendárias (Agenfas). O proprietário paga uma multa referente ao atraso e, na sequência, faz os demais pagamentos no prazo regular. Para a consulta é preciso ter em mãos o documento do veículo.

 

Em caso de dúvidas, os contribuintes devem se dirigir pessoalmente às Agenfas em seus respectivos municípios, munidos de documentos pessoais e do veículo ou ainda procurar a Unidade de Acompanhamento e Arrecadação de Outros Tributos/IPVA, que fica em Campo Grande, na avenida Fernando Corrêa da Costa, 858, das 7h30 às 13h30.

A Secretaria disponibiliza ainda os telefones (67) 3316-7513 / 7534/ 7541 para mais informações.

 

Midiamax

Foto -Toninho Souza

A Corregedoria Parlamentar da Assembleia Legislativa já tem novo comando. Por escolha da Mesa Diretora, o posto será exercido durante o biênio 2019/2020 pelo deputado Renato Câmara (MDB). O corregedor substituto será o deputado Coronel David (PSL).

Deputado em segundo mandato, Renato foi o escolhido pelo novo presidente da Casa, deputado Paulo Corrêa (PSDB), para o cargo que era ocupado há oito anos pelo ex-deputado Maurício Picarelli, que não foi reeleito para essa nova legislatura. A posse do emedebista para a nova função interna da Assembleia aconteceu na sessão ordinária desta quarta-feira (6).

Empossado, Renato Câmara subiu à tribuna para agradecer o convite feito pela mesa diretora e adiantou que assume a função com o objetivo de ampliar as ações já realizadas até a legislatura passada e também com a liberdade e o aval da presidência da Casa para fazer às mudanças necessárias para garantir a modernização, o aumento da produtividade e o bom andamento dos trabalhos na Casa.

“Fico feliz em ser o escolhido pelos meus colegas para ocupar a função de corregedor. É um cargo muito importante e de grande responsabilidade na Assembleia Legislativa, já que o corregedor é o responsável por manter ordem, a disciplina e o cumprimento do regimento interno. É um cargo de confiança do presidente da Casa e, por isso, fico muito honrado em ter sido o escolhido pelos meus pares para cumprir essa função fundamental para o bom andamento dos trabalhos legislativos”, destacou.

FUNÇÃO DO CORREGEDOR

O corregedor tem a responsabilidade de garantir que as determinações do Regimento Interno, do Código de Ética e do Decoro Parlamentar da Casa sejam cumpridas integralmente pelos deputados estaduais. Entre suas funções também está a de apurar denúncias atribuídas aos parlamentares, que podem sofrer diferentes medidas desde advertência até a perda do mandato.

Conforme o regimento interno da Assembleia Legislativa, compete ainda à Corregedoria da Assembleia, dar cumprimento às determinações da Mesa Diretora referentes à segurança interna e externa da Casa, supervisionar a proibição de porte de arma, com poderes para revistar e desarmar e abrir sindicância sobre denúncia de ilícitos no âmbito da Assembleia. O corregedor poderá, observados os preceitos regimentais e as orientações da Mesa Executiva, baixar provimentos no sentido de prevenir perturbações da ordem e da disciplina no âmbito da Casa.

 

 

Mais Artigos...