Dourados-MS,
Semestre- Camara

Operário teria sido soterrado durante instalação de tubulação - Foto: Gerson Oliveira

Operário que trabalha nas obras do projeto Reviva Campo Grande, que não teve o nome divulgado, ficou parcialmente soterrado após deslocamento de terra na manhã deste domingo. O acidente de trabalho ocorreu no cruzamento da Rua 14 de Julho com a Sete de Setembro, em frente ao quartel central do Corpo de Bombeiros. 

Conforme apurado, três funcionários cavavam buraco para instalação de tubulação, quando uma das laterais cedeu. Dois deles conseguiram sair a tempo, mas o terceiro ficou soterrado até perto da cintura. Ele foi resgatado e encaminhado para atendimento médico, aparentemente sem gravidade.

As informações foram confirmadas pelos colegas da vítima no local e pelo Corpo de Bombeiros, que detalharam que o rapaz foi encaminhado para a Unidade Pronto Atendimento (UPA) das Moreninhas, sem fraturas, consciente e orientado.

Porém, responsáveis pela obra negaram que houve acidente nesta manhã no local. Representantes da Engepar, empresa que opera no local, se recusaram a dar esclarecimentos e reiteraram que nada aconteceu. 

A assessoria de imprensa do projeto foi procurada pela reportagem e se disponibilizou a fornecer mais esclarecimentos sobre o acidente ainda hoje.

 

Correio do Estado

Dos nove pré-candidatos a senador, a pesquisa do Instituto de Pesquisas de Mato Grosso do Sul Ltda. (Ipems) mostra o ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad (PTB) liderando por larga vantagem a preferência do eleitor da Capital como pré-candidato ao Senado Federal. Se as eleições fossem hoje, ele teria 41,78% das intenções de voto no maior colégio do Estado, onde concentra 591.374 eleitores. 

Com essa votação, em tese, o ex-prefeito estaria praticamente assegurado uma das duas vagas de senador. Isto porque dependerá muito do seu desempenho no interior do Estado para ampliar o número de voto.

O deputado federal e ex-governador José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, seria hoje o segundo preferido em Campo Grande com 24,40% das intenções de voto. Ele estaria a 17,38 pontos porcentuais atrás de Nelsinho.

Mas essa posição de Zeca do PT estaria sendo ameaçada pelo senador Waldemir Moka (MDB), seu primo. Com 13,15% das intenções de voto, Moka não está distante do Zeca levando-se em consideração da margem de erro de 4,90 pontos porcentuais para mais ou para menos sobre o resultado total da amostragem. A diferença entre os dois é de 11,25 pontos.

 

Correio do Estado

Projetos foram aprovados na sessão de hoje - Foto: Izaias Medeiros / Câmara Municipal

Reajuste para cinco categorias de servidores municipais foi aprovado ontem (12) na Câmara de Vereadores. Dentistas, engenheiros, arquitetos, Guardas Municipais e pessoal com ensino superior foram contemplados. Médicos e professores já tiveram aumento aprovado anteriormente.

O reajuste foi de 3,04% linear para a maior parte das categorias. Além desse índice, engenheiros e arquiteros obtiveram incorporação de 15% do abono e profissionais de nível superior, 20%. Guardas receberam, além do aumento linear, 5% na bolsa-alimentação. As mudanças começam a valer de forma retroativa a maio de 2018.

Para os odontólogos houve  ainda a incorporação da produtividade Sistema Único de Saúde - Programa Saúde da Família (SUS-PSF), no valor de R$ 1.070,00 ao vencimento base, de forma escalonada em dez parcelas a contar de 1º de agosto de 2018.

O aumento aprovado para os médicos foi de R$ 100 por plantão, e representa um reajuste de 12,04%. Para os médicos com carga horária de 40 horas semanais, houve aumento de R$ 1,5 mil, no vencimento inicial da categoria. Já para aqueles com carga horária de 12 e 20 horas semanais, o reajuste percentual foi de 3,04%. 

Professores tiveram, a partir de maio, o salário será reajustado em 3,04%. Outros 4,77% serão concedidos em dezembro.

MAIS PROJETOS

Vereadores aprovam 97 projetos na sessão de ontem, penúltima antes do recesso parlamentar. Além dos projetos de aumento salarial, também houve a criação, prevista, de 863 cargos para médicos efetivo e implementação da Clínica da Família.

Esta deverá ser criada pelo Poder Executivo, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), através de parcerias com o setor público, ou ainda, com pessoas físicas ou jurídicas. Local e prazos não estão definidos. 

Do Poder Executivo também foram aprovados acréscimos no regime jurídico único dos servidores públicos do município; organização do Sistema Municipal de Defesa do Consumidor (SMDC); projeto que denomina de “Morada dos Baís” o imóvel localizado na esquina das Avenidas Noroeste e Afonso Pena; a inetituição do Programa Sonho de Morar da Agência Municipal de Habitação (Emha); e a desafetação de imóveis do Jardim Nashville para uso da Emha. 

Do Legislativo, foram aprovados 85 Projetos de Decreto Legislativo de outorga de Título de Cidadão Campo-Grandense, Medalha do Mérito Legislativo e/ou Título de Cidadão Benemérito aptos à discussão e votação.

 

Correio do Estado

Foto: Arte: Correio do Estado

A pesquisa do Instituto de Pesquisas de Mato Grosso do Sul (Ipems) contratada pelo Correio do Estado e realizada em Campo Grande, maior colégio eleitoral do Estado, com 591.374 eleitores – de acordo com levantamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) –, aponta queda na preferência pela pré-candidatura do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) e crescimento do ex-governador André Puccinelli (MDB) e do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). O resultado final mostra todos os três “embolados” na corrida pela disputa do voto do eleitor da Capital.

O levantamento do Ipems indica a queda de 5,73 pontos porcentuais do apoio dos campo-grandenses a Odilon em comparação entre a amostragem de abril e a de julho. Hoje, o juiz tem 30,74% das intenções de voto. Antes, era de 36,47%. Diante deste novo cenário, André encostou em Odilon. Em abril, a diferença entre os dois era de 9,23 pontos porcentuais. Agora, com 29,39% das intenções de voto do ex-governador, essa margem caiu para 1,35 ponto.

Na esteira, aparece Azambuja, com 25,77% das intenções de voto, aproximando-se de André e Odilon. Em abril, a diferença do líder juiz para o governador (que tinha 21,81%) era de 14,66 pontos porcentuais. Hoje, está a 4,97 pontos. Com esse índice, o governador reduziu a distância de André para 3,62 pontos.

 

 

Correio do Estado

Mais Artigos...