Dourados-MS,
Outubro_rosa

O tráfego de veículos foi liberado na Avenida Presidente Vargas nesta segunda-feira (30). Parte da via permaneceu interditada por 180 dias, desde 2 de abril, após a descoberta de um buraco causado pelo colapso da galeria de águas pluviais por onde o Córrego Laranja Doce transcorre sob a pista.

Mesmo com a liberação, o trânsito na região ainda foi tímido nesta manhã. O alternativo usado durante o bloqueio, pela Avenida Hayel Bon Faker, segue com maior fluxo de veículos.

Todo o dinheiro aplicado na obra da Presidente Vargas foi financiado pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio de convênio no valor de R$ 871.827,88 assinado em 16 de maio pela prefeita Délia Razuk na capital do Estado.

Mesmo com essa importante via de acesso à cidade bloqueada desde 2 de abril, somente no dia 20 de maio a mandatária decretou situação de emergência em virtude da situação, sob a justificativa de ter mais celeridade nas contratações, via dispensa de licitação.

Em 6 de junho, com o dinheiro garantido pelo Estado, a prefeitura contratou a Planacon Construtora LTDA por R$ 496.557,75 como empresa especializada em engenharia para execução de serviços de infraestrutura para reconstrução de macrodrenagem para transposição do Córrego Laranja Doce, microdrenagem de águas pluviais e pavimentação asfáltica, na Avenida Presidente Vargas (Parte) x Travessia do Córrego Laranja Doce, no Município de Dourados.

O contrato firmado via dispensa de licitação previa que as obras iniciadas em 13 de junho seriam finalizadas no prazo de 90 dias, com término previsto até 28 de setembro de 2019.

Feitas as escavações, no dia 9 de julho a Prefeitura de Dourados informou ter contratado a Concrevale Concretos LTDA, também por dispensa de licitação, para fornecer galeria celular pré-fabricada de concreto armado (aduela), por onde o Córrego Laranja Doce poderá transcorrer sob a pista. Com valor de R$ 360.880,00, esse vínculo teve vigência de 4 de julho até 9 de setembro.

No próximo dia 06 de outubro acontece a eleição para conselheiro tutelar em Dourados para o quatriênio 2020/2023. A urna será instalada na Escola Estadual Castro Alves e a votação será das 08h às 17h. Para tratar sobre detalhes do dia da eleição, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente reuniu os candidatos nesta quinta-feira (26), na Casa dos Conselhos.

Conforme a presidente do CMDCA, Sandra Giselly Amaral de Assunção, na reunião foram esclarecidas dúvidas dos candidatos e, também, foram entregues os nomes dos fiscais de cada um.

“Cada fiscal participará da ação, desde o recebimento das urnas, até a organização da sala. Antes, acontecerá um treinamento”, explicou Sandra.

A eleição para conselheiro tutelar em Dourados conta com 30 candidatos disputando as 20 vagas – cinco titulares e cinco suplentes para o Conselho Tutelar Centro e cinco titulares e cinco suplentes para o Conselho Tutelar Leste.

Poderão votar na escolha dos conselheiros tutelares todos os cidadãos maiores de 16 anos inscritos como eleitores no município de Dourados e que estejam quites com as obrigações eleitorais.

 

SEGURANÇA

O presidente da Comissão Eleitoral, Ângelo Magno do Nascimento Lins, explicou aos participantes da reunião que a eleição acontecerá via cédula. Para apoio ao pleito, o IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) desenvolveu um software para identificar os votantes e também “bloquear” caso haja tentativa de votar mais de uma vez. Acadêmicos da Anhanguera e técnicos do IFMS prestarão apoio durante todo o pleito.

Durante todo o dia de votação, a Guarda Municipal e Polícia Militar prestarão apoio próximo ao ponto de votação para garantia de segurança e comodidade aos votantes e candidatos.

 

CONSELHEIRO TUTELAR

A função de conselheiro tutelar é de dedicação exclusiva, sendo incompatível o exercício de outra função pública ou privada, ressalvadas exceções admitidas na Constituição Federal.

O conselheiro tutelar deve cumprir com eficácia sua missão de garantia de defesa aos direitos da criança e do adolescente confiada pelo ECA (Estatuto do da Criança e do Adolescente). Dentre suas atribuições, as principais são: zelar pelo cumprimento de direitos de crianças e adolescentes, garantir absoluta prioridade na efetivação de direitos e orientar a construção da política municipal de atendimento. As medidas devem ser aplicadas em relação às crianças e adolescentes, aos pais ou responsáveis, às entidades de atendimento, ao Poder Executivo, à autoridade judiciária, ao Ministério Público e às suas próprias decisões.

O Jornal O Progresso, fundado em 1951 pelo ex-deputado federal Weimar Gonçalves Torres, vai fechar. Com sede em Dourados, a 233 km de Campo Grande, o jornal já foi um dos três mais influentes de Mato Grosso do Sul, mas circula pela última vez na sexta-feira (27).

O comunicado foi feito por uma das diretoras, Blanche Torres, filha da matriarca da família, Adiles Amaral Torres, à frente da empresa desde 1982. O marido dela, Weimar Torres, morreu em acidente aéreo, em 1969.

Blanche negou um encerramento tão "breve", mas a informação obtida pela reportagem indica a migração para on-line, caminho cada vez mais seguido pelos veículos que não querem "morrer".

Análise - O jornal impresso perdeu o encanto. Ficou para trás por não saber agregar o novo. É a análise do diretor-presidente do instituto de pesquisas Ibrape, Paulo Catanante. Para ele, as empresas dedicadas ao jornal de papel têm dificuldade de acompanhar os novos recursos trazidos pelas versões on-line, como texto às vezes mais enxuto e sempre atualizado, além de material audiovisual.

A barreira, aponta, é maior para meios do interior. Catanante fala do assunto com a experiência de quem está desenvolvendo pesquisa sobre mídias em Mato Grosso do Sul. Em Dourados, cita, jornais impressos são lidos apenas por 1 a cada 246 adultos. O diretor do instituto acredita que a consolidação da internet como meio de comunicação de massa, seja dos jornais on-line ou das redes sociais e aplicativos, é muito maior no interior.

“É um índice totalmente insignificante", diz, em relação ao número de leitores do modelo impresso em Dourados. "Na verdade, primeiro o jornal impresso foi substituído pelas informações nas mídias sociais e sites de notícias, e segundo que as matérias são atrasadas. A sabedoria do leitor já não busca informação no impresso porque já busca informação nas nuvens”, comenta.

O diretor também afirma que o leitor, hoje, quer ser estimulado. “O impresso já não é mais empolgante. Fizemos pesquisa em Dourados e uma das reclamações é que não tem mais notícia instantânea”, diz.

Credibilidade – Para o pesquisador, outra questão é a credibilidade. Paulo afirma que o impresso não consegue atualizar a informação. O levantamento em Mato Grosso do Sul mostrou ao diretor que os leitores desenvolveram a prática de checar na internet as informações que leem nos jornais impressos.

“Não tem atrativo, e, além disso, não tem a credibilidade que tem as notícias de sites, devido ao atraso. A tendência é os sites de notícia substituírem os jornais impressos. Quando alguém lê, vai confirmar a notícia que leu em jornais on-line. Os melhores textos, as melhores fotos, estão no online”, avalia.

Outro dado da nova pesquisa do instituto, afirma Catanante, é que apenas 10% do conteúdo dos jornais impressos são lidos. “As pessoas não conseguem ler 10% do conteúdo do jornal, não está tendo conteúdo inteligente para chamar atenção. Principalmente no interior”, analisa.

O diretor afirma que em Dourados, em dois anos, o acesso diário à internet aumentou de 38%, em 2017, para 68% em 2019.

O Progresso - O jornal circula em Dourados e outras cidades da região, com correspondente e assinantes em Campo Grande. No discurso que fez ontem aos funcionários, Blanche Torres atribuiu a desativação da versão impressa à crise financeira que atinge os jornais impressos do país e sinalizou com a possibilidade de retorno em 2020. Entretanto, funcionários presentes na reunião afirmam acreditar ser difícil o impresso voltar a circular. "Estamos arrasados", disse um deles ao Campo Grande News, pedindo anonimato.

Em 2018, o jornal lançou uma versão digital, com CNPJ independente e linha editorial própria. O comando foi entregue à estilista Louise Torres, filha de Blanche e neta de Adiles Amaral Torres. Entretanto, segundo fontes consultadas pelo Campo Grande News, a versão online “não decolou”.

História – De acordo com arquivos do jornal, O Progresso nasceu do sonho do advogado José dos Passos Rangel Torres, em 1920, em Ponta Porã, e renasceu pelas mãos do filho, o também advogado Weimar Torres, em 1951.

Foi o primeiro jornal diário de Mato Grosso do Sul e ao longo da história envolveu toda a família, Adiles do Amaral Torres (mais antiga colunista social de MS), o pai dela Wlademiro Müller do Amaral, filhas e netos.

Em 1969, após a morte de Weimar Torres em um acidente aéreo a empresa passou a ser dirigida por Vlademiro do Amaral, com o apoio da filha Adiles. No final de 1982, Adiles assumiu o comando da empresa e em 1985 passou a assinar como diretora-presidente.

Blanche Torres ocupa atualmente o cargo de diretora-superintendente do jornal. A outra filha de Adiles e Weimar, June Torres, atuou como diretora executiva por muitos anos, mas deixou o cargo para se dedicar à fisioterapia.

Foto: Adilson Domingues

Até o dia 14 de outubro a Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) estará com inscrições abertas para o mestrado de ensino em saúde em sua unidade de Dourados, cidade a 233 quilômetros de Campo Grande.


Podem se inscrever portadores de diploma de curso superior, em todas as áreas do conhecimento, devidamente autorizados e reconhecidos pelo órgão competente. Para inscrição no processo seletivo do Programa de Pós-graduação stricto sensu em Ensino em Saúde, o candidato deverá preencher o cadastro on-line.

O Mestrado Profissional da UEMS tem como área de concentração: Ensino em Saúde, e está direcionado para a formação de profissionais com visão crítica, ética e reflexiva, capazes de realizar cuidado em saúde no contexto do Sistema Único Sistema, de forma fundamentada e sistematizada, com visão integral do ser humano, atendendo às peculiaridades regionais.

Mais Artigos...