Dourados-MS,
 Camara municipal-principal

Foto - Divulgação

O secretário de Educação de Dourados, Upiran Jorge Gonçalves resolveu suspender as aulas na escolas da rede municipal de ensino, a partir desta segunda-feira, dia 28 de maio.

Segundo palavras do secretário, a decisão de suspender as aulas é pessoal, visando proteger os alunas e os pais, durante a greve dos caminhoneiros em consideração o possível desabastecimento de combustíveis, gás de cozinha e gêneros de primeira necessidade.

Ainda segundo o secretário, muitos professores e servidores da educação não teriam como ir ao trabalho e algumas escolas corriam o risco de não ter merenda. A decisão foi tomada também em função do feriado da próxima quinta-feira, e do ponto facultativo de sexta e também para não ser surpreendido na segunda-feira com escolas vazias.

Upiran garantiu que a medida será suspensa assim que a greve terminar ou os reflexos do desabastecimento cessarem. Ele lembar ainda que a medida vale apenas para as escolas, sendo que os demais departamentos da Secretaria de Educação terão expediente normalmente. 

 

 

Dourados News

Foto - Antonio Coca

Uma ordem judicial determinou que pelo menos cinco postos da bandeira Taurus fossem abastecidos com gasolina na noite deste sábado em Dourados. Os caminhões foram escoltados da base da empresa na BR 163 até os postos pela Polícia Rodoviária Federal. Cada estabelecimento recebeu entre três e cinco mil litros de gasolina.

Os empresários não souberam informar de quem partiu o pedido para que os locais fossem abastecidos, mas disseram que amanhã cedo estarão comercializando o produto. Um deles que pediu para não se identificar disse apenas que os três mil litros que ele tinha recebido não dariam para quase nada, já que a procura deve ser muito grande.

Desde ontem, sexta-feira, já não havia mais gasolina em nenhum dos postos de combustíveis de Dourados. Muitos douradenses foram até Pedro Juan Caballero abastecer, já que nos postos do Paraguai não há falta do produto e o preço é menor do que o praticado em Dourados, onde um litro de gasolina chegou a ser vendido esta semana a quase R$ 5.

O comboio de caminhões e a movimentação de viaturas da PRF acabou chamando a atenção de muitas pessoas que foram até os postos para tentar abastecer ainda na noite deste sábado, mas foram informadas que somente na manhã deste domingo o produto estaria disponível nas bombas.

Hoje pela manhã, um dos diretores da Taurus que possui uma base de distribuição em Dourados, disse que quando os caminhões fossem liberados para circular em cerca de meia hora eles teriam condições de abastecer todos os postos da bandeira da empresa em Dourados.

Já os postos de outras bandeiras devem ter um tempo maior de espera para normalizar o fornecimento, já quase todos os caminhões devem vir das distribuidoras que ficam outras cidades do estado e até em outros estados.

 

 

MS em Foco

Foto - Vinicios Araujo

Na manhã deste sábado (26), empresários douradenses de diversos setores, mobilizaram carreata e ‘buzinaço’ para manifestar apoio aos caminhoneiros que estão em manifestação em três pontos da cidade — Trevo da Bandeira, Trevo da Coronel Ponciano e Posto da Base.  

Uma carreata com dezenas de caminhões e outros veículos ocuparam a Avenida Marcelino Pires com ‘buzinaço’, em direção à Avenida Hayel Bon Faker, que dá acesso ao Trevo da Bandeira. 

De lá, eles passam pelo movimento na Avenida Coronel Ponciano, e em seguida seguirão para o Posto da Base. 

A intensão, de acordo com integrantes da carreata, é manifestar apoio à greve dos caminhoneiros que atinge mais de 20 estados brasileiros. Por representarem empresas, os apoiadores não devem permanecer nos pontos de mobilização.

Durante a tarde de ontem (25), o presidente Michel Temer (MDB) autorizou o uso de forças federais para coibir as manifestações pelo País sob acordo fechado com uma das três representações da categoria. 

O acordo, aos olhos dos caminhoneiros, não atinge os objetivos da categoria. O manifesto segue firme em Dourados, sem data prevista para encerramento das mobilizações. 

 

 

Dourados News

Dos demais grupos ainda preocupa a falta de procura pela vacinação de crianças de até 5 anos, com 7.034 doses aplicadas de um total de 14.896 – A.Frota

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza entra na reta final na próxima semana e o Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, divulgou que a cobertura vacinal atingiu 53% até esta sexta-feira (25), com a aplicação de 32.317 das 60.885 previstas para os grupos de risco estipulados no escalonamento até aqui. Ainda foram vacinadas 3.562 pessoas no grupo das comorbidades, ou seja, aqueles indivíduos que apresentam alguma patologia comprovada.

 Segundo Edvan Marcelo Morais Marques, diretor do departamento, em mais uma semana outras 11 mil pessoas foram vacinadas, mas ainda falta bastante gente. “Convocamos as pessoas que compõem os grupos de risco a procurarem as unidades de saúde para vacinação. Isto contribui muito com o combate à esta doença”, disse. Até o dia 18, semana passada, eram 21 mil doses aplicadas.

 O grupo que está perto de cumprir a totalidade é o de professores, com 91% de cobertura. São 2.538 doses aplicadas de um total de 2.758 previstas. Em seguida, está o grupo de profissionais da saúde, com 73,4% de cobertura. São 5.539 doses aplicadas de um total de 7.543 previstas. O grupo dos idosos também já passou de 70% de cobertura, tendo 12.983 doses aplicadas para um total de 18.231 previstas.

 Dos demais grupos ainda preocupa a falta de procura pela vacinação de crianças de até 5 anos, com 7.034 doses aplicadas de um total de 14.896, representando apenas 47% de cobertura. “Junto aos idosos, crianças são os grupos que mais preocupam, pela vulnerabilidade. No entanto, obviamente dependem da atuação dos pais para os levarem. Então pedimos que as pessoas procurem vacinar os filhos”, disse Edvan. 

A população indígena, que entrou no escalonamento na semana passada, também teve poucas pessoas vacinadas, no grupo previsto. São 3.099 doses aplicadas para um total de 14.027. Gestantes e puérperas já tiveram imunizadas 53% e 64% das pessoas previstas no levantamento.

 Edvan Marcelo ressalta que a vacinação não pode ser encarada como privilégio deste ou daquele cidadão por conta da existência de grupos. Ele explica que os grupos de risco estipulados, quando vacinados, são responsáveis por uma estratégia que anula a circulação do vírus entre pessoas mais suscetíveis e torna o combate à doença mais eficaz. “O que deve ocorrer é o incentivo aos grupos de risco. As pessoas querem tomar a vacina, mas se incentivarem quem realmente deve tomar, o efeito é maior na sociedade”, disse.

 A vacinação acontece das 7h as 11h e das 13h as 17h nos postos de saúde. Qualquer horário excedente terá prévia divulgação. A disponibilidade de vacinas está normatizada. A vacinação será com uma dose de vacina trivalente, com antígenos para os tipos Influenza A H1N1 e H3N2 e Influenza tipo B, e será feita exclusivamente nos postos de saúde.

 Para receber a dose, professores, funcionários do sistema prisional e funcionários da saúde precisam apresentar documento que comprove a condição. Doentes crônicos precisam de prescrição médica com o motivo da indicação. Demais grupos precisam apenas de documento de identificação, mas recorrer a unidade de saúde a que está vinculado.

Mais Artigos...