Dourados-MS,
Câmara_novo

A prefeitura de Dourados, mais uma vez, desvaloriza os profissionais da Educação e demais servidores municipais. Estranhamente, nesta quarta-feira, 7 de agosto, os educadores tiveram depositados apenas 44% do seus salários.

Desde o início da atual gestão, em vários momentos, a administração municipal atrasou o pagamento de salários do funcionalismo, comprometendo a situação financeira dos trabalhadores e, consequentemente, de milhares de famílias douradenses.

Em todas as ocorrências de atrasos salariais, o SIMTED notificou o governo municipal pedindo esclarecimentos e solicitando o imediato pagamento dos educadores, já que a prefeitura recebe regularmente os recursos destinados para a aplicação na Educação Municipal.

Ao longo da atual gestão, educadores já tiveram perdas salariais significativas, inclusive com escalonamento de salários em anos anteriores, além da falta de reajuste salarial no ano de 2017.

A educação está em constante luta pela valorização profissional da categoria, solicitando continuidade na negociação salarial pelos índices retroativos, ainda não pagos pela prefeitura, do Piso Municipal da Educação e do administrativo educacional.

Questionamentos

Em um breve exercício, o SIMTED identificou que, até julho deste ano, em média, a Prefeitura de Dourados recebeu cerca de R$ 10 milhões do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) para aplicação mensal na Rede Municipal.

Somente com essa receita, o município poderia manter um total de 2.226 professores com carga horária de 20 horas semanais, estando na classe D do PCCR e com salário de R$ 4.494,19, estando inclusos adicionais e previdência.

Com esses 2.226 profissionais, tendo uma média de 25 alunos por sala de aula, os recursos poderiam garantir o funcionamento de 71 escolas, com 10 salas de aula cada uma. Em dois turnos, seria possível um total de 1.424, o que permitiria atingir o atendimento de um quantitativo de 35.500 estudantes.

Essa projeção leva em conta somente os repasse oriundos do FUNDEB, sendo que a receita total disponível para a Educação Municipal ainda prevê 25% de impostos e recursos próprios do município para serem investidos no Ensino Público. Diante desses números, é possível levantar uma série de questionamentos à Prefeitura Municipal de Dourados.

O SIMTED considera preocupante a falta de transparência na execução orçamentária dos recursos da Educação Municipal. Os dados apontam que a aplicação dos recursos, que a prefeitura vem recebendo regularmente, seria suficiente para manter salários em dia e realizar demais investimentos necessários para melhoria na rede de ensino.

A categoria vem lutando e tentando dialogar com o Governo Municipal pela valorização profissional do administrativo educacional e do magistério, para garantia de uma educação pública gratuita e de qualidade.

O sindicato municipal dos trabalhadores em educação espera que o pagamento do salário da educação seja efetuado sem atrasos e integralmente. Em caso de novo atraso e/ou pagamento parcial, o SIMTED solicitará à Câmara Municipal de Dourados que sejam apuradas e investigadas as informações sobre a falta de subsídios da prefeitura para pagamento dos salários dos servidores, assim como esclarecimentos sobre a forma como os recursos estão sendo geridos.

(Dourados Agora)

A UFGD vai realizar, por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura e o curso de Geografia, juntamente com a Defesa Civil de Dourados, um curso de Geoprocessamento Aplicado à Defesa Civil, pensando em oferecer qualificação para as equipes que atuam nos municípios da região da Grande Dourados.

O curso acontecerá dia 9 no auditório da Uems (Universidade Estadual de MS), a partir das 7 horas. O conteúdo parte de noções básicas de cartografia, passando por cartografia temática, geoprocessamento e aplicações em Sistema de Informações Geográficas-SIG. A palestra de encerramento, sobre 'Riscos, vulnerabilidade socioespacial e problemas ambientais urganos: os climas urganos', acontecerá às 19h30 e será ministrada pela doutora Camila Riboli Rampazzo. Além disso, dois dos instrutores do curso serão os professores doutores Charlei Aparecido da Silva e Adeir Archanjo Mota, ambos docentes da UFGD.

O curso é voltado para coordenadores de defesa civil, agentes de defesa civil e demais interessados. Os órgãos de Defesa Civil são formados por profissionais e voluntários que atuam na prevenção de desastres, ou ainda na assistência a vítimas de catástrofes naturais ou provocadas pela ação humana.

Todo ano, no mês de agosto é desenvolvida a campanha “Agosto Lilás” e, em 2019, marcará os 13 anos da criação da Lei Maria da Penha. A Prefeitura de Dourados, por meio da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres, levará à população uma extensa programação, dentro da temática da campanha.

As atividades acontecerão em todas as escolas municipais, áreas de grande concentração de pessoas no município, instituições de saúde, igrejas e empresas.

O lançamento oficial da campanha “Agosto Lilás” acontecerá hoje (6/8), no auditório da Prefeitura de Dourados.

A ação contará com a palestra “Lei Maria da Penha, Avanços e Desafios”, com a defensora pública Inês Batisti, da Defensoria de Defesa dos Direitos da Mulher de Dourados. Posteriormente acontecerá a palestra “Desafios da Mulher Contemporânea”, com a psicóloga Rosemeire Pereira de Souza Martins, mestre em Ciências da Saúde.

Será realizado hoje e amanhã, dias 02 e 03 de agosto, a partir das 18 horas, em frente a Unidade 1 da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), localizada na rua João Rosa Góes, 1761, Vila Progresso, a décima segunda edição do Arraiá Universitário da instituição aberto a toda comunidade com muita comida e bebida.

Este ano, a festa tem parceria das Ligas das Atléticas Acadêmicas de Dourados e a atração musical ficará a cargo da dupla Vilela e Osmar Medina.

Já estão confirmadas as barracas de maçã do amor e bolos, arroz carreteiro, churrasquinho vegano, espetinho, tapioca e crepe, pastel e batata frita, derivados do milho, bobó de galinha, pão de queijo, sopa paraguaia e chipa, bebidas quentes e batidas, cachorro quente e mini pizza, doces diversos, salgados, puchero, caldos, lanches, comidas típicas latino-americanas e cadeia/correio elegante.

O Concurso de Barracas tem por objetivo incentivar os "barraqueiros" a trabalharem com criatividade na decoração dos espaços, dando, desta forma, um caráter mais dinâmico e festivo ao Arraiá Universitário. A barraca melhor avaliada nos quesitos animação, ornamentação, atendimento e melhor prato vencerá o concurso. Além do troféu, o grupo levará como prêmio o valor de R$ 300,00.

Mais Artigos...