Dourados-MS,
Anuncie_aqui

Moradores de bairros e sitiocas afastados da cidade bloqueiam nesta manhã a BR-163, em Dourados. Eles protestam contra a prefeita Délia Razuk (sem partido) por causa da suspensão do transporte escolar. O bloqueio ocorre em frente à Embrapa Agropecuária Oeste, na saída para Caarapó. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) mandou equipe para o local.

Sivaldo dos Anjos, um dos líderes do movimento, disse ao Campo Grande News que há 15 dias, 150 crianças da comunidade estão perdendo aula porque a prefeitura suspendeu o transporte dos alunos até as escolas no perímetro urbano.

Segundo ele, o motivo alegado pelo chefe do setor de transporte é a falta de manutenção dos ônibus. No mês passado, pelo menos 800 alunos da zona rural ficaram vários dias sem frequentar a escola por falta de manutenção de 15 ônibus próprios da prefeitura.

“Agora parou de novo. O chefe do transporte escolar disse que ia parar os ônibus porque não pode carregar crianças com os ônibus ilegais, sem manutenção. Então decidimos bloquear a rodovia para chamar a atenção principalmente dos nossos vereadores e mostrar o descaso da prefeitura. As crianças estão perdendo aula”, afirmou Sivaldo.

O protesto envolve moradores da Comunidade Ouro Fino e sitiocas Campo Belo, bairros afastados da cidade localizados nas margens da BR-163.

A reportagem apurou que a suspensão do transporte escolar prejudica quase mil estudantes em todo o município. Os mesmos 15 ônibus que ficaram parados no mês passado estão de novo na garagem da prefeitura, esperando manutenção. A assessoria da prefeita Délia Razuk ainda não se pronunciou.

Voluntárias que integram a Associação Anjos do Senhor promovem na próxima sexta-feira, 23 de agosto, o 20 Jantar Dançante. O trabalho do grupo é direcionado aos pacientes internados nos hospitais públicos e as ações estão focadas principalmente no Hospital da Vida.

Para atender a demanda e amparar quem precisa, a associação que existe há 20 anos, realiza o jantar anualmente , sendo este o único evento para angariar recursos destinados aos trabalhos. O grupo se divide em várias frentes: equipe de visitas aos pacientes internados, equipe que produz em média 800 e mil fraldas por mês, sendo estas distribuídas gratuitamente no Hospital da Vida e em alguns casos, no Hospital Universitário. Há também a equipe responsável pela produção dos kits de higiene pessoal, com xampu, condicionador, sabonete líquido, pasta e escova dental. A outra, é responsável pela distribuição de cerca de 50 cestas básicas mensais, aos pacientes cadastrados que fazem hemodiálise.

"É um trabalho de formiguinha, mas com comprometimento e carinho. Trabalhamos com voluntariado, com a doação do tempo que cada uma dedica semanalmente. Com o voluntariado ganha a comunidade, ganha a pessoa assistida e mais ainda, ganha a voluntária, pois é muito gratificante e promove a sensação de bem estar, nos tornando úteis ao nosso próximo. Estamos precisando de novas voluntárias, venha fazer parte da Associação Anjos do Senhor". Assim a presidente da entidade, Lorita Maria Zandavalli Donida define a Associação. Lorita assumiu o cargo no ano passado e prossegue até 2020.

"Nó também buscamos a melhoraria do ambiente onde está o paciente. Nesse sentido instalamos ar condicionado e TVs em todos os quartos do Hospital da Vida, além da doação de cadeiras de fio, para acomodar com um pouco mais de conforto, os acompanhantes dos doentes", destaca a idealizadora e uma das fundadoras da Associação, Gedália de Ávila, que trouxe a idéia do Hospital do Câncer de Barretos, hoje carinhosamente chamado de Hospital do Amor. A Associação também destacou e agradeceu o apoio incondicional de empresários, de voluntários, dos veículos de comunicação e também da comunidade, pois sem esse auxílio seria impossível promover o evento que reúne centenas de pessoas, e que já é uma tradição no calendário de eventos de Dourados

Serviço

O 20º Jantar Dançante acontecerá no próximo dia 23, a partir das 21h no Cerrado Brasil, com a parceria do Buffet Laudir e DJ Adriano. Os convites podem ser adquiridos com as integrantes da Associação ou pelo telefone (67) 3421-3621, com Vera.

(Folha de Dourados)

Os moradores dos bairros da região do Grande Flórida estão indignados com o descaso do poder público.

No fundos do Parque Antenor Martins, esbanja uma placa de execução da uma obra, onde supostamente investiriam mais de R$ 2 milhões em algo que desde 2013 a população nunca viu ser plenamente executada.

No local, está fixada a placa assinada pelos governos federal e municipal, informando a destinação de R$ 2.217.209,30 para a construção do Complexo Esportivo e de Lazer no Parque Antenor Martins. A data de início da obra é de junho de 2013.

No entanto, o que se vê no local é absolutamente nada acontecendo. O espaço seria um espaço para o monitoramento médico para as pessoas que usam a pista de caminhada existente, com a presença de algum profissional da área médica, caso alguma pessoa passe mal.

Hoje o espaço é abrigo para mendigos e usuários de drogas, conforme delataram à reportagem, várias pessoas que vivem nos arredores

Porém, até hoje, ali, só ficaram as placas de obras que seriam executadas, que também já estão se deteriorando, como mostra as fotos que ilustram esta matéria.

(Cérgio Ferraz)

O Estabelecimento Penal Feminino de Regime Semiaberto de Dourados realiza nesta sexta-feira (09.08), das 9h às 18h, uma exposição e venda de trabalhos artesanais confeccionados pelas reeducandas. Realizada na própria unidade penal, a feira é aberta a toda população.

Estarão disponíveis diferentes tipos de peças, entre vasos com plantas ornamentais, chinelos e toalhas bordadas, entre outros; tudo confeccionado pelas custodiadas na própria unidade prisional. Além do bom preço, as peças encantam pela beleza e capricho nos detalhes.

Segundo a diretora da unidade, Luzia Aparecida Ferreira, a exposição tem como objetivo divulgar o trabalho artesanal produzido no local, bem como realizar a sua comercialização, valorizando o esforço da pessoa encarcerada em sua recuperação para o retorno ao convívio social. Toda a renda dos trabalhos será revertida à própria interna e sua família, bem como para a manutenção dos trabalhos.

As peças são resultado de um curso ministrado pela professora Vani Clarice Borgmann Poleis. Ao todo, foram três meses de capacitação realizada com as internas e envolveu ainda confecção de caixas artesanais.

O presídio está localizado na Rua Ciro Melo, 3418, no Jardim Paulista. Para mais informações, interessados podem entrar em contato pelo telefone (67) 3902-2852.

Mais Artigos...