Dourados-MS,
BANNER 1 - PREF-DDOS- (1000X90)

As confirmações de casos de coronavírus (Covid-19) vem aumentando de maneira exponencial em Dourados. Nos últimos sete dias, o número de pessoas infectadas subiu 333% na cidade. 

Dados de boletins epidemiológicos municipal e estadual mostram que, do dia 15 de maio até está sexta-feira (22/5), 65 novos casos foram registrados na cidade, chegando a 93. Deste total, 33 confirmações são de casos identificados na Reserva Indígena. 

Até o dia 15, a cidade registrava 28 pessoas com coronavírus e incidência de 12,6, em proporção para cada 100 mil habitantes. Informações atualizadas mostram que Dourados tem hoje 93 casos, o que representa 10,4% das confirmações em todo Mato Grosso do Sul e uma taxa de incidência de 41,7. 

Para se ter uma ideia, por meio do histórico de confirmações é possível afirmar que 70% de todos os casos Covid-19 registrados em Dourados aconteceu no decorrer dos últimos sete dias. 

Conforme declarações do médico Ricardo do Carmo, representante do Comitê de Enfrentamento a Crise do Coronavírus nesta semana o número de casos vem crescendo principalmente por causa da ampliação de testagens RT-PCR. 

Em Dourados, os testes por drive-thru começaram no dia 30 de abril, quando a cidade contava ainda com apenas 13 pessoas confirmadas com a doença.

Já com relação a ocupação de leitos, a segunda maior cidade do Estado abriga um terço do número total de pacientes internados de todo Mato Grosso do Sul. 

DADOS ESTADUAIS

Do total de infectados no Estado, 269 estão recuperados e 487 são monitorados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) em isolamento domiciliar.

Além disso, 34 pessoas estão hospitalizadas em Mato Grosso do Sul, sendo 24 em leitos clínicos e 10 em UTI. Deste número total de internados, dois são de casos são de moradores notificados em de outros Estados. 

Ainda restam 379 amostras sendo analisadas pelo Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul). 

Mato Grosso do Sul registrou 17 óbitos por Covid-19.

 

 

DouradosNews

A Prefeitura de Dourados conseguir destravar na Justiça Federal, recursos federais na ordem de mais de R$ 5 milhões para a realização de obras de asfalto na Vila Roma.

O anúncio feito pela secretária municipal de Obras Públicas, Marise Bianchi Maciel na manhã desta sexta-feira (22) e “a liberação representa uma vitória da prefeita Délia Razuk, que havia entrado com um mandado de segurança na justiça para a liberação de um repasse de R$ 4.841.569,77 do Ministério do Desenvolvimento Regional”.

Conforme a secretária, este recurso será usado para a execução de obras de drenagem de águas pluviais e pavimentação asfáltica na Avenida Lindolfo Lange, ligando a Rua Lazio até a rodovia BR 463, no prolongamento da Avenida Décio Martins Capilé entre as ruas Fiumicino e Bolívar Loureiro Rocha, na Vila Roma. O bairro também será contemplando com a construção de uma ponte transpondo o córrego Água Boa, no prolongamento da Avenida Décio Capilé.

.

A secretária afirmou que o próximo passo será o trâmite burocrático na Caixa Econômica Federal e a assinatura do convênio para posteriormente ser realizado o processo licitatório para a escolha da empreiteira que fará a obra. Marise disse que estas obras são de grande importância para a região da Vila Roma, pois, definitivamente, irá resolver o problema de tráfego dos moradores que precisam a acessar a BR 463.

Já recebeu alta e está em isolamento domiciliar o servidor do Presídio Estadual de Dourados (PED) que testou positivo para o coronavírus. Tão logo tomou conhecimento do resultado do exame, a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) adotou medidas para reforçar o combate à doença.

Foi realizada reunião com o Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado de Saúde (SES) e vigilância sanitária, para a definição de medidas a serem adotadas. O PED passou hoje por uma nova desinfecção, serviço que é feito rotineiramente pela Agepen em todas as unidades penais do Estado.

Todos os servidores do mesmo plantão do servidor, que ele teve mais contato, já foram afastados preventivamente, ficarão sob observação e passarão por testagem. Além disso, todos os cuidados necessários estão sendo adotados também para a preservação da massa carcerária, seguindo as orientações da equipe técnica especializada.

Importante destacar que, conforme orientação da Agepen, todos os servidores em unidades prisionais de Mato Grosso do Sul trabalham com máscaras de proteção, além da disponibilização de álcool 70 para a higienização constante das mãos.

Esse é o segundo caso da doença identificado em servidores da Agepen, o primeiro foi de uma servidora da Capital que estava em período de férias e não teve contato com a unidade penal onde trabalha.

A falta dos servidores afastados do plantão na PED está sendo coberta com pagamento de horas extras e com servidores do expediente.

Acompanhada da secretária municipal de Saúde, Berenice de Oliveira Machado, do assessor especial Alexandre Mantovani, e do médico Ricardo do Carmo, membro do Comitê de Covid-19, a prefeita Délia Razuk esteve na manhã desta quinta-feira (21) no Hospital Porta da Esperança, que receberá, por conta de convênio do município com a empresa JBS, 42 leitos para tratamento de pacientes com coronavírus.

O gerente da unidade local da JBS, Dirceu Rech, também esteve no na unidade, onde foram recebidos pelo reverendo Benjamin Bernardes, superintendente executivo da Missão Caiuás e pelo responsável técnico, enfermeiro Eder Mariola.

O gerente da JBS explicou que já está encaminhada a aquisição de 22 camas com colchões, que o fornecedor deve entregar nos próximos dias. A empresa também se propôs a reformar o chamado Centrinho, adequando para a colocação de outras 20 camas, totalizando 42 leitos de enfermaria para pacientes da Covid-19, para atender a demanda da doença surgida na Reserva Indígena, onde dezenas de casos foram confirmados nos últimos dias. Uma tenda começou a ser instalada no momento da visita e será utilizada para triagem dos pacientes.

A prefeita ouviu dos dirigentes que o hospital da Missão Caiuá tem um histórico de trabalho de proteção aos índios, com respeito à cultura. No hospital, 47% dos colaboradores são indígenas, o que facilita a relação entre paciente e os profissionais.

Délia Razuk disse que a gestão não tem medido esforços no sentido de fortalecer a saúde indígena e fortalecer o trabalho de assistência desenvolvido pelo Cras Indígena e demais equipamentos públicos. “Estou confiante e agradecida pela possibilidade de parcerias como esta que formalizamos com a JBS. Com ações com esta vamos avançar cada vez na melhoria dos serviços prestados, não só à comunidade indígena, como também a toda a população douradense”, comentou a prefeita.

Mais Artigos...