Dourados-MS,

“Madalena”, primeiro longa-metragem de ficção de Madiano Marcheti, foi selecionado para a Mostra Competitiva do Festival Internacional de Cinema de Roterdã, que acontece entre 1 e 7 de fevereiro de 2021, em formato híbrido - presencial e online. Clélia Bessa, Joel Pizzini, Sérgio Pedrosa, Marcos Pieri, Beatriz Martins são os produtores do longa, que será distribuído no Brasil pela Vitrine Filmes. A produção é da PóloFilme e da Raccord, em coprodução com Vira Lata e Terceira Margem. 
 
O filme tem como ponto de partida o corpo de Madalena, encontrado em uma plantação de soja. Na sequência a trama acompanha a história de três jovens - Luziane (Natália Mazarim), Bianca (Pamella Yule) e Cristiano (Rafael de Bona), que vivem contextos diferentes em uma mesma cidade. Embora não se conheçam, o espírito de Madalena que esvoaça sobre a cidade, torna-se um elo entre os três. O longa denuncia a violência constante do país que mais mata a população LGBTQIA+. 
 
“Estou extremamente feliz e honrado pela oportunidade de estrear meu primeiro longa-metragem em um festival da envergadura do Festival de Roterdã. Nós cineastas brasileiros enfrentamos muitas dificuldades para fazer com que nossos filmes cheguem às telas, sobretudo no momento atual que é particularmente sombrio no que diz respeito ao setor da cultura. Por isso, sou muito grato por ter a chance de levar mais um filme brasileiro para uma janela internacional de cinema tão prestigiada. Um filme do Centro-Oeste brasileiro que procura levantar discussões que considero importantes e urgentes, como meio ambiente e direitos humanos”, afirma o diretor mato-grossense Madiano Marcheti.
 
Madalena" foi rodado em Dourados (MS) e contou com mais de 20 atores do Estado no elenco. O filme foi o único representante do Brasil no Festival de San Sebastian, na Espanha, na categoria Working in Progress, em 2019.
 
SINOPSE
Entre as vidas de Luziane, Cristiano e Bianca há pouca coisa em comum além do fato de viverem em uma pequena cidade cercada de plantações de soja no interior do Brasil. Embora não se conheçam, os três são afetados pelo desaparecimento de Madalena. Em regiões diferentes da cidade, cada um deles encontra seu modo de responder a essa ausência. 
ELENCO
Natália Mazarim
Rafael de Bona
Pamella Yule
Chloe Milan
Mariane Cáceres
Nádja Mitidiero
Joana Castro
Edilton Ramos
Maria Leite
Antonio Salvador
Lucas Miralles
 
FICHA TÉCNICA
Diretor: Madiano Marcheti
Produtores: Clélia Bessa, Joel Pizzini, Sérgio Pedrosa, Marcos Pieri, Beatriz Martins
Roteiristas: Madiano Marcheti, Thiago Gallego, Thiago Ortman, Thiago Coelho
Fotógrafos: Guilherme Tostes, Tiago Rios
Montadora: Lia Kulakauskas
Diretora de Arte: Rocio Moure
Editor de Som e Mixador: Bernardo Uzeda

A Força Tarefa criada em conjunto com a Promotoria de Justiça, Guarda Municipal, Vigilância Sanitária e Fiscalização de Posturas para a intensificação das medidas sanitárias contra a pandemia da COVID 19 realizou neste sábado (26/12) mais uma ação de fiscalização.

As fiscalizações ocorreram em diversos pontos da cidade e visando enrijecer as medidas contra os aos estabelecimentos comerciais que insistem em descumprir as normas adotadas como prevenção da pandemia. A força tarefa notificou durante a semana aproximadamente 50 estabelecimentos comerciais e neste sábado mais três estabelecimentos foram notificados para não descumprirem mais as medidas sanitárias. Entre quinta-feira e sabado mais 10 estabelecimentos foram flagrados descumprindo as medidas sanitárias, principalmente o horário de funcionamento até as 22h e também foram notificados e advertidos.

Os proprietários dos estabelecimentos comerciais são advertidos oficialmente através de ofício emitido pelo Ministério Público Estadual e entregues pelos Fiscais da Promotoria, para cumprirem integralmente as medidas sanitárias como forma de impedir o crescimento da pandemia e que em caso de novas reincidências os promotores de justiça poderão adotar medidas extrajudiciais e judiciais cabíveis, inclusive pleiteando judicialmente a interdição do local. Os estabelecimentos comerciais que descumprem as regras sanitárias podem ter o alvará de funcionamento suspenso e receberem multa no valor de 90 UFERMS, aproximadamente R$ 3.100,00, lavrados pela fiscalização municipal.

No Decreto Municipal nº 3085 publicado em 24/12 o comércio lojista volta a funcionar até as 18h e bares, conveniências, restaurantes, pizzarias e mercados até as 22h quando inicia o toque de recolher com a proibição de circulação de pessoas na rua. Está ainda proibido haver consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas e aglomerações em frente as conveniências. Nos restaurantes, pizzaria, entre outros, são permitidos no máximo 4 pessoas por mesas, a obrigatoriedade do uso das máscaras de proteção pelos funcionários e a disponibilidade de álcool 70% aos clientes.

Segundo o decreto municipal também estão proibidas as realizações de eventos, esportes coletivos, prática de artes marciais e abertura de parques públicos. As pessoas que se negarem a obedecerem ao Toque de recolher e a cumprir as medidas sanitárias, podem serem presas embasadas no Art. 268 CP "Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa"

 

O Comandante da Guarda Municipal, Divaldo Machado de Menezes relata que as ações conjuntas entre as instituições com atuação do Ministério Público são fundamentais e que a fiscalização irá continuar para que todos cumpram as medidas sanitárias para contenção da pandemia. O Diretor de Operações Sérgio Mondadori, ressalta que os telefones da Guarda Municipal, 199 e 153 estão à disposição da população 24h/dia para a realização das denúncias, sugestões, reclamações e elogios.

O decreto que permitia o comércio funcionar até às 21h durante as compras de fim de ano, mais especificamente para o Natal, foi revogado pela Prefeitura de Dourados, no entanto, a ‘lei seca’ a partir das 22h foi mantido.

Ou seja, a partir desse horário, está proibida a venda de bebidas alcoólicas, e a restrição vale tanto para atendimento presencial, quanto na modalidade delivery.

Este decreto foi publicado na quinta-feira (24), mas passou a vigorar nesta sexta-feira (25), e vai até 7 de janeiro de 2021.

 
O comércio volta a atender das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, e das 8h às 16h, aos sábados. Mercados e atacados: de segunda a domingo das 7h30 às 22h.
 

Restaurantes: de segunda a domingo das 11h às 22h. Bares: de segunda a domingo das 10h horas às 22h. Conveniências: de segunda a domingo das 8h às 22h.

O novo decreto mantém a autorização de atividades religiosas e em estúdios de ginástica desde que seguindo as medidas de biossegurança contra o contágio por Covid-19.

Também está mantido o toque de recolher, entre às 22h e 5h. Os parques públicos do município continuam fechados.

 Aa primeiras costureira e alfaiates do então povoado de Dourados 

No relato dos pioneiros e no livro História Fatos e Coisa Douradenses os autores mencionam como primeiras costureiras de Dourados: Noca Dauzacker, Aurea de Mattos e Célia Gordim. Entretanto, Os livros do Cartório de Paz registram a presença do Alfaiate Victoriano Villamayor, que aqui chegou antes de 1930.

ELIVIA RIBEIRO DAUZACKER – Noca Dauzacker, nasceu em 18/01/1893 na cidade de Santa Maria - RS. Casou-se com Antonio Marques da Costa com quem teve os filhos: Antonio, Ramão, Policarpo, Valdomiro, Reasilvia e Servinia e Servarina, gêmeas. Após sair do Rio Grande do Sul residiu com a família em Ponta Porá onde cursou o primeiro grau na Escola Municipal. Em Dourados exerceu a profissão de costureira e confeccionava as famosas bombachas e culotes que se usavam na época e também ternos e vestidos de noivas. Faleceu em 13 de julho de 1975.

CÉLIA GORDIN – Célia Rodrigues de Aquino Gordim nasceu no RS em 1889 e casou-se em 1909 com João Pedro Gordim, nascido na Suécia, com quem teve os filhos: Astrogildo, Ágil, Aidy, Álira, Dely, Deray, Jodocy e Anires. Dona Célia chegou em Dourados no ano de 1914.

ÁUREA DE MATOS CARVALHO, nasceu em 01/10/1900 na cidade de São Luiz Gonzaga-RS e veio para o então povoador de Dourados com menos de 01 ano de idade. Em Dourados estudou com a tia Balbina de Mattos e com o Professor Manoel Santiago, tendo completado o primário. Aprendeu o oficio de corte e costura em Ponta Porá aos 16 anos e após regressar à Dourados começou a exercer a profissão. Casada com o primo Ernesto de Mattos carvalho, tiveram 10 filhos: Ramona (Didi), Jary, Alda, Ubaldo, Dilon, Hilda, Emídio, Ivone, Harly e Aldomir. Áurea faleceu em 05/02/1982.

VICTORIANO VILLAMAYOR – Chegou em Dourados em 1930, era natural de Luque no Paraguay onde nasceu em 1908. Com Pascoala Riquelme teve o filho Douradense Zenóbio. Victoriano contraiu matrimônio em 1938 com Josephina Nunes Baptista ( filha de Manoel Dorneles Baptista e Gertrudes Nunes Baptista) e tiveram os filhos: Walmir, Neuza e Waldir. Foi também sapateiro.

Mais Artigos...