Dourados-MS,
BANNER 1 - Camra-15-09- (1000X90)

Bloqueio de caminhoneiros continua na BR-163, sendo o km 256 - (Trevo da Bandeira) e km 266 (Posto da Base).

Foto- Dourados News

Dourados
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Nesta terça-feira (22), os caminhoneiros seguem com o protesto iniciado ontem (21), com bloqueio em vários trechos de rodovias estaduais e federais de Mato Grosso do Sul. Conforme informações atualizadas da PRF (Polícia Rodoviária Federal) nesta tarde (22), 13 pontos contam com o ato no Estado, sendo destes, dois em Dourados.

A reivindicação principal é a redução do preço do óleo diesel. 

No município, os pontos estão na BR-163, sendo o km 256 - (Trevo da Bandeira) e km 266 (Posto da Base).

No bloqueio do km 256, da BR-163, dezenas de caminhões estão estacionados na via. O grupo de manifestantes permite a passagem de veículos pequenos e de ambulâncias. Caminhões estão sendo convocados para parada e participação do ato.

Este ‘formato’ está sendo adotado pelos manifestantes na maioria dos trechos, sendo que apenas em Maracaju (BR-267, km 364) a interdição é total. 

Os outros bloqueios estão concentrados nos seguintes pontos, conforme a PRF: Campo Grande na BR 163, km 477, em Rio Brilhante, na BR 163, km 324,em Eldorado, na BR 163, km 39,  em Paranaíba, na BR 158, km 96, em Naviraí, na BR 163, km 117 , em Bandeirantes, na BR 163, km 548, em Caarapó, na BR 163, km 206, Br 262, Km 325, Campo Grande saída para Três Lagoas, em Camapuã na BR-060 km 204 e Fátima do Sul, MS-376 (próximo a ponte do Rio Dourados). 

“Nossa luta maior é o preço do diesel, mas somos prejudicados com excesso de cobrança pelo eixo erguido, altos impostos, impactam para nós, para os empresários e no final em valores para a população, estamos todos ‘sufocados’ com esta situação”, diz André Negrelli, 38, caminhoneiro.

A opinião é compartilhada pelo caminhoneiro Jeferson Bispo, 38. Ele afirma ainda que a categoria sofre “excessiva cobrança de multas”.  

“Somos muito cobrados e qualquer pequena situação é motivo de multa. Isso é uma exploração, todos tem que se unir e vim para o ato pois o consumidor também paga caro pelo diesel alto e impostos que vão para os produtos transportados depois”, ressalta. 

Ele destaca ainda que dezenas de caminhoneiros irão "acampar" no local para "virar a noite" e que o bloqueio seguirá nesta quarta-feira (23).

Dentro disso, ele pede apoio da população e de empresários. 

"Alguns vão montar barracas, outros vão ficar no caminhão mesmo, mas vamos 'virar a noite aqui'. Pedimos que a população se una a gente e pedimos para quem puder ajudar e trazer água, fruta ou outros aqui no local, será de grande ajuda a nós e nossa luta",  diz.  

CCR 

No ponto de bloqueio do Trevo da Bandeira, o representante da CCR Via MS (Concessionária que administra a BR-163) informou que o ato não gerou transtornos como acidentes ou engarrafamentos na rodovia até o momento. 

PRF 

Em nota a PRF destacou que “o Código de Trânsito Brasileiro prevê uma multa no valor de R$  3.8 mil (e suspensão do direito de dirigir) para condutores que utilizam seus veículos para interditar rodovias e que a PRF poderá fazer uso de expediente caso não seja atendida a solicitação para liberação da rodovia em que seja utilizado veículos automotores”.

O órgão aponta ainda que esse tipo de ação “é perigosa para a segurança do trânsito” e ainda deixa o alerta para que os condutores que puderem adiar  viagens, assim procedam. 

 

 

Dourados News