Dourados-MS,
Semestre- Camara

Alckmin vê MS carente de logística e defende ferrovia em Dourados

Foto - Dourados News

Dourados
Fonte
  • Extra-Pequena Pequena Media Grande Extra-Grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Cumprindo agenda em Dourados na sexta-feira (29/6), o pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, defende investimento maior em infraestrutura por parte do governo federal a Mato Grosso do Sul para que o Estado possa ser mais competitivo economicamente. 

Ao desembarcar no Aeroporto Francisco de Matos Pereira nessa tarde, ele atendeu jornalistas logo depois de ser recepcionado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e autoridades políticas. 

“Precisamos de emprego e renda. O Mato Grosso do Sul é um Estado produtor, precisa de infraestrutura  para estimular as empresas que virão para cá. É ferrovia e rodovia”, disse o tucano referindo-se a logística estadual.

Alckmin ainda comentou sobre o recente encontro que participou ao lado de Azambuja e Beto Richa – então governador do Paraná - ainda como chefe do Executivo de São Paulo, no final do ano passado. 

Na ocasião, foi realizado o lançamento da proposta de construção do ramal da Ferroeste entre Dourados e o Porto de Paranaguá (PR), passando pelo Oeste paranaense. 

“Estive em São Paulo (SP) quando o Reinaldo [Azambuja] e o [Beto] Richa lançaram o programa da Ferroeste, ligando Dourados ao Paraná e ontem, coincidentemente estive em Cascavel (PR) e lá estão todos empolgados com essa possibilidade”, finalizou. 

Ferrovia

O projeto da ferrovia que fará a ligação entre o MS e o Porto de Paranaguá (PR) está em fase de estudo de engenharia. Até o momento, quatro consórcios estão elaborando o projeto. 

De acordo com o governo do Paraná, a intenção da nova ferrovia reduzirá custos logísticos e agilizará o transporte da lavoura até o porto. 

Atualmente, apenas 20% da mercadoria que chega ao Porto de Paranaguá é transportada por via-férrea. 

Cronograma

Na primeira fase, as empresas autorizadas vão elaborar os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental da ferrovia. A partir da conclusão destes trabalhos, com prazo estimado em 270 dias, o governo abrirá processo licitatório para construção e concessão da linha.

A obra está dividida em dois trechos. O primeiro tem 400 quilômetros e liga o Litoral do Paraná a Guarapuava (PR). O segundo, com aproximadamente 600 quilômetros, vai de Guarapuava até Dourados, passando por Guaíra (PR), e conta com a implantação de 350 quilômetros de linha nova, além da reabilitação do trecho já existente entre Guarapuava e Cascavel (PR).

O Procedimento de Manifestação de Interesse para a execução do projeto foi lançado no final de novembro, num evento em São Paulo. 

Dezoito empresas compostas em seis consórcios nacionais e internacionais mostraram interesse na elaboração do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental. O valor aproximado do estudo é de R$ 25 milhões e o custo estimado de construção da ferrovia é de R$ 10 bilhões.

 

Dourados News