Dourados-MS,
BANNER 1 - Camra-20-11- (1000X90)

A Prefeitura de Dourados, através do Imam (Instituto de Meio Ambiente de Dourados), apoia neste domingo (5) uma ação de plantio de árvores nas margens do Córrego Jaguapiru, um dos afluentes do Córrego Laranja Doce. A ação tem início às 8h e faz parte do projeto Nascente Viva, que visa recuperar as margens e nascentes do córrego, além de promover a educação ambiental em áreas com populações em situação de risco socioambiental, neste caso as comunidades indígenas que vivem no entorno.

O diretor-presidente do Imam, Wolmer Sitadini, destaca a importância do apoio direto do executivo municipal, que por meio do prefeito Alan Guedes e sua equipe de governo, se colocou à disposição desde início empenhando esforços para viabilizar a ação, demandada pela comunidade indígena. Somando esforços o IMAM colocou à disposição seus técnicos e fez a doação de 300 mudas de árvores nativas da região. “O instituto apoia a ação com a disponibilização de mais de 20 espécies de mudas diferentes, entre elas estão mudas de peroba rosa, aroeira, guabiroba, cajá mirim, jabotá, entre outras. Além de dar apoio na logística e no plantio das mudas”, ressaltou.

O reflorestamento nas margens dos rios é importante, pois são as arvores que possibilitam a melhoria qualidade da água e do habitat da vida selvagem, ainda reduzem os riscos de erosão e assoreamento do rio. As árvores atuam como uma barreira de proteção evitando o transporte de sedimentos e detritos até o córrego.

A Dra. Zefa Valdivina Pereira, atuante, e uma das mentoras do projeto Nascente Viva, ressalta que a preservação da mata ciliar traz benefícios para toda a região. “É possível notar uma melhoria na conectividade dos corredores de biodiversidade, ganhos para a fauna e flora, a tendência é que com a melhoria da permeabilidade e estrutura do solo, ocorra não só a melhoria da qualidade da água, mas também o aumento da vazão do córrego, tudo com a manutenção da mata”, reforçou.

Já o professor indígena da escola municipal Tengatui Marangatu, Cajetano Vera , uns dos Coordenadores do Projeto Nascente Viva, ressalta que durante os três anos de vida do projeto, já foram plantadas mais de 2 mil arvores nativas nos arredores dos rios da região, muitas já dando frutos e produzindo sementes para novas mudas. “A continuação do plantio de árvores no córrego Jaguapiru é urgente. Pois, a área que está sendo recuperada foi deteriorada pela ação humana. Essa área era usada por indígenas e havia muitos animais roedores. É importante a recuperação rápida deste lugar, que além de devolver o ambiente de mata para aldeia, também promove a proteção do leito do córrego. Assim, os indígenas voltam a ter água limpa para beber”, contou.

O Geógrafo Cristiano Rodrigues do IMAM, aponta um diferencial único desta ação, que após reunião realizada com os moradores do entorno, resultou em um esforço coletivo, reunindo apoio da comunidade indígena, proprietários do entorno, alunos, professores de universidades, vereadores, todos em prol de um único objetivo, a recuperação ambiental das margens do córrego. “Nesta ação, um proprietário rural disponibilizou o trator, outro disponibilizou o implemento furador, conseguiram ainda a doação de mais 100 mudas, prova de que podemos todos trabalhar juntos, pois plantar arvore, é plantar água, é plantar vida, e isso atinge a todos nós como sociedade”.

Esta ação é uma realização do grupo Tempo de Plantar, da Associação de Mulheres Indígenas de Dourados, APOMS (Associação de Produtores Orgânicos de MS), Team Tarahumara Fans Running for the Planet e UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), e conta com o apoio das escolas Tengatuí Marangatu e Guateca.

Secretaria de Saúde aplicou aproximadamente 700 doses do imunizante contra a Covid-19 na manhã deste sábado (4), na ação de vacinação realizada na Escola Antônia Da Silveira Capilé. Foram ofertadas a 1ª dose e doses de reforço da vacina para maiores de 18 anos.

Edvan Marcelo Morais, responsável pela imunização em Dourados, comentou sobre a ação. “A população aderiu a campanha e esteve presente, isso é ótimo. Nosso objetivo era aproximar a vacina das pessoas e conseguimos”, disse ele.

Outra ação já está programada para a próxima terça-feira, dia 7, na Escola Presidente Vargas, na região central.

A Prefeitura de Dourados, por meio do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), alerta mais uma vez a população sobre a importância de manter os cuidados em casa para combater e prevenir a disseminação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya.

Esse trabalho é constante, no entanto, com a chegada do Verão e o aumento das chuvas neste período, é preciso ainda mais atenção para eliminar os focos de água parada e evitar a propagação da dengue.

“Ao contrário do que muita gente pensa, o mosquito deposita os ovos não somente em água limpa, mas em qualquer superfície que possa acumular água parada inclusive, em água suja. Portanto devemos redobrar os cuidados nos quintais. Também é importante receber bem o agente de combates à endemia, pois eles são preparados e treinados com olhar mais críticos para correção de possíveis problemas e para orientar a população”, afirma Luís Carlos Luciano Junior, Coordenador do Centro de Controle de Zoonoses.

Ele ainda ressalta que os agentes sempre estão uniformizados e identificados. “Essa semana estaremos nos seguintes bairros: BNH 1º Plano, Vila Progresso, Jóquei Clube, Vila Arapongas, Campo Dourado, Santo André e Terra Roxa”, enumera Luís.

A população também pode colaborar com denúncias de mato alto, terrenos baldios sujos com restos de construção, por exemplos.

Serviço – Qualquer dúvida liga no CCZ no 3411-7753.

Dicas para evitar a disseminação do mosquito Aedes aegypti:

  1. Não deixar água parada, afim de destruir o local onde  o mosquito nasce e se desenvolve;
  2. Lixeiras dentro e fora de casa sempre tampadas;
  3. Lavar as vasilhas de água dos animais no mínimo 2x por semana;
  4. Manter os pratinhos de vaso de plantas sempre seco e se possível com areia até a borda;
  5. Evitar plantas que acumulam água (bromélias), mas caso tenham em casa, jogar fora água delas 3x por semana;
  6. Evitar acumular entulho, pneus velhos;
  7. Observar nos terrenos e quintais, os objetos que acumulam água (saco plástico, tampinhas, casca de ovo, garrafas pets, dentre outros, mato alto);
  8. Vaso sanitário (principalmente os externos) sempre manter a tampa fechada e com água sanitária;
  9. Baldes e garrafas sempre de cabeça para baixo;
  10. Tampe bem os ralos com telas e manter vedados os externos;
  11. Lajes e calhas sempre limpas, a fim de evitar acúmulo de água parada;
  12. Receber bem o agente de combates à endemia, pois os mesmo são preparados/treinados com olhar mais críticos para correção de possíveis problemas.

A Prefeitura de Dourados, através da Semop (Secretaria Municipal de Obras), realizou mais de 86.1 km em patrolamento e limpeza durante o mês de novembro. As ações ocorreram em 11 regiões do município, entre a zona rural e urbana, para melhorar o acesso das vias cascalhadas e das estradas vicinais.

Além do patrolamento e da limpeza, a Semop realizou 9.9 km de cascalhamento e a construção de 12 caixas de contenção de águas, que facilitam o escoamento da água da chuva.

O secretário de Obras, Luis Gustavo Casarin, reforçou que estas ações são realizadas durante todo o ano, mas o aumento no período chuvoso pode paralisar as atividades. “Apesar de haver registros de chuvas durante o mês de novembro, as equipes conseguiram trabalhar com tranquilidade e aproveitaram para dar andamento aos serviços nos dias em que não houveram chuvas, com isso conseguimos realizar mais de 80 km em patrolamento neste mês”, pontuou.

As equipes atuam hoje em regiões dos distritos de Ithaum e Macaúba. No último mês as equipes passaram pelas regiões: Travessão da Fazenda Coqueiro, Distrito de Ithaum, Assentamento Lagoa Grande, Distrito de Panambi, Travessões de Panambi, Travessão Faz. Duas Barras, Agrovila, Travessão da Paloma, Travessão do Barroso, Distrito Vila São Pedro e Travessões da Vila São Pedro.

Mais Artigos...