Dourados-MS,
ALMS_Iris

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende está entabulando conversações com a direção do HU (Hospital Universitário), da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Secretaria Municipal de Saúde de Dourados, Ministério da Saúde e Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) com o propósito de articular o término, o mais rápido possível, das obras de construção do Hospital da Mulher e da Criança, em Dourados.

O objetivo é, dentro de um plano emergencial, dotar a unidade de uma estrutura com 30 a 40 leitos clínicos e 15 a 20 leitos de UTI, para que a unidade seja a referência no tratamento de pacientes com casos confirmados da Covid-19 de Dourados e municípios da região.

Para que isso seja possível, as obras do Hospital precisam ser concluídas até meados de maio e, paralelamente, é necessário a aquisição de equipamentos para a ativação da nova estrutura. A proposta vem sendo trabalhada pelo secretário Geraldo Resende em parceria com a reitoria da UFGD e diretoria do Hospital Universitário de Dourados.

“Sempre tivemos uma excelente parceria com a direção da UFGD e do HU/Dourados. E neste momento em que precisamos nos preparar para um cenário de necessidade de mais leitos para os eventuais pacientes do novo coronavírus, estamos tendo toda a receptividade e colaboração na proposta de transformar, emergencialmente, o futuro Hospital da Mulher e da Criança em referência para a Covid-19”, salienta o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

Atualmente, as obras do Hospital da Mulher e da Criança estão concluídas em cerca de 90%, com previsão inicial de entrega da primeira etapa até o final do mês de junho. Para tanto, será necessária a liberação de cerca de R$ 4 milhões para concluir o pagamento da obra física; e outros R$ 4 a 5 milhões para a compra dos equipamentos necessários à ativação dos leitos para a Covid-19.

“Vamos acionar a bancada de Mato Grosso do Sul para nos ajudar nessa tarefa de conquistar os recursos necessários. Já entramos em contato com o ministro Luiz Henrique Mandetta, que deu todo o apoio à proposta. A partir de amanhã vamos trabalhar junto à Universidade, que tem sido parceira excepcional na condução do combate ao coronavírus em Dourados e região e junto à Ebserh, com o presidente, o general Oswaldo Ferreira para que a empreiteira  da obra trabalhe dia e noite e finalize o hospital e nesse ínterim, compramos os equipamentos”, explica Geraldo Resende.

O secretário destacou a parceria da reitora da UFGD, Mirlene Damázio, e do superintendente do HU-UFGD, Alisson Henrique Farinelli, que estão dando todo o apoio para a proposta. “Inclusive já estão com sua equipe elaborando a documentação necessária para orçar e subsidiar a conquista dos recursos necessários para a realização deste projeto emergencial”, explica Geraldo Resende. “Também estamos tendo total apoio do Município de Dourados e vamos contar, ainda, com a participação da bancada federal de Mato Grosso do Sul”.

Laboratório

O projeto emergencial proposto por Geraldo Resende engloba ainda a possibilidade de se dotar o laboratório de pós graduação de Faculdade de Ciências da Saúde de profissional, insumos e equipamentos necessários para a realização dos testes da Covid-19. Atualmente, apenas o Lacen-MS (Laboratório Central de Mato Grosso do Sul), sediado em Campo Grande, está habilitado para essa tarefa.

“Caso consigamos implantar esses laboratório, teremos o resultado dos exames de Dourados e de toda a região com maior rapidez, o que traz benefícios tanto para os pacientes, quanto para as autoridades de saúde, pois um caso diagnosticado com mais rapidez, pode ser tratado com mais eficácia”, conclui o secretário.

O Ministério Público Estadual, por intermédio da 10º, 16º e 17º Promotorias de Justiça de Dourados, expediu na terça-feira (24/3), recomendações em virtude da pandemia da COVID-19.

Desta vez, as ações são dirigidas às Secretarias Municipal e Estadual de Saúde. Os promotores sugerem a instalação de barreiras sanitárias no Aeroporto Regional Francisco de Matos Pereira e no Terminal Rodoviário Renato Lemes Soares, no que diz respeito aos transportes interestaduais.

A intenção é verificar as condições de saúde dos usuários, tais como aferição da temperatura corporal das pessoas vindas de regiões com casos confirmados da Covid-19, para fins de adoção das providências relativas à quarentena.

Os promotores  Etéocles Brito Mendonça Dias Junior, Luiz Gustavo Camacho Terçariol e Ricardo Rotunno explicaram que as barreiras sanitárias implementadas pelo Governo do Estado na segunda-feira, devem ser ampliadas para esses dois pontos em Dourados, evitando que pessoas consideradas suspeitas de portaremo vírus circulem normalmente pela cidade.

"Em caso de descumprimento das recomendações, o Ministério Público Estadual adotará as providências cabíveis na esfera judicial para a efetivação do recomendado, em defesa do direito constitucional da saúde do cidadão", diz material publicado pela assessoria de imprensa do órgão.

Conforme já informado pelo Dourados News, as três companhias aereas que operam no município suspenderam os seus voos comerciais na cidade pelo menos até o final de abril. 

Na rodoviária, não há restrição em relação à embarque e desembarque até o momento. 

O funcionamento de alguns setores de comércio e de prestação de serviços em Dourados está sendo ajustado de acordo com exigências decorrentes das medidas de prevenção ao coronavírus (Covid-19).

Em relação ao setor de hotelaria da cidade, a prefeitura publicou no Diário Oficial do Município desta terça-feira (24) determinações para a realização do atendimento ao cliente. 

Entre as novas orientações, está a obrigatoriedade de avisar o Comitê de Enfrentamento da Pandemia sobre a chegada de hóspedes que por ventura estavam recentemente em outros países. O aviso pode ser realizado junto a Secretaria de Saúde por meio do Disk Covid.

O decreto ressalta também que o serviço de hospedagem e o funcionamento de restaurantes, lanchonetes e cafés, no interior de hotéis, pousadas e similares, se limitará à entrega de alimentos e bebidas aos hóspedes, nos quartos. 

O objetivo é evitar ao máximo o contato atendentes e clientes, principalmente no comércio de alimentos.

OUTRAS MUDANÇAS 

O decreto Nº 2.485 publicado hoje (24) altera e amplia os dispositivos que constam no decreto nº 2.480 de sexta-feira (20) onde são listadas medidas para enfrentamento da situação de emergência decorrente da situação de emergência. 

Além das orientações relacionadas aos serviços dos hotéis e do funcionamento das feiras livres, a atividade dos comércios de produtos de limpeza, deverão dar preferência ao atendimento individual e ao sistema de delivery, adotando as medidas preventivas de higiene.

Os estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços diretamente relacionados à construção civil poderão funcionar com abertura parcial para atendimento individual e com sistema de delivery, também adotando medidas preventivas de higiene.

Atendendo determinação da Prefeitura de Dourados que proibiu o funcionamento de casas noturnas, pubs, tabacarias, boates, academias de ginástica, cinema, clubes e demais associações recreativas da cidade, a Guarda Municipal está fazendo rondas para que não tenha aglomeração de pessoas nestes locais.

Somente na noite deste sábado, dia 21 de março, equipes da GM fecharam mais de 30 estabelecimentos comerciais que funcionavam fora do horário estabelecido no decreto Nº 2.478, que manda paralisar os atendimentos por tempo indeterminado.

A Guarda Municipal está atuando firmemente em locais com aglomerações, dispersando pessoas que estejam nestas situações.

Segundo o comandante da GM, Machado, está sendo realizada a orientação às pessoas sobre os riscos de contaminação viral.

Mais Artigos...