All for Joomla The Word of Web Design
Dourados-MS,
Agosto_lilás

Dourados irá receber neste sábado, dia 24 de agosto, show com o cantor católico Tony Allyson. 

O show faz parte do 1º Aparecida Show, evento promovido pelo Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, na Vila São Pedro. 

O evento acontece a partir das 19h no Santuário, mas os portões serão abertos às 16h com show de Alci Filho (Novos Passos).

Os ingressos estão à venda nas secretarias da Catedral, no Santuário Padre Pio e Santuário da Vila São Pedro.

Será realizado nesta sexta-feira, 23 de agosto, o 20º jantar dançante promovido pelas voluntárias que integram  a Associação Anjos do Senhor. O trabalho é direcionado aos pacientes internados nos hospitais públicos e as ações estão focadas principalmente no Hospital da Vida. 
 
Para atender a demanda e amparar quem precisa, a associação que existe há 20 anos, realiza o jantar anualmente , sendo este  o único evento para angariar recursos destinados aos trabalhos.
 
O grupo se divide em várias frentes: equipe de  visitas aos pacientes internados, equipe  que produz em média 800 e mil fraldas por mês, sendo estas distribuídas gratuitamente no Hospital da Vida e em alguns casos,  no Hospital Universitário. Há também a equipe responsável pela produção dos  kits de higiene pessoal, com xampu, condicionador, sabonete líquido, pasta e escova dental. A outra, é responsável pela  distribuição de cerca de 50 cestas básicas mensais, aos pacientes cadastrados que fazem hemodiálise.
 
“É um trabalho de formiguinha, mas com comprometimento  e carinho. Trabalhamos com voluntariado, com a doação do tempo que cada uma dedica semanalmente. Com o voluntariado ganha a comunidade, ganha a pessoa assistida e  mais ainda, ganha a  voluntária, pois é muito gratificante  e  promove a sensação de bem estar,  nos tornando úteis ao nosso próximo. Estamos precisando de novas voluntárias, venha fazer parte da Associação Anjos do Senhor”.  Assim a presidente da entidade, Lorita Maria Zandavalli Donida define a Associação.
 
Lorita assumiu o cargo no ano passado e prossegue até 2020.
 
“Nó também buscamos a melhoraria do ambiente onde está o paciente. Nesse sentido instalamos ar condicionado e TVs em todos os quartos do Hospital da Vida, além da doação de  cadeiras de fio, para acomodar com um pouco mais de conforto, os acompanhantes dos doentes”, destaca a idealizadora e uma das fundadoras da Associação, Gedália de Ávila, que trouxe a idéia do Hospital do Câncer de Barretos, hoje carinhosamente chamado de  Hospital do Amor. A Associação  também destacou e agradeceu o apoio incondicional de empresários, de  voluntários, dos veículos de comunicação  e também da comunidade, pois  sem esse auxílio seria impossível promover o evento que reúne centenas de pessoas, e que já  é uma tradição no calendário de eventos de Dourados
 
Serviço
 
O 20º Jantar Dançante acontecerá hoje (23), a partir das 21h no Cerrado Brasil, com a parceria do Buffet Laudir e DJ Adriano. Os convites podem ser adquiridos com as  integrantes da Associação ou pelo telefone  (67) 3421-3621, com Vera.

“Muitas pessoas dizem que encontram peças que procuravam há anos nos nossos stands”, diz Mari Arias. Peças de vestuário, acessórios e artesanatos de origem do Peru e do Equador são sucessos na ExpoMundi, Feira de artigos internacionais, que acontece até o dia 10 de setembro, no Shopping Avenida Center.

Pashminas, ponchos, luvas, toucas e gorros produzidos manualmente, com auxílio de tear artesanal contam com estilos, cores e composições variadas.

Quem quer estar preparado para as temperaturas mais baixas em Mato Grosso do Sul ou viajará para outros locais em temporada de frio, pode se preparar com as opções do Peru.

“Um cliente disse que há muito tempo procurava por ponchos para comprar e ficou muito feliz quando viu as nossas opções”, conta Mari.

“Muitas pessoas dizem que encontram peças que procuravam há anos nos nossos stands”, diz Mari Arias. Peças de vestuário, acessórios e artesanatos de origem do Peru e do Equador são sucessos na ExpoMundi, Feira de artigos internacionais, que acontece até o dia 10 de setembro, no Shopping Avenida Center.

Pashminas, ponchos, luvas, toucas e gorros produzidos manualmente, com auxílio de tear artesanal contam com estilos, cores e composições variadas.

Quem quer estar preparado para as temperaturas mais baixas em Mato Grosso do Sul ou viajará para outros locais em temporada de frio, pode se preparar com as opções do Peru.

“Um cliente disse que há muito tempo procurava por ponchos para comprar e ficou muito feliz quando viu as nossas opções”, conta Mari.

Rosemeire Vildes Sanches, 52, professora, se encantou pelos acessórios e adquiriu pulseiras de pedra de Humaitá no stand do Peru. Ela contou que não encontra o item com facilidade em Dourados e região e ficou muito feliz em adquirir as peças.

“Sempre quis pulseiras como estas que comprei aqui no stand. Há muitos anos ganhei colar e brinco e hoje encontrei as pulseiras e os preços são bons. Gostei muito”, contou.

Betrona Ortiz Sanches, 71, reside em Naviraí, e durante passagem por Dourados foi ao Shopping ver as novidades e disse ter gostado muito da Feira. Do stand do Peru e do Equador, ela levou pulseiras e presentes para os netos.

“Aproveitei a vinda a cidade e adorei a feira. Comprei pulseiras lindas e bem diferentes do Peru e levo instrumentos e brinquedos para as crianças”, contou.

SERVIÇO — A ExpoMundi acontece até o dia 10 de setembro, no piso superior do Shopping Avenida Center. Peças de origem na Turquia, Senegal também estão expostas na Feira. Produtos do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Pará e outros pontos do Brasil também são encontrados no local. O horário de atendimento e das 10h às 22h.

Os desembargadores da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) acataram nesta terça-feira (20), por unanimidade, recurso da defesa para oficializar plano de recuperação judicial do grupo Bigolin. A empresa enfrentava uma crise financeira há três anos.

Em março deste ano, a o juiz da Vara de Falências, Recuperações, Insolvências e Cartas Precatórias Cíveis, José Henrique Neiva de Carvalho e Silva, decretou a falência do grupo, mas o desembargador Vilson Bertelli suspendeu a decisão no mesmo mês, ordenando a reabertura das lojas.

Ao Portal Correio do Estado, o advogado da Bigolin, Lucas Mochi, explicou que a empresa tem 15 anos para pagar R$ 29,6 milhões, após abatimento do valor total de R$ 59,6 milhões.

HISTÓRICO

Com um montante de R$ 54,7 milhões em dívidas, a Bigolin ingressou com pedido de recuperação judicial em março de 2016. Segundo nota divulgada pela rede na época, o processo de recuperação tinha como objetivo de ajudar a superar “a crise econômico-financeira da empresa, para garantir a manutenção da sua capacidade produtiva, dos empregos e dos interesses dos credores, promovendo a sua preservação, a sua função social e o estímulo à atividade econômica”.

Em decorrência da divergência de valores de débito e da inclusão de novos credores após a apresentação do plano de recuperação, a dívida aumentou para R$ 59,2 milhões, mas no mesmo ano o grupo conseguiu baixar o valor do débito para R$ 54,7 milhões, após revisar os valores com parte dos 754 credores (entre bancos, fornecedores e ex-funcionários da rede). A Bigolin também tentou angariar recursos por meio do leilão de seu antigo centro de distribuição, situado no anel rodoviário de Campo Grande e então avaliado em R$ 15,5 milhões, mas o certame não teve interessados.

Em sentença proferida neste mês, o juiz da Vara de Falências, Recuperações, Insolvências e Cartas Precatórias Cíveis, José Henrique Neiva de Carvalho e Silva, também autorizou o administrador judicial Pradebon & Cury Advogados Associados a lacrar os estabelecimentos comerciais e arrecadar os bens das empresas falidas que formam o grupo. 

Além da empresa Bigolin Materiais de Construção Ltda., também fazem parte da rede a Ângulo Materiais de Construção e Serviços Ltda., Casa Plena Materiais de Construção Ltda., D&D Comércio, Construção e Serviços Ltda. e Nara Rosa Empreendimentos Imobiliários Ltda.

A Bigolin nasceu no Rio Grande do Sul em 1955 e está em Mato Grosso do Sul desde 1982, contando com unidades espalhadas também por São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Até 2016, a rede mantinha seis lojas abertas no Estado, quatro delas na Capital. Duas delas, situadas no Shopping Norte Sul Plaza, em Campo Grande, e a outra em Ilha Solteira (SP), foram fechadas logo após a apresentação do pedido de recuperação judicial.

O projeto executivo da reforma do Estádio Pedro Pedrossian (Morenão), a ser elaborado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), vai estabelecer um cronograma de prioridades e etapas, de forma que a praça esportiva, hoje interditada, seja liberada em tempo hábil para sediar jogos do Campeonato Sul-Mato-Grossense de 2020.

Esta foi uma das deliberações definidas na reunião entre a UFMS, Governo do Estado e Ministério Público Estadual (MPE), nesta segunda-feira (12/8), com o objetivo de acelerar as obras de adequações com a finalidade de cumprir o laudo pericial, que apontou deficiências nos setores de segurança, hidráulica, elétrica e de acessibilidade do estádio. O investimento, incluindo todas as fases da reforma em discussão, foi estimado em R$ 4 milhões.

A reabertura do Morenão, interditado pelo MPE por não cumprir o Estatuto do Torcedor, está sendo viabilizada por meio de acordo entre a UFMS e Estado. A instituição federal elaborará o projeto executivo, cabendo à Agesul a sua execução com recursos do tesouro estadual. Parte da verba será liberada pelo Fundo Estadual de Defesa do Consumidor, vinculado ao Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de MS).

Resgate de um patrimônio

Por determinação do governador Reinaldo Azambuja, após a execução das obras de ajustes estruturais do Morenão, que se estenderá até 2020, o Estado apresentará uma proposta à UFMS e a parceiros privados para transformar o estádio, inaugurado em março de 1971, em uma arena moderna para sediar partidas pelo Campeonato Brasileiros e internacionais, além de grandes eventos esportivos, de entretenimento e culturais.

“Vamos definir metas de curto e longo prazos para atendermos o futebol profissional, a partir de janeiro de 2020, e um projeto macro, onde o Estado quer preparar o Morenão para sediar grandes eventos e devolve-lo definitivamente ao nosso torcedor”, explicou Carlos Alberto Assis, secretário especial do Governo do Estado. “Com o empenho dos atores e a participação fundamental do Ministério Público com certeza alcançaremos esse objetivo”.

Para o reitor da UFMS, Marcelo Turine, o resgate do Morenão, com a disponibilidade de recursos do Estado, contempla não apenas o futebol, mas, sobretudo, preserva um patrimônio federal. “Estou muito feliz por essa parceria, enquanto UFMS. Hoje não temos orçamento para reformar e manter o estádio e sua reabertura se somará a revitalização que estamos fazendo no seu entorno, onde o objetivo é instalar serviços públicos e dar vida àquele lugar”, disse.

Entrando no círculo virtuoso

Ficou definido que a UFMS e a Agesul vão debruçar na elaboração do projeto executivo, inicialmente para atender os quatro itens do laudo técnico, no qual o MPE se baseou para interditar o estádio, com a participação da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Paralelamente, Estado e UFMS vão formular juridicamente esse acordo para que não ocorra nenhum empecilho no cumprimento das etapas nas obras previstas para o estádio.

Presente à reunião, o procurador Luiz Eduardo de Almeida, da 43ª Promotoria de Justiça e Defesa do Consumidor, manifestou seu otimismo com os avanços na elaboração da proposta para readequar o Morenão. “O objetivo é garantir conforto e bem-estar ao torcedor, existe um laudo apontando problemas estruturais com riscos de níveis médios e, desde 2005, o estádio está sendo liberado com restrições. Estamos convergindo para uma solução definitiva”, frisou.

Para o promotor, é preciso sair do círculo vicioso e entrar no virtuoso. “Temos que embalar essa roda, focar nessa proposta, onde quem ganhará é o futebol, o torcedor e a cidade”, pontuou. “Encontramos uma receptividade muito grande no Governo do Estado e na universidade e acreditamos que a proposta vai avançar e acontecer com as obras necessárias para atender, num primeiro momento, ao Estatuto do Torcedor”, completou.

Todos os atores envolvidos

A reunião de segunda-feira contou com a presença do comandante da Polícia Militar, coronel Valdir Acosta; comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Antônio de Mello; procurador Wagner Moreira Garcia, da Procuradoria-Geral do Estado (PGE); Marcelo Miranda, diretor-presidente da Fundesporte; Marcelo Malheiros, pró-reitor da UFMS; Ricardo Marcelino Santana, procurador da UFMS; Rodrigo Bezerra Vaz, do Procon; e Luiz Mário Penteado, da Agesul.

Uma empresa de viagem interestadual foi autuada pelo Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) por desrespeitar o Estatuto do Idoso e outras leis que determinam a reserva de poltronas. O caso foi registrado nesta quinta-feira (18) durante fiscalização no Terminal Rodoviário de Campo Grande. O nome da empresa notificada não foi divulgado.

Segundo o órgão, os fiscais verificaram no guichê da empresa que apesar de oferecerem linha com destino para o Rio de Janeiro, nos sete dias da semana, era concedido o benefício para o idoso em apenas um dia da semana, mesmo com o sistema de passagens em aberto até o dia 30 de agosto, desrespeitando o estatuto do idoso e a Constituição Federal.

Também foi constatado que a empresa disponibiliza a gratuidade para idosos com renda inferior a dois salários mínimos, semente aos ônibus convencionais. No entanto, a lei federal não restringe a vinculação do benefício tarifário a certa categoria de serviço, ficando evidente restrição de um direito aos idosos que não conseguem viajar mesmo comparecendo semana de antecedência ao terminal rodoviário.

As empresas prestadoras de serviço regular de transporte rodoviário interestadual de passageiros devem reservar aos idosos, que preencham os requisitos de idade e renda, dois assentos gratuitos, em todos os ônibus. Quando esses assentos já estiverem preenchidos, a empresa deve conceder o desconto mínimo de 50% no valor da passagem para ocupação dos demais assentos.

Ivan e Marlene tiveram mandatos cassados pela Justiça Eleitoral por compra de votos - Foto: Reprodução/Facebook

Outras Cidades

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul marcou para a próxima segunda-feira (8) o julgamento da cassação do mandato da prefeita de Miranda, Marlene Bossay (MDB), e seu vice, Adailton Rojo Alves (PTB), sob a acusação de compra de votos. O filho da mandatária municipal, o vereador  Ivan Bossay (MDB), também é investigado no caso.

Marlene teve seu mandato cassado logo após as eleições de 2016 e, desde então, vem recorrendo da sentença. A conclusão do julgamento já fora adiada por seis vezes, sendo que por duas delas foi após pedidos de vista dos desembargadores.

Essa demora no julgamento da cassação tem causado estranheza em algumas lideranças políticas da região, especialmente pelas conversas que circulam na cidade. Os três acusados afirmam que mesmo se condenados não deixarão seus cargos. 

O caso veio à tona ainda nas eleições, quando outro filho da prefeita, então candidata, Alexandre Bossay, foi flagrado e preso em flagrante quando entregava cestas básicas em aldeia indígena. 

Na ocasião, a polícia interceptou vários tickets em postos de combustíveis que eram repassados a eleitores.

O filho da prefeita também é acusado de comprar votos de jovens por meio de depósito bancario.

Essa compra foi comprovada por meio de conversas em aplicativo de mensagens no celular entre o filho da prefeita e o jovem que recebeu o dinheiro. Bossay inclusive enviou foto do comprovante do depósito feito ao rapaz e frisou o nome da mãe e do irmão para serem votados.

Marlene foi condenada em dois processos distintos. Um proposto pelo Ministério Público e outro pela Coligação Unidos por Miranda, envolvendo os partidos PSL, PR, DEM, PRP, PSDB e PV.

No caso da coligação, o advogado Ary Raghiant destacou que a cassação é consequência da captação ilícita de sufrágio, ou seja, a popular compra de votos. “São dois processos sobre o caso do filho de Marlene. O Alexandre ter sido preso entregando cestas básicas na aldeia. Pela gravidade dos fatos, dificilmente, ela ficará no cargo, e deverá ter novas eleições em Miranda”, explicou.

Defesa vai recorrer da decisão na Justiça - Foto: Foto: Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Outras Cidades

Carlos Ruso (PSDB) teve o mandato de prefeito de Ladário, cidade distante 421 quilômetros de Campo Grande, cassado nesta segunda-feira. Ele foi preso no ano passado durante operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE), que investigava o pagamentos mensais a vereadores em troca de apoio. 

Além do prefeito, foram presos na operação Mensalinho o secretário municipal de Educação, Helder Botelho, e sete vereadores. De acordo com o jornal Diário Corumbaense, na manhã de hoje, nove dos dez vereadores presentes na Câmara de Vereadores votaram pela cassação de Ruso. 

O relatório da Comissão Processante, que trabalhou por mais de três meses, foi favorável às denúncias feitas pelo MPE. A investigação apontou que o então prefeito, comandava  esquema para ter apoio político dos vereadores com pagamentos mensais de até R$ 3 mil a cada um dos acusados.

Conforme o presidente da Câmara, Daniel Benzi, o próximo passo é publicar o decreto que traz a decisão da comissão. “Independente do que ocorra na esfera judicial, ele não volta mais ao cargo”, explicou Daniel Benzi ao Diário Corumbaense. 

O relator da CPI, o vereador Gesiel Paiva Figueiredo, classificou o momento como difícil para a cidade. “Nada disso teria acontecido se as partes envolvidas não tivessem participado dessa situação. Porém, cabe a nós desempenhar esse papel de decidir. Analisamos e estudamos todos os fatos até chegarmos à cassação”, declarou.

Ao Diário Corumbaense, o advogado de defesa do prefeito cassado, Elton Nasser, afirmou que já tem medida judicial ajuizada e irá ingressar com outras providências.“No nosso entendimento houve cerceamento de defesa e houve inclusive incorreta adequação da norma ao caso concreto. Diante disso, vamos tomar medidas que o caso requer no sentido de salvaguardar os direitos do Carlos Ruso, na esfera eleitoral”.

 

Correio do Estado

A Pesada homenageou São Jorge - Foto: Gisele Ribeiro

Outras Cidades

Escola de Samba A Pesada é a campeã do Carnaval 2019 de Corumbá. A agremiação somou 179,6 pontos, ficando 1,2 ponto a frente da segunda colocada, que foi a Mocidade Independente da Nova Corumbá.  Na terceira colocação ficou a Estação Primeira, com 177,4 pontos.

As agremiações se apresentaram entre as noites de segunda (3) e terça (4) na Passarela do Samba, na Avenida General Rondon.

Com o enredo "São Jorge, o Santo Guerreiro da Fé”, A Pesada perdeu apenas quatro décimos dos quesitos avaliados pela comissão julgadora, que avalia ala das baianas, mestre sala e porta bandeiras, comissão de frente, alegoria, fantasia, enredo, harmonia e evolução, samba enredo e bateria.

A agremiação campeã foi a terceira a desfilar no segundo dia de desfiles e passou pela passarela do samba com 900 componentes. O objetivo do enredo era usar a expressão da religiosidade para  mostrar que o carnaval é uma manifestação cultural e não o culto a uma religião específica. O carnaval, cantou A Pesada, é simplesmente pura expressão cultural.

No ano passado, a Mocidade Independente de Nova Corumbá foi a campeã, enquanto A Pesada foi a segunda colocada, resultado que se inverteu neste ano. 

 

Correio do Estado

Advertisement