Dourados-MS,
Assembléia - Vem participar

Bauru conseguiu controlar o Paulistano e bolas de três do time da capital.

Bauru Basket respirou aliviado e, na noite desta sexta-feira, apenas dois dias após tomar uma surra de 31 pontos na capital, venceu o Paulistano por 82 a 75, no ginásio Panela de Pressão, em Bauru, e empatou a série semifinal do NBB 10 em 2 a 2. Com isso, uma das vagas na grande decisão será definida na próxima segunda-feira, às 19h30, em duelo marcado para o ginásio Antonio Prado Jr., a casa do Paulistano. 

 
Melhores momentos: Bauru 82 x 75 Paulistano pelo NBB 2018
Bauru 82 x 75 Paulistano pelo NBB 2018

Para chegar ao triunfo, o Bauru, que ganhou o desfalque de Duda Machado ainda no vestiário, precisou se acertar na defesa para segurar a “metralhadora” vermelha e branca do técnico Gustavinho de Conti, e também contar com algumas surpresas em quadra. A da noite foi o ala Isaac, cestinha do jogo com 22 pontos, mesma pontuação do armador Yago.

Ao contrário do que aconteceu no Jogo 3, quando o Paulistano atropelou o Bauru com um aproveitamento assombroso nos tiros de três, o time da capital começou o jogo com dificuldade nos tiros longos, com índices inferiores a 30%. Isso fez com que Bauru assumisse a frente do marcador, mas sem conseguir abrir grande vantagem.

 
Anthony anotou 12 pontos, mas acabou excluído da partida no último período após a quinta falta  (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
Anthony anotou 12 pontos, mas acabou excluído da partida no último período após a quinta falta (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
 Os dois treinadores, então, começaram um jogo de xadrez, com diversas mudanças na configuração tática. Gustavinho de Conti, do Paulistano, e Demétrius Ferracciú fizeram opções por times mais rápidos e menos “pesados”. O primeiro chamou Yago e Deryk, enquanto o segundo deixou em quadra os baixinhos Anthony e Stefano. Mesmo zerado no perímetro – errou as cinco tentativas de três –, Bauru foi melhor e fechou o primeiro quarto na frente: 18 a 16.

Para tentar mudar as estatísticas, Jaú abriu o segundo período com um tiro de três pontos para Bauru. E a parcial começou marcada por um duelo de bolas de três. Quando Deryk anotava para o time da capital, Anthony respondia na mesma moeda para os anfitriões.

Mas nesse duelo, Deryk começou a despontar e, faltando 4’50, o Paulistano passou à frente pela primeira vez (29 a 28). Anthony reagiu na reta final, fez sete pontos na parcial, um a menos que Deryk, e ajudou o Bauru a repetir o placar do 1º período (18 a 16) e ir aos vestiários com quatro pontos de vantagem: 36 a 32.

 
Matulionis fechou a partida com quatro rebotes e três assistências  (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
Matulionis fechou a partida com quatro rebotes e três assistências (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)

Na volta do intervalo, Jhonatan acertou uma de três, Deryk mandou mais uma, Lucas Dias foi no embalo, e a sequência deixou o torcedor bauruense apreensivo com uma eventual reedição do atropelo do Jogo 3, construído a partir do perímetro.

 

Mas a artilharia dos visitantes seguiu cruel, e quando Yago anotou seu décimo ponto na parcial e o Paulistano abriu frente (56 a 52), Demétrius parou o jogo para tentar reverter a situação. E conseguiu: Bauru apertou a defesa, parou o ataque do Paulistano, que mesmo assim venceu a parcial (24 a 21) e baixou a diferença para apenas um ponto: 57 a 56.

 
Bauru conseguiu controlar o Paulistano e bolas de três do time da capital  (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
Bauru conseguiu controlar o Paulistano e bolas de três do time da capital (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)

No quarto final, Bauru entrou mais determinado na defesa e conseguiu manter uma vantagem que, até a metade da parcial, jamais passou dos quatro pontos. O jovem armador Yago, porém, seguia comandando o time da capital, ora com sua velocidade alucinante, ora com sua mão certeira do perímetro. Um momento de tensão foi a exclusão de Anthony com cinco faltas, a sete minutos do fim.

O Bauru, porém, soube manter a frieza e o jogo consistente na defesa. Também passou a contar com pontos valiosos de Renan Lenz, que voltou de contusão após quase um mês. Apesar de só ter pontuado no último período, teve papel fundamental na defesa. No fim, nova vitória parcial bauruense (25 a 19), que garantiu o triunfo por 82 a 75 e a realização do quinto jogo para o desempate.

 

 

globoesporte.globo.com

Nesta sabado, Mogi das Cruzes e Flamengo se enfrentaram, no ginásio Hugo Ramos, em Mogi, pelo primeiro jogo da semifinal da NBB. Jogando fora de casa, a equipe carioca não teve um bom desempenho ofensivo e perdeu pelo placar de 79 a 62. Com isso, os maiores campeões da competição saem atrás na série que definirá quem será um dos finalistas do principal torneio de basquete do país.

O Jogo – No primeiro tempo da partida, os dois times começaram devagar, tentando trabalhar a bola no ataque e buscando muitas bolas de dois pontos. Ao fim do primeiro quarto, a vantagem era dos donos da casa, que tinha 20 pontos contra 15 da equipe carioca.

Na segunda parcial, o desempenho dos maiores campeões da história do Novo Basquete Brasil melhorou bastante, principalmente no setor ofensivo. A equipe cedeu os mesmos 20 pontos do primeiro quarto, porém desta vez anotaram seis pontos a mais do que no começo do jogo, fazendo com que Mogi e Flamengo fossem para o intervalo com quarto pontos de vantagem para os donos da casa.

A regularidade do ataque do Mogi era impressionante. O time marcou novamente 20 pontos no terceiro quarto, não permitindo que os adversários conseguissem encostar no placar. Um dos destaques do jogo era Tyrone Curnell, camisa 0 dos donos da casa, que no primeiro tempo foi o cestinha da equipe com oito pontos. Já pelo lado do Flamengo, Marquinhos era o maior pontuador com sete pontos.

No último quarto, as duas equipes mantiveram a intensidade, mas o Flamengo precisava superar as dificuldades para tentar a vitória na semifinal, o que não aconteceu. Com isso, o Mogi garantiu o primeiro triunfo e larga na frente para tentar chegar na primeira final na história do clube.

O segundo jogo da série entre Flamengo e Mogi acontece na próxima sexta-feira, dia 4, às 20h, na Arena Carioca 1. Caso o duelo enteja empatado, a definição de quem estará na grande decisão será no dia 7, também às 20h, no terceiro jogo, que também será realizado no Rio de Janeiro.

Nas quartas de final, as duas equipes não tiveram dificuldade para vencer seus adversários. O Mogi se classificou ao vencer o Caxias do Sul por 3 a 1 n a série. Já o Flamengo teve até mais tranquilidade para chegar às semifinais ao derrotar por 3 a 0 o Minas Tênis Clube. O time carioca é o maior vencedor da NBB, com cinco conquistas, enquanto que o time do interior de São Paulo nunca chegou na grande decisão.

 

 

Gazeta Esportiva

O Flamengo está na semifinal do Novo Basquete Brasil. Mas a vaga não foi conquistada sem suor. Nesta quinta-feira, jogando em casa, o Rubro-Negro viu o Minas dominar praticamente todo o jogo 3 da série de quartas de final, mas conseguiu uma reação incrível e venceu o duelo na prorrogação por 97 a 92.

Assim, o time carioca fecha a série de melhor de cinco jogos com 3 a 0 e garante a vaga na semifinal. Com isso, o Fla espanta o fantasma da temporada passada, quando também foi o líder da primeira fase, abriu 2 a 0 nas quartas contra o Vasco, mas perdeu as três partidas seguintes, levou a virada e foi eliminado.

O Minas por sua vez, deixa escapar a chance de forçar o quarto jogo da série e é eliminado no NBB. Assim, a equipe segue sem chegar às semifinais desde a temporada 09/10.

Agora, o Flamengo espera o vencedor da série de quartas de final entre Mogi das Cruzes e Caxias do Sul. No momento, o duelo está em 2 a 0 para o time paulista, e o terceiro confronto acontece nesta sexta-feira, às 21h (de Brasília).

Marquinhos foi o cestinha da partida com 21 pontos (Foto: Staff Images/Flamengo)

O jogo– Precisando da vitória, o Minas começou o jogo indo para cima. Com ótimo aproveitamento – 80% nas bolas de dois e de três -, a equipe visitante foi construindo a vantagem ao longo do primeiro quarto. Liderados por Gegê e Teichmann, os mineiros venceram a parcial com tranquilidade e com larga diferença: 28 a 15.

O Flamengo mudou todo o time para o segundo quarto, mas quem começou melhor foi novamente o Minas, que inclusive aumentou a vantagem no marcador. Com mais da metade do período jogado, o Rubro-Negro começou a reagir, e chegou a diminuir a diferença para 10 pontos. No entanto, o Minas segurou a tentativa de reação e, apesar de perder a parcial por 18 a 17, foi para o intervalo com boa vantagem: 45 a 33.

Os cariocas voltaram bem para o terceiro quarto e conseguiram encostar no placar. O jogo era bastante equilibrado, até que o Minas voltou a abrir frente e colocou 10 de vantagem. O Flamengo até venceu o período por 25 a 22, mas a diferença ainda era grande e a partida foi para o último quarto com placar de 67 a 58.

O quarto período foi bastante equilibrado e as equipes iam trocando pontos. A vantagem do Minas era boa, mas a três minutos do fim, o Flamengo começou a reagir e encostou no placar, chegando a ficar só seis pontos atrás. Faltando 36 segundos para o término, o Rubro-Negro chegou de vez, diminuindo a diferença para dois pontos para delírio da torcida. A pressão carioca surtiu efeito e faltando apenas sete segundo, o Fla empatou a partida e forçou a prorrogação.

Logo no início do tempo extra, o Flamengo já se impôs e passou logo à frente. A torcida empurrava o time, enquanto os mineiros sofriam com a pressão. Liderados por Marquinhos, que foi o cestinha do duelo com 21 pontos, o Rubro-Negro construiu a vantagem e decretou o triunfo e a tão sonhada vaga na semifinal.

Na noite desta quinta-feira, o Bauru deu mais um passo rumo à semifinal do Novo Basquete Brasil.Depois de vencer o primeiro jogo da série em casa contra o Franca, o time segurou a pressão no fim do jogo e voltou a triunfar, vencendo pelo placar de 83 a 77, desta vez fora de seus domínios.

O destaque da partida foi Jefferson, do Franca, com 27 pontos e oito rebotes. Pelo lado do Bauru, Gabriel Jaú foi o maior pontuador, com 16 pontos e Hettsheimeir foi o líder dos rebotes, com 12.

Assim, o Bauru abre 2 a 0 na série de melhor de cinco jogos e fica a apenas uma vitória da semifinal. O Franca, por sua vez, precisa vencer os três próximos confrontos para virar o placar e avançar na competição. O Jogo 3 acontece no mesmo palco da partida desta quinta-feira, o Ginásio Pedrocão, e está marcado para o próximo sábado, às 14 horas (de Brasília).

O começo do jogo foi um pouco lento, com os times demorando a engrenar. Depois de anotar os primeiros seus primeiros pontos na partida com três minutos já jogados, o Bauru começou a se impor e construiu a vantagem. Na metade do primeiro quarto, o Franca tinha apenas dois pontos, contra oito dos adversários. Os donos da casa chegaram a encostar no marcador, mas o Bauru segurou a reação e venceu a parcial por 22 a 15.

Os visitantes seguiram melhor e voltaram a aumentar a diferença, que passou da casa dos 10 pontos. O Franca novamente havia marcado apenas dois pontos com quase metade do segundo quarto, contra 13 dos adversários. Depois de esboçar uma reação, os anfitriões viram o Bauru abrir mais uma vez e foram para o intervalo com 16 pontos atrás: 47 a 31.

Logo no início do terceiro quarto, a vantagem subiu para 20 pontos e o Franca repetiu o roteiro, pontuando apenas depois de três minutos. O Bauru administrou a diferença no marcador, mas a parcial terminou equilibrada e empatada em 19 a 19. No placar total, porém, a diferença ainda era de 16 pontos: 66 a 50.

No derradeiro período, o roteiro mudou e o Franca tentou ir para cima desde o início. No entanto, o Bauru tratou logo de barrar a reação e voltou a colocar boa diferença no placar. Faltando 23 segundos para terminar o confronto, o time da casa encostou de vez no marcador, ficando apenas quatro pontos atrás. Porém, novamente, o Bauru travou a reação e decretou a vitória.

 

 

gazeta esportiva

Uma vitória. É o que falta para o Mogi consolidar seu triunfo na série melhor de cinco, pelas quartas de final do NBB, diante do Caxias, já que, nesta quarta-feira, a equipe do interior paulista derrotou o time rival por 69 a 57, abrindo 2 a 0 no marcador geral da disputa. O duelo foi disputado no Ginásio Professor Hugo Ramos, na cidade de Mogi das Cruzes.

O primeiro quarto de partida viu o time da casa abrir uma pequena diferença no placar. Contando com seis pontos anotados por Tyrone e Larry Taylor, os mandantes apoiaram-se no bom desempenho de ambos os atletas para saírem com uma vantagem de 

Já o período seguinte ficou marcado pelo equilíbrio. Com um baixo aproveitamento nos arremessos de três pontos por parte dos dois clubes, os torcedores presente no ginásio não viram uma grande atuação ofensiva do Mogi, tampouco do Caxias.

Foi na terceira parcial de dez minutos que os donos da casa solidificaram sua vantagem no placar. Engrenando no ataque, os comandados do técnico Guerrinha fizeram 21 a 13 na rodada, indo para o último e decisivo quarto com um marcador favorável: 52 a 40.

Nele, os mandantes voltaram a atuar bem, segurando a diferença no marcador e administrando o cenário para saírem com a vitória final: 69 a 57.

O destaque do embate ficou por conta do ala Shamell. O jogador norte-americano anotou 21 pontos, combinados com quatro rebotes, três assistências, além de um roubo de bola e um toco.

A próxima partida da série melhor de cinco entre as duas equipes será nesta sexta-feira, às 21h00 (horário de Brasília), novamente no Ginásio Professor Hugo Ramos. Em caso de nova vitória do Mogi, a equipe se classifica para as semifinais do NBB, aguardando a definição da disputa entre Flamengo e Minas. Caso o Caxias conquiste o triunfo, a série terá um jogo 4, a ser disputado na casa do clube gaúcho.

Mais Artigos...

Página 1 de 2