Dourados-MS,
Semestre- Camara

Paulistano é a quarta equipe diferente a levantar o troféu de campeão do NBB. Fotojump/LNB

O Paulistano/Corpore é o grande campeão do NBB 2017/2018. Neste sábado (02), em pleno Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes, a equipe da capital paulista venceu o Jogo 4 das Finais contra o Mogi das Cruzes/Helbor, por 82 a 76, e fechou a série em 3 a 1.

Pela terceira vez nas Finais, o Paulistano conquistou seu primeiro título do NBB. A equipe é a quarta diferente a se sagrar campeã do maior campeonato de basquete do país – Flamengo tem cinco troféus, Brasília três e Bauru um.

Nenhum jogador do Paulistano tinha o título do NBB no currículo e sete deles fizeram parte do vice-campeonato na temporada passada. Para o técnico Gustavo De Conti, a conquista é a primeira de âmbito nacional em sua carreira.

"O sentimento é de felicidade e de agradecimento ao clube Paulistano por tudo que nos proporciona.Todos os times merecem ser campeões,m mas fomos muito regulares durante toda a temporada, com direito a vitórias com grandes diferenças no placar e também com um certo nível de dominância", exaltou De Conti.

A dupla Yago e Lucas Dias combinou para 41 pontos - 24 dos 28 da equipe no segundo tempo - e comandou a vitória alvirrubra neste sábado. O armador foi o cestinha da equipe, com 21 (7/10 nos arremessos de quadra), sendo nove no terceiro quarto. Já Lucas marcou 20 pontos, nove no último período, e ainda contribuiu com cinco rebotes.

“Eu sempre jogo com muita confiança e hoje não foi diferente. Sempre que o Gustavo me coloca em quadra eu busco ajudar o time com meu basquete. Hoje eu consegui converter bolas importantes e ajudar o Paulistano a vencer o jogo e conquistar esse título histórico”, disse Yago.

 “Estou feliz demais por ter buscado uma coisa que queria sempre. Sempre vi grandes jogadores, como Marcelinho, chegando em Finais e sendo campeão. Esse título é muito importante para a carreira de um jogador. Ano passado tivemos um momento muito difícil, ainda mais para mim, que me machuquei. Isso ficou marcado para todos. Nos preparamos e trabalhamos a temporada inteira para chegar nesse momento. Agora o sentimento é de alegria”, analisou Lucas Dias.

Autor de 13 pontos e sete rebotes neste sábado, o pivô Guilherme Hubner foi eleito o MVP das Finais. Com grandes atuações, o jogador fechou a série como jogador mais eficiente do Paulistano (13,5 por jogo), com sólidas médias de 11,7 pontos e 6,2 rebotes por partida.

"Eu estava focado em jogar basquete. Não queria ser o MVP, mas sim ajudar meu time e fazer meu trabalho em quadra. O Gustavo determinou algumas funções específicas para mim na série e estava focado em executar tudo o que ele pediu", disse Hubner.

O jogo que definiu o campeão teve dois tempos completamente distintos. Na primeira metade, as duas equipes tiveram grande aproveitamento ofensivo e o placar foi de 54 a 47. Já nos 20 minutos finais, o nervosismo entrou em quadra e a produção dos times caiu praticamente pela metade (29 a 28 para o Mogi).

No início do último quarto, a diferença a favor do Paulistano chegou a 12 pontos (70 a 58). Mas Mogi não se entregou e, no embalo de Jimmy e Larry, chegou a baixar o prejuízo para apenas quatro pontos (74 a 70). Depois disso, a tensão tomou conta da partida e o placar ficou quase dois minutos sem ser alterado (78 a 75). Foi então que Deryk converteu arremesso fundamental e praticamente selou o título dos alvirrubros.

Do lado mogiano, o grande destaque ficou por conta do ala Jimmy. Cestinha do jogo, com 28 pontos, o camisa 18 teve atuação espetacular e cravou seu novo recorde pessoal no NBB CAIXA, com direito a 63,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra (12 acertos em 19 tentativas). Além disso, ainda apanhou nove rebotes e totalizou 30 de eficiência.

"Estamos muito frustrados por termos perdido em casa, mas muito honrados por conseguirmos chegar ao segundo lugar do NBB, que é muito difícil. O Paulistano teve todo o mérito de sair com o título. Foi a terceira vez que eles chegaram à final e essa foi a nossa primeira. Queríamos o topo, claro, mas infelizmente não conseguimos. Nunca faltou entrega e nem dedicação para a nossa equipe. Saímos orgulhosos", disse o comandante mogiano Guerrinha.


Confira todos os resultados das partidas das Finais do NBB CAIXA:

Jogo 1 – Mogi 82 x 99 Paulistano

Jogo 2 – Paulistano 70 x 84 Mogi

Jogo 3 – Paulistano 88 x 84 Mogi

Jogo 4 – Mogi 76 x 82 Paulistano

 

 

Portal morada

As donas da casa assumiram a liderança apenas nos minutos finais do embate (Foto: LBF)

No terceiro jogo da final entre Vera Cruz Campinas e Sampaio Basquete, quem levou a melhor, neste domingo, e garantiu a liderança na série melhor de cinco foi a equipe da casa, no embate disputado no ginásio do Castelinho, em São Luís (MA). Com o marcador em 55 a 50, a vantagem foi conquistada e a equipe do Maranhão está a uma vitória de faturar o título da Liga Feminina de Basquete, que tem a TV Gazeta como emissora oficial.

A partida foi decida apenas nos minutos finais, já que o placar estava muito equilibrado no final do último quarto. Depois de uma primeira parcial equilibrada, as donas da casa somaram vantagem de oitos pontos na segunda etapa, mas não souberam administrar o bom desempenho no terceiro estágio, quando o Campinas levou a melhor e converteu pontos importantes.

Na última parcial, o grupo paulista quase não apareceu em quadra e marcou apenas três pontos contra 12 das rivais. Com os números e boa bola de Tati, o Sampaio conseguiu virar o placar, para levantar o público presente no ginásio maranhense.

Com um belo trabalho coletivo, o Sampaio também viu números fundamentais de Briahanna Jackson. Cestinha do embate, a norte-americana foi dona de 16 pontos e nove rebotes. Quem também mostrou bom basquete foi Ariadna, que liderou as visitantes na caça às adversárias. Com cinco faltas, faltando cinco segundos para o fim do embate, ela foi excluída da partida. A cubana conquistou 11 pontos e ainda contou com 17 rebotes de Babi.

Agora, o Sampaio precisa garantir uma vitória no próximo compromisso das equipes, marcado para a próxima terça-feira, às 19 horas, no mesmo Castelinho, para faturar o título. Caso as donas da casa percam, o jogo cinco acontece em 3 de junho, em Campinas (SP).

Esta será a segunda participação do Flamengo na pré-temporada da NBA (Foto: Divulgação/Flamengo)Em preparação para a próxima temporada do NBB, que tem início em outubro, o Flamengo viajará até os Estados Unidos para enfrentar o Orlando Magic no dia 5 do mesmo mês, em partida também válida pela pré-temporada 2018/19 da liga norte-americana. O confronto foi anunciado nesta segunda-feira pela NBA.

Este será o terceiro embate entre o rubro-negro e a franquia da Flórida. No primeiro deles, em 15 de outubro de 2014, os cariocas foram até a casa rival para ver o placar em 106 a 88 para os adversários. Na ocasião, eles também jogaram contra o Memphis Grizzlies (112 a 72) e contra o Phoenix Suns (100 a 880). Esta foi a primeira participação da equipe brasileira na pré-temporada da Liga.

No ano seguinte, foi a vez do time norte-americano visitar o Rio de Janeiro para o embate, que também terminou com placar favorável os gringos, donos de 90 pontos contra 73 dos brasileiros.

Na temporada 2017/18, o Orlando Magic não mostrou seu melhor basquete e amargou um penúltimo lugar na Conferência Leste – somando 25 vitórias e 57 derrotas. O Flamengo, por sua vez, caiu apenas na semifinal do NBB, quando perdeu para o Mogi das Cruzes.

Com final eletrizante, Campinas empata série com Sampaio (Foto: Pedro Teixeira/LBF)

Na segunda partida da final da Liga de Basquete Feminino, o Vera Cruz Campinas recebeu o Sampaio Basquete nesta terça-feira, no Ginásio AAPP Paineiras, e venceu por 59 a 58. A série melhor de cinco jogos está empatada por 1 a 1.

A cestinha da partida foi Moura, do Campinas, com 17 pontos. Outro destaque do time vencedor foi Babi, com 11 rebotes. Já pelo lado do Sampaio, Jackson foi a maior pontuadora, com 14 pontos.

No primeiro quarto o Campinas iniciou o jogo melhor, mas o Sampaio logo reagiu e virou o placar. As visitantes chegaram a abrir uma vantagem de sete pontos. No final do período o Vera Cruz retomou a frente do placar: 20 a 17.

No segundo quarto as mandantes dominaram e permaneceram na frente durante praticamente todo o período. Apesar de não conseguir uma grande vantagem, o Campinas terminou na frente: 32 a 27.

Com um amplo domínio desde o começo, a equipe da casa dominou todas as ações do terceiro quarto e chegou a abrir oito pontos de vantagem. O Sampaio reagiu, mas terminou atrás: 47 a 44.

O último quarto foi marcado pelo grande equilíbrio entre as equipes. As donas da casa abriram cinco pontos, porém as adversárias conseguiram virar o placar. Somente nos últimos segundos o Vera Cruz Campinas conseguiu retomar a frente o placar: 59 a 58.

As duas equipes voltam a se enfrentar neste domingo, às 15h (de Brasília), no Ginásio Castelinho, em São Luís, no Maranhão, com transmissão da TV Gazeta.

Mogi forçou o jogo 4 com a vitória (Foto: LBF/Divulgação)

Nesta quinta-feira, no segundo jogo da final do Novo Basquete Brasil. o Mogi devolveu a derrota que sofreu em casa em casa . A equipe de Guerrinha superou o Paulistano por 84 a 70, no Ginásio Wlamir Marques, e deixou a série empatada em 1 a 1.

Os principais pontuadores das Jaguatiricas foram Jimy e Tyrone com 18 pontos cada. Além disso, o americano fez seis assistências e pegou seis rebotes. Larry Taylor fez 12 pontos e pegou nove rebotes. Pelo Tigre, Hubner teve 18 pontos e dez rebotes. Deryk anotou 12 pontos.

Depois de um início de partida com poucos pontos, o Mogi começou a acertar as cestas na segunda metade do primeiro quarto e conseguiu criar uma vantagem de 11 pontos nos primeiros dez minutos (21 a 10). O segundo período foi mais equilibrado, os dois times alternaram cestas e o jogo foi para o intervalo em 38 a 27 depois do empate em 17 a 17 no quarto.

Os dois times protagonizaram um terceiro quarto muito intenso na volta para a segunda metade do jogo e o time visitante conseguiu ampliar um pouco a sua vantagem ao ganhar os dez minutos por 34 a 28. Apesar do Paulistano ter vencido o último período, o jogo terminou em 84 a 70 para o Mogi.

As duas equipes voltam a se enfrentar no sábado, às 12h35 (de Brasília), no Ginásio Wlamir Marques.

James Harden foi o cestinha do jogo da casa dos Warriors (Foto: Noah Graham/AFP)

Os astros do Golden State Warriors falharam no momento decisivo e a torcida mandante teve de assistir o Houston Rockets virar e vencer, sob o destaque do “barbudo” James Harden, o quarto duelo da série final da Conferência Oeste da NBA, liga norte-americana de basquete. Em um confronto maluco, de altos e baixos das duas equipes, os Rockets conseguiram sobressair nos últimos lances para triunfarem por 95 a 92. Agora, está tudo igual novamente. Empatada em 2 a 2, a série segue na quinta-feira, às 22h (de Brasília), mas dessa vez em Houston.

James Harden terminou como cestinha do jogo, com 28 pontos, três a mais que Stephen Curry. Green pegou 12 rebotes para os donos da casa, um a mais que Capela, para os Rockets. Nas assistências, Green, com oito, também liderou a estatística. Harden distribuiu quatro para o seu time.

James Harden foi o cestinha do jogo da casa dos Warriors (Foto: Noah Graham/AFP)

No primeiro quarto, o Golden State dominou todas as ações do jogo e praticamente não deixou o adversário jogar. A equipe conseguiu fazer 12 pontos no inicio do jogo, antes do Rockets pontuar pela primeira vez. Este período terminou com a equipe da casa na frente: 28 a 19.

Apesar de começar o segundo quaro muito bem, a equipe do Warriors caiu muito de produção e sofreram a virada. Com James Harden e Chris Paul inspirados, os visitantes conseguiram reverter o placar e chegaram a abrir 10 pontos de vantagem. Os Rockets terminaram com sete pontos de vantagem: 53 a 46.

A instabilidade era a marca dos dois times na partida. Ninguém conseguia se manter e a prova disso foi um terceiro quarto totalmente diferente, de novo com o Golden State avassalador e com os Rockets apáticos. Conclusão, vitória parcial de 34 a 17 para os donos da casa.

Dessa forma, o último quarto do jogo chegou para definir tudo. Era a hora da verdade e ninguém conseguia abrir uma vantagem confortável. Restando pouco mais de cinco minutos para o fim, o placar marcava o empate em 85 a 85. E justamente no momento defensivo o Golden State viu seus astros, falharem.

Jordan Bell errou lance livre, Stephen Curry não acertou da linha dos três pontos e Kevin Durant também não colocou a bola na cesta de longe. James Harden, por outro lado, de bandeja, fez os Rockets líderes de novo.

A pressão e o drama foram até o final, ponto a ponto, mas os visitantes conseguiram controlar a vantagem mínima e levaram o jogo por 95 a 92, com 25 a 12 no último período.

Bauru conseguiu controlar o Paulistano e bolas de três do time da capital.

Bauru Basket respirou aliviado e, na noite desta sexta-feira, apenas dois dias após tomar uma surra de 31 pontos na capital, venceu o Paulistano por 82 a 75, no ginásio Panela de Pressão, em Bauru, e empatou a série semifinal do NBB 10 em 2 a 2. Com isso, uma das vagas na grande decisão será definida na próxima segunda-feira, às 19h30, em duelo marcado para o ginásio Antonio Prado Jr., a casa do Paulistano. 

 
Melhores momentos: Bauru 82 x 75 Paulistano pelo NBB 2018
Bauru 82 x 75 Paulistano pelo NBB 2018

Para chegar ao triunfo, o Bauru, que ganhou o desfalque de Duda Machado ainda no vestiário, precisou se acertar na defesa para segurar a “metralhadora” vermelha e branca do técnico Gustavinho de Conti, e também contar com algumas surpresas em quadra. A da noite foi o ala Isaac, cestinha do jogo com 22 pontos, mesma pontuação do armador Yago.

Ao contrário do que aconteceu no Jogo 3, quando o Paulistano atropelou o Bauru com um aproveitamento assombroso nos tiros de três, o time da capital começou o jogo com dificuldade nos tiros longos, com índices inferiores a 30%. Isso fez com que Bauru assumisse a frente do marcador, mas sem conseguir abrir grande vantagem.

 
Anthony anotou 12 pontos, mas acabou excluído da partida no último período após a quinta falta  (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
Anthony anotou 12 pontos, mas acabou excluído da partida no último período após a quinta falta (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
 Os dois treinadores, então, começaram um jogo de xadrez, com diversas mudanças na configuração tática. Gustavinho de Conti, do Paulistano, e Demétrius Ferracciú fizeram opções por times mais rápidos e menos “pesados”. O primeiro chamou Yago e Deryk, enquanto o segundo deixou em quadra os baixinhos Anthony e Stefano. Mesmo zerado no perímetro – errou as cinco tentativas de três –, Bauru foi melhor e fechou o primeiro quarto na frente: 18 a 16.

Para tentar mudar as estatísticas, Jaú abriu o segundo período com um tiro de três pontos para Bauru. E a parcial começou marcada por um duelo de bolas de três. Quando Deryk anotava para o time da capital, Anthony respondia na mesma moeda para os anfitriões.

Mas nesse duelo, Deryk começou a despontar e, faltando 4’50, o Paulistano passou à frente pela primeira vez (29 a 28). Anthony reagiu na reta final, fez sete pontos na parcial, um a menos que Deryk, e ajudou o Bauru a repetir o placar do 1º período (18 a 16) e ir aos vestiários com quatro pontos de vantagem: 36 a 32.

 
Matulionis fechou a partida com quatro rebotes e três assistências  (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
Matulionis fechou a partida com quatro rebotes e três assistências (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)

Na volta do intervalo, Jhonatan acertou uma de três, Deryk mandou mais uma, Lucas Dias foi no embalo, e a sequência deixou o torcedor bauruense apreensivo com uma eventual reedição do atropelo do Jogo 3, construído a partir do perímetro.

 

Mas a artilharia dos visitantes seguiu cruel, e quando Yago anotou seu décimo ponto na parcial e o Paulistano abriu frente (56 a 52), Demétrius parou o jogo para tentar reverter a situação. E conseguiu: Bauru apertou a defesa, parou o ataque do Paulistano, que mesmo assim venceu a parcial (24 a 21) e baixou a diferença para apenas um ponto: 57 a 56.

 
Bauru conseguiu controlar o Paulistano e bolas de três do time da capital  (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)
Bauru conseguiu controlar o Paulistano e bolas de três do time da capital (Foto: Victor Lira/Bauru Basket)

No quarto final, Bauru entrou mais determinado na defesa e conseguiu manter uma vantagem que, até a metade da parcial, jamais passou dos quatro pontos. O jovem armador Yago, porém, seguia comandando o time da capital, ora com sua velocidade alucinante, ora com sua mão certeira do perímetro. Um momento de tensão foi a exclusão de Anthony com cinco faltas, a sete minutos do fim.

O Bauru, porém, soube manter a frieza e o jogo consistente na defesa. Também passou a contar com pontos valiosos de Renan Lenz, que voltou de contusão após quase um mês. Apesar de só ter pontuado no último período, teve papel fundamental na defesa. No fim, nova vitória parcial bauruense (25 a 19), que garantiu o triunfo por 82 a 75 e a realização do quinto jogo para o desempate.

 

 

globoesporte.globo.com

Mais Artigos...

Página 1 de 3