Dourados-MS,
BANNER 1 - Camra-15-09- (1000X90)

Foi com bronca da torcida, mas o Palmeiras está nas quartas de final da Copa do Brasil. No Allianz Parque, o Verdão permitiu que o América-MG saísse na frente com Serginho e foi para o intervalo sob vaias. Na etapa final, Willian marcou o gol 200 do Alviverde na Arena e, por ter vencido o duelo em Belo Horizonte, o Palestra garantiu a classificação com o empate por 1 a 1.

O adversário do Palmeiras será decidido em sorteio na próxima qunita-feira, no Rio de Janeiro. Pelo Brasileirão, o Verdão enfrenta o Sport, sábado, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque. Já o Coelho recebe o São Paulo, domingo, às 19h, no estádio Independência.

O Palmeiras entrou em campo em ritmo lento. A maioria diria que o compasso era de treino, mas quem acompanha as atividades de Roger Machado na Academia de Futebol sabe que é justamente o contrário: “treina como joga, e joga como treina”.

O fato é que o Verdão não fez um primeiro tempo de quem tinha apenas um gol de vantagem na partida mata-mata. Sem contar com Dudu e Borja, nas listas de 35 convocados para a Seleção Brasileira e colombiana, respectivamente, o Palestra teve Deyverson no comando de ataque, com Willian sendo deslocado para o lado direito.

Bigode brigou muito na frente, mas não conseguiu aparecer bem no ataque, enquanto Deyverson mostrou falta de intimidade com a bola em quase todos os lances. O América-MG, por sua vez, esteve bem armado por Enderson Moreira e, mesmo precisando de ao menos um tento, não se lançou ao ataque, povoou o meio-campo e não deu espaços para os mandantes.

Se Deyverson não foi bem pelo Alviverde, Rafael Moura mostrou categoria e consciência tática. Aos 37 minutos, o camisa 9 deixou a área para ajudar na construção da jogada, deu lindo passe para Carlinhos e permitiu a entrada de Serginho pelo meio. O camisa 10 recebeu livre do lateral e rolou para as redes. Assim, pela segunda vez em três jogos, o Palmeiras terminou o primeiro tempo vaiado no Allianz Parque.

Após o intervalo, Guerra entrou na vaga de Deyverson. Com o anúncio da substituição no Allianz, a torcida vibrou como se fosse um gol (especialmente quando o locutor avisou que era o centroavante quem sairia). Em seguida, a principal organizada do clube emendou: “Raça Verdão, você é tradição”.

A saída de Deyverson melhorou o Palmeiras. A entrada de Guerra nem tanto. Tentando pressionar desde o primeiro minuto da etapa final, o Palmeiras pecou demais nos erros de passes. Pouco depois, Lucas Lima deixou o campo vaiado para dar lugar a Hyoran.

Coincidentemente ou não, o empate veio logo em seguida. Bruno Henrique deu linda virada de jogo para Marcos Rocha, que ajeitou de cabeça para Willian. Bigode também testou a bola, desviou muito bem em um lance difícil, e mandou para as redes de João Ricardo, anotando o gol 200 do Palmeiras no Allianz Parque.

Com o duelo empatado, o América-MG se lançou ao ataque e levou perigo. Roger ainda sacou Willian para a entrada do garoto Papagaio, mas o Verdão não conseguiu reter a bola e chegou a passar sufoco. Mesmo assim, o time soube sofrer e garantiu a classificação.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 1 AMÉRICA-MG

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 23 de maio de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
Público: 22.821 torcedores
Renda: 1.241.521,90

Cartões amarelos: Lucas Lima e Felipe Melo (PALMEIRAS); Leandro Donizete e Aderlan (AMÉRICA-MG)

GOLS
AMÉRICA-MG: Serginho, aos 37 minutos do primeiro tempo
PALMEIRAS: Willian, aos 18 minutos da etapa final

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Edu Dracena, Antônio Carlos e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Hyoran); Keno, Willian (Papagaio) e Deyverson (Guerra)
Técnico: Roger Machado

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Norberto (Marquinhos), Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos; Leandro Donizete e Juninho; Aderlan, Serginho (Ruy) e Luan; Rafael Moura (Aylon)
Técnico: Enderson Moreira

O garoto Vinícius Júnior foi titular do Flamengo na Argentina (Foto; Eitan Abramovich/AFP)

Já classificados para a próxima fase da Copa Libertadores da América, River Plate e Flamengo empataram sem gols em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. Assim, o time argentino terminou em primeiro lugar no grupo 4, com 12 pontos ganhos, enquanto o rubro-negro carioca ficou com 10 pontos ganhos, na segunda colocação. Os dois times ainda estão invictos na competição sul-americana.

O jogo teve poucos momentos de emoção, quase todos por conta do River Plate que chegou a mandar uma bola no travessão nos minutos finais. O Flamengo entrou mais preocupado com a defesa e pouco ameaçou o gol defendido por Armani. O goleiro Diego Alves mostrou muita insegurança e cometeu algumas falhas que poderiam ter causado a derrota do time brasileiro, se os atacantes do River Plate estivessem numa noite inspirada.

O garoto Vinícius Júnior foi titular do Flamengo na Argentina (Foto; Eitan Abramovich/AFP)

O jogo 
O River Plate chegou com perigo na área do Flamengo antes do primeiro minuto com um chute de Scocco que foi facilmente defendido por Diego Alves.

O time argentino ficava mais tempo com a bola, enquanto o time carioca tentava imprimir velocidade nas jogadas de ataque. Aos sete minutos, o Flamengo criou sua primeira boa chance para marcar.Lucas Paquetá bateu forte, Armani deu rebote, Éverton Ribeiro chutou prensado com a zaga e a bola sobrou para Vinicius Júnior que mandou por cima do travessão.

A partida ficou equilibrada com as duas equipes buscando a marcação do gol, mas encontrando dificuldades por causa da boa marcação das defesas.

Mesmo atuando fora de casa. a equipe dirigida por Maurício Barbieri mostra mais vontade de atacar. Aos 19 minutos, o lateral Renê tentou achar Henrique Dourado na área, mas o goleiro Armani saiu bem e ficou com a bola.

Aos 23 minutos, Fernández investiu em direção à área carioca e foi derrubado por Paquetá; Ele mesmo cobrou a falta e Montiel cabeceou por cima do gol. O River Plate se animou com a jogada e com o apoio da torcida, tentou fazer pressão contra a defesa rubro-negra.

Depois dos 30 minutos, a partida caiu de nível com as duas equipes se preocupando mais com a marcação do que com a organização dos ataques.

Aos 42 minutos, o River Plate construiu sua primeira grande jogada de ataque. Palacios cruzou na área, a bola passou por todo mundo e caiu nos pés de Fernández que lançou Scocco na área,mas a conclusão do atacante encobriu o travessão defendido por Diego Alves.

No último lance importante do primeiro tempo, aos 45 minutos, Rodinei cruzou da direita e a bola passou por quatro jogadores rubro-negros na área argentina, sem que ninguém conseguisse encostar o pé na bola.

As duas equipes voltaram sem modificações para o segundo tempo. E o jogo recomeçou com um ataque perigoso do River. Scocco recebeu na esquerda, derivou para o meio e soltou a bomba. A bola passou muito perto da trave direita.

A equipe da casa se comportava de modo mais agressivo e, aos 11 minutos, Saracchi cruzou e Scocco cabeceou por cima.

Sem muitas ambições, o Flamengo apenas tocava a bola sem incomodar a defesa do time argentino. Só aos 25 minutos é que a equipe rubro-negra voltou a aparecer na área portenha. Henrique Dourado recebeu na área, se livrou do marcador e concluiu forte, mas a bola saiu.

O jogo era de baixo nível técnico com as duas equipes sem demonstrar muito interesse pela vitória. Aos 32 minutos, Lucas Pratto, pouco participativo, recebe lançamento na área e chuta sem levar perigo para Diego Alves.

Aos 35 minutos, o goleiro do Flamengo errou ao tentar colocar a bola em jogo com os pés e acabou fazendo um passe para Scocco que demorou a concluir e permitiu que Diego Alves consertasse o erro, fazendo uma boa defesa.

Aos 44 minutos, após cruzamento na área, Diego Alves saiu mal e a bola sobrou para Borré que, de voleio, manda a bola no travessão, no último lance importante da partida.

FICHA TÉCNICA
RIVER PLATE 0 X 0 FLAMENGO

Local: Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires (Argentina)
Data: 23 de maio de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)
Assistentes: Mauricio Espinosa (Uruguai) e Nicolás Taran (Uruguai)
Cartões amarelos: Nacho Fernández, Scocco, Enzo Pérez, Maidana (River) ; Lucas Paquetá, Jean Lucas(Fla)

RIVER PLATE: Armani, Montiel, Maidana, Pinola e Saracchi; Ponzio, Enzo Pérez, Palacios (Rojas) e Nacho Fernández; Scocco (Mora) e Lucas Pratto (Borré)
Técnico: Marcelo Gallardo

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Rhodolfo, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro e Jean Lucas (Jonas); Vinicius Júnior (Marlos Moreno) e Henrique Dourado (Lincoln)
Técnico: Maurício Barbieri

Foto - Divulgação

Depois de vencer o jogo de ida por 2 a 1, o Palmeiras irá enfrentar o América-MG no segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Allianz Parque. O Verdão tem a vantagem de um empate para garantir a classificação na próxima fase da competição, enquanto o Coelho precisa ganhar o confronto por dois gols de diferença para seguir na competição. Uma vitória dos mineiros por um gol de diferença leva a partida para a decisão de pênaltis.

Sem perder há 14 anos no Palestra Itália – juntando o antigo estádio e a nova casa – na Copa do Brasil (19 jogos com 13 vitórias e seis empates), o Alviverde chega para o duelo de uma sequência de duas vitórias. Já os comandados de Enderson Moreira ganharam do Botafogo no último final de semana por 1 a 0.

Principal candidato para substituir Borja – que foi defender a seleção colombiana – como centroavante, Willian destacou a força do Palmeiras como mandante, mas lembrou que é preciso respeitar o América-MG.

“Não tenha dúvida, temos um fator casa muito forte, diante de nosso torcedor, e que isso venha prevalecer amanhã. Claro que com muito respeito ao América-MG. Mesmo vencendo na casa deles, onde eles não perdiam há muito tempo, não tem nada definido. Temos que entrar concentrados. Contamos com o apoio do nosso torcedor para fazer uma grande partida e coroar com uma grande classificação”, afirmou.

O Verdão deverá manter a equipe titular para a partida, contudo algumas mudanças podem ser feitas caso o treinador Roger Machado queira poupar seus atletas. Único desfalques certos são o centroavante Borja e o meia Moisés, que se recupera de lesão muscular. Além disso, Tchê Tchê foi vendido para o Dynamo Kiev.

Já no lado do Coelho, Enderson Moreira não poderá contar com os zagueiros Rafael Lima e Lima, o meia Matheusinho e o volante Zé Ricardo, todos fazendo tratamento junto ao departamento médico. Com pouco tempo para treinamentos, o técnico passou vários vídeos mostrando o que quer de seus comandados. Em campo, o último trabalho foi focado em troca de passes em campo reduzido e finalizações.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X AMÉRICA-MG

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 23 de maio de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Edu Dracena, Antônio Carlos e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Keno, Willian e Dudu
Técnico: Roger Machado

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Norberto, Matheus Ferraz, Messis e Giovanni; Leandro Donizete, Juninho e Serginho; Luan, Aderlan e Rafael Moura
Técnico: Enderson Moreira

 

 

Gazeta Esportiva

Lucas Silva marcou o segundo gol da noite (Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

Tanto Cruzeiro quanto Racing já entraram em campo, na noite desta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), já classificados para a próxima fase da Copa Libertadores. O duelo então ocorreu para definir quem seria o líder e quem teria menos vantagens na próxima etapa do torneio continental. A vitória do clube mineiro, por 2 a 1 – placar apertado – deu ao time azul a possibilidade de avançar na primeira colocação, com 11 pontos conquistados, a mesma quantidade da agremiação argentina – separados pelos critérios de desempate.

Durante a semana, o técnico Mano Menezes argumentou que era importante vencer para passar para a próxima fase com as vantagens. Nos olhos do treinador cruzeirense, no entanto, outro pensamento era destaque: fugir dos brasileiros na segunda fase.

A vitória da Raposa passou, sobretudo, pela intensidade nos primeiros 15 minutos do primeiro tempo. O Cruzeiro não deu espaços, não deu tempo, não deu possibilidades. Um gol aos 2 minutos de jogo, com Thiago Neves, e outro aos 8 garantiram a vantagem no placar. Aos 27, Centurion descontou.

Primeiro tempo

O técnico Mano Menezes levou para o vestiário algumas dúvidas sobre a escalação. Elas foram esclarecidas com a relação passada a imprensa. O meia Thiago Neves foi para o duelo, fora há mais de duas semanas. Na direita, Lucas Romero ficou no lugar de Edilson que ainda está recuperando. Em contrapartida, Mano perdeu Rafinha, com desconforto muscular.

O Cruzeiro não deu tempo para o Racing respirar. Logo no segundo minuto de jogo, Thiago Neves conseguiu mandar para o fundo das redes. A jogada iniciou com Robinho que lançou para Sassá. Na linha de fundo, o atacante colocou na área para o camisa 30 marcar o tento.

A intensidade cruzeirense seguiu. Dois minutos depois, Thiago Neves enfiou para Sassá e o atacante, na cara do gol, tentou o toque por cima, mas errou. Após o lance, o centroavante ficou sentindo dores.

Na medida que o Cruzeiro teve intensidade em campo, a torcida, nas arquibancadas, gritava com a maior força do mundo, fazendo o barulho chegar longe do Mineirão, aos bairros vizinhos à Pampulha.

Aos 10 minutos, o Cruzeiro conseguiu mais um. Lucas Silva, no meio campo, roubou a bola e driblou adversários. Ele chutou forte, a redonda chorou no canto e morreu nas redes do Mineirão.

O Cruzeiro seguiu intenso, mesmo com 2 a 0 de frente. A forte presença no ataque dificultava a saída de bola do Racing.

Após os 20 minutos, o Racing começou a trocar passes, gostar mais do jogo, tentar algo além na partida. O time argentino usava sua experiência para trocar passes e dar mais tranquilidade – a seu favor – na partida.

Aos 27, o Racing marcou seu primeiro gol. Solari fez jogada na direita e cruzou. A zaga rebateu e a redonda sobrou para Centurión, sozinho. Ele bateu de primeira, sem chances para Fábio.

Após o tento, o Racing foi pra cima. O Cruzeiro caiu de rendimento em campo e, embora ainda criasse alguma chance aqui e ali, o clube visitante era mais potente.

Aos 38, em um erro na defesa cruzeirense, o Racing conseguiu infiltrar. Solari saiu na cara de Fábio, sozinho e finalizou. Ele tentou a jogada de classe e a redonda parou na trave.

Até o fim do primeiro tempo, algumas jogadas foram criadas, mas nada que alterasse o placar.

Segundo tempo

O duelo voltou bastante igual para a etapa complementar. A diferença para a etapa inicial era que a Raposa não tinha tanta intensidade como no começo do jogo.

O técnico Mano Menezes observou que a equipe azul não tinha tanta força como em outros momentos e tratou de fazer as substituições necessárias. Na vaga de Thiago Neves, Rafael Sóbis foi para o jogo. No lugar de Robinho, Bruno Silva.

O Cruzeiro, porém, seguiu, ainda assim, um time mais lento na saída de bola. O Racing conseguia controlar o meio de campo em vários momentos e dificultava para a Raposa.

Aos 41 o Racing teve uma grande oportunidade. No momento da finalização, porém, Rafael Sóbis apareceu para tirar. No contra-ataque, Bruno Silva recebeu na frente e quase ampliou.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 1 RACING

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 22 de Maio de 2018, Terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Oscar Rojas

Gols: Thiago Neves, aos 2 minutos do primeiro tempo, Lucas Silva, aos 10 minutos do primeiro tempo (Cruzeiro); Centurion, aos 27 minutos do primeiro tempo (Racing)
Cartões: Barbieri, Solari, Lautaro Martinez, Gonzalez (Racing); Robinho, Léo, Lucas Romero (Cruzeiro)

CRUZEIRO – Fábio, Lucas Romero, Dedé, Léo, Egídio, Henrique, Lucas Silva, Thiago Neves (Rafael Sóbis), Arrascaeta, Robinho (Bruno Silva) e Sassá (Raniel).
Técnico: Mano Menezes.

RACING – Juan Musso, Pillud, Barbieri (Orban), Donatti, Alexis Soto, Diego González, Neri Cardozo (Mansilla), Augusto Solari (Zaracho), Ricardo Centurion, Lisandro Lopez, Lautaro Martinez.
Técnico: Eduardo Coudet.

Grêmio e Cerro Porteño entraram em campo na noite dessa quarta-feira classificados, mas em briga direta pela liderança do grupo 2 da Copa Libertadores. Simultaneamente, o Tricolor o Gaúcho encarou o Defensor-URU em Porto Alegre, enquanto os paraguaios enfrentaram o Monágas-VEN em Assunção. No fim, deu tudo certo para os brasileiros. O Cerro até fez a sua parte e superou os venezuelanos por 3 a 2, mas graças a um gol de Luan, o Grêmio venceu os uruguaios por 1 a 0.

Os resultados válidos pela sexta e última rodada da primeira fase no grupo 2 confirmaram os gremistas classificados na ponta, com 14 pontos. Além disso, o time de Renato Portaluppi ficou com o segundo lugar na classificação geral, atrás apenas do Palmeiras, que somou 16 pontos. Com isso, o Tricolor só não decidirá em casa um duelo de mata-mata nessa edição da competição continental se o adversário for os alviverdes paulistas.

O Cerro Porteño fechou sua campanha inicial com 13 pontos e também avança às oitavas de final. Apesar de ter marcado apenas quatro pontos, o Defensor migra à Copa Sul-Americana, pois o Monágas foi ainda pior, com três pontos.

Luan marcou o gol do Grêmio em chute de fora da área (Foto: Itamar Aguiar/AFP)

Para quem enfrentou o frio e foi apoiar o Grêmio in loco nessa quarta, o resultado valeu muito mais a pena do que qualquer outra coisa. A partida foi dura de assistir. Com os visitantes dispostos apenas a marcar no campo defensivo, sem sequer arriscar algum contra-ataque, o duelo virou um ‘treino’ de ataque contra defesa, em que os mandantes sofriam para encontrar os espaços.

Dessa forma, o primeiro tempo passou sem deixar saudade. Na segunda etapa, quando o marasmo tomava conta do ritmo, Luan resolveu arriscar de fora da área. Com um chute rasante, firme, o camisa 7 acertou o canto esquerdo do goleiro Gastón Rodríguez, que demorou para se jogar na bola e acabou vazado.

E assim o Grêmio fechou a conta, satisfeito, sem se preocupar com o desempenho, que na noite dessa quarta-feira acabou comprometido pela postura do adversário e também pelo fato do time ter entrado em campo já com a classificação garantida.

Agora, Renato Portaluppi prepara sua equipe para o jogo contra o Ceará, em Fortaleza, marcada para às 19 horas (de Brasília) de domingo, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 x 0 DEFENSOR-URU

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS), Brasil
Data: 23 de maio de 2018, quarta-feira
Horário: 19h15 (horário de Brasília)
Árbitro: Nicolas Gallo (Colômbia)
Assistentes: Humberto Clavijo e Dionísio Ruíz (Colômbia)
Cartões amarelos: Bressan, Ramiro, Luan, Maicon (Gre); Carrera, Cougo, Cabrera, Benavídez, Suárez (Def)
Público: 18.051 total

GOL
Grêmio:
 Luan, aos 20 minutos do 2T

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura, Bressan, Kannemann e Marcelo Oliveira (Paulo Miranda); Maicon, Cícero, Ramiro, Luan e Maicosuel (Lima); Thonny (Thaciano)
Técnico: Renato Gaúcho

DEFENSOR: Gastón Rodríguez; Santiago Carrera, Nicolás Correa, Gonzalo Maulella e Mathiás Suárez; Cougo, Cardacio, Rabuñal (Pablo López), Cabrera e Carlos Benavídez (Facundo Castro); Waterman (Germán Rivero)
Técnico: Eduardo Acevedo

Foto - Divulgação

Em choque de dois times já classificados para as oitavas de final da Copa Libertadores, o Flamengovisita o River Plate nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, na Argentina, pela última rodada do Grupo D da competição continental. Os argentinos lideram com 11 pontos, dois a mais que os brasileiros, que só se garantem em primeiro caso conquistem os três pontos.

A primeira colocação do grupo garante ao Flamengo a oportunidade de jogar a segunda partida das oitavas de final dentro de casa, com o apoio da torcida Rubro-Negra. Por isso, os jogadores acreditam que existe uma pressão pelo triunfo na Argentina.

Flamengo precisa de uma vitória para garantir o primeiro lugar do grupo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

“No Flamengo a pressão sempre vai existir. Pois sempre temos que ganhar e somos cobrados por isso, pelo que o clube representa. Conseguimos tirar um peso importante com a vaga nas oitavas de final, mas vamos em busca de um triunfo diante do River Plate”, disse o zagueiro Rhodolfo.

O técnico Maurício Barbieri, que no sábado viu seu time perder a liderança do Campeonato Brasileiro ao empatar por 1 a 1 com o Vasco, quer sua equipe jogando com inteligência em território argentino.

“O Flamengo sabe que vai ser um jogo muito nervoso e decidido nos detalhes. Vamos precisar colocar em prática aquilo que fizemos ao longo dos bons resultados recentes. Jogando com determinação, impondo a nossa maneira e valorizando a posse de bola”, disse o treinador.

Para escalar o time, Barbieri deve ter alguns problemas e mudanças serão promovidas. Na zaga, Réver, com dores no ombro direito, e Juan, com lesão muscular na coxa direita, ficam de fora. Assim, Rhodolfo e Léo Duarte vão compor o setor. Sem Diego, suspenso por acúmulo de cartões amarelos, Geuvânio seria usado no meio-de-campo como substituto, mas ele sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo no último treino antes do jogo e sequer viajou com a delegação. O colombiano Marlos Moreno então herda o posto.

Pratto é uma das esperanças de gol do River Plate na Libertadores (Foto: Juan Mabromata/AFP)

Pelo lado do River Plate, o técnico Marcelo Gallardo deixou claro a seus jogadores o que representa um triunfo nesta quarta-feira. “Para nós é muito importante uma vitória, pois assim vamos acabar com uma pontuação bem satisfatória na primeira fase, já projetando os compromissos complicados a partir das oitavas de final. O Flamengo é um grande adversário, mas temos condições de anotar um triunfo”, pontuou.

Mesmo convocado pelo técnico da seleção argentina para a Copa do Mundo, o goleiro Franco Armani estará em campo, pois foi liberado pela Associação de Futebol Argentino (AFA). Mas as principais esperanças do time recaem na dupla de ataque, composta por Ignacio Scocco e Lucas Pratto.

No primeiro turno da fase de grupos as duas equipes se enfrentaram no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), e naquela ocasião houve um empate por 2 a 2 com o Flamengo atuando sem a presença de sua torcida, punida pelas cenas de vandalismo vistas na final da Copa Sul-Americana. Naquela ocasião, Henrique Dourado e Everton, hoje no São Paulo, anotaram os gols brasileiros, com Mora e Mayada garantindo a igualdade.

FICHA TÉCNICA
RIVER PLATE-ARG X FLAMENGO-BRA

Local: Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires (Argentina)
Data: 23 de maio de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 21h45(de Brasília)
Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)
Assistentes: Mauricio Espinosa (Uruguai) e Nicolás Taran (Uruguai)

RIVER PLATE: Franco Armani, Gonzalo Montiel, Camilo Maidana, Martínez Quarta e Marcelo Saracchi; Leonardo Ponzio, Enzo Pérez, Exequiel Palacios e Nacho Fernández; Ignacio Scocco e Lucas Pratto
Técnico: Marcelo Gallardo

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Rhodolfo, Léo Duarte e Renê; Gustavo Cuéllar, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro, Marlos Moreno e Vinicius Júnior; Henrique Dourado
Técnico: Maurício Barbieri

Emelec X Independiente Santa Fé

Emelec e Independiente Santa Fe se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio George Capwell, em Guayaquil, no Equador, pela última rodada do Grupo D da Copa Libertadores em um verdadeiro confronto direto. Os dois times já estão eliminados, mas lutam pela terceira posição, que garante uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana.

Atualmente o Emelec é o lanterna com um ponto, enquanto que o Santa Fe soma quatro pontos. Se ganhar por dois gols de diferença, o time equatoriano tira dos colombianos a terceira posição.

 

Gazeta Esportiva

Bruno Silva comemora seu gol pelo Vasco na casa do time chileno (Foto: Claudio Reyes/AFP)

O Vasco derrotou a Universidad de Chile por 2 a 0 , em partida disputada na noite desta terça-feira, em Santiago, e garantiu uma vaga na Copa Sul-Americana. Foi a primeira vitória da equipe cruz-maltina na fase de grupos da Libertadores e o resultado colocou o time de São Januário no terceiro lugar do Grupo 5 com cinco pontos ganhos, mesma pontuação do adversário, mas o Vasco levou vantagem sobre o conjunto chileno no saldo de gols. Bruno Silva, no primeiro tempo, e Yago Pikachu, na segunda etapa, anotaram os gols.

O Vasco soube jogar com inteligência para conquistar a vaga. Depois de sair na frente do marcador, o time comandado por Zé Ricardo soube suportar uma forte pressão do adversário e depois liquidar o jogo no segundo tempo, sem dar chances de reação ao adversário. A Universidad teve mais posse de bola, mas não teve objetividade para chegar ao gol defendido por Martín Silva.

Bruno Silva comemora seu gol pelo Vasco na casa do time chileno (Foto: Claudio Reyes/AFP)

O jogo
Embora o Vasco necessitasse da vitória, foi a Universidad de Chile que assumiu o controle das ações nos primeiros minutos. Aos oito minutos, Soteldo investiu pela esquerda e rolou para Beausejour que cruzou para Pinilla, mas o atacante chileno não consegue a cabeçada. Um minuto depois, Soteldo repetiu a jogada e tentou achar Pinilla, mas a zaga cruz-maltina aliviou o perigo.

Depois de suportar a pressão inicial, o Vasco equilibrou a partida e, aos 14 minutos, marcou o primeiro gol. Andrés Rios recebeu na área e bateu forte. O goleiro De Paulo deu rebote e o volante Bruno Silva apareceu para empurrar a bola para o gol, colocando a equipe carioca na frente.

Dois minutos depois, Caio Monteiro experimentou de longe e De Paulo fez boa defesa.

O time chileno demorou a assimilar o golpe e só aos 18 minutos é que chegou na área adversária com a conclusão de Pinilla, mas Martín Silva defendeu sem qualquer dificuldade.

Três minutos, Rafael Vaz apanhou uma sobra na intermediária e mandou a bomba, mas Martín Silva espalmou para escanteio. Em desvantagem, a equipe da casa passou a pressionar o Vasco em busca do gol de empate.

Comandada pelo meia Soteldo, responsável pelas melhores jogadas, a Universidad pressionava em busca do empate, enquanto o Vasco se defendia bem e procurava espaços para contra-atacar.

Aos 33 minutos, Soteldo fez outra boa jogada pela esquerda e cruzou para Guerra que finalizou, mas a zaga salvou.
O Vasco só voltou a aparecer na área chilena aos 36 minutos com uma bomba de Wágner que assustou o goleiro De Paul, mas a bola saiu, levando perigo.

Um minuto depois, Martín Silva evitou o gol do empate ao bloquear chute de Pinilla, na pequena área, depois de bom lançamento de Soteldo.

Os dois times voltaram sem mudanças para o segundo tempo e a Universidad retornou com o mesmo ímpeto ofensivo, enquanto o Vasco encontrava dificuldades para construir jogadas ofensivas.

Aos dois minutos, Soteldo mandou a bomba que encobriu o travessão defendido por Martín Silva. O Vasco respondeu aos sete minutos, Wágner recebeu de Rafael Galhardo e mandou a bomba que passou muito perto da trave esquerda do time da casa. Dois minutos depois, Soteldo passou para Guerra que chutou forte, mas Martín Silva espalmou para escanteio.

O jogo ficou mais equilibrado e o Vasco quase ampliou aos 22 minutos em lançamento de Andrés Rios para Riascos, mas o atacante colombiano não alcançou a bola.

Aos 26 minutos, Wágner cobrou escanteio fechado, Riascos desviou de cabeça e Guerra, em cima da linha, evitou o segundo gol.

Para tornar o time mais ofensivo, Zé Ricardo trocou o volante Bruno Silva pelo atacante Kelvin. Aos 30 minutos, Rafael Vaz falhou e a bola sobrou para Andrés Rios que tentou o chute, mas foi bloqueado pela zaga.
A resposta chilena foi dada por Soteldo que bateu cruzado e levou grande perigo para o gol defendido por Martín Silva.

Aos 36 minutos, o Vasco marcou o segundo gol. Martín Silva lançou a bola, o zagueiro Jara errou ao tentar o corte e Yago Pikachu , de cabeça, encobriu o goleiro De Paul.

Depois de conseguir a vantagem, o técnico Zé Ricardo decidiu fechar sua equipe e colocou o zagueiro Erazo no lugar do atacante Andrés Rios.

Aos 43 minutos, Wágner desarmou um adversário e tocou para a entrada de Riascos que invadiu a área, se livrou do goleiro, mas tocou para fora, desperdiçando uma grande chance para liquidar a fatura.

Nos minutos finais, a Universidade partiu, de forma desesperada, para buscar o gol, mas o Vasco soube se defender e garantir o importante resultado.

FICHA TÉCNICA
UNIVERSIDAD DE CHILE 0 X 2 VASCO

Local: Estádio Nacional, em Santiago (Chile)
Data: 22 de maio de 2018 (Terça-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Público: 25.139 pagantes
Árbitro: Gery Vargas (Bolívia)
Assistentes: Edwar Saavedra (Bolívia) e Relly Vallejos (Bolívia)
Cartões amarelos: Echeverria(Univ); Breno, Caio Monteiro, Riascos(Vasco)

GOLS:
VASCO: 
Bruno Silva, aos 14 minutos do primeiro tempo e Yago Pikachu, aos 36 minutos do segundo tempo

UNIVERSIDAD DE CHILE: De Paul, Echeverria, Jara, Rafael Vaz e Beasejour; Rafael Carioca (Leiva), Seymour, Soteldo e Lorenzetti; Pinilla e Guerra (Diaz)
Técnico: Esteban Valencia

VASCO: Martín Silva, Rafael Galhardo, Breno, Werley e Fabrício; Desábato, Bruno Silva (Kelvin), Yago Pikachu e Wágner; Caio Monteiro (Riascos) e Andrés Rios (Erazo)
Técnico: Zé Ricardo

Mais Artigos...