Dourados-MS,
Parceiros?

Foto - Divulgação

O Fluminense recebe o Defensor do Uruguai nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), pelo confronto de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana. O time uruguaio estreia nesta etapa, pois chega após ser eliminado na fase de grupos da Copa Libertadores. Já o Tricolor eliminou o Nacional de Potosí graças a um triunfo por 3 a 0 em casa, sofrendo uma derrota de 2 a 0 na Bolívia.

Fazendo campanha irregular no Campeonato Brasileiro, competição onde aparece na parte intermediária da tabela de classificação após a derrota de 1 a 0 para o Ceará no fim de semana, o Fluminense vê no torneio continental a sua única chance real de título na temporada.

“Estamos encarando a Copa Sul-Americana com a importância que ela pede, ou seja, como uma competição que pode nos dar um título importante e por isso mesmo vamos tratar cada jogo como uma verdadeira decisão”, disse o volante Richard.

O fato de o adversário ser pouco conhecido dos brasileiros, parece não preocupar tanto os tricolores.

“Nós realmente conhecemos pouco o adversário, mas fizemos o trabalho de colheita de informações, pois sempre trabalhamos isso na comissão técnica. Independentemente de como o adversário joga, sabemos que precisamos fazer o resultado em casa”, disse o técnico Marcelo Oliveira.

Em termos de escalação o Fluminense ainda não sabe se poderá contar com o atacante Junior Dutra, que faz tratamento por conta de um edema na coxa esquerda. Se ele for vetado, Matheus Alessandro assume o posto. Os atacantes Luciano e Bryan Cabezas não foram inscritos na competição.

Pelo lado do Defensor, o técnico Eduardo Acevedo cobra personalidade de sua equipe para conseguir um resultado positivo no Rio de Janeiro. O objetivo do treinador é levar a definição para o choque de volta.

“Trata-se de um jogo muito complicado, pois sabemos a qualidade das equipes brasileiras. Mas temos que mostrar personalidade no Maracanã para fazermos um grande jogo e levarmos um bom resultado para a partida de volta, em nossa casa”, disse Acevedo.

Para este jogo o técnico do Defensor contará com o volante Matías Santos, contratado junto ao Vera Cruz do México e principal aquisição no semestre. O atacante Alvaro Navarro, ex-Botafogo e que estava no Puebla do México, foi inscrito, mas começa no banco de reservas.

No fim de semana o Defensor foi derrotado pelo Danúbio por 2 a 1 pelo Campeonato Uruguaio, onde aparece na oitava colocação. O duelo de volta entre as duas equipes será no dia 16 de agosto no Estádio Luis Franzini, em Montevidéu, no Uruguai.

Quem avançar deste confronto vai enfrentar nas oitavas de final o Deportivo Cuenca do Equador, que na noite de terça-feira eliminou o Jorge Wilstermann da Bolívia nos pênaltis após empate por 2 a 2 nas duas partidas.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE-BRA X DEFENSOR-URU

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 2 de agosto de 2018 (Quinta-feira)
Horário: 21h45(de Brasília)
Árbitro: Germán Delfino (Argentina)
Assistentes: Diego Bonfá (Argentina) e Cristian Navarro (Argentina)

FLUMINENSE: Júlio César, Gilberto, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Richard, Jadson, Mateus Norton e Junior Sornoza; Junior Dutra (Matheus Alessandro) e Pedro.
Técnico: Marcelo Oliveira

DEFENSOR: Guillermo Reyes, Emiliano Alvarez, Nicolás Correa e Ernesto Goñi; Mathías Suárez, Ramiro Cristóbal, Matías Santos, Mathías Cardacio e Ayrton Cougo; Pablo López e Germán Rivero
Técnico: Eduardo Acevedo

 

Gazeta Esportiva

O São Paulo inicia sua briga por uma vaga nas oitavas de final da Copa Sul-Americana nesta quinta-feira, contra o Colón, da Argentina, às 19h30 (de Brasília), no estádio do Morumbi. Para o duelo, válido pela segunda fase do torneio continental, o Tricolor não contará com força máxima, conforme o próprio técnico Diego Aguirre assegurou.

Após a sequência de quatro partidas dificílimas pelo Campeonato Brasileiro, a comissão técnica do São Paulo planeja poupar alguns atletas devido ao grande destaque acumulado nos últimos jogos. Ainda assim, Aguirre garantiu que manterá a mesma ‘espinha dorsal’ que vem dando resultado, abrindo mão apenas de “dois ou três jogadores”.

Já em relação ao Colón, que disputou apenas uma partida oficial desde o fim da pausa para a Copa do Mundo, o treinador uruguaio preferiu não se estender muito. Tendo de manter o ritmo de jogo apesar da falta de campeonatos, a equipe argentina vem se preparando apenas com amistoso, fato que não reduz a preocupação de Aguirre.

“Temos informações do Colón pelos últimos amistosos que fizeram. Não disputaram campeonatos, agora estão voltando a jogar, mas sei que eles são uma equipe muito dura, o treinador é muito bom. Temos que nos preparar para uma partida difícil, porque será assim”, afirmou.

Já pelo lado do Colón, que ficou com a última vaga para disputar a Copa Sul-Americana após terminar o Campeonato Argentino em 11º lugar, a expectativa é de tentar surpreender os donos da casa e garantir um resultado histórico. A equipe finalizou sua preparação para o confronto com o Tricolor logo ao lado do CT da Barra Funda, na Academia de Futebol do Palmeiras.

O duelo com o São Paulo marcará o reencontro de Clemente Rodríguez com seu antigo clube. O lateral-esquerdo, que ficou conhecido em seus tempos de Boca Juniors, permaneceu no Morumbi por mais de um ano e meio, contudo, nesse período entrou em campo apenas três vezes.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X COLÓN

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 2 de agosto de 2018, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Leodan Gonzalez (URU)
Assistentes: Miguel Nevas (URU) e Carlos Barreiro (URU)

SÃO PAULO: Sidão; Éder Militão, Bruno Alves (Arboleda), Anderson Martins e Reinaldo; Hudson, Liziero e Nenê (Lucas Fernandes); Everton (Brenner), Diego Souza (Gonzalo Carneiro) e Rojas
Técnico: Diego Aguirre

Colón: Leonardo Burián; Gustavo Toledo, Emanuel Oliveira, Guillermo Ortiz e Clemente Rodríguez ( Gonzalo Escobar); Cristian Bernardi, Matías Fritzler, Adrían Bastía e Marcelo Estigarribia; Alan Ruiz e Javier Correa
Técnico: Eduardo Dominguez

 

Gazeta Esportiva

O Grêmio empatou nesta quarta com o Flamengo por 1 a 1 na Arena pela primeira partida das quartas de final da Copa do Brasil. Após um começo de jogo que marcou forte o time carioca, o Tricolor Gaúcho acabou cedendo terreno para o Mengão. A equipe gremista abriu vantagem através de Luan, mas após recuar muito no segundo tempo não resistiu a pressão e permitiu a igualdade nos descontos com gol de Lincoln.

Como não tem saldo qualificado na competição um novo empate leva a decisão da vaga para os pênaltis. Uma vitória simples dará classificação tanto os cariocas e gaúchos. O jogo contou com a presença ilustre do técnico da Seleção Brasileira, Tite, que observou atletas para futuras convocações.

O jogo de volta entre Flamengo e Grêmio ocorre no dia 15, quarta, às 21h45(Horário de Brasília), no Maracanã. As duas equipes tem novo encontro neste sábado desta vez pelo Campeonato Brasileiro, às 19h(Horário de Brasília), na Arena.

Jogo

Logo com a saída de bola o Grêmio foi para cima do Flamengo. Com 01 minuto, Luan avançou e testou Diego Alves da entrada da área. Goleiro faz a defesa. O Tricolor Gaúcho marcou a saída de bola do Mengão dificultando o toque de bola. A primeira chegada mais perigosa do time carioca ocorreu, aos 09, quando Marlos Moreno deixou Geromel para trás, limpou a jogada e chutou de direita. Marcelo Grohe voou para fazer a defesa e colocou para escanteio.
Depois de um começo de pressão gremista, a equipe carioca conseguiu ficar mais com posse de bola.

Os dois sistemas defensivos prevalecem sobre os ataques. Aos 29, sem espaço para criar jogadas, o Grêmio seguiu arriscando de fora da área. Agora, é a vez de Cícero, que levou perigo ao gol de Diego Alves. Um minuto depois veio a resposta do Flamengo através de Rodinei que recebeu do lado esquerdo. Ele foi para cima de Marcelo Oliveira, limpou a jogada e chutou de esquerda. A bola desviou em Kannemann, e Marcelo Grohe voou para fazer linda defesa.
Com dificuldade de entrar na área, Cícero mais uma vez, aos 31, arriscou de longe. Diego Alves espalmou para escanteio. Aos 35, Diego levantou, Paquetá dominou, e a zaga do Grêmio afastou para escanteio. Na cobrança, Cuéllar finalizou e Grohe fez defesa segura.

Em jogada envolvente pelo lado direito, aos 37, Léo Moura passou por Marlos, tabelou com Ramiro e rolou na medida para Luan que escorou de primeira para o fundo da rede. Esse foi o gol de número 300 da equipe gremista na Arena.
Foi uma disputa de xadrez nessa etapa inicial com o Grêmio melhor nos primeiros minutos e logo na sequência o Flamengo tomou conta das ações da partida. Mas na reta final do primeiro tempo, o Tricolor Gaúcho retomou o controle do jogo e chegou ao gol numa linda jogada.

O Grêmio recuou as suas linhas defensivas e apostou nas jogadas de contra-ataque no segundo tempo. Por sua vez, o Flamengo tem mais a posse de bola, porém sem sucesso não conseguiu encontrar espaços. Um velho conhecido dos Colorados fez a sua estreia com a camisa do time carioca, o atacante Vitinho entrou no lugar de Marlos Moreno.
Mais uma vez o centroavante André tem uma atuação apagada e acabou sendo substituído por Jael que foi muito aplaudido pela torcida gremista. Sem poder de penetração na área, o Mengão apelou para chutes de fora da área. Enquanto os comandados de Renato Portaluppi não conseguiram encaixar uma jogada de contra-ataque.

Para chegar ao empate, a equipe carioca explorou as jogadas realizadas por Vitinho. Entretanto mesmo virando o jogo de um lado para o outro, o Flamengo seguiu sem penetrar na área gremista. Muito recuado o Grêmio tratou de administrar a vantagem e não levou perigo a meta de Diego Alves.

A reta final de partida tem pressão do Mengão que quase chegou ao empate. Aos 41, Lucas Paquetá chamou a responsabilidade e faz fila pela esquerda. Camisa 11 entrou na área e chutou forte para mais uma boa defesa de Marcelo Grohe. Aos 44, Cuéllar se soltou, pedalou dentro da área, limpou a jogada e cruzou para Diego no segundo pau. Camisa 10 subiu, com Grohe praticamente batido, cabeceou para fora. De tanto insistir o Flamengo de forma justa conseguiu a igualdade. Aos 48, Renê tabelou bonito com Everton Ribeiro, vai até o fundo e cruzou para Lincoln escorar de primeira.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 x 1 FLAMENGO

Local: Arena, em Porto Alegre-RS
Data: 01/08/2018, Quarta-feira.
Horário: 21h45 (Horário de Brasília)
Árbitro de Campo: Raphael Claus – FIFA/SP – Cursos CBF 2017/18
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho – FIFA/TA e Marcelo Carvalho Van Gasse – FIFA/TA
VAR: Rafael Traci – Cursos CBF 2017/18, Alex Ang Ribeiro – Cursos CBF 2017/18 e Luiz Flavio de Oliveira – FIFA/TA
Renda: R$ 1.919.531,00
Público: 40.075 (37.358 pagantes)

Gols: Luan (Grêmio), aos 37 minutos do primeiro tempo e Lincoln (Flamengo), aos 48 minutos do segundo tempo.

Grêmio: Marcelo Grohe, Léo Moura (Leonardo Gomes), Pedro Geromel, Walter Kannemann e Marcelo Oliveira; Maicon, Cícero, Ramiro, Luan e Everton (Marinho); André (Jael).
Técnico: Renato Gaúcho

Flamengo: Diego Alves, Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Gustavo Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Marlos Moreno (Vitinho); Fernando Uribe (Lincoln).
Técnico: Maurício Barbieri

O Cruzeiro venceu o Santos por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Com o resultado fora de casa, a Raposa pode avançar à semifinal com um empate no dia 15, no Mineirão.

Na reestreia do técnico Cuca no Peixe, Mano Menezes mostrou que comanda uma equipe letal. O Cruzeiro não foi vistoso, mas ofereceu poucos espaços ao alvinegro e fez o gol da vitória no melhor momento dos donos da casa no segundo tempo, aos 35 minutos.

Dois minutos depois de Gabigol desperdiçar boa chance, Raniel recebeu na meia-lua, balançou para cima de David Braz e encontrou um espaço pelo meio das pernas do zagueiro. A bola foi no cantinho e venceu o goleiro Vanderlei. Nos instantes finais, não houve tempo de reação.

A decisão marcou o primeiro uso do VAR em competição de âmbito nacional no Brasil. Aos 21 minutos, o árbitro Wilton Pereira Sampaio consultou o vídeo e, 27 segundos depois, soube por meio do ponto eletrônico que Dedé não cometeu pênalti em Gabigol.

Cruzeiro, de Mano, vence o Santos na reestreia de Cuca (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O JOGO

As estratégias das duas equipes ficaram claras nos primeiros minutos: o Santos tentando manter a posse de bola e controlar o jogo até encontrar espaços para marcar. O Cruzeiro bem postado na defesa em busca de contra-ataques.

O Peixe teve bom início e acuou a Raposa, mas pecou, como de costume na temporada, no último passe. As jogadas começavam bem, porém, terminavam mal. E no melhor momento na partida, quando as brechas começaram a aparecer por volta dos 30 minutos, os visitantes foram inteligentes e esfriaram o jogo, fazendo cera e chamando atendimento médico.

Na sequência, o Cruzeiro teve as melhores chances do primeiro tempo: um chute de fora de Lucas Silva aos 34 minutos, espalmado por Vanderlei, e segundos depois, quando Arrascaeta recebeu quase na pequena área, mas o goleiro saiu bem nos pés do uruguaio.

Gabigol perdeu boa chance para o Santos (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

VISITANTE LETAL

A tônica da partida se manteve na segunda etapa, mas o Cruzeiro passou a dividir a posse de bola e ter maior controle do jogo. Rodrygo, válvula de escape no primeiro tempo, sumiu. Bruno Henrique teve um ou outro lampejo, mas seguiu distante daquele de 2017.

Aos 21 minutos, o VAR foi acionado pela primeira vez em uma competição continental. Pelo ponto, o árbitro ouviu que Gabigol caiu na área, mas o zagueiro Dedé não cometeu pênalti. O intervalo foi de 27 segundos. 

O jogo ficou morno até uma boa substituição do técnico Cuca, aos 27 minutos, quando Daniel Guedes entrou no lugar de Renato, mal em campo, e Victor Ferraz foi para o meio-campo. O lado direito voltou a ficar forte e, pela esquerda, o Peixe teve sua melhor chance.

Dodô aproveitou rebote e levantou na área para Gabriel vir de trás e, sozinho, chutar de primeira para ótima defesa de Fabio aos 33 minutos. O Santos foi para cima, a torcida se levantou… E aí veio o castigo. Dois minutos depois, Raniel recebeu na meia-lua, deslocou David Braz e acertou o canto de Vanderlei.

Nos minutos finais, o alvinegro se lançou ao ataque, mas não teve forças para reagir. O Cruzeiro venceu e obteve ótima vantagem nas quartas de final da Copa do Brasil. A Raposa jogará por um empate para avançar à semifinal no dia 15, no Mineirão.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 1 CRUZEIRO

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 1º de agosto de 2018, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires
VAR: Bráulio Machado (principal), Helton Nunes e Marcelo de Lima Henrique (apoio)
Público e renda: 7.134/R$ 147.429,00
Cartões amarelos: SANTOS: Gabigol. CRUZEIRO: Henrique, Rafinha e Rafael Sóbis

GOL:
CRUZEIRO: Raniel, aos 35 do 2T.

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Renato (Daniel Guedes) e Diego Pituca (Copete); Rodrygo, Bruno Henrique e Gabigol
Técnico: Cuca

CRUZEIRO: Fábio, Romero, Léo, Dedé, Egídio, Henrique, Lucas Silva, Thiago Neves (Rafinha), Robinho (Rafael Sóbis), Arrascaeta e Barcos (Raniel)
Técnico: Mano Menezes

 

Gazeta Esportiva

Foto - Divulgação

O Palmeiras dá mais um passo em busca de seu quarto título da Copa do Brasil nesta quinta-feira. Em duelo na Arena Fonte Nova, o Verdão encara o Bahia pelo jogo de ida das quartas de final do torneio mata-mata.

O confronto marcará a estreia da comissão técnico de Luiz Felipe Scolari no Alviverde. Ainda sem o pentacampeão mundial, o auxiliar técnico de Felipão, Paulo Turra, irá comandar o Palestra. Assim, mudanças devem acontecer na formação titular da equipe.

Tendo comandado apenas dois treinos, Turra já deu indícios de que dará oportunidade a Deyverson entre os 11 iniciais. Marcos Rocha volta ao time após se recuperar de sobrecarga muscular, e Felipe Melo retorna após suspensão.

“Já tem algumas mudanças, eles já estão colocando a filosofia deles de trabalho. Gostam do centroavante, uma proteção. Algumas coisas táticas. Nós temos de acatar o mais rápido possível. No Brasil tem pouco tempo de treinamento. Temos de ter concentração alta para pegar da melhor forma possível e conseguir os resultados, executar o que a comissão está pedindo”, afirmou o meia Moisés.

Do lado mandante, o técnico Enderson Moreira terá quase todas as principais peças à disposição e um grupo mais encorpado e em momento diferente em relação ao que enfrentou o Palmeiras em maio, pelo Campeonato Brasileiro, com vitória alviverde por 3 a 0. O Tricolor já não perde há quatro jogos e espera levar uma vantagem para o jogo em São Paulo.

“Temos o Palmeiras pela frente, a primeira decisão, onde vamos jogar dentro da nossa casa. Precisamos fazer o resultado positivo para sair com a vantagem e decidir em São Paulo. Sabemos a dificuldade que vamos encontrar, mas dentro de campo são 11 contra 11, estaremos ao lado do nosso torcedor e vamos em busca de um grande resultado para ir pra São Paulo com uma vantagem e buscar essa classificação”, disse o meia Régis.

Por fim, o jogo marcará a primeira experiência de Palmeiras e Bahia com o VAR (Vídeo Árbitro). Todos os jogos das quartas de final da Copa do Brasil usarão a tecnologia implementada pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

FICHA TÉCNICA
BAHIA X PALMEIRAS

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 2 de agosto de 2018, quinta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco – FIFA
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Kleber Lucio Gil, ambos FIFA
VAR: Leandro Vuaden (principal), Iavn Bohl e Rodolfo Toski (apoio)

BAHIA: Anderson; Bruno, Tiago, Douglas Grolli e Léo; Gregore, Elton, Vinicius (Regis) e Marco Antônio; Edigar Junio e Gilberto
Técnico: Enderson Moreira

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Edu Dracena, Antônio Carlos e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés; Dudu, Willian e Deyverson
Técnico: Paulo Turra

O Corinthians contou mais uma vez com um Romero inspirado para quebrar um dos poucos tabus negativos da Arena Corinthians. Triunfante pelo placar de 1 a 0, construído com uma cabeçada do paraguaio ainda no primeiro tempo, o Timão venceu a Chapecoense pela primeira vez no seu estádio após quatro duelos. De quebra, o Timão ainda leva a vantagem de poder empatar o o jogo em Chapecó para assegurar uma vaga na semifinal da Copa do Brasil.

O embate de volta está marcado para o dia 15 deste mês, daqui duas semanas, e será realizado na Arena Condá, às 21h45 (de Brasília). Antes disso, no entanto, os comandados de Osmar Loss terão pela frente a equipe do Atlético-PR, às 21h (de Brasília) do sábado, em Itaquera, enquanto a Chape segue em viagem, dessa vez para o Recife, onde, às 19h (de Brasília) do domingo, enfrenta o Sport.

Corinthians começa elétrico

Loss disse na entrevista concedida pré-jogo que os primeiros minutos de um jogo mata-mata normalmente são mais estudados, sem tantos riscos, mas o seu discurso não foi reproduzido no confronto da sua equipe com a Chape. Após uma pressão inicial, o Alvinegro saiu na frente ao mostrar uma virtude já conhecida dos últimos anos, cada vez mais característica também do trabalho do novo treinador.

Aos seis minutos, Cássio saiu bem em escanteio e ficou com a bola. O goleiro pediu alguém pela esquerda, mas não foi atendido, optando por um longo – e preciso – lançamento para Pedrinho. O canhoto dominou bem, cortou para o pé bom e cruzou na medida para Romero, que testou no canto de Jandrei para abrir o placar. Muita festa na Arena, principalmente para o arqueiro, celebrado por todo o banco de reservas.

O Timão seguiu melhor por cerca de 30 minutos, trocando passes rápidos e mantendo a Chape bem longe do seu gol. A vantagem poderia ter sido ampliada aos 25, quando Pedrinho recebeu na entrada da área e chutou forte, carimbando o travessão Pouco depois, Avelar recebeu do garoto dentro da área, mas acabou encaixotado pela marcação e não consegui dar seguimento a outro bom lance do ataque alvinegro.

Até então apenas assistindo os donos da casa, a Chape passou a se soltar aproveitando a velocidade de Eduardo pelo lado direito. Sem pensar muito nas jogadas, o lateral colocou na frente sempre que pôde e conseguiu faltas e escanteios. Em um deles, a bola foi desviada na primeira trave por Amaral, mas Wellington Paulista não alcançou para mandar ao gol. Um susto que os corintianos levaram consigo para o intervalo.

Chape melhora, mas tabu é quebrado

A volta para o segundo tempo mostrou uma Chape mais confiante na troca de passes e retendo a posse de bola. Gilson Kleina, aparentemente satisfeito com a postura da sua equipe e com a desvantagem mínima para o jogo da volta, ele ainda tirou de campo o meia Osman para colocar Márcio Araújo. O volante posicionou-se para dar mais segurança na entrada da área e liberar Elicarlos para o ataque.

Os catarinenses se soltaram para o ataque aos poucos enquanto o Timão parecia mais cansado. Com uma intensidade muito abaixo da demonstrada na primeira etapa, Loss deslocou Pedrinho para a função de centroavante, voltando Romero para a ponta direita. O paraguaio, como sempre, dobrou a marcação com Fagner e facilitou o trabalho de marcação pelos lados, grande trunfo da Chape até então.

Os visitantes, sem se exporem tanto, conseguiram alguns lances de perigo em flatas na entrada da área, ambas cometidas de forma infantil pelo volante Douglas. Bruno Pacheco, porém, não mostrou a mesma precisão do primeiro tempo e isolou os dois chutes a gol. O lance de maior perigo saiu dos pés de Eduardo, que arriscou da entrada da área e exigiu boa defesa de Cássio, espalmando para longe.

Loss procurou dar pernas mais descansadas ao seu ataque trocando todos menos Romero da linha de quatro atletas à frente. Foi do paraguaio, porém, quem continuou a ditar as ações na frente. Único que segurou a posse na frente, criou bom lance ao dar lindo passe para Sheik, que invadiu a área e bateu cruzado, mas para fora. Depois, nos acréscimos, Araos arrancou bem e exigiu boa defesa de Jandrei.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 0 CHAPECOENSE

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 1º de agosto de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Alessandro Alvaro Rocha de Matos
VAR: Pericles Bassols (principal), Bruno Boschilia e Dewson Freitas (apoio)
Público: 23.624 pagantes
Renda: R$ 931.506,17
Cartões amarelos: Douglas, Jadson e Marquinhos Gabriel (Corinthians); Amaral (Chapecoense)
Gols:
CORINTHIANS: Romero, aos seis minutos do primeiro tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Henrique e Danilo Avelar; Gabriel e Douglas; Romero, Pedrinho (Emerson Sheik), Jadson (Araos) e Mateus Vital (Marquinhos Gabriel)
Técnico: Osmar Loss

CHAPECOENSE: Jandrei; Eduardo, Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Elicarlos e Yann Rolim (Canteros); Wellington Paulista, Osman (Márcio Araújo) e Bruno Silva (Guilherme)
Técnico: Gilson Kleina  

 

 

Gazeta Esportiva

Foto - Divulgação

Um clássico que colocará frente a frente duas das melhores equipes do futebol brasileiro na atualidade. Assim pode ser definido o confronto entre Grêmio e Flamengo, que se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS), pelo choque de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Embalado pela vitória de 4 a 1 sobre o Sport, o Rubro-Negro segue na liderança do Campeonato Brasileiro. Já o Tricolor gaúcho, que também faz boa campanha apesar doempate por 1 a 1 com a Chapecoense fora de casa, é o atual campeão da Copa Libertadores e muito forte no quesito “time copeiro”.

Renato Gaúcho terá o retorno de Léo Moura, Cortez e Everton (Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Renato Gaúcho, treinador do Grêmio, entende que o desgaste dos times é um fator importante e que pode pesar nesta Copa do Brasil. “Existe realmente o desgaste, pois são muitas decisões pela frente, principalmente dos times envolvidos na Copa do Brasil, na Libertadores e no Brasileiro. Mas temos que olhar para a frente e lutar por um grande resultado em casa contra o Flamengo, o que é muito importante neste tipo de disputa”, destacou.

Maurício Barbieri, comandante do Flamengo, segue a mesma linha de raciocínio. “Vai ser mais uma decisão e o fator físico logicamente que é uma preocupação. A sequência é difícil, o próprio Renato frisou que os jogadores não são robôs. Pensamos do mesmo jeito. Temos que conseguir o equilíbrio neste jogo para superarmos isso”.

Os jogadores gremistas entendem que será preciso pressionar. “Jogando em casa precisamos de um resultado positivo contra o Flamengo, pois a partida de volta será no Rio de Janeiro e ainda mais complicado jogar lá”, disse o zagueiro Pedro Geromel.

Mas a pressão gremista parece não assustar tanto os flamenguistas. “Respeitamos o Grêmio, que é muito forte neste tipo de competição e sabemos que serão dois jogos muito complicados. Vamos ter que segurar o Grêmio no Sul. Mas, eles também têm que segurar o Flamengo. São duas grandes equipes. Há muito trabalho dos dois lados. Vai ser um grande jogo, não tenho dúvidas disso, uma disputa sadia”, pontuou Barbieri.

Maurício Barbieri ganhou novo reforço: Vitinho, que já treinou com a equipe (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Em termos de escalação o Grêmio terá força máxima. Isso porque os laterais Léo Moura e Cortez, poupados contra a Chapecoense por conta de desgaste muscular, estão à disposição, assim como Everton, recuperado de uma conjuntivite. A única dúvida de Renato Gaúcho está no ataque, onde André e Jael disputam posição.

Já o Flamengo não terá o atacante Paolo Guerrero, vetado com dores na parte posterior da coxa esquerda. Assim, o colombiano Fernando Uribe segue no posto. A grande atração é o atacante Vitinho, contratado junto ao CSKA e que vai ser relacionado, ficando no banco de reservas.

Na fase anterior o Flamengo eliminou a Ponte Preta ganhando fora de casa por 1 a 0 e depois administrando um sonolento empate sem gols. Já os gremistas foram mais eficientes contra o Goiás, fazendo 2 a 0 no Centro-Oeste e ganhando por 3 a 1 no Rio Grande do Sul. O duelo de volta entre Flamengo e Grêmio está programado para o dia 15 de agosto e será realizado no Maracanã, no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X FLAMENGO

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 1 de agosto de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro de Campo: Raphael Claus – FIFA/SP – Cursos CBF 2017/18
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho – FIFA/TA e Marcelo Carvalho Van Gasse – FIFA/TA
VAR: Rafael Traci – Cursos CBF 2017/18,  Alex Ang Ribeiro – Cursos CBF 2017/18 e Luiz Flavio de Oliveira – FIFA/TA

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Léo Moura, Pedro Geromel, Walter Kannemann e Cortez; Maicon, Cícero, Ramiro, Luan e Everton; André (Jael)
Técnico: Renato Gaúcho

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Gustavo Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Marlos Moreno; Fernando Uribe
Técnico: Maurício Barbieri

 

Gazeta Esportiva

Mais Artigos...