Dourados-MS,
Camara- (1000x90)

O São Paulo visita o Botafogo neste domingo, às 16 horas (de Brasília), no Engenhão, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Líder da competição, a equipe comandada pelo técnico Diego Aguirre precisa mais do que nunca da vitória para não só manter a primeira colocação, mas também tentar abrir vantagem para os seus principais concorrentes, Palmeiras e Internacional, que possuem apenas um ponto a menos que o Tricolor na tabela e são os próximos adversários do time do Morumbi.

Contra o Botafogo, o São Paulo não poderá contar com Arboleda, que terá de cumprir suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo recebido no Brasileiro, na última rodada, no duelo com o América-MG. O atacante Everton, ainda se recuperando de um desconforto na região posterior da coxa esquerda, e Araruna, com contratura na coxa direita, também são desfalques. Assim como Régis, liberado para resolver questões pessoais.

Em contrapartida, Joao Rojas e Bruno Alves, que tiveram de ficar de fora na última rodada para cumprirem suspensão, voltam a ficar à disposição do treinador são-paulino e, inclusive, devem ser titulares no Rio de Janeiro. Reinaldo, por sua vez, é o favorito para assumir a vaga de Everton, com Edimar atuando como lateral.

Vivendo momento de oscilação no torneio, o Tricolor tenta dar a volta por cima e voltar aos trilhos. Neste segundo turno, a equipe somou apenas dez pontos em sete jogos, totalizando quatro empates, duas vitórias e uma derrota. Por enquanto, a liderança vem sendo mantida, mas é inegável que a pressão em cima do São Paulo está maior do que nunca.

O Botafogo, por sua vez, está muito motivado para derrotar o líder do Campeonato Brasileiro e seguir se afastando da zona de rebaixamento. O time de General Severiano soma 32 pontos e ocupa o 12ª lugar, mas tem a ambição de subir bastante na classificação para afastar qualquer perigo de queda para a série B.

O time dirigido por Zé Ricardo vem de duas vitórias contra América-MG e Vitória, o que aumentou a confiança do grupo. O treinador alvinegro ficou muito satisfeito com a determinação da equipe diante do Vitória e já acredita que o Botafogo pode ter um final de campeonato bem tranquilo,bem afastados dos clubes que brigam para não cair. Zé Ricardo espera que a torcida compareça em grande número ao Engenhão para incentivar a equipe na busca pela terceira vitória consecutiva.

O goleiro Gatito Fernandez, afastado desde abril, voltou a treinar normalmente durante a semana, mas ainda está sem ritmo de jogo e não deve voltar ao time contra o Tricolor do Morumbi. Saulo vai seguir no gol. A tendência é que o treinador alvinegro mantenha a equipe que venceu em Salvador. O atacante Erik que voltou de Salvador se queixando de dores no tornozelo direito, foi liberado e está confirmado no time que vai enfrentar o Tricolor do Morumbi.

O volante Marcelo segue no departamento médico e não será relacionado para o jogo, o mesmo acontecendo com o meia Léo Valencia.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO X SÃO PAULO

Local: estádio Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro
Data: 30 de setembro de 2018, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Rafael Trombeta (PR)

BOTAFOGO: Saulo, Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Jean, Rodrigo Lindoso e Gustavo Bochecha; Erik, Kieza e Luiz Fernando
Técnico: Zé Ricardo

SÃO PAULO: Sidão; Bruno Peres, Bruno Alves, Anderson Martins e Edimar; Jucilei, Hudson e Nenê; Reinaldo, Joao Rojas e Diego Souza
Técnico: Diego Aguirre

Em meio à briga entre os jogadores, discussões na arquibancada e polêmicas de arbitragem, Palmeiras e Cruzeiro voltam a se enfrentar neste domingo, às 11h (de Brasília), no Pacaembu. O Verdão busca a liderança do Campeonato Brasileiro, enquanto a Raposa entra em campo defendendo um tabu de três anos.

No confronto de quarta-feira, no Mineirão, paulistas e mineiros entraram em confronto após o apito final. Entre a confusão dos atletas, Sassá desferiu um soco em Mayke, que precisou ser contido pelos seguranças. A atitude foi classificada pelos palestrinos como covarde e após a partida, Dudu chegou a falar em tom de ameaça ao atacante dos mineiros.

Sem Sassá, que será preservado por Mano Menezes e não viaja para São Paulo, o Cruzeiro defende um tabu de dez partidas contra o Verdão, sendo seis empates e quatro vitórias celestes. O último triunfo alviverde sobre os mineiros aconteceu em 26 de agosto de 2015, na vitoriosa campanha do Alviverde na Copa do Brasil. Na ocasião, Gabriel Jesus marcou dois e deu assistência na vitória por 3 a 2.

Com 50 pontos ganhos, um a menos que o líder São Paulo, o Palmeiras recebe o Cruzeiro mirando a liderança. Em caso de triunfo, a ponta na tabela de classificação estará assegurada ao menos até o jogo do rival Tricolor, que entrará em campo apenas às 16h contra o Botafogo, no Engenhão.

Com decisões importantes pela frente, com o Boca Juniors no Mineirão, na próxima quinta-feira, pela partida de volta das quartas de final da Copa Libertadores, o Cruzeiro vai mandar para o duelo contra o Palmeiras seu time reserva.

Os atletas do time alternativo do Cruzeiro estão embalados. A equipe venceu o último jogo, contra o Santos, no Mineirão, por 2 a 1, de virada. A expectativa é buscar novamente um resultado positivo.

“O Palmeiras está bem na competição, mas queremos buscar um resultado positivo e melhorar nossa condição na tabela”, destacou o meia Robinho.

O técnico Mano Menezes tem dúvidas para este time reserva. Na frente, por exemplo, Raniel deve ser utilizado. A novidade do jogo deve ficar por conta de Fred. O atacante está fora desde janeiro, quando se lesionou gravemente em confronto contra o Tupi, pelo Campeonato Mineiro.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS x CRUZEIRO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 30 de setembro de 2018, domingo
Horário: 11h (Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva – PA (Fifa)
Assistentes: Hecio Araujo Neves e Heronildo S Freitas da Silva – PA (Fifa)

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Gustavo Gómez, Luan e Victor Luis;; Thiago Santos, Bruno Henrique e Lucas Lima; Guerra (Willian), Dudu e Deyverson
Técnico: Luiz Felipe Scolari

CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Manoel, Léo e Marcelo Hermes; Ederson, Ariel Cabral, Bruno Silva, Rafael Sóbis e David; Raniel
Técnico: Mano Menezes

O Corinthians não conseguiu transformar suas chances criadas em gol na noite deste sábado, contra o América-MG, no Independência. Em uma das suas melhores performances recentes, o Alvinegro dominou a posse da bola e as finalizações, mas parou no goleiro João Ricardo e na falta de pontaria.

Com o 0 a 0, atrapalhado também por um pênalti claro não dado sobre Gabriel, no final do jogo, o Timão fica com 35 pontos, longe do G6 e sem conseguir se afastar da zona de rebaixamento. Os mineiros, por outro lado, vêm com 32.

Na próxima rodada, os comandados de Jair Ventura terão pela frente justamente o Flamengo, clube eliminado pelo Alvinegro na semifinal da Copa do Brasil. O embate está marcado para a sexta-feira, às 21h (de Brasília), na Arena. Do outro lado, os mineiros visitam o Atlético-PR, às 16h (de Brasília) do sábado, dia 6, na Arena da Baixada.

Corinthians joga bola e cria muito

O Corinthians fez em Belo Horizonte talvez seu jogo mais bem jogado desde que Jair Ventura assumiu o comando da equipe. Com um quarteto ofensivo bastante móvel, o clube envolveu com facilidade a marcação do time da casa e só não abriu o placar antes dos 15 minutos porque, na melhor chance, João Ricardo defendeu boa finalização de Mateus Vital, dentro da área, após cruzamento de Carlos.

Aparentemente perdido em campo, o Coelho viu o Timão chegar em outras oportunidades à sua área, mas as finalizações corintianas não tiveram grande precisão. Na sua única resposta no primeiro tempo, os anfitriões contaram com um bom giro de Ruy sobre Ralf, lançando Gerson Magrão e vendo o companheiro mandar por cima do gol.

O susto fez com que os paulistas apostassem mais na posse de bola, deixando de ser agudos a cada posse de bola. Até o final do primeiro tempo, a chance mais clara saiu quando Mateus Vital deixou Ferraz no chão dentro da área, mas mandou em cima de João Ricardo.

Corinthians erra e juiz ignora pênalti

A etapa final mostrou um jogo bem menos movimentado do que os 45 minutos iniciais. Incomodado com o espaço dado pela sua equipe, Adilson Batista voltou com duas alterações já do intervalo: o volante Juninho e o atacante Matheusinho, buscando dar mais mobilidade à sua equipe.

Com um América-MG mais bem postado dentro da sua área. o duelo perdeu em criatividade e obrigou Jair a buscar alternativas. Díaz estreou na vaga de Clayson, Thiaguinho foi acionado para substituir Araos e, por último, Roger entrou no gramado para a tentativa de um gol no final.

Prejudicado pela arbitragem em um impedimento mal marcado de Clayson, o Timão ainda viu o juiz errar novamente no final ao ignorar pênalti claro sobre Gabriel, derrubado por Gerson Magrão quando invadia a área. O placar, no entanto, ficou no 0 a 0.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 0 x 0 CORINTHIANS

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 29 de setembro de 2018, sábado
Horário: 19h00 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)
Público: 8.012 presentes
Renda: R$ 99.755,00
Cartões amarelos: Clayson (Corinthians)

AMÉRICA-MG: José Ricardo; Aderlan, Matheus Ferraz, Messias e Luan; Leandro Donizete, David (Juninho), Robinho (Zé Ricardo), Ruy e Gerson Magrão; Wesley Pacheco (Matheusinho)
Técnico: Adilson Batista

CORINTHIANS: Cássio; Gabriel, Henrique, Léo Santos e Carlos Augusto; Ralf e Araos (Thiaguinho); Romero (Roger), Pedrinho, Mateus Vital e Clayson (Díaz)
Técnico: Jair Ventura

Com 34 pontos na tabela de classificação, o Corinthians de Jair Ventura precisa de vitória e dos três pontos para espantar de vez o fantasma do rebaixamento e igualar sua maior série sem derrotas na Série A do Campeonato Brasileiro. Para isso, o Timão vai a campo neste sábado, às 19h00 (horário de Brasília), para encarar o América-MG. O duelo, válido pela 27ª rodada da competição inicial, será disputado no Estádio Independência.

Na quarta rodada, a equipe do Parque São Jorge empatou com o Ceará por 1 a 1, venceu o Palmeiras por 1 a 0 no jogo seguinte e voltou a empatar, dessa vez com o Sport, na sexta rodada. A sequência de três jogos de invencibilidade, máxima marca do Timão no campeonato, voltou a aparecer a partir da 15ª rodada: 2 a 0 contra o Cruzeiro, 4 a 1 para cima do Vasco e 0 a 0 com o Atlético-PR.

Tendo alcançado a classificação à final da Copa do Brasil, a tendência é que o Corinthians poupe jogadores e utilize mais times alternativos no restante do Campeonato Brasileiro, como afirmou o próprio técnico Jair Ventura no sorteio dos mandos de campo da decisão do torneio mata-mata.

Entretanto, antes do confronto, em entrevista coletiva, o zagueiro Léo Santos reiterou que o elenco do Timão sente-se preparado fisicamente. A última palavra, contudo, será mesmo do comandante corintiano.

“Não conversei com o professor ainda, não sei se vai poupar. Mas acho que, na questão física, o grupo está preparado. Tivemos uma sequência longa, com vários jogos, mas estamos preparados. Se ele achar melhor poupar alguns jogadores, vamos abraçar a ideia dele. Estamos todos juntos. A final de Copa do Brasil nos dá confiança para o restante do Campeonato Brasileiro, mas agora temos que focar jogo a jogo”, contou.

Para o duelo, Jair Ventura vê a presença de Fagner ser descartada devido a uma fibrose no músculo posterior da coxa. No último treinamento antes do embate, o treinador deixou de fora também Douglas, Jadson, Danilo Avelar e Emerson Sheik, que não jogarão contra o Coelho.

As ausências abrem espaço para a estreia de Araos como titular do Corinthians, além de uma possível retomada do esquema tático com centroavante. Sendo assim, no caso, Roger voltaria ao onze inicial do Timão. Muito cansado após a classificação contra o Flamengo, Mateus Vital treinou normalmente, mas segue como dúvida.

Pelo lado do América-MG, o técnico Adilson Batista tem um grande problema para enfrentar o Timão. O lateral-esquerdo Carlinhos está suspenso e a situação fica ainda mais grave porque Giovanni, outro jogador da posição, está no departamento médico. A tendência é que Gerson Magrão seja improvisado na função.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG x CORINTHIANS

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 29 de setembro de 2018, sábado
Horário: 19h00 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)

AMÉRICA-MG: José Ricardo; Aderlan, Matheus Ferraz, Messias e Gerson Magrão; Leandro Donizete, Zé Ricardo, Juninho, David e Ruy; Wesley Pacheco
Técnico: Adilson Batista

CORINTHIANS: Cássio; Gabriel, Henrique, Léo Santos e Carlos Augusto; Ralf, Araos, Pedrinho, Clayson e Romero; Roger (Mateus Vital)
Técnico: Jair Ventura

O Flamengo foi a Salvador enfrentar o Bahia na noite deste sábado pela 27ª rodada do Brasileirão, e perdeu a chance de dormir na liderança ao empatar por 0 a 0, em uma de suas piores partidas na competição. Com a vitória do Grêmio sobre o Fluminense, na abertura da rodada mais cedo, o Rubro-Negro caiu mais uma posição e agora é o quinto colocado, com 49 pontos.

Para o Bahia, o resultado do jogo também não foi bom. Com 29 pontos na 14ª colocação, a equipe baiana pode terminar a rodada na zona do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Flamengo reencontra o Corinthians novamente na Arena, na sexta-feira, às 21 horas. O Bahia visita o Grêmio no dia seguinte, em Porto Alegre.

O jogo – A eliminação da Copa do Brasil na última quarta-feira para o Corinthians, que foi seguida pela demissão do técnico Maurício Barbieri, parecem ter abalado a confiança dos jogadores do Flamengo. No primeiro tempo em Salvador, a equipe Rubro-Negra em nada lembrou aquela que jogou no meio de semana na arena Corinthians. O time ‘não entrou no jogo’, cometeu muitos erros de passe, inclusive não forçados, e praticamente só se defendeu. Nas poucas vezes em que conseguia escapar em contra-ataque, a falta de capricho no passe não permitia o prosseguimento das jogadas.

Já o Bahia optou por pressionar os visitantes com uma marcação alta desde a saída de bola adversária. Mas a equipe de Enderson Moreira também cometia muitos erros, contribuindo para o baixo nível técnico da partida.

A primeira conclusão a gol do jogo foi do Flamengo. Lucas Paquetá recebeu de Vitinho na entrada da área e arrisocu de longe, mas o chute saiu fraco e no meio do gol, e Anderson não teve dificuldade para encaixar a bola.

O primeiro lance de perigo para o Bahia foi aos 12 minutos, na cobrança de uma falta pela direita do ataque. Bruno cruzou, mas a bola passou pelos atacantes e Pará cortou do outro lado e cedeu o escanteio.

Aos 23, após bola cruzada na área, Léo Duarte afastou e a sobra ficou com Léo, que soltou uma bomba que passou raspando na trave esquerda e saiu pela linha de fundo.

O Bahia cresceu nos minutos finais do primeiro tempo. Aos 40, o primeiro lance polêmico. Após falta da intermediária que Gilberto bateu forte, a bola espirrou na barreira e caiu na marca do pênalti. Cuéllar cortou e chutou na mão de Léo Duarte, e na sobra Zé Rafael chutou prensado por cima do gol. Os jogadores do Bahia pediram pênalti, mas o árbitro deu só o escanteio.

Aos 46, Zé Rafael saiu costurando a defesa do Flamengo, entrou na área e, quando ia sair na cara de César, caiu. Os baianos novamente cercaram o árbitro pedindo pênalti, mas o juiz mandou seguir o jogo.

Depois do primeiro tempo morno, a etapa final começou mais corrida, especialmente por conta dos rubro-negros. O Bahia, por sua vez, não tinha o mesmo ritmo. O jogo, porém, continuou com muitos erros de ambas as partes.

Aos seis minutos, o Fla perdeu sua melhor chance na partida até então. Pará, livre de marcação na direita, levantou na área para Vitinho, que subiu junto com Anderson. O goleiro do Bahia não segurou e deixou a bola cair na frente do atacante do Fla. Vitinho tentou a conclusão mas a bola escapou e o chute saiu muito fraco, e a zaga do Bahia conseguiu cortar e evitar o gol.

O Bahia dava sinais de cansaço, e o Flamengo começou a pressionar mais, mas os erros no ataque continuavam. Sem criatividade, a equipe carioca lançava mão dos cruzamentos na área, mas continuava sem acertar nas finalizações.

Enderson Moreira decidiu dar novo gás ao time e trocou Ramires por Vinícius. A mudança deu resultado e o Bahia voltou a crescer no jogo. Os últimos 15 minutos de partida foram de grande intensidade.

Aos 34, Elber fez um Carnaval na defesa do Flamengo. Primeiro ele desceu pela direita e tocou para Bruno, que cruzou na área. Vinícius tentou tocar para o gol, mas falhou e a bola passou pela área e foi cortada. O rebote era de Paquetá, mas Elber tomou a bola e mandou um balaço, que César defendeu de soco. No rebote, Cuéllar dominou na entrada da área, mas Elber apareceu mais uma vez e recuperou, entrou na área e se chocou com Réver, que cortou para escanteio.

No minuto seguinte, Zé Rafael recebeu no bico esquerdo da área, ajeitou e soltou a bomba. A bola passou perto da trave direita de César e saiu pela linha de fundo.

Trauco sentiu lesão e foi substituído por Renê, que participou da bola do jogo aos 49 minutos. O lateral recebeu de Paquetá e levantou na área do Bahia. William Arão, livre cabeceou para fora e perdeu chance incrível de deixar o Flamengo dormir na liderança.

FICHA TÉCNICA
BAHIA-BA 0 X 0 FLAMENGO-RJ

Local: Estádio da Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: Sábado, 29/09/2018
Hora: 21h (Brasília)
Árbitro: Igor Benevenuto de Oliveira(CBF-MG)
Assistentes: Felipe Alan de Oliveira e Ricardo Junio de Souza(CBF-MG)
Renda: R$ 1.171.225,00
Público: 31.626
Cartões amarelos: Elber, Douglas Grolli (Bahia); Everton Ribeiro (Fla)

BAHIA: Anderson, Bruno (Nino Paraíba), Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Flávio, Gregore, Zé Rafael (Clayton) e Ramires (Vinícius): Elber e Gilberto
Técnico: Enderson Moreira

FLAMENGO: César; Pará, Léo Duarte, Réver e Trauco (Renê); Cuéllar, Wilian Arão e Lucas Paquetá; Everton Ribeiro, Vitinho (Berrío) e Lincon (Marlos Moreno)
Técnico: Mauricio de Souza

O Fluminense continua sem conseguir emplacar uma sequência de vitórias no Campeonato Brasileiro. Na tarde deste sábado, no Rio de Janeiro, o Tricolor carioca recebeu o Grêmio e acabou derrotado por 1 a 0, com um gol marcado pelo atacante Everton, aos 47 minutos do segundo tempo.

O resultado coloca o Grêmio na luta pela liderança do Brasileirão, com 50 pontos, um a menos que o São Paulo, que joga neste domingo contra o Botafogo no mesmo estádio Nilton Santos. Já o Flu segue no meio da tabela com 34 pontos, e não consegue se aproximar do G6.

Na próxima rodada, Grêmio e Fluminense jogam em casa. Os gaúchos recebem o Bahia na Arena, no sábado, enquanto os cariocas entram em campo somente na segunda-feira, diante do Paraná Clube, em partida programada para o Maracanã.

O Jogo – Fluminense e Grêmio fizeram um primeiro tempo de poucas emoções no Nilton Santos. Precisando mais do resultado e jogando em casa, o Tricolor carioca buscou controlar a posse de bola e tomar a iniciativa da confronto. O Grêmio, por sua vez, foi ao Rio de Janeiro com uma formação composta basicamente por reservas, e optou por se fechar no campo defensivo e tentar os contra-ataques.

Nos primeiros 45 minutos, o jogo ficou concentrado entre as duas intermediárias, e com duas equipes previsíveis. Grêmio, sem centroavante e somente Douglas no ataque, tocava muito a bola para os lados, enquanto o Flu tinha só uma jogada, pelo lado esquerdo em cima de Ayrton Lucas e Everaldo.

O Flu teve sua melhor jogada do primeiro tempo logo aos 3 minutos. Everaldo fez boa jogada pela esquerda, foi ao fundo e cruzou rasteiro para trás. Sornoza tentou o chute de primeira mas pegou mal na bola e ela nem no gol chegou.

Aos 13, Dodi recebe na área pela direita, e tenta a conclusão por cobertura. A bola cruzou a frente do gol e saiu pelo outro lado.

O Grêmio respondeu dois minutos depois. Em contra-ataque rápido, Douglas recebeu no meio perto da meia lua, ajeitou e tentou chute rasteiro de canhota, mas a bola foi fraca e no meio do gol. Júlio César defendeu com tranquilidade.

Aos 26, Sornoza cruzou da direita e Everaldo tentou o cabeceio, mas a bola saiu à esquerda da meta de Paulo Victor.

As duas equipes retornaram dos vestiários sem alterações, maso ritmo do jogo mudou. O confronto ficou mais corrido e aberto, com o Flu buscando mais incisivamente o gol, mas ao mesmo tempo se expondo mais.

E foi aos 2 minutos que o Grêmio chegou com perigo. Pepê puxou o contra-ataque, se livrou da marcação e tocou para Jean Pyerre, que lançou Alisson. O meia tentou a conclusão mas mandou pela linha de fundo.

O Flu fez Paulo Victor trabalhar aos 12. Everaldo recebeu na esqureda, tocou para Sornoza no meio, que lançou Ayrton Lucas dentro da área pela esquerda. O meia chutou rasteiro cruzado e o goleiro do Grêmio defendeu parcialmente, mas ninguem estava lá para aproveitar o rebote.

Os comandados de Marcelo Oliveira chegaram muito perto do primeiro gol aos 20 minutos. Marcos Junior, que havia entrado no lugar do zagueiro Gum, recebeu lançamento longo de Digão e escapou por trás da zaga gremista. Ele entrou na área e tocou na saída de Paulo Victor, mas a bola bateu no goleiro a a zaga afastou o perigo.

Paulo Victor salvou o Grêmio aos 34, num belo chute de Richard. Tabela do Flu na frente da área gaúcha, Richard recebeu na esquerda, limpou o lance e chutou cruzado no canto, mas o goleiro gremista voou e fez grande defesa tocando para escanteio.

Nos últimos minutos da partida, foi o Grêmio que chegou. Aos 42, Maicon cruzou da direita, a bola bateu em Thaciano que entrava pelo meio em velocidade e foi em direção ao gol. Júlio César defendeu mas no rebote, Thaciano tocou com a mão e mandou para a rede. A infração foi marcada e o gol anulado.

No último lance do jogo, aos 47, Thonny Anderson enfia a bola pelo meio da zaga do Flu para Everton que entrava em velocidade. O atacante tocou de calcanhar e tirou Paulo Victor da jogada para dar a vitória ao tricolor gaúcho.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE-RJ 0 x 1 GRÊMIO-RS

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: Sábado, 29/09/2018
Horário: 16h (Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse e Danilo Manis (Fifa-SP)
Cartões amarelos: Leonardo Gomes, Alisson (Grêmio)
Renda: R$ 552.190,00
Público: 8.721 (7.922 pagantes)
Gol:
GRÊMIO: Everton, aos 47 min do 2º tempo

FLUMINENSE: Júlio César, Gum (Marcos Junior), Digão e Ibañez; Léo (Mateus Norton), Richard, Dodi, Sornoza (Kayke) e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo Gomes, Paulo Miranda, Bressan e Marcelo Oliveira; Maicon, Kaio, Jean Pyerre (Thonny Anderson), Alisson e Pepê (Everto); Douglas (Thaciano)
Técnico: Renato Gaúcho

Dorival já comandará a equipe contra o Bahia na Fonte Nova (Foto: Divulgação/Flamengo)

Depois da eliminação na Copa do Brasil, o Flamengo encara como decisivo o confronto diante do Bahia, neste sábado, às 21h (de Brasília), na Fonte Nova. O clima de pressão que tomou conta da equipe rubro-negra após a derrota para o Corinthians só vai ser aliviado por uma vitória convincente que mantenha a equipe na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. O Flamengo é o quarto colocado com 48 pontos ganhos, apenas três a menos do que o líder São Paulo.

O treinador Maurício Barbieri foi demitido e o experiente Dorival Júnior foi contratado nesta sexta-feira e já deve comandar a equipe, ajudado por Maurício de Souza, que permaneceu no clube após a demissão de Barbieri. Para o Bahia, a partida também se reveste de muita importância. O Tricolor de Aço é o 15º colocado com 29 pontos e precisa de um resultado positivo para se afastar da zona do rebaixamento.

O Flamengo tem alguns problemas para escalar a equipe. O meia Diego, que sentiu dores na coxa direita durante a partida contra o Corinthians e foi substituído, foi vetado pelo departamento médico após exames em São Paulo. O goleiro Diego Alves reclamou de dores na coxa esquerda após a partida de quarta-feira e também está fora do jogo. Os dois atletas já voltaram ao Rio em companhia do atacante Henrique Dourado que vai cumprir suspensão por ter sido advertido com o terceiro cartão amarelo na vitória sobre o Atlético-MG, no último domingo.

Mauricio de Souza, que está comandando as atividades antes da chegada de Dorival, ainda não definiu os substitutos, mas é possível que a comissão técnica faça outras mudanças na equipe, muito criticada na derrota para o Corinthians, principalmente pela baixa produção do setor ofensivo.

Sem Fernando Uribe, que ficou no Rio de Janeiro tratando um problema no tornozelo, o jovem Lincoln deve aparecer no comando do ataque. Para o lugar de Diego, Vitinho pode ganhar nova oportunidade depois de mais uma partida decepcionante. Na lateral esquerda, Renê deve recuperar a posição, saindo o peruano Trauco.

No Bahia, o técnico Enderson Moreira tem conversado muito com os jogadores sobre o futuro da equipe no Campeonato Brasileiro. Para o treinador, que festejou aniversário nesta sexta-feira, o Bahia precisa vencer todas as partidas dentro de casa para subir na classificação e afastar o perigo de cair para a série B.

Já recuperado, o goleiro Anderson é o mais cotado para substituir Douglas, que recebeu cartão vermelho no jogo diante do Vasco. O zagueiro Lucas Fonseca e o meia Zé Rafael também foram liberados pelo departamento médico e estão à disposição do treinador. Além dos titulares, Enderson Moreira também deve contar com o meia argentino Allione, finalmente recuperado da lesão que o afastou da equipe durante muito tempo, mas ele deve ficar no banco de reservas.

FICHA TÉCNICA
BAHIA-BA X FLAMENGO-RJ

Local: Estádio da Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: Sábado, 29/09/2018
Hora: 21h (de Brasília)
Árbitro: Igor Benevenuto de Oliveira(CBF-MG)
Assistentes: Felipe Alan de Oliveira e Ricardo Junio de Souza(CBF-MG)

BAHIA: Anderson, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Nilton, Gregore, Zé Rafael e Ramires: Elber e Gilberto
Técnico: Enderson Moreira

FLAMENGO: César; Pará, Léo Duarte, Réver e Renê (Trauco); Cuéllar, Wilian Arão, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro e Vitinho; Lincon
Técnico: Mauricio de Souza

Mais Artigos...